domingo, 4 de abril de 2010

O diário de Daniela


NOME ORIGINAL
El diario de Daniela

ESCRITORAS
Marcela Fuentes-Berain e Fernanda Villeli 

PRODUTORA
Rosy Ocampo 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
100

ANO DE GRAVAÇÃO
1998

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
2000

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
El diario de Daniela

INTÉRPRETE
Daniela Luján e Martín Ricca

Ellos no saben, ni se imaginan
que una persona y una hoja
pueden hablar y oír.

Por más que pienso con quién platica,
sigo pensando y me paso horas,
no puedo decidir.

Y el todo el día busco el momento
de conversar con mi diario a solas,
me siento a escribir.

Y sólo espero que un buen día
pueda ser yo el que la enamora,
sin ti no sé vivir.

En el diario de Daniela
se han escrito tantas cosas,
sus secretos escondidos
y sus ratos entre amigos.

En el diario de Daniela
se han escrito tantas cosas,
las tristezas que se han ido
y alegrias que nunca se acaban…

Y el todo el día busco el momento
de conversar con mi diario a solas,
me siento a escribir.

Y sólo espero que un buen día
pueda ser yo el que la enamora
sin ti no sé vivir.

En el diario de Daniela
se han escrito tantas cosas,
sus secretos escondidos
y sus rato entre amigos…

En el diario de Daniela
se han escrito tantas cosas,
sus secretos escondidos
y sus ratos entre amigos.

En el diario de Daniela
se han escrito tantas cosas,
las tristezas que se han ido
y alegrias que nunca se acaban…

TEMA DE ABERTURA 2
O diário de Daniela

Eu gosto tanto deste momento,
quando estou só com meu diário
adoro escrever.

Eu só espero que algum dia,
possa te ver apaixonada
e ter você pra mim.

No diário de Daniela
são escritas tantas coisas,
seus segredos escondidos,
seus recados sempre amigos.

No diário de Daniela
são escritas tantas coisas
as tristezas de um dia,
alegrias que jamais vão se acabar...


ELENCO

Daniela Luján: Daniela Monroy

Yolanda Ventura: Natália Navarro de Monroy

Marcelo Buquet: Enrique Monroy

Gerardo Murguía: Enrique Monroy (Substituto)

Martín Ricca: Martin Linhares Moreno

Letícia Calderón: Leonor de Monroy

Gaspar Henaine: Capulina “Capu”

Mónika Sánchez: Elena Ruiz

Odiseo Bichir: Joel Castillo

Anahí: Adélia Monroy

Carlos Manuel Castillo Villanueva: "Pepito"

Juan Pablo Gamboa: José Linhares “Pepe”

Marcela Páez: Rita Moreno de Corona

Amparo Arozamena: Amparinho

María Prado: Dona Emma

Carlos Puerto: Jorge

Mariana Huerdo: Tânia

Mónica Riestra: Crista Linhares

Carlos Peniche: Ricky

Paulina de Labra: Flor

Yulyenette Anaya: Lídia “Lidi”

Isaac Castro: Fantasma Yuls

Melina Escobedo: Malu

César González: Toby

Óscar Larios: Chuy

Christopher Uckermann: Christopher Robin

Fernando Rodríguez: Sérgio

Odamaris Ruiz: Gina

Fátima Torre: Fátima

Rodrigo Soberón: Juancho “Lagarto”

Eduardo Liñán: Det. Quintana

Roberto Ballesteros: Arturo Barto

Manuel Saval: André Zamora

Yamil Yitani Maccise: Yamil

David Ostrosky: Gustavo Corona


PERSONAGENS

Daniela (Daniela Luján) - tem apenas dez anos, é bonita, simpática, encantadora e conquista a todos com sua meiguice. Além dos amigos inseparáveis, Daniela tem como aliado um diário onde ela conta seus sonhos, segredos, tristezas e, principalmente, confessa suas travessuras. Mas Daniela tem um amigo especial, um garotinho fantasma que vai ajudá-la a enfrentar momentos muito difíceis.

Martin (Martín Ricca) - é um menino inteligente, esperto e apaixonado por Daniela. Ele é filho de José, diretor teatral e o melhor amigo do pai de Daniela. Divorciado, ele tenta de todas as formas conseguir a guarda do filho, pois os dois são muito unidos. Mas enquanto isso não acontece, o menino vive um terrível drama familiar, pois além de estar longe do pai ele sofre muito nas mãos de Gustavo, o padrasto, um homem muito violento, que também maltrata sua mãe, Rita.

Natália (Yolanda Ventura) - uma jovem bonita e de bom coração que cuida do guarda-roupa do teatro. Dona de uma belíssima voz, ela recebe apoio e incentivo de Henrique e se transforma numa grande cantora. Natália e seu tio são os melhores amigos e aliados de Daniela e sua turma sem esquecer, é claro, o amigo fantasma. Juntos eles vão lutar contra as maldades de Helena e tentar provar que o amor sincero e a amizade vencem qualquer obstáculo.

Henrique (Marcelo Buquet) - é um homem bem sucedido, dono de um importante teatro. E feliz por que tem uma linda família. Mas o que ele nem imagina é que sua sócia, Helena, a quem ele considera uma amiga, vai transformar sua vida para sempre.

Capu (Gaspar Henaine) - é o zelador do teatro. Um homem bom que apesar da idade avançada conserva sua alma de menino. Junto com sua neta Natália, são os melhores amigos de Daniela e sua turma.

Lídia (Yulyenette Anaya) - a melhor amiga de Daniela. É uma garota com um grande coração e assim como Daniela está sempre ajudando os amigos.

Malu (Melina Escobedo) - sobrinha de Helena. É uma garota invejosa que está sempre procurando um jeito de prejudicar Daniela e seus amigos.

Elena (Mónika Sánchez) - sócia do teatro. É uma mulher muito perigosa, capaz de qualquer coisa para conseguir o que quer. Apaixonada por Henrique, ela fará de tudo para destruir a felicidade da família Monroy.

Leonor (Leticia Calderón) - uma linda mulher, mãe dedicada e esposa apaixonada. Ela será a grande vítima do amor obsessivo que Helena sente por Henrique.

Rita (Marcela Páez) - mãe de Martin, ela vive um segundo casamento conturbado ao lado de um homem muito violento.

Gustavo (David Ostrosky) - um homem mal sucedido em tudo que faz que desconta na família e, principalmente no enteado, todas as suas frustrações.

José (Juan Pablo Gamboa) - pai de Martin e amigo de Henrique, ele é diretor teatral. Ele vai ajudar muito o amigo Henrique nos momentos difíceis pelos quais ele terá que passar.


INTRODUÇÃO

O Diário de Daniela é uma telenovela que tem como objetivo principal despertar nas crianças sentimentos e atitudes que vão ajudá-las a valorizar o ser humano. A importância da amizade, a solidariedade e o respeito ao próximo são alguns dentre os muitos exemplos mostrados através da história de Daniela e seus amigos.


RESUMO

O diário de Daniela conta as aventuras de uma turminha comandada por Daniela Monroy, que tem apenas dez anos, é bonita, simpática, encantadora e conquista a todos com sua meiguice. Além dos amigos inseparáveis, Daniela tem como aliado um diário, onde ela conta seus sonhos, segredos, tristezas e, principalmente, confessa suas travessuras. Daniela tem um amigo especial, um garotinho fantasma que vai ajudá-la a enfrentar momentos muito difíceis.

A família de Daniela é formada por cinco pessoas. Henrique e Leonor são seus pais, Adélia e Joãozinho, seus irmãos. O amor, a união e a compreensão fazem da família Monroy uma família muito feliz, mas que também tem problemas como todas as outras.

Leonor e Henrique são apaixonados mas apesar da felicidade, Leonor reclama da sua dedicação em tempo integral ao teatro, o que acaba provocando algumas desavenças entre eles.

Adélia é a filha mais velha, entre quinze e dezesseis anos, que tem a rebeldia e a ansiedade típicas da idade. Joãozinho, o caçula, é um garotinho encantador, mas muito travesso.

Daniela é o ponto de união dessa família. Carinhosa e sensível, ela se preocupa por todos e está sempre disposta a ajudar a família e os amigos.

A história dessa turminha se passa no interior do Teatro Principal, de propriedade do pai de Daniela, Henrique Monroy. No palco ou nos bastidores eles vivem intensamente no limite entre o real e o imaginário.


CURIOSIDADES

No show que conclui a trama, quando Martin pede Daniela em namoro, aparecem todos os atores que estiveram no elenco da telenovela. Outra trama infantil produzida mais tarde, Cúmplices de um resgate, que também contou com Daniela Luján e Martín Ricca, foi encerrada da mesma maneira, com um grande show.

A morte da personagem Lidi causou muito polêmica para o público infantil, depois do terrível acidente após salvar o Joãozinho irmãozinho da Daniela.

No Brasil, a telenovela foi um sucesso. Foi exibida durante as férias de Chiquititas e alcançou boa audiência (mais do que a própria Chiquititas, naquela época). Isso fez com que o SBT lançasse, junto com a extinta gravadora Abril Music, uma versão em português da trilha sonora da telenovela. Além disso, Daniela Luján veio ao Brasil pela primeira vez, divulgando a versão original da trilha sonora (lançada pela Warner Music).

A partir do capítulo 72, o ator Gerardo Murguía entra para o elenco da telenovela, interpretando o personagem Henrique Monroy e substituindo o intérprete original, Marcelo Buquet.

Anahí e Daniela Luján interpretaram novamente irmãs em Primeiro amor - A mil por hora.


COMENTÁRIOS

Não é difícil de imaginar porque O diário de Daniela, de 1998, fez tanto sucesso. Era um momento onde as telenovelas infantis, apesar que continuarem mantendo seu público fiel, necessitavam novas histórias. Rosy Ocampo deu início a sua primeira telenovela, contando com um super elenco.

O diário de Daniela começou com a mania da produtora de colocar em suas telenovelas uma banda. Porém, a intenção de Rosy Ocampo era que a banda se limitasse a telenovela, mas o sucesso foi tanto que a trilha sonora, que já era um sucesso, explodiu em vendas quando começou uma turnê com o elenco cantando os temas musicais. O final foi surpreendente, já que os atores lotaram o Estádio Azteca, no México. A partir daí, todas as produções de Rosy Ocampo tiveram o mesmo caminho, sempre com uma turnê e com a última cena no Estádio.

Revelada em Luz Clarita, Daniela Luján interpretou agora Daniela, uma menina rica e bem diferente do papel anterior. Com essa telenovela, Daniela passava a reinar absoluto no território infantil. Porém, uma revelação masculina veio com Martín Ricca, que vivia Martin, que a partir dessa telenovela viraria também um ídolo. E ambos começariam uma carreira musical de sucesso.

