sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Coração Esmeralda estreia no Zap Viva


Coração Esmeralda, a nova atração do Zap Viva que chega nesta sexta-feira, 20 de fevereiro, às 18h00 às telinhas de Angola e às 19h00 em Moçambique, é uma super produção da Venevision, realizada entre 2013 e 2014, totalmente gravada na Venezuela e com talento local. É uma obra original da escritora Vivel Nouel, adaptada por Zaret Romero, onde se relata uma história que conjuga amor, avareza e desejos de superação, em uma trama envolta pela conscientização da conservação do meio ambiente.

Dublada em português pelo estúdio Som de Vera Cruz, no Rio de Janeiro, Coração Esmeralda é composta por 139 capítulos e congrega um elenco de grandes figuras da atuação, liderado por Irene Esser, em sua estreia no mundo da arte dramática; o galã Luis Gerónimo Abreu, Mimí Lazo, Jorge Reyes, Dora Mazzone, María Antonieta Duque e Juliet Lima. Além disso, conta com o veterano ator Jean Carlo Simancas e uma participação especial de Mariángel Ruíz.

O elenco se completa com as atuações estelares de Flavia Gleske, Cristóbal Lander, Paula Woyzechowsky, Sheryl Rubio, Daniel Martínez Campos, Myriam Abreu, José Ramón Barreto, Sindy Lazo; com os renomados atores Flor Elena González, Beatriz Vásquez, Alejandro Mata, Julio Pereira e Adolfo Cubas, além da participação de Ludwing Pineda, Josué Villae, Rhandy Piñango, Carmen Alicia Lara, Ray Torres, Reina Hinojosa, Rodolfo Drago, Andreína Carvo, Nicolás Camacho, Fátima Bella, Marludi Gómez e Patricia Amenta.


SINOPSE

Beatriz Elena Beltrán Jiménez (Irene Esser) é uma jovem e bela ecologista que ganha a vida organizando passeios e excursões a bordo de seu velho e chamativo ônibus, ao qual batizou de Planeta Verde. Era muito pequena quando sua mãe, Maria Vitória Jiménez (Mariángel Ruíz), morreu. Desde então, e diante da ausência da figura paterna, Beatriz Elena passou a morar no humilde, mas acolhedor lar de seus amorosos padrinhos, Luísa Amélia (Beatriz Vásquez) e Ramon José Blanco (Julio Pereira) e dos filhos deles, a engenhosa Liliana (Carmen Alicia Lara) e o desajuizado Miguel de Jesus (José Ramón Barreto), aos quais ama como se fossem seus irmãos.

Comprometida com a defesa da natureza, Beatriz empreende uma cruzada para que o milionário César Augusto Salvaterra (Jean Carlo Simancas) suspenda o corte indiscriminado de árvores em Valle Bonito e que trate adequadamente as águas residuais que sua fábrica de celulose despeja diariamente no rio e na represa de Valle Bonito, a pitoresca cidade onde se passa esta história. Isto fará com que ela enfrente César Augusto, sem saber que é seu pai biológico.

Marcada por um desengano que sofreu enquanto era estudante universitária, Beatriz Elena está decidida a não se apaixonar de novo, porém, o destino lhe demonstrará justamente o contrário, quando cruzar seu caminho com o de João André Montalvo (Luis Gerónimo Abreu), jovem encantador e nobre advogado que, com seu amor sincero, irá curar o coração da ecologista das feridas do passado; feridas estas que poderiam ser aliviadas por Luís David León (Cristóbal Lander), amigo e sócio de Beatriz.

Este bonito jovem que tem dedicado parte de sua vida a sua outra grande paixão, percorrer o mundo como mochileiro, retorna decidido a ficar e formar uma família ao lado da mulher que ama em segredo há vários anos: Beatriz Elena. Luís David é irmão de João André por parte de pai. Quando chegou à maioridade, cansado das constantes brigas com seu pai, Luís David se negou a ter o seu sobrenome e abandonou a casa para sempre. Os dois meios-irmãos que se davam tão bem quando eram crianças, agora como adultos se verão enfrentados pelo amor de Beatriz Elena.