Além das crianças, houveram outros destaques como a inesquecível participação especial de Letícia Calderón como Leonor Monroy, mãe de Daniela, assassinada friamente nos primeiros capítulos da telenovela. Também a participação do palhaço Gerardo Henaine “Capulina”, que viveu o simpático Capu, amigo da criançada.

No ramo das maldades, Odiseo Bichir ressurgia muito bem como Joel, um terrível vilão que fez de tudo por sua ambição. E também Mónika Sánchez, que foi a grande vilã Helena, uma megera que a todo custo tentava se dar bem. Foi o primeiro papel realmente marcante na carreira de Mónika, que dali em diante, ficaria estigmatizada como má.

O maior destaque, com certeza, foi a atuação juvenil de Anahí, como a rebelde Adélia, irmã mais velha de Daniela. Principalmente, porque Anahí já era muito conhecida e representou uma nova faceta em sua carreira que deu muito certo. A semelhança com a atriz Daniela Luján foi muito comentada e ainda seria explorada em Primeiro amor - A mil por hora.

Um dos casos mais inesquecíveis da telenovela com certeza foi a mudança do ator principal (que seria outra tradição nas produções de Rosy Ocampo). Nesse primeiro caso, Marcelo Buquet, que vinha sendo um grande destaque como Henrique, achou que merecia um salário maior. Sem conversa nenhuma, foi mudado por Gerardo Murguía, que assumiu o papel dali em diante. Rosy Ocampo jurou que nunca mais trabalharia com ele. E pelo jeito, ninguém da Televisa, já que depois dessa, ele nunca mais foi visto nas novelas.

Outra saída foi a menina Lídia, que morreu de maneira trágica. Dizem que o motivo da saída da personagem foi uma indisciplina. Estranhamente, a menina participou da turnê da telenovela, mesmo após sua saída inesperada.

Em compensação, inspirada nos seres mágicos que costumam aparecer nas telenovelas infantis para ajudar crianças, Rosy Ocampo colocou o personagem do Fantasma Yuls, mas que desta vez não teve o mesmo encanto. No final, ele vai embora voando, pois o anjo recebe asas, graças a um efeito especial de gosto duvidoso.

Nessa telenovela, Rosy Ocampo denunciou os mal tratos às crianças, com o personagem Gustavo, padrasto de Martin, que o agredia. Foi um dos melhores pontos da telenovela.

O diário de Daniela foi um grande sucesso. Representou uma nova forma de fazer tramas infantis, lançando novos rostos e redescobrindo outros. A telenovela foi vitoriosa e alcançou todo o êxito que merecia.

Como toda trilha sonora infantil, a de O diário de Daniela também foi um sucesso, a música de abertura "El diário de Daniela" foi cantada pelos protagonistas Daniela Luján e Martín Ricca. No Brasil, foram lançados dois CDs da telenovela, o original e uma versão brasileira com a música traduzida. O interessante é que na capa do CD nacional vinha a foto da cantora brasileira, e quando Daniela Luján visitou o nosso país, não gostou nada de ver o CD da telenovela com outra pessoa na capa.

sábado, 3 de abril de 2010

O privilégio de amar


NOME ORIGINAL
El privilegio de amar

ESCRITORA
Liliana Abud (Baseada na obra de Delia Fiallo)

PRODUTORA
Carla Estrada 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
155

ANO DE GRAVAÇÃO
1998

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1999

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA 1
O amor sabe o que faz

INTÉRPRETE
Marcelo Augusto

Todo esse tempo dói, o que sobrou de nós?
Não que eu queira assim,
mas o amor não é uma mancha que sai.
Tatuado em meu peito, seu nome diz bem
a que veio, a quem vai, a quem vem.

Todo dia, toda noite, eu te amo cada vez mais,
mais do que mais eu penso que eu sei,
mais do que jamais eu amei.

Já nem falo do desejo,
das coisas que eu não sou nem capaz,
porque eu te amo mesmo demais
e o amor sabe o que faz.

Agora que eu já fui só falta apagar a luz,
mas se você quiser
eu pago mil onde eu paguei dez.
Você diz onde me quer, eu corro pra lá
e ainda faço o tempo voltar atrás.

Todo dia, toda noite, eu te amo cada vez mais,
mais do que mais eu penso que eu sei,
mais do que jamais eu amei (amei).

Já nem falo do desejo,
das coisas que eu não sou nem capaz,
porque eu te amo mesmo demais
e o amor sabe o que faz.

Todo dia, toda noite, eu te amo cada vez mais,
mais do que mais eu penso que eu sei,
mais do que jamais eu amei (amei).

Já nem falo do desejo (do desejo),
das coisas que eu não sou nem capaz,
(eu não sou nem capaz)
porque eu te amo mesmo demais
e o amor sabe o que faz…

O amor sabe o que faz…

TEMA DE ABERTURA 2
El privilegio de amar

INTÉRPRETE
Manuel Mijares e Lucero

¿Qué podré decirte en el corto tiempo
en que se vive una ilusión?
¿Qué podré dejarte tan pegado al alma?
¿Qué se queda ahí en tu corazón?

Yo no pretendo enseñarte
lo que es el mundo, me falta también.
Pero vale la pena disfrutar cada día
porque me has regalado el privilegio de amarte.

Di lo que sientas, haz lo que piensas,
da lo que tengas y no te arrepientas.
Y si no llegar lo que esperabas
no te conformes, jamás te detengas.

Pero sobre todas las cosas, nunca te olvides de Dios…

Serás del tamaño de tus pensamientos,
no te permitas fracasar.
Lo más importante son los sentimientos
y lo que no puedes comprar.

Y cuando llega el momento
en que tú sola quisieras volar,
aunque no estemos juntos
restaran lo recuerdos,
que con sólo quererlos
volverás a vivirlos.

Di lo que sientas, haz lo que piensas,
da lo que tengas y no te arrepientas.
No te limites por lo que digan,
sé lo que quieras pero sé tú misma.
Y si no llegar lo que esperabas,
no te conformes, jamás te detengas.

Pero sobre todas las cosas, nunca te olvides de Dios.

Pero sobre todas las cosas como te quiero, mi amor.


ELENCO

Adela Noriega: Cristina Miranda

Helena Rojo: Luciana Duval

René Strickler: Vítor Manuel Duval

Andrés García: André Duval

César Évora: Padre João da Cruz Velarde

Adriana Nieto: Elizabeth Duval

Cynthia Klitbo: Tamara

Enrique Rocha: Nicólas

Nuria Bages: Miriam

Claudio Báez: Cristóvão

Marga López: Ana Joaquina Velarde

Mauricio Herrera: Franco

Julio Monterde: Padre Tenório

Pedro Weber: Trajano

Gabriel de Cervantes: Ramiro

Rafael Mercadante: Maurício

Marisol del Olmo: Antônia Fonseca

Toño Mauri: Alonso

María Sorté: Vivian dos Anjos

Lorena Velásquez: Rebeca

Ramón Menendes: Erasmo

Tito Guízar: Augusto Garcia

Consuelo Duval: Maria Rosário Sánchez

Isadora González: Magnólia

Katie Barberi: Paula

Raúl Buenfil: Mário

Isabel Salazar: Gisele

Yadhira Carrillo: Maria José

Virginia Gutiérrez: Madre Bernardina

Rodrigo Vidal: Artêmio Salazar

María Luisa Alcalá: Remédios

Héctor Ortega: Valentino Fonseca

Martha Aura: Sheila

Mario Casillas: Miguel Beltrán

Lourdes Munguía: Ofélia Beltrán

Sabine Moussier: Lourença

Matty Huitrón: Bárbara

Jaqueline Voltaire: Jaqueline

Silvia Manríquez: Luz Maria

Ramón Abascal: José Maria

Aurora Alonso: Imara

Diana Bracho: Ana Joaquina (1ª fase)

Edith Márquez: Luciana (1ª fase)

Andrés Gutiérrez: João da Cruz (1ª fase)

Silvia Pinal: Silvia

Dalilah Polanco: Cacilda

Guillermo Aguilar: Alex Walter

Ana María Aguirre: Irmã Regina

Carlos Amador: Fidêncio

Roberto Antunez: Padre Marcelo

Francisco Avendaño: Dr. Jaime D'Ávila

Miguel Ángel Biaggio: Chico

Óscar Bonfiglio: Fernando Bernal

Veronika Con K: Caridad

Miguel Córcega: Miguel Córcega

Ricardo de Pascual: Sevilla

Nelly Horsman: Cata

Martha Itzel: Dulce

Eduardo Liñán: Dr. Valladares

Arturo Lorca: Isaías

Ricky Mergold: Tobias 'Tobi'

Beatriz Moreno: Dona Clara

José María Napoleón: Silvério Jiménez

Gustavo Negrete: Comandante

Arlette Pacheco: Betânia

Alfredo Palacios: Alfredo Palacios

Genoveva Pérez: Chole

Claudia Silva: Lourdes Galindo

Andrea Torre: Alessandra

Gastón Tuset: Damián

Luis Uribe: Raymundo Velarde

Arturo Vázquez: Macário Jiménez

Luis Xavier: Alberto Souza

Manuel Mijares: Manuel Mijares


PERFIL DAS PERSONAGENS

Cristina (Adela Noriega) – Cristina, a filha que Luciana abandonou, se transforma em uma linda garota de bons sentimentos, que aluga um apartamento para morar e o divide com Lourença, uma jovem sincera, mas desbocada e com Magnólia, que é uma estudante universitária e muito trabalhadora. Cristina se cuida bastante e com dedicação consegue se transformar em uma grande modelo.

Vítor Manuel (René Strickler) – é o filho do primeiro casamento de André. Conhece Cristina na loja de roupas de Luciana e eles se apaixonam, mas Tamara, namorada de Vítor Manuel, faz tudo para separá-los.

Luciana (Helena Rojo) – apesar do sofrimento de ter abandonado sua filha, Luciana se transforma em uma proprietária de uma loja de roupas de grife. Ela se casa com André, a quem ama muito, porém nunca tem muito tempo para ele. André é um ator viúvo que tem um filho chamado Vítor Manuel. De seu casamento com Luciana, nasce a filha Elizabeth.

João da Cruz (César Évora) – é um sacerdote dedicado a servir a todos. Antes de se ordenar como sacerdote se apaixona por Luciana, com quem tem uma filha, mas ele não sabe da existência da garota até que, passados os anos, Luciana lhe procura e confessa que tiveram uma filha, mas que não sabe onde ela está. Ambos se empenham em procurar a filha.

André (Andrés Garcia) – é um famoso ator de televisão, casado com Luciana. Ouve sempre os filhos Elizabeth e Vítor Manuel. Seu casamento com Luciana vai bem até o dia em que ele conhece Lourença.

Nicólas (Enrique Rocha) – é um ator que sempre teve inveja de tudo o que André tem: fama, uma bela mulher e dinheiro. Fará tudo o que estiver a seu alcance para que André fracasse.

Tamara (Cynthia Klitbo) – bonita, histérica e um pouco desequilibrada. A todo custo ela trata de envolver Vítor Manuel.


INTRODUÇÃO

Esta novela está baseada na venezuelana Cristal, de Delia Fiallo, e adaptada por Liliana Abud, com edição literária de Ricardo Fiallega. Em 2006, foi produzida uma versão da história com atores brasileiros, chamada Cristal.


RESUMO

Luciana é uma bela garota órfã, que trabalha como empregada doméstica na casa do jovem seminarista João da Cruz. Apaixonados, os dois jovens passam uma noite juntos. Na manhã seguinte, ele vai para o seminário, confuso e culpado. Ana Joaquina, a mãe de João, proíbe Luciana de voltar a se aproximar do rapaz. Logo depois, ela descobre que está grávida. Luciana se vê sozinha e desprotegida diante do mundo. Quando seu bebê nasce, fica desesperada e abandona sua linda filha na porta de uma mansão, na esperança de adotarem a criança.

Entretanto, a menina é entregue ao convento das Irmãs de Caridade, onde a criam e a educam junto com Rosário, que no futuro, será confundida com a filha de Luciana.

Passam-se vinte anos e Luciana está muito diferente, tornou-se uma mulher de sucesso. Ela é dona de uma famosa loja de roupas de grife e está casada com André, um atraente ator de TV. André tem um filho do primeiro casamento, Vítor Manuel, bonito e conquistador, que na realidade, é filho de seu inimigo Nicólas. O casal tem uma filha: Elizabeth, caprichosa e rebelde, namorada de Maurício um jovem roqueiro de família rica que vive na base da diversão e de fortes emoções. Ele é filho do mau-caráter e ex-amante de Luciana, o senhor Trajano.

Luciana finge ser uma mulher forte e autoritária, sendo que por trás dessa máscara, há uma mulher doce, só conhecida pelos amigos Miriam e Franco. Na Casa de Modas de Luciana, a LD, onde Miriam, Franco, Jakie (uma apresentadora de produções), Vítor Manuel trabalham, também tem Ramiro, que é apaixonado loucamente por Elizabeth.

Cristina, a filha abandonada por Luciana, se transformou em uma linda garota de bons sentimentos. Aluga um apartamento e o divide com Lourença, uma jovem sincera mas desbocada, que torna-se amante de André, e com Magnólia, estudante universitária e muito trabalhadora, apaixonada por José Maria , que vive no mesmo prédio com sua mãe, Remédios, uma mulher simpática que só vê namoro e casamento por todos os lados.

José Maria se apaixona por Lourença, sem saber que ela está vivendo uma aventura com André. Cristina começa a trabalhar na loja de Luciana e, depois de muito esforço e sacrifício, se transforma em uma grande modelo. Conhece, então, Vítor Manuel e entre eles nasce uma paixão. Mas a noiva dele, Tamara, engravida de Nicólas e fala que o filho é de Vítor Manuel, separando-o de Cristina, que vai morar numa vila, e lá reside Rosário, e seu marido ladrão, Flávio.

Cristina engravida, porém mantém segredo, e não quer que Vítor Manuel saiba. Tamara, a atira da escada, deixando a vida de Cristina e sua filha em risco. Mas elas se recuperam, Tamara perde seu filho, e Vítor Manuel descobre a existência de Vitória, sua filha recém-nascida.

João da Cruz é um sacerdote dedicado a servir a todos. Luciana o procura e, cheia de rancor, confessa que tiveram uma filha. Inconformado com a notícia, João da Cruz começa a busca de sua filha.

Luciana terá de lutar para salvar seu casamento, revelar a sua família o seu verdadeiro passado e com a ajuda do Padre João da Cruz, encontrar Cristina e conseguir o perdão de sua filha. Mas quando Cristina souber que Luciana Duval e João da Cruz são seus pais não irá entender que Luciana a abandonou par salvar sua vida, visto que estava doente e sem ter como alimentá-la. Então ela a deixou na porta de uma casa onde Luciana achava que haveria comida para alimentá-la.


CURIOSIDADES

Cynthia Klithbo, viveu o melhor momento de sua carreira com a personagem Tamara, que sofria de problemas psicológicos e era psicótica. O ápice da loucura foi a cena marcante em que Tamara raspa a cabeça em um surto de loucura, nos capítulos finais.

Lalola e O privilégio de amar não tiveram os resumos das últimas semanas disponibilizados, pois estavam sendo picotadas.

A primeira exibição, em 1999 às 20h15, foi um grande sucesso, com 17 pontos de média geral, com picos de 25.

A segunda exibição, em 2002 às 17h00, começou bem com médias entre 7 e 10 pontos, mais caiu rapidamente e se estabilizou nos 4 pontos, sua média geral, teve picos de 10 pontos ao decorrer da exibição, substituiu "Preciosa" que já não vinha bem e derrubou ainda mais a audiência do horário, foi substituída pelo programa "Falando francamente". Dessa vez foi exibida com apenas 65 capítulos.

A terceira exibição, em 2008 às 17h00, substituiu "Maria do bairro" e derrubou a boa média do horário que era de 7 pontos, teve 4 pontos de média geral, picos de 6 e foi substituída pelo seriado "Chaves". Nesse ano, a novela foi exibida com 86 capítulos.


COMENTÁRIOS

O mundo da moda e da fama, o abandono de um bebê e uma rivalidade. Carla Estrada reuniu uma boa produção e um super elenco para contar a história de Cristina e Luciana, duas mulheres que apesar de se odiarem tinham muito em comum. Para começar, eram na verdade, mãe e filha. O privilégio de amar foi simplesmente uma das mais emocionantes novelas já exibidas pelo SBT.

A novela era um remake da famosa novela venezuelana Cristal, estrelada por Lupita Ferrer. Dessa vez, o que faltou para Cristal, sua nova versão compensou: uma melhor produção. Carla Estrada voltava a repetir não só sua protagonista, Adela Noriega, de Maria Isabel, mas também seu êxito. No México, O privilégio de amar conseguiu a maior audiência no horário das 21h a partir de sua exibição. Substituindo A usurpadora, não teve o mesmo impacto, mas superou nos elogios da crítica especializada e em audiência.

O privilégio de amar conseguiu um de seus grandes trunfos ao reunir a típica história da menina pobre menina que se apaixona por um jovem rico com temas polêmicos. Temas esses como o alcoolismo de Bárbara, o câncer de mama enfrentado por Lourença, a leucemia de Alonso, entre outros.

O elenco foi luxuoso. Helena Rojo na pele da abalada Luciana Duval tinha tudo o que uma mulher gostaria de ter, mas seu tormento não a deixava viver em paz. Helena brilhou do início ao fim, no início como uma vilã até tornar-se uma grande heroína. Como rival, Adela Noriega, ao contrário, no início uma Cristina muito inocente e humilhada, até tornar-se uma estilista independente e ressentida, sempre apaixonada por Victor Manuel. Infelizmente, o sonho de Cristina de ser modelo do início foi perdido, e sendo suplantado pela paixão pelo estilismo. Perfeitas em seus papéis de mãe e filha.

Marga López esteve brilhante como a obcecada Ana Joaquina, em suas maldades, segundo ela, justificadas por sua fé. Enrique Rocha como o invejoso Nicólas também esteve bem. Entretanto a grande vilã da novela foi Tamara, vivida por Cynthia Klitbo. Uma mulher psicótica e ensandecida em conseguir o que quer. Nos últimos capítulos, não teve pra ninguém. Seu final foi inédito até então em novelas, e marcou profundamente o público.

César Évora saiu-se muito bem como Padre João da Cruz, um homem íntegro e sensato. A atuação de César rendeu elogios até mesmo do Vaticano, que aprovaram sempre a conduta do religioso.

Outros destaques do elenco foram: Sabine Moussier como a maliciosa Lourença, que não se importava de ser a outra, quando o assunto era ser a amante de André Duval, María Sorté como a sofisticada Vivian dos Anjos, Maty Huitrón, mãe de Carla Estrada na vida real, como a alcoólatra Bárbara, Toño Mauri como generoso Alonso, e Adriana Nieto, que viveu a rebelde Elizabeth, a típica adolescente. Inicialmente, esse papel seria interpretado por Michelle Vieth.

Por André ser um ator muito famoso, vários atores fizeram participações especiais, especialmente no início da novela, tais como: Kuno Becker, Saul Lizaso (em uma cena onde Victoria Ruffo era citada), Rebecca Mankita, Miguel Córcega, e Carla Estrada, que apareceu duas vezes, uma no início da novela, e outra no casamento de Cristina, onde por sinal, também teve a participação de Mijares cantando o tema de abertura da novela.

O maior defeito foi a comentadíssima semana das lembranças, na época de Natal e Ano Novo, para o público não perder nenhuma emoção, os produtores decidiram por deixar Luciana em coma, enquanto os outros personagens relembravam os melhores momentos da novela. Na verdade, foi uma solução muito ruim, mas constantemente usada no México nessas épocas de feriado. Outro defeito foi o excesso de personagens sem função nenhuma. Em especial, quando Cristina, Lourença e Mag foram morar em um bairro humilde, foram acrescentados vários personagens que não acrescentaram em nada.

Nos bastidores, muito comentou-se sobre os atrasos de Adela Noriega às gravações. Cynthia Klitbo, ironicamente, agradeceu, pois disse que isso proporcionou com que ela fizesse mais cenas do que faria inicialmente. Apesar disso, Adela não teve problemas com ninguém do elenco.

Apesar de tudo, O privilégio de amar foi uma novela brilhante, que cativou a todos. Começou boa, mas terminou melhor ainda. No final, descobrimos o questionamento do início: por que amar não era privilégio para todos.

A música de abertura, El privilegio de amar, foi cantada por Mijares e sua esposa, a atriz e cantora Lucero.

No Brasil, o tema de abertura foi O amor sabe o que faz cantado por Marcelo Augusto. A princípio, nas primeiras propagandas de estreia da novela no SBT se escutava de fundo a música "O privilegio de amar" cantado por Adriana e a Rapaziada, até hoje não se sabe o que aconteceu, que a música não ficou como tema de abertura aqui no Brasil.

A usurpadora


NOME ORIGINAL
La usurpadora

ESCRITOR
Carlos Romero (Baseado na obra de Inés Rodena)

PRODUTOR
Salvador Mejía Alejandre 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
120

ANO DE GRAVAÇÃO
1998

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1999

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA 1
La usurpadora

INTÉRPRETE
Pandora

Un dia llegaré con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Te desarmaré, ni cuenta te darás
para entregarte el corazón.