Filho de Silvestre (Alejandro Mata) e Isabel Montalvo (Flor Elena González), os fiéis mordomo e governanta da Vila Salvaterra, João André é também o afilhado e homem de confiança de César Augusto, que lhe encarrega a missão de encontrar a filha que teve com Marina Lozano (Mariángel Ruíz), a única mulher que o amou de coração, mas que desapareceu de sua vida, levando consigo o fruto dessa relação: uma filha a quem César Augusto sempre desejou conhecer e para quem pensa deixar grande parte de sua herança.

Esta missão será o último trabalho que João André fará para seu querido padrinho, pois este último, consciente de que seus dias estão contados devido a uma doença terminal, adianta o momento de sua morte e tira sua vida com um tiro na cabeça; não sem antes deixar registrada a partilha de sua fortuna e o destino de sua família, em especial, o de suas três ex-esposas, com as quais sempre teve uma má relação, e os quatro filhos que concebeu com elas, que somente lhe deram desilusões.

O patriarca dispõe que todos eles convivam juntos na suntuosa Vila, enquanto João André buscará a quinta herdeira Salvaterra. Quem não cumprir esta condição, não poderá receber nem um centavo da fortuna. Desse modo, retornam ao luxuoso casarão a primeira esposa de César Augusto, a perversa Frederica Pérez (Mimí Lazo), e sua filha, a sempre temperamental Fernanda (Flávia Gleske); Hortência Palácios (Dora Mazzone), a atormentada segunda esposa, junto a Elia Madalena (Paula Woyzechowsky), sua nobre e reservada filha; e a libertina terceira esposa, Branca Aurora (María Antonieta Duque), acompanhada de seus filhos, a rebelde Rocio del Alba (Sheryl Rubio) e o frívolo Napoleão Antonio (Daniel Martínez Campos).

A convivência entre as três ex-esposas e os filhos se torna ainda mais tensa com a presença de Lorena (Miriam Abreu), a jovem e exuberante última amante de César Augusto, que também está de olho em uma boa fatia da herança. A explosiva relação que se dará entre todos estes personagens, fará de Vila Salvaterra uma jaula de feras. A mais calculista e sagaz de todas as ex- esposas, Frederica Pérez, arma um plano para sabotar a aparição da quinta herdeira da fortuna Salvaterra, em cumplicidade com seu amante e advogado, o inescrupuloso Marcelo Egaña (Jorge Reyes), antigo desamor de Beatriz Elena que ficará obcecado por ela. Por sua vez, Beatriz Elena vive junto a João André um amor tão intenso que se tornará sólido, apesar dos incontáveis segredos, mentiras e intrigas que Vanessa Villamizar (Juliet Lima), a bela e ambiciosa ex-namorada de João André, que está decidida a voltar com ele, irá armar.

Ao mesmo tempo que luta para consolidar sua história de amor junto a Beatriz Elena, João André não cessa a procura da filha desaparecida de César Augusto, sem ao menos imaginar que essa jovem é a mulher que tanto ama, Beatriz Elena, que também não sabe que tanto seu sobrenome, quanto seu passado são falsos. Vinte e cinco anos atrás, quando ela ainda estava no ventre de sua mãe, esta, afim de distanciá-la dos interesses, intrigas e avareza que rodeava César Augusto Salvaterra, decidiu mudar de identidade. Marina Lozano passou a se chamar Maria Vitória Jiménez e pediu ao doutor Rodrigo Beltrán (Adolfo Cubas), seu amor secreto e pediatra de sua filha, que se casasse com ela com o único fim de dar seu sobrenome à recém-nascida.

Devido a esta mudança de identidade, não pôde ser localizada pelos detetives que Salvaterra contratou. Os únicos que conhecem este segredo são Lúcia e Barrilito, compadres de Marina, que lhe juraram que nunca revelariam a verdade a Beatriz Elena. Talvez com o passar do tempo Marina decidisse revelar a Beatriz a verdade, mas uma fatalidade a apartou de sua filha. Marina Lozano morreu em uma noite em um acidente tão fatal quanto estranho e em torno do qual circularam sombras negras; Frederica, Hortência e Branca, as três ex-esposas de César Augusto Salvaterra.