Despacio te iré amando más
y te cuidaré en el bien y el mal.
El cielo te daré, tu abrigo yo seré,
a ti me entregaré.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.
Descúbreme, recúerdame.

La usurpadora, yo…

Un dia llegaré con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Te desarmaré, ni cuenta te darás
para entregarte el corazón.

Despacio te iré amando más.
y te cuidaré en el bien y el mal.
El cielo te daré, tu abrigo yo seré
a ti me entregaré.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.

La usurpadora…

TEMA DE ABERTURA 2
Sonho lindo

INTÉRPRETE
Paulo Ricardo

Sonho lindo que se foi, esperança que esqueci,
foi por medo de perder que eu perdi.
Tanto eu tinha pra dizer, tanta coisa eu calei,
foi por medo de sofrer que eu sofri.

Foi pensando em me guardar, e querendo não querer,
me dizendo pra esquecer.
Foi pensando em mim, que eu pensei só em você.

Foi tentando me afastar,
foi negando o meu amor,
foi por não querer amar que eu amei você…

Tanto eu tinha pra dizer, tanta coisa eu calei,
foi por medo de sofrer que eu sofri.

Foi pensando em me guardar, e querendo não querer,
me dizendo pra esquecer.
Foi pensando em mim, que eu pensei só em você.

Foi tentando me afastar,
foi negando o meu amor,
foi por não querer amar que eu amei você… você…
foi por não querer amar que eu amei você… é você…
foi por não querer amar que eu amei você… é você…
foi por não querer amar…

TEMA DE ABERTURA 3
Más allá de la usurpadora

INTÉRPRETE
Pandora

Llegaste una vez con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Llegaste a mi ser, me abriste sin piedad
para entregarme el corazón.

Despacio después me amaste más,
quedaste mi piel en el bien y el mal.
El cielo tú me das, me llenas como el mar,
me entregas algo más.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño corazón.

Descúbreme, recuérdame
La usurpadora, yo…


ELENCO

Gabriela Spanic: Paulina Martins / Paola Bracho

Fernando Colunga: Carlos Daniel Bracho

Libertad Lamarque: Piedade Bracho “Vovó Piedade”

Chantal Andere: Estephanie Bracho de Montero

Juan Pablo Gamboa: Guilherme Monteiro “Willy”

Dominika Paleta: Leda Durán Bracho

Magda Guzmán: Adelina

Jessica Jurado: Patrícia de Bracho

Marcelo Buquet: Rodrigo Bracho

María Soler: Lizete Bracho

Sergio Miguel: Carlos Bracho “Carlinhos”

Paty Díaz: Lalinha

Alejandro Ruiz: Leandro Gómez

Enrique Lizalde: Alexandre Farina

Mário Cimarro: Luciano Alcântara

Giován D'Angelo: Donato D'Angeli

Miguel de León: Douglas Maldonado

Arturo Peniche: Dr. Edmundo Serrano

Antonio de Carlo: Osvaldo Reséndez

Irán Eory: Lourdes

Gloria Morel: Dona Zenaida

Nuria Bages: Paula Martins

Adriana Fonseca: Verônica Soriano

Jessica Salazar: Isabel Vidal

Anastasia: Viviana Carillo

Tito Guízar: Francisco “Chico”

Sílvia Derbez: Isabel Rojas

Silvia Caos: Antônia Rojas

René Muñoz: Moacir

María Luisa Alcalá: Filomena Tamayo

Miguel Córcega: Bráulio

Azela Robinson: Elvira

Rafael Amador: Dr. Galícia

Meche Barba: Abigail Rosales

Mario Carballido: Amador

Adriana Nieto: Beatriz

Jaime Garza: Delegado Merino

Rebeca Manríquez: Tamara

Maricruz Nájera: Emiliana

Angelina Peláez: Ricarda

Ninón Sevilla: Cacilda Cienfuegos

Oscar Morelli: Juiz Castro

Laura Zapata: Dra. Zoraida Zapata

Humberto Elizondo: Silvano Pena

Héctor Parra: Dr. Juan Manuel Montesinos

Ricardo Hernández: Secretário

Consuelo Duval: Marina

Andrea García: Celia Alonzo

Eduardo Luna: Mauricio Artiana

Sara Montes: Eloina

Yadhira Carrillo: Raquel


PERFIL DAS PERSONAGENS

Paulina Martins (Gabriela Spanic) – uma jovem bondosa e ingênua. É chantageada pelo falso roubo de uma pulseira, e por isso aceita participar da trama de Paola. É humilde e tem uma situação financeira difícil. Passa por uma grande transformação para ocupar o lugar de Paola. Apaixona-se por Carlos Daniel, onde enfrentará a fúria de Estephanie, a rivalidade com Leda e principalmente o ódio de Paola Bracho.

Paola Bracho (Gabriela Spanic) – é bonita, elegante e decidida, porém má, cruel, interesseira, mentirosa e manipuladora. Seu nível cultural não é elevado, mas tem uma aparência distinta. Ao conhecer Paulina, vê nela uma maneira de concluir seus planos e criar uma nova vida para si mesma. É ela a grande vilã da história.

Carlos Daniel Bracho (Fernando Colunga) – tem uma personalidade fraca e em algumas ocasiões é dominado por sua esposa Paola. É pai de dois filhos o intragável Carlinhos e a encantadora Lizete. Apaixona-se por Paulina.

Piedade Bracho (Libertad Lamarque) – avó de Carlos Daniel, é alcoólatra e é ajudada por Paulina para se livrar da bebida. No fundo, ainda é uma mulher de pulso firme e pronta para tomar as rédeas da família. É viúva, adora estar em companhia da fiel governanta Adelina.

Estephanie Bracho (Chantal Andere) – irmã adotiva e mais nova de Carlos Daniel e Rodrigo. Tem muitos problemas e complexos. Sua amargura a leva a fazer maldades. É descuidada na aparência e se veste de maneira antiquada. Odeia Paola, portanto, odeia Paulina. Casada com Willy, com quem a maltrata constantemente.

Willy Monteiro (Juan Pablo Gamboa) – marido interesseiro de Estephanie. Teve um caso com Paola e é infiel a esposa o tempo todo. Assim como Paola, ele também odeia a família Bracho. Só lhes quer o dinheiro.

Leda Durán Bracho (Dominika Paleta) – prima distante de Carlos Daniel, moça jovem e bonita que interfere no amor de Carlos Daniel e Paola. Embora tenha problemas financeiros, vive uma vida de aparências alimentando sua vaidade com valores materiais. É apaixonada por Carlos Daniel o que a faz odiar Paola/Paulina.


INTRODUÇÃO

A usurpadora é um remake da novela venezuelana La usurpadora exibida em 1972 e protagonizada pelos atores Raúl Amundaray e Marina Baura no papel das gêmeas.

A Televisa já havia realizado uma versão para esta novela em 1981, sob o título de "El hogar que yo robé". Juan Ferrara e Angélica Maria eram os atores principais da trama.

A produtora RCTV da Venezuela realizou en 1987 un remake desta telenovela titulado "La intrusa", protagonizada por Mariela Alcalá e Víctor Camara.

Em A usurpadora duas mulheres idênticas na aparência e distintas em sentimentos e personalidade, se encontraram por casualidade e participam de um terrível engano.


RESUMO

Paula Martins é uma viúva pobre e humilde, que tem duas filhas gêmeas recém-nascidas, Paola e Paulina, porém, devido a sua situação lastimável de miséria em que vive, abandona Paola, que é adotada por uma família rica. Já Paulina cresce em presença da mãe, enfrentando grandes dificuldades na vida devido a pobreza em que vivem.

Paulina cresce e se torna uma moça humilde e de bom caráter, que namora o ambicioso Osvaldo, revezando o seu tempo também para com os cuidados a sua mãe enferma, que está prestes a morrer devido a tuberculose. É uma moça religiosa, virgem e quer se casar na igreja e dar uma vida melhor para a mãe, porém não sabe que Osvaldo é um interesseiro e safado que a trai constantemente e fugirá com uma milionária, abandonando-a.

Enquanto isso, sua irmã gêmea, Paola, viveu de maneira oposta a de Paulina, priorizando a riqueza acima de tudo e de todos, se tornando assim uma mulher ambiciosa, fria e calculista.

Paola é casada com Carlos Daniel Bracho, um milionário viúvo quase falido que está em seu segundo casamento e possui dois filhos: a esperta e encantadora Lizete e o rebelde e problemático Carlinhos.

Astuta, Paola também mantém um caso extraconjugal com o cunhado, o inescrupuloso Willy, casado com a atormentada e fanática Estephanie Bracho, uma mulher amargurada e ressentida com a vida, que veste-se de forma horrível e odeia Paola pois sabe de tudo entre ela e seu marido, e também sabe que seu marido é um garanhão interesseiro.

O destino, no entanto, coloca essas duas irmãs frente-a-frente novamente e Paulina têm sua vida totalmente modificada por Paola.

Paola frustrada e cansada de viver com a família que detesta, resolve viajar para se divertir com mais um de seus muitos amantes milionários, e nessa viagem encontra Paulina em um toalete de senhoras.

Ela vê na jovem uma oportunidade perfeita de se ver livre de sua família, então planeja uma usurpação - ela propõe a Paulina que se passe por ela durante um ano na mansão da família de seu esposo.

Para obrigar a moça a aceitar esse seu diabólico plano, arma-lhe uma cilada, colocando em sua bolsa uma joia sua de valor milionário e acusando-a na frente de todos. A sós, ela a ameaça e se Paulina não aceitar se passar por Paola, a colocará atrás das grades definitivamente.

Paulina sem alternativa e com medo de ir para a prisão, e com a falsa promessa que Paola ajudará sua mãe a comprar remédios para a doença, aceita se passar por Paola e durante a estada de Paulina na mansão da família Bracho, ela aprende a ser como Paola, se tornando uma mulher fina e elegante. Porém, pede para não fumar cigarros, como Paola fuma. Paola também a entrega seu diário com confissões quentes e pessoais.

Sem ser reconhecida por sua aparência completamente idêntica à de Paola Bracho, ela se vê entre uma família desestruturada pela mesma e percebe que há pessoas que precisam de sua grande dedicação naquele lar.

Paulina, então, começará a mudar a vida da família Bracho, se tornando um anjo na vida de cada qual que necessite de sua presença e de suas palavras confortadoras, conseguindo contribuir e modificar positivamente o destino de todos os que lhe cruzam o caminho, mas não sem antes sofrer e pagar caro por todos os erros cometidos por Paola no passado.

Carlos Daniel sente um novo amor por sua mulher e feliz, a declara o quanto a ama. Paulina também vai se apaixonando por Carlos Daniel, mas sabe que é uma usurpadora, e que não tem direito a esse amor.

Quando Paulina finalmente encontra sua felicidade ao lado de Carlos Daniel e de sua família revelando toda a verdade, pois pensou que Paola havia morrido, Paola, recuperada de seu acidente, volta disposta a lutar pelo seu antigo lugar, inventando muitas mentiras contra Paulina fazendo com que Paulina seja presa e sofra muito.


CURIOSIDADES

Gabriela Spanic tem uma irmã gêmea na vida real, Daniela Spanic, que é modelo. Daniela foi convidada pelos produtores da telenovela para aparecer em uma cena em que Paola e Paulina lutam fisicamente, a sequência teria sido muito difícil de conseguir por truque de câmera.

A atriz Gabriela Spanic já tinha interpretado duas mulheres idênticas em Como tú, ninguna, mas as personagens não eram relativas, como em A usurpadora. Ela desempenhou os papéis na última fase da história.

Em 2001, Spanic estrelou "La Intrusa" da Televisa onde mais uma vez, assumiu funções similares de "A usurpadora": interpretar mulheres idênticas.


COMENTÁRIOS

Salvador Mejía Alejandre alcançava seu maior êxito nessa produção de 1998, onde ele se superou. Todos se apaixonaram por A usurpadora, a favorita de muitos, uma novela que deu o que falar dentro e fora da história.

A começar pela escalação da atriz principal. A primeiríssima cogitada foi Thalia, que não aceitou, daí vários nomes foram cotados, até que Carlos Romero, o escritor da novela, sugeriu o nome de uma desconhecida: Gabriela Spanic, uma venezuelana. Ainda que vítima de alguns preconceitos por não ser mexicana e protagonizar uma novela no horário nobre, Gabriela Spanic experimentou uma fama instantânea e merecida.

A história era um remake de El hogar que yo robé, com Angélica Maria, mas A usurpadora superou a original. A novela atingiu recordes há muito tempo não alcançados, tanto no México quanto no Brasil, onde deu muita dor de cabeça ao Jornal Nacional. Os críticos brasileiros acabaram reconhecendo que a história da novela era empolgante, por isso atraía tanto público. Justo pela magia do elenco e pela maneira que os personagens foram se desenvolvendo, já que gêmeas não é um assunto novo aqui no Brasil. Mas A usurpadora tinha algo especial.

Essa foi daquelas novelas onde todos os personagens marcaram, e a família Bracho ainda é uma das mais recordadas das novelas. Isso acabou resultando em muitos destaques no elenco. A começar por Gabriela Spanic, que brilhou como Paulina e Paola, a gêmea boa e má, respectivamente. Com todos os artifícios para diferenciar as duas, desde o figurino à voz, ela evidenciou muito bem quem era uma e quem era outra. Mas ainda que o público torcesse pela felicidade de Paulina, de quem ele gostou mesmo foi da exuberante Paola. Era meio óbvio, afinal, a malvada era bem interessante. Talvez pela exagerada ingenuidade de Paulina que por muitas vezes, não convenceu. Enquanto isso, Paola brilhava com suas maldades, sua sensualidade e sua risada inesquecível.

A novela também marcou o regresso da grande Libertad Lamarque, a eterna rival de Evita Perón às novelas mexicanas. Também tornou de Vovó Piedade uma personagem inesquecível. Foi uma personagem sempre muito atuante na história. Ao seu lado, Magda Guzmán, na pele da sofrida governanta Adelina.

Juan Pablo Gamboa surpreendeu, depois de ter vindo do bondoso Álvaro de Esmeralda, encarnou muito bem o malandro Willy, um verdadeiro canalha que após tentar incendiar a fábrica Bracho, termina seus dias sozinho e atrás das grades. Também nas vilanias, Dominika Paleta como a sedutora Leda chamou a atenção.

Mas a grande atuação da novela foi a de Chantal Andere, impecável na pele da atormentada Estephanie Bracho, uma mulher que refugiava-se em uma religiosidade doentia para esconder seus verdadeiros sentimentos, e aguentar a infidelidade explícita de Willy, seu marido. Chantal teve em Estephanie seu melhor papel em novelas.

A novela ainda teve inúmeras participações especiais como Nuria Bages, Miguel de León, Irán Eory, Silvia Derbez, René Muñoz, Silvia Caos, Laura Zapata, Azela Robinson e Arturo Peniche, que viveu Edmundo Serrano, o advogado que tirava Paulina da cadeia e lutava por seu amor, em vão. Arturo Peniche finalmente ficaria com Gabriela Spanic em La intrusa, projeto semelhante a A usurpadora. A idéia original de Carlos Romero era inclusive, fazer uma trilogia de gêmeas, semelhante à famosa Trilogia das Marias estrelada por Thalia. Devido ao fracasso retumbante que foi La intrusa, o projeto foi abandonado.

Também no grande espaço que deram a Sergio Miguel como Carlinhos Bracho, Paola tinha toda razão ao querer mandá-lo para um internato, como o momento em que ele se perdeu, o pior momento da novela. Fernando Colunga esteve fraquíssimo como Carlos Daniel, um personagem extremamente vulnerável.

A usurpadora fez tanto sucesso, que meses depois o público exigiu uma continuação. Os produtores de A usurpadora, ao terminar a novela, ficaram com tanta saudade e tiveram uma ideia genial: Fazer um capítulo (que no Brasil foi esticado e viraram dois) contando a história da família Bracho um ano depois do casamento de Carlos Daniel e Paulina. Que surpresa que foi para os fãs brasileiros que nem sabiam da existência deste capítulo. Em dezembro começam as chamadas no SBT para Más allá de la usurpadora.

Veio então o especial Más allá de la usurpadora, que também serviu para consertar o erro cometido no final da novela original.

Más allá de la usurpadora começa quando Paulina vai ao médico pegar o resultado de seu 'check-up'. Ela descobre que está com câncer terminal e só lhe restam 6 meses de vida. Paulina não conta a ninguém sobre sua doença e começa preparar uma nova senhora Bracho para ser esposa de Carlos Daniel.

A escolhida é Raquel, a preceptora de Carlinhos, Lizete e Paulinha, a nova filhinha de Carlos Daniel e Paulina, que tinha apenas três meses de vida.

Raquel é ambiciosa e é apaixonada por Carlos Daniel e nem se importa que seja casado.

Ao mesmo tempo que tudo isso acontece, Estephanie recupera a razão e quer seu filho de volta, onde se encontra morando com Rodrigo e Patrícia.

Paulina, pensando que Raquel é uma pessoa boa e honrada, começa ensinar-lhe tudo o que Paola ensinou para ela, antes de usurpá-la: como se portar na mesa e a usar certas roupas para determinadas ocasiões.

Raquel conta a verdade para Carlos Daniel, sobre a doença de Paulina. Enquanto isso, Paulina vê Paola no seu espelho, um cena bastante emocionante.

Raquel prepara um plano diabólico contra Paulina: Na festa de 1 ano de casamento de Carlos Daniel e Paulina, Raquel coloca veneno no vinho de Paulina e propõem um brinde. Raquel se distrai quando chega Lizete e Carlinhos. Lizete quer beber o vinho, mas Carlinhos diz que não pode porque é para os adultos e não para crianças. Então, Carlinhos troca de lugar os copos.

Raquel bebe o vinho envenenado, mas Paulina desmaia. Logo depois Raquel também passa mal e vai junto com Paulina de ambulância para o hospital.

Estephanie foge do sanatório e rouba seu filho da casa de Rodrigo. Paulina descobre que os exames foram trocados e que não está doente. Mas a pergunta: Porque o desmaio e os enjoos? Isso se deve ao fato de Paulina estar novamente grávida.

Raquel que se encontra muito mal, entre a vida e morte, conta a verdade para Paulina, que não a denuncia e sim, lhe dá algum dinheiro para ela volte de onde veio.

Acaba o capítulo quando estão todos reunidos, Rodrigo e Patrícia perdoam Estephanie por ter roubado a criança daquela forma. Eles planejam viajar para Porto Rico para ver se dão um priminho para Carlinhos, Lizete e Paulinha. Paulina conta que está grávida. Eles tiram uma foto e acaba.

Aqui no Brasil esse especial marcou o início da inesquecível Tarde de amor. Nele havia a presença da estrela Yadhira Carrillo, a nova criada dos Bracho, Raquel. O especial foi outro grande sucesso, marcando uma alta audiência. Foi um verdadeiro fenômeno, a novela deixou muitos fãs e muitas saudades. Realmente, uma história inesquecível.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

A exportação das telenovelas

INTRODUÇÃO

Segundo pesquisadores, as novelas fazem parte de uma indústria cultural de suma importância, já que sua comercialização internacional é menos relevante, desde o ponto de vista econômico, que seu impacto cultural. As novelas, primeiramente, são produzidas visando o mercado nacional. A aposta é feita esperando-se que os custos de produção sejam recobrados no próprio mercado local.

Apesar de os gêneros televisivos estarem em constante estado de reformulação, e de os “reality shows” serem a grande aposta na indústria televisiva, a telenovela continua sendo o gênero com maiores possibilidades de exportação. Enquanto aparecem novas formas de comercialização, como, por exemplo, a venda do formato ao invés do produto concluído, a telenovela se expande para mercados cada vez maiores.

A dificuldade de produção que têm certos países devido aos custos elevados, ou o desconhecimento do “know how”, faz com que este gênero tipicamente latino-americano transcenda fronteiras territoriais.


O CRESCIMENTO DE UM SISTEMA COMERCIAL

As telenovelas se tornaram o único, ou o mais destacado, produto de reconhecimento internacional da televisão dos países da América Latina, que possuem empresas especializadas em produzir este gênero e de expandir esse fluxo de intercâmbio.

Entre essas empresas existe muita concorrência, mas também existem associações ou parcerias, de onde resultam co-produções, joint-ventures, contratação de elencos internacionais, entre outros, assegurando-se, assim, a venda em diversos mercados. Porém, não há tanta divulgação sobre esses acordos parciais, sobre a circulação e distribuição desses produtos e sobre sua trajetória de exportação.

Ainda que países como México e Brasil começassem a exportar telenovelas há muitos anos, nas décadas de 50 e 70 respectivamente, a difusão notável começa a ocorrer a partir dos anos 80 e 90, quando várias empresas entram em cenário internacional. Durante esses anos, se produziu a abertura de novos mercados, tanto pela privatização de canais públicos na Europa, como pela queda da União Soviética. Os novos canais que surgiram e o aparecimento das transmissões a cabo e via satélite, além do aumento do número de horas de programação de vários canais, fizeram com que a circulação desses produtos televisivos adquirissem um volume cada vez maior.