Pouco a pouco, João André e Frederica, cada um por sua conta, vão descobrindo pistas que os levam a concluir que Beatriz Elena é a autêntica filha de Marina Lozano com César Augusto. Quando finalmente se descobre a verdade, Beatriz, manipulada por Marcelo Egaña e Frederica, sente-se enganada por João André ao acreditar que ele se aproximou dela desde o princípio com o interesse de conquistar não a mulher, mas sim a quinta herdeira Salvaterra. Não será fácil desemaranhar esta história de amor tendo como centro a grande fortuna e poder que Beatriz Elena, agora Salvaterra, tem em seu poder, alvo da inveja e avareza das esposas de seu pai, de Lorena, de Vanessa e de Marcelo, que acrescentarão obstáculos para mantê-la separada de seu amado João André.


PERSONAGENS

Beatriz Elena Beltrán “A Ecologista" (Irene Esser)

Tem 25 anos. É uma jovem, bela e valente ecologista apaixonada pela natureza. Estudante de Trabalho Social, está terminando sua tese de graduação baseada no Código Penal do Meio Ambiente, mediante o qual tenta demonstrar que a fábrica de celulose, uma das propriedades de César Salvaterra, está contaminando a região, e que instalando processadores adequados poderiam minimizar o dano ao meio ambiente. Isto a leva a enfrentar o milionário Salvaterra, sem saber que esse homem é seu pai biológico. Beatriz Elena é dona de um colorido ônibus, ao qual batizou de “Planeta Verde”, comprado em sociedade com sua quase irmã Liliana, e seu melhor amigo e amor secreto Luís David, no qual trabalham promovendo viagens turísticas e excursões. Também vendem cartões-postais, camisetas e material promocional. A protagonista desta história é uma jovem generosa, honesta, sincera, desinteressada, responsável, realista, determinada, apaixonada e alegre, mas um tanto ressentida por não ter tido ao seu lado a figura paterna, já que cresceu acreditando que ele abandonou a ela e a sua mãe e principalmente por haver perdido sua mãe quando tinha apenas doze anos. Beatriz Elena tem uma ferida no coração, o sabor amargo que lhe deixou um tormentoso romance com Marcelo Egaña, seu professor na universidade, que brincou com seus sentimentos e despertou nela uma grande desconfiança contra os homens. A ilusão pelo amor renascerá nela quando o destino cruzar seu caminho com o de João André Montalvo.


João André Montalvo “O Advogado” (Luis Gerónimo Abreu)

Tem 30 anos. É um advogado bem-sucedido, apesar de sua juventude; sócio do renomado escritório que cuida dos assuntos legais do consórcio Salvaterra. É um homem sincero, honesto, extremamente responsável com seu trabalho, filho do exemplar casamento de Silvestre e Isabel, mordomo e governanta da mansão do milionário César Salvaterra, onde foi criado. João André admira e gosta de seu chefe e padrinho César, que, por sua vez, também o valoriza e se orgulha de ver nele a combinação de todas as qualidades que seu único filho homem não tem. É um galã bonito, bastante solicitado pelas mulheres da sociedade, com as quais conhece devido ao seu trabalho, ainda que não tenha conseguido amarrar temporalmente a bela e sensual Vanessa. No entanto, João André continua à espera da mulher que conquiste verdadeiramente seu coração.


Luís David León “O Mochileiro Rebelde” (Cristóbal Lander)

Tem 38 anos. É o meio-irmão do protagonista, filho do mordomo Silvestre e sua primeira esposa, Margot, que o deixou com seu pai e nunca mais voltou, o que fez com que Luís David nunca superasse a síndrome do abandono materno, mas, apesar disso, somente usa o sobrenome León pelo rancor contra seu pai. Agente turístico de profissão, é sócio de Beatriz Elena no “Planeta Verde” e, aparentemente, seu melhor amigo, mas, na realidade, é seu amor secreto. É rebelde de nascimento, orgulhoso, teimoso, de poucas palavras, autoritário, introvertido e, às vezes, até meio mal humorado, bruto, em algumas ocasiões até agressivo. Deixou a mansão Salvaterra após ter completado os dezoito anos, depois de uma grave briga com seu pai Silvestre, para percorrer o mundo como mochileiro. Há pouco tempo, retornou ao país com a intenção de ficar definitivamente, mas ainda está relutante em se reconciliar com seu pai.