Foi assim que empresas do México, Brasil, Venezuela, Colômbia, Argentina e, recentemente, Chile e Peru, conseguiram colocar alguns de seus títulos em países da Europa, além do Oriente Médio e da Ásia.


AS FEIRAS INTERNACIONAIS

O fato de empresas terem seus vendedores e representantes em Miami ou em Los Angeles, ou de a partir da segunda metade da década de 90 se realizarem feiras de venda e exibição de programação televisiva, são amostras de que o volume deste sistema comercial cresceu e se globalizou. Nestas feiras, que se intercalam ao decorrer do ano e ao redor de todo o mundo, participam diversas produtoras e compradores.

A NAPTE é uma dessas feiras, que se realiza em janeiro em diferentes cidades dos Estados Unidos e é uma das mais importantes e de alcance mundial; em fevereiro se realiza a Montecarlo TV, em Montecarlo, onde se comercializam produtos para a Europa central e ocidental; em março, o Festival Dubai, para a venda a países árabes; o MIP TV, em Cannes, acontece em abril e é tão importante quanto a NAPTE; as LA Screeenings, em Los Angeles, têm sua vez em maio; entre setembro e outubro se realiza a MIPCom também em Cannes e em dezembro, a MIPAsia, que é representada por produtos para o sudeste asiático.

Apesar de a vendas internacionais formarem grande parte do lucro das empresas latino-americanas, o maior responsável pelo mesmo lucro provém do mercado local, devido aos investimentos publicitários.

Através de entrevistas realizadas em empresas produtoras, concluiu-se que a publicidade nos intervalos das novelas constitui o principal meio de venda dos principais canais, com os quais se pode manter toda uma programação, enquanto que as exportações representam uma porcentagem inferior ao total adquirido com vendas de publicidade no próprio mercado local.


OS VALORES PARA VENDA

O preço de venda de uma telenovela, geralmente, é atribuído pela quantidade de capítulos, no entanto, o preço nunca é uniforme, já que vários fatores influenciam no valor final de uma venda que é muito inferior aos custos de produção por capítulo, que giram em torno de 15.000 e 100.000 dólares. Entre os fatores destacam-se:

O êxito obtido pela novela em seu país de origem;
A área geográfica e o alcance regional do canal comprador;
O valor gasto em publicidade televisiva no país;
A quantidade média de televisores por habitante, juntamente com seu poder aquisitivo.

Estes fatores geram enormes diferenças de valores, visto que, em 1998, por exemplo, os preços de compra de novelas importadas por capítulo de uma hora oscilavam entre 7.000 e 10.000 dólares na Espanha; 2.500 e 5.000 nos canais hispanos dos Estados Unidos; entre 1.200 e 1.500 em Hong Kong e somente 100 a 200 dólares na República Dominicana.

A título de comparação, também podemos citar a série americana Dinastia que foi vendida a 20.000 dólares por episódio para a televisão britânica, já para a televisão norueguesa o valor foi de 1.500 dólares, e para a Zâmbia e Síria o valor foi para somente 50 dólares por episódio.

No entanto, não se despreza a venda para nenhum mercado, porém o objetivo das empresas são canais americanos e europeus.

A dinâmica da globalização fortaleceu a difusão de novelas, abrindo novos mercados na Ásia e em países árabes. Porém, o terreno, atualmente, se torna cada vez mais competitivo, visto que países que até agora eram somente importadores, como Espanha, Grécia, Turquia ou Filipinas, lançam-se no mercado das produções, abrindo uma brecha com as produções latino-americanas que, por sua vez, buscam novas parcerias.

Traição


NOME ORIGINAL
Nada personal

ESCRITOR
Alberto Barrera

PRODUTORES
Epigmenio Ibarra, Carlos Payán e Hernán Vera 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
134

ANO DE GRAVAÇÃO
1996

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1998

EMISSORA
Rede Bandeirantes

TEMA DE ABERTURA
Nada personal

INTÉRPRETE
Arnaldo Manzanero

Entre tú y yo no hay nada personal,
es solo el corazón que desayuna come y cena de tu amor.
En el café de la mañana, en la canción de la semana,
que muchas veces me emociona y otras tantas me hace daño.

Entre tú y yo no hay nada personal,
sin embargo duermo entre mis sábanas soñando con tu olor.
Vives aquí en mi sentimiento, me ocupaste el pensamiento,
quizá te añore, mas no hay nada personal.

Aunque me inventes los detalles y te encuentre en cada calle,
yo te juro que no hay nada personal.
Sacas a flote mis tragedias de repente las remedias
Me haces loco, me haces trizas, me haces mal.

Y así en los dos no hay nada personal,
te llevo en cada gota de mi sangre y en el paso de mi andar.
No necesito arrinconarte ni antes de dormir besarte,
es que entre nosotros ya no hay nada personal.


ELENCO

Claudio Obregón: Raul de los Reyes

Lupita Ferrer: Maria Dolores de los Reyes

Ana Colchero / Christianne Gout: Camila de los Reyes

José Ángel Llamas: Luis Mário Gómez

Anna Ciochetti: Elsa Grajales

Rogelio Guerra: Fernando Gómez Miranda “Águia real”

Demián Bichir: Afonso Carbajal

Guillermo Gil: Mateus

Vanessa Acosta: Paula

Martín Altomaro: Próspero “Pop”

Mónica Dionne: Alicia

Joaquín Cordero: X

Enoc Leano: Mandíbulas

Claudia Lobo: Alma

Pilar Ixquic Mata: Rosália

Victor Huggo Martín: Vítor / Hugo

María Renée Prudencio: Soraya

Gloria Peralta: Mônica

Martha Resnikoff: Ester

Joselfo Rodríguez: Estevão

Lourdes Villareal: Benigna

Dunia Zaldívar: Amália

Gilberto Pérez Gallardo: Lúcio


INTRODUÇÃO

Traição, originalmente chamada Nada personal, é uma telenovela mexicana, produzida pela Azteca em 1996 e exibida pela Rede Bandeirantes em 1998. Foi a primeira telenovela produzida pela Argos Comunicación para a emissora mexicana.

Foi a primeira telenovela de Ana Colchero, após ter deixado a Televisa. Porém esta, que desempenhou o papel de Camila, teve de substituída por Christianne Gout, já que Ana teve alguns problemas com a emissora.

Nada personal está baseada na vida do ex-presidente mexicano Carlos Salinas de Gortari, que governou o país entre 1988 e 1994, e em sua escandalosa história familiar.


RESUMO

“Não é nada pessoal”, disse Fernando Gómez Miranda, chefe de polícia, minutos depois de matar com seus homens ao político Raul de los Reyes e sua filha mais nova de treze anos, em uma emboscada de carros na rua.

Luis Mário, um jornalista de profundos sentimentos, e um tanto triste, chega pouco depois ao local do atentado com sua câmera, e descobre que houve sobreviventes no carro. Camila, a filha mais velha de Raul, está ferida, mais vive. Luis Mário a leva ao hospital, salvando-lhe a vida, ato este que cria um forte laço entre os dois.

Afonso Carbaja, o meio-irmão de Luis Mário, é o policial encarregado pelo caso, um antigo colega de classe de Camila, que sempre esteve apaixonado por ela.

Fernando Gómez cria evidênvias que culpam Camila pelo atentado e a envolvem em narcotráfico, ao mesmo tempo em que toma um interesse muito pessoal pela viúva de Raul de los Reyes, Maria Dolores. Luis Mário e Afonso se dividem entre o dever profissional que requer a prova da inocência de Camila, e entre os desejos destes em protegê-la.

Cada um com seus métodos, buscam provas para livrar Camila e encontrar o verdadeiro culpado, sem saber que quem procuram será seu próprio pai.


CURIOSIDADES

O CD da telenovela foi lançado no Brasil em 1998, e tem músicas de Ana Belén, Lucero, Christian e Erick Rubin, entre outros. A atriz Ana Colchero abandonou a telenovela quando estava no final, alegando não estar gostando dos rumos da trama, isso causou um grande desentendimento entre a atriz e a TV Azteca.


COMENTÁRIOS

A família de los Reyes, encabeçada por Camila, estudante de direito e herdeira de uma grande fortuna, os meios de comunicação e as altas esferas do poder, criam no decorrer desta história, um cativante labirinto de amor e sangue, de busca e vingança, onde não existem limites, somente interesses para alcançar e objetivos para cumprir. Mas, também, onde o amor é o motor de todas suas personagens

É um relato feito com esforço e com um objetivo: Traição (Nada personal), convida a vivermos juntos e de maneira diferente, esta aventura, onde sonhamos com amor e justiça.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Luz Clarita


NOME ORIGINAL
Luz Clarita

ESCRITOR
Abel Santacruz

PRODUTORA
Martha Patricia “MaPat” López de Zatarain

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
117

ANO DE GRAVAÇÃO
1996

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1999

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Luz Clarita

INTÉRPRETE
Daniela Luján

Que mais te faz falta
se você tem o sol e a lua?
Que mais te faz falta
se a beleza do céu é de graça?

Se você tem o sim da ilusão,
Se acorda com a luz e o amor
com minha mão te passo um calor,
que mais te faz falta?

Luz Clarita…
Luz Clarita…

E na escuridão eu busco uma luz,
uma lágrima se torna flor.

Luz Clarita…
Luz Clarita…

Com o amor que há no seu coração,
uma lágrima se torna flor.
Luz Clarita, ahhh aaahh.


ELENCO

Daniela Luján: Luz Clarita Gonçalo Vertis

César Evora: Mariano de la Fuente

Verónica Merchant: Soledade Martins / Rosário Vertis de Gonçalo

Frances Ondiviela: Bárbara de Lomelí

Alejandro Tommassi: Padre Salvador Uribe

Ximena Sariñana: Manuela de la Fuente

Sussan Taunton: Érika Lomelí

Aitor Iturrioz: José Mariano de la Fuente

Paty Díaz: Natália

Miguel Pizarro: Roque

Lilí Garza: Brígida

Roxana Saucedo: Graziela Stockton

Graciela Bernardos: Diretora

Raúl Askenazi: Rômulo Domínguez

Eleazar Gómez: Galocha

Lucero Lander: Irmã Caridade

Adriana Acosta: Francisca

Tomás Goros: Anselmo

Margarita Isabel: Verônica

Sagrario Baena: Hortênsia

Evangelina Martínez: Prudência

Liza Echevarria: Fada Dana

Elsa Cárdenas: Rainha Mãe

Julio Mannino: Bruno

Eva Calvo: Cata

Gerardo Murguía: Evandro

Rocío Sobrado: Belinda

José María Torre: Israel


PERFIL DAS PERSONAGENS

Luz Clarita (Daniela Luján) - é uma menina que irradia alegria e amor com um único sorriso. É adotada pela família de Mariano de la Fuente e com suas ações demonstra que o amor é a verdadeira essência da felicidade. Ela tem um sonho, que é um dia encontrar sua mãe, gosta de ajudar as pessoas mas faz suas travessuras. O que mais a deixa feliz é ver as pessoas a sua volta felizes, mas por dentro está triste por não ter ao seu lado sua mãe.

Mariano (César Évora) - é viúvo, prático, disciplinado e frio. Tem uma forte personalidade e uma ótima condição econômica. Está noivo de Bárbara, uma mulher muito bonita, mas muito falsa. Mariano tem dois filhos José Mariano e Manuela e agora sua filha adotiva, Luz Clarita. Mora em uma mansão com um lindo jardim e muitos empregados, cada qual com uma personalidade.

Soledade (Verónica Merchant) - é uma bela mulher que sofreu um acidente de carro, perdeu seu marido e ficou com amnésia, esquecendo de todo seu passado. Soledade é cozinheira e passou a trabalhar no orfanato após a morte da madrinha de Luz Clarita que era a cozinheira de lá. Sente um grande amor por Luz Clarita. Sua beleza e bondade atrairá muitos amores.

Manuela (Ximena Sariñana) - tem a mesma idade de Luz Clarita, mas é totalmente diferente dela. Aproveita a morte de sua mãe para todos ficarem a sua disposição. É uma criança má, sem alegria e felicidade. Sente muita raiva de Luz Clarita, já que o pai lhe dá muito carinho. O jeito amável de Luz Clarita deixa Manuela com mais ódio ainda. Brígida é quem contribui para que o ódio de Manuela contra Luz Clarita só aumente.

José Mariano (Aitor Iturrioz) - é o filho mais velho de Mariano, irmão de Manuela. É o melhor aluno em Administração de Empresas. Gosta muito de ler, principalmente poesia. Gosta muito de Luz Clarita, o que causa ódio e ciúmes em Manuela. Não sabe se está apaixonado por Natália ou Érika, mas no fundo ele sabe que gosta de Natália, apesar de suas diferenças, mas Érika não vai deixar o caminho livre para a rival e José Mariano terá que decidir com quem quer ficar.

Natália (Paty Díaz) - é uma das empregadas da mansão De la Fuente. Ajuda a tia na cozinha e gosta muito de Luz Clarita, são grandes amigas e confidentes. Natália é uma moça jovem, apaixonada por José Mariano, mas sabe que é um amor impossível. Natália dedica os dias de domingo aprendendo inglês, é uma jovem excepcional. Adora literatura, principalmente poesia.

Érika (Sussan Taunton) - é uma jovem forte, possessiva e arrogante, filha de Bárbara, com seu mesmo caráter. Érika estuda Turismo. Tudo o que mais quer na vida é casar-se com José Mariano. Sabe que com sua beleza e nome poderá conseguir qualquer homem, mas quer mesmo é José Mariano e fará de tudo para separá-lo de Natália, tudo mesmo.

Bárbara (Frances Ondiviela) - é mãe de Érika. Está noiva de Mariano. Viúva, é uma mulher ambiciosa, que na frente de Mariano tem um tipo de atitude dissimulada. Quer casar-se com Mariano a todo custo e ter uma boa vida. Também quer que sua filha Érika se case com José Mariano. Bárbara também odeia Luz Clarita e não entende por que Mariano a colocou dentro da mansão.

Brígida (Lilí Garcia) - é a tutora e professora particular de Manuela. Rígida, ama a mansão De la Fuente, mas é uma mulher amargurada e dura. Está sempre aflita por uma recordação de seu passado que marcou sua vida para sempre. Luz Clarita trata Brígida com todo carinho, mas em certas horas, parece impossível. Brígida, além de tudo, é fofoqueira e faz intrigas contra Luz Clarita.

Roque (Miguel Pizarro) - é o motorista da mansão De la Fuente. É um simpático jovem, que se torna um dos melhores amigos de Luz Clarita. Gosta muito de Natália e acha que namora com ela, mas Luz Clarita sabe que o coração de Natália já tem dono. Ele leva Luz Clarita todos os dias à escola. Luz Clarita, com sua bondade, carinho, e inocência de criança, faz com que Roque se torne um de seus melhores amigos para sempre.

Francisca (Adriana Acosta) - é a empregada da escola que Luz Clarita estuda e se faz de cúmplice das travessuras da menina, pois gosta muito dela. Ficou muito triste quando ela foi embora para a mansão De la Fuente. Adora comer e depois que Soledade passa a ser a nova cozinheira, cozinhando muito bem, sente-se muito feliz. Soledade é uma de suas melhores amigas e conta com ela para lhe ajudar a recuperar a memória.

Dana (Liza Echeverría) - é a fada madrinha de Luz Clarita. Assim que a madrinha da pequena faleceu, Dana veio para ajudar Luz Clarita. Dana ajuda e protege Luz Clarita com a força do carinho. Dana a leva a passeios mágicos e sempre que Luz Clarita chama: Dana!, ela aparece. Dana quer muito antecipar o encontro de Luz Clarita e sua mãe, pois ela gosta muito da menina e não gosta de vê-la sofrer.

Rômulo (Raúl Askenazi) - é um homem trabalhador. Está apaixonado por Soledade e será capaz de qualquer sacrifício por esse amor.

Padre Salvador (Alejandro Tommasi) - é amigo de Mariano desde a infância. É o confessionário da família De la Fuente. Salvador participa da vida de Mariano como um conselheiro e também é o confessionário de Luz Clarita, a quem sempre ajuda para que realize seus desejos.

Prudência (Evangelina Martinez) - é a tia de Natália. Trabalha como empregada na mansão De la Fuente e gosta muito de Luz Clarita.

Anselmo (Tomás Goros) - tem um passado obscuro e quer se apoderar da riqueza da família De la Fuente. É ambicioso e sabe usar seu poder de sedução para conseguir o que tanto quer. Conhece Brígida e agora que a encontrou, a persegue. Brígida demonstra raiva por Anselmo.

Graziela (Roxana Saucedo) - é a tia de Luz Clarita. É a única parente da menina e isso traz esperanças para Luz Clarita que deseja reencontrar sua mãe.


INTRODUÇÃO

Luz Clarita é um remake da telenovela Chispita, de 1982 que foi protagonizada pela atriz e cantora Lucero, Angélica Aragón e Enrique Lizalde. Por sua vez, Chispita é um remake da telenovela argentina Andréa Celeste, produzida em 1979 e protagonizada por Andréa del Boca, Raúl Taibo e Ana Maria Picchio.


RESUMO

Luz Clarita é uma garotinha que, após perder a avó, Cata, fica aos cuidados das freiras do orfanato onde morava. Mariano de la fuente, busca no orfanato uma garotinha para fazer companhia à sua filha que vive triste desde a morte de sua mãe. Luz Clarita é adotada por Mariano, mas Manuela, sua filha, não gosta da garotinha.

E ainda que a princípio poderia parecer que essa menina só veio para criar um caos em suas ordenadas vidas, pouco a pouco vão se dando conta que ela chegou como uma verdadeira benção do céu, para ensinar jovens e adultos, a mais importante das lições: que o amor é a verdadeira essência da felicidade.

Luz Clarita tem um grande objetivo: fazer os outros felizes e encontrar sua mãe. Esse processo não é fácil, principalmente porque Luz Clarita tem seus próprios problemas: está convencida de que não é órfã, de que sua mãe não morreu como as evidências indicam, e com a silenciosa cumplicidade de um sacerdote, ela tem a tarefa de buscar essa mãe a quem ama sobre todas as coisas do mundo.

Manuela, vê em Luz Clarita uma rival em potencial, pelo afeto de seu pai e que desde o primeiro dia se dedica a fazer sua vida impossível, além disso, a garota sofre com sua preceptora Brígida que é muito severa.

A grande amiga de Luz Clarita é Soledade, a cozinheira, uma mulher com passado obscuro, que por coincidência chegou para trabalhar no orfanato, precisamente, no dia em que Luz Clarita o abandonou para ir à mansão de la Fuente. Mariano ao conhecer Soledade se apaixonou.

Tanto, que aproveitando a imediata simpatia que Soledade e Mariano sentem ao se conhecer, Luz Clarita decide brincar de cupido, para que os dois terminem no altar. Mas o amor, a inocência, a bondade e a ternura de Luz Clarita vão encontrar vários adversários.

Luz Clarita decide ajudar, também, para que realize um amor aparentemente impossível, Natália, a jovem e sonhadora criada que está secretamente apaixonada por José Mariano de la Fuente, o filho de seu patrão.

Porém, o amor finalmente consegue vencer os tempos, as distâncias, os prejuízos sociais, o medo, as barreiras que cada um se impõe, e inclusive até os truques mais elaborados que o destino lança.


COMENTÁRIOS

Talvez nem a Televisa imaginasse que uma história tão simples como Luz Clarita fizesse tanto sucesso. Porém, foi assim mesmo, a telenovela foi um grande êxito e todos se apaixonaram pela história de uma órfã que só queria levar felicidade a todos.

Luz Clarita, produzida em 1996, representou no México a volta das telenovelas infantis que haviam sido abandonadas há alguns anos. A estreia dessa telenovela provou que o gênero havia deixado saudades. Além disso, Luz Clarita era uma nova versão do clássico Chispita, protagonizado por Lucero, nos anos 80.

Foi a primeira produção de Maria Patrícia L. de Zatarain, a Mapat, e teve muita repercussão ao reeditar uma história conhecida com o elenco adequado. Em especial, ao trazer Daniela Luján como Luz Clarita. Tanta ternura encantou o público. Ela simplesmente arrasou e a partir daí ganharia muitos papéis como protagonista, sempre com sucesso.

Por seu bom desempenho em Laços de Amor, a atriz Verónica Merchant foi escolhida para protagonizar Luz Clarita. Ela saiu-se tão bem como Soledade / Rosário, que ganhou um prêmio TVyNovelas como a melhor atriz jovem de 1996.

Junto a Verónica, estava César Évora, que também saiu-se bem como Mariano de la Fuente, o protagonista e galã da história. Foi, na verdade, a primeira grande oportunidade de César, que além de ter ficado muito conhecido, só conquistou papéis melhores daí em diante.

No núcleo jovem, os destaques foram Aitor Iturrioz, como José Mariano, e principalmente Paty Díaz, como Natália, uma jovem criada que se apaixonava pelo filho do patrão. Ela se destacou bastante na telenovela. Outra menina, além de Daniela Luján, foi um destaque: Ximena Sariñana, que foi Manuela, uma garotinha caprichosa e mimada, que fazia a vida de Luz Clarita um verdadeiro inferno. Também destaca-se Alejandro Tommasi como Padre Salvador.

Diferente de Chispita, onde a presença sobrenatural se dava com a presença de um anjo, em Luz Clarita, existia uma fada madrinha, de nome Dana, interpretada por Liza Echevarría, em cenas repletas de magia e fantasia.

E como vilã, a terrível Bárbara, fez brilhar Francis Ondiviela, em um de seus melhores momentos na televisão. Tantas maldades que ela foi uma das grandes vilãs das novelas infantis

Luz Clarita acabou sendo uma das telenovelas mais exportadas da Televisa. E está também ao lado das tramas mais rentáveis para a emissora, sendo um dos clássicos junto a Chispita, Carrossel e Vovô e eu.

Aliás, vale comentar que o diretor da telenovela era Pedro Damián, que já havia produzido histórias como Vovô e eu e Prisioneira do amor, ele foi colocado em segundo plano por causa do péssimo desempenho de seu projeto anterior, Si Dios me quita la vida, de onde foi retirado da produção executiva. Porém, o sucesso desse novo trabalho fez com que ele recuperasse seu prestígio e passasse a investir nas tramas adolescentes.

No Brasil, Luz Clarita representou a volta das telenovelas mexicanas ao SBT. Foi a primeira atração mexicana infantil exibida pelo canal depois de três anos sem telenovelas. O SBT apostou nessa trama simples, para ser exibida durante as férias de Chiquititas, conquistou 14 pontos de média. Durou quatro meses e fez com que o SBT voltasse a investir nas tramas mexicanas.

Em 2001, era para ter sido exibida um reprise de Luz Clarita, mas o SBT optou pela telenovela infantil Gotinha de Amor.

A trilha de Luz Clarita foi lançada no México como um CD promocional, contendo apenas quatro músicas, o tema de abertura “Luz Clarita” interpretado por Daniela Luján e Ximena Sariñana, e mais três temas instrumentais da telenovela. No Brasil, o tema de abertura foi traduzido.

Caminhos do amor (Morena Clara)


NOME ORIGINAL
Morena Clara

ESCRITORES
Juan Clemente, Rubén Geller, María Antonieta Gutiérrez, Ligia Lezama e Mariela Romero

PRODUTORES 
José Antonio Ferrara e Arquímedes Rivero 

PAÍS DE ORIGEM
Venezuela

NÚMERO DE EPISÓDIOS
137

ANO DE GRAVAÇÃO
1993

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1998

EMISSORA
Rede Bandeirantes

TEMA DE ABERTURA
Barco a la deriva

INTÉRPRETE
Guillermo Dávila

Si es como dices qué haces aquí, envenenando este mes de abril,
con ese cuerpo de alambre que no es sombra ni de lo que fue.
Si lo has dejado qué haces aquí, como una rosa rota en la basura,
por qué me miras así, a quien le quieres mentir,
tienes los ojos llenos de agonía.

Te daré, cobijo te daré, calor, por ti mi pajarillo herido,
pintaré de rosa la melancolía, por favor no digas que estás bien.

Barco a la deriva que se hunde un poco cada día.
Barco a la deriva que no quiere ver el faro que elegía.

Si en plena lava bajó el volcán, siguen brotando las más bellas flores,
porqué no quieres cortar los hilos de la espiral
que van metiéndote vidrio en las venas.

No, ya no te voy abandonar, saldrás de aquí mi cervatillo herido,
no podré dormir mientras estás hundida,
por favor no digas que estás bien.

Barco a la deriva que se hunde un poco cada día.
Barco a la deriva que no quiere ver el faro que elegía.

Barco a la deriva que se hunde un poco cada día.
Barco a la deriva que no quiere ver el faro no, no…

Barco a la deriva que se hunde un poco cada día.
Barco a la deriva que no quiere ver el faro no, no, no…

TEMA DE ENCERRAMENTO
Cómo olvidar

INTÉRPRETE
Karina

Cómo romper pieza a pieza un corazón
después de haberse fragmentado en mil pedazos,
luego de probar toda la hiel del desamor,
después de haberse bebido el trago más amargo.

Cómo restaurar la fe en el alma
Cuando ya no hay un destello de pasión en tu mirada.
Cómo retornar por el camino una vez más
cuando las calles de tu amor están cerradas.

Cómo olvidar si estás dentro de mí,
en la fibra más profunda de mi alma.
Te has clavado en mi mente y no sé imaginar
el mañana sin ti que vendrá.

Cómo hallar valor para enfrentar la soledad,
para calmar este dolor que me hace daño.
Cómo soportar el paso de la tempestad
y aún de pie ver tantos sueños devastados.

Cómo revivir en medio de la oscuridad
una ilusión cuando no queda ya esperanzas
como retornar por el camino una vez más,
cuando las calles de tu amor están cerradas.

Cómo hacer para andar
sin tu amor me faltan fuerzas,
yo no sé… dime tú…


ELENCO

Astrid Carolina Herrera: Clara Rosa Guzmán

Luis José Santander: Valentim Andara

Gabriela Spanic: Linda Prado

Alejandro Martínez: Andino

Carolina Cristancho: Jennifer Andara

Julio Alcazar: Emiliano Andara

Lully Bossa: Madalena Vallán

Miguel Alcántara: Doutor Vanoni

Henry Galué: Lisandro Prado

Yajaira Orta: Montserrat Prado

Nancy González: Eugênia Andara

Cristina Reyes: Vitória Vanoni

Carolina López: Maria Luisa

Jenny Valdéz: Manolita

Simón Pestaña: Armando

Mirtha Borges: Majuana

Gonzalo Velutini: Ângelo

Julio Capote: Chucho

Dulce María Pilonieta: Marisa Andara

Hans Christopher: Christian

Marisela Buitrago: Laura

Elisa Escaméz: Vicenta

Rita de Gois: Bárbara

Orlando Casín: Ludovico

Guillermo Dávila: Guillermo Dávila


INTRODUÇÃO

Duas familias, ambas com podereosas figuras políticas, Emiliano Andara e Lisandro Prado, formam a ideia principal desta novela, onde política, corrupção, influências e dinheiro sujo são os principais ingredientes.


RESUMO

Clara Rosa Guzmán é produto de um engano, o resultado de uma paixão entre um rico fazendeiro e criador de gado em Santa Bárbara del Zulia e de uma camponesa chamada Rosalinda, que é dada como morta após seu desaparecimento nas águas turbulentas de um rio. Emiliano Andara, o pai da criança, nunca aceitou Clara Rosa como sua filha e se recusou a vê-la.

Clara Rosa é uma mulher inteligente, cheia de ilusões que vive com Vicenta, sua tia, uma mulher pobre e amarga com dois filhos, nas favelas de Caracas. Clara Rosa ganha a vida como vendedora de rua, embora tenha esperanças de uma vida melhor.

Enquanto isso, Emiliano Andara, seu pai, tornou-se uma personalidade importante no destino político do país. Sua primeira esposa, Montserrat se casa com seu adversário político Lisandro Prado, um homem sem escrúpulos e forte rival de Emiliano que, junto de sua nova esposa Eugênia, criou os filhos de seu falecido irmão, dois bem sucedidos jovens chamados Valentim e Francisco.

Valentim é advogado e um político inteligente, com um grande futuro à sua frente. Ele conhece Linda Prado, que é filha do pior inimigo de seu pai. Os problemas de Valentim começam quando ele se perde em uma paixão egoísta e desonesta com Linda, que concebe uma criança que os obriga a se casar.

Uma revolta violenta na cidade se torna o palco para a união abrupta de Clara Rosa e Valentim, que a partir desse momento em diante, terão suas vidas unidas por uma grande paixão, nascida de um encontro casual, que dá lugar a uma série de eventos perturbadores que afetam profundamente a ambos.


CURIOSIDADES

Em Portugal, a telenovela foi transmitida em 1994, pela TVI, com o nome de Morena Clara.

A produção de telenovelas Brasil x México

A produção de telenovelas no México é muito diferente do Brasil. Enquanto uma emissora como a Rede Globo que produz cerca de 6 novelas por ano e tudo é muito estudado antes de fazê-la, na Televisa ocorre totalmente o contrário. Por lá, são exibidas nada menos que 16 novelas por ano, e a linha de montagem é industrial.

Tudo é planejado com pouca antecedência e os cenários das novelas são fabricados em tempo recorde. Às vezes, os diretores chegam a usar painéis de madeira e colar imagens no eucatex (no caso da TV Azteca), para simular uma paisagem de fundo, porém com muito pouco realismo. As cenas têm pouca iluminação e, nos bastidores, existem gambiarras pra todos os lados.

A TV Azteca também tem seus recursos para acelerar a produção da novela. Ao invés de gastar dinheiro construindo para uma de suas produções uma periferia de verdade, optaram por construir uma maquete enorme dentro de um estúdio, que simularia uma vista externa.

Para não atrasar a produção da novela, os atores não precisam levar um roteiro para casa e decorá-lo, como fazem os das novelas da Rede Globo, por exemplo. Na Televisa, os atores ficam sabendo na hora o que vão ter que falar e poucas vezes estudam com antecedência o texto. Todos entram em cena com um ponto eletrônico no ouvido, e vão repetindo o que escutam, com poucas possibilidades de trabalhar a interpretação. O resultado fica um pouco forçado. Por padrão, os diálogos são curtos, fazendo com que os atores errem pouco em cena.

Quando a emissora decide apressar demais as gravações, os atores acabam ficando trancados por mais de 17 horas dentro dos estúdios. Quem pôde comprovar isso foi a própria estrela Gabriela Spanic que certa vez chegou às 7h00 da manhã no estúdio e saiu à 1h00 da madrugada do dia seguinte.

Algumas novelas chegam a durar menos de 150 capítulos e, depois, dão lugar à outra produção. Como o investimento nas novelas sai barato, a exportação para outros países também sai em conta. Diante das novelas brasileiras, as mexicanas parecem economizar até em personagens. Nota-se que todas as produções mexicanas possuem poucos protagonistas e os acontecimentos são muito rápidos.

O ponto alto das novelas da Televisa é que todos os atores conseguem cativar o público de uma maneira hipnótica. A própria Televisa, usa um recurso já conhecido do público brasileiro: toda boa novela mexicana que se preze, possuiu uma protagonista que é uma santa, um mocinho rico que luta pelo amor da mocinha protagonista, e como não podia faltar para apimentar a novela, a presença de uma vilã diabólica e capaz de tudo para infernar a vida do casal principal da trama. Foi seguindo essa receita tão simples que as novelas da Televisa são exibidas atualmente em mais de 150 países com sucesso absoluto.