Branca Aurora López “A Diva Frustrada” (María Antonieta Duque) 

Tem 45 anos. É uma mulher bela e sensual, aparentemente frágil. Sempre sonhou ser uma grande atriz, acreditou que encontraria a felicidade ao tornar-se a mulher do milionário Salvaterra e mãe de seus dois últimos filhos. Porém, ao se divorciar, sentiu-se fracassada e tentou sem sucesso voltar a ser atriz. Obcecada com seu corpo, com sua beleza, com a eterna juventude, esbanja sua pequena fortuna em cirurgias estéticas, spas, maquiagem e roupas que não condizem com sua idade. Não tem habilidade na tomada de decisões. Vive em um mundo de fantasia, totalmente desorientada, sem assumir que o tempo passa para ela. No que diz respeito ao seu papel de mãe, mima e apoia seu filho Napoleão, já com sua filha Rocio é um pouco esquiva, pois a garota insiste em lhe fazer ver a vida tal como é. Amante da boa vida e com ânsia de fama e fortuna, Branca Aurora deseja que tanto ela como seus dois filhos herdem a fortuna Salvaterra. Seus delírios de super estrela da atuação, o que nunca foi, e sua negativa em aceitar o passar dos anos, a fazem atuar e inclusive a se vestir como uma diva. O fato de acreditar ser a autora da morte de Marina, não lhe esquenta a cabeça, mas evita o assunto como mecanismo de defesa, para ela, isso nunca aconteceu.


Frederica Pérez “A Madame” (Mimí Lazo)

Tem 50 anos. Frederica tem uma origem obscura e um caráter difícil. Foi tirada de um bordel por César Salvaterra, a quem soube enlouquecer de paixão em seus anos de juventude. É ambiciosa por poder e dinheiro, injusta e mesquinha com seus empregados, amargurada pelo divórcio de seu único e grande amor, César Salvaterra. Tem tentado refinar-se socialmente com o passar dos anos, mas sua natureza baixa e seu mal gosto sempre acabam se aflorando, sobretudo quando perde o controle. É o resultado de uma infância marcada pela crueldade, o que a tornou carente dos princípios morais e éticos. Sua filosofia é: o fim justifica os meios… manipuladora. Ela acredita ser a verdadeira autora da morte prematura da mãe da protagonista. Será a grande manipuladora que irá mexer os pauzinhos na mansão Salvaterra após a morte de César. Vive no interior do país, como fachada, mas tem um negócio na capital em sociedade com Marcelo Egaña, a mansão Royal’s Vip, que, aparentemente, é uma prestigiosa agência de modelos, mas que, além disso, oferece os serviços de acompanhantes a pessoas influentes e milionários. Frederica se impõe como uma grande dama e até parece. Após a inesperada morte de seu ex-marido, considera que ela, por ser a primeira esposa, é quem merece ser a viúva e herdeira absoluta.


Hortência Palácios “A Louca de Verdade” (Dora Mazzone)

Tem 50 anos. Dama de família nobre, mas falida. Se casou com César, obrigada pela mãe, para recuperar seu status social. É uma mulher desequilibrada e frustrada, com uma visão moralista e religiosa da vida, vive batendo no peito, mas não possui nem um pouquinho de humildade. Contrariando seus supostos princípios católicos, é orgulhosa, arrogante, vive para aparentar, está vazia por dentro, o que a faz intimamente infeliz. Esconde o terrível segredo de acreditar ser a culpada pela morte de Marina Lozano, a mãe de Beatriz Elena. Esta culpa a persegue a ponto de fazê-la se perder na loucura por diversas vezes, para que esqueça de seu terrível pecado. Deseja somente conseguir que sua filha obtenha parte da fortuna que merece e lhe corresponde.


Vanessa Villamizar “A Inimiga” (Juliet Lima)

Tem 25 anos. É a namorada do protagonista no momento em que este conhece Beatriz Elena. É uma jovem órfã, de origem humilde, mas interesseira, com sonhos de grandeza, superficial, caprichosa e possessiva. Não aceita que João André a deixe por Beatriz Elena e se torna uma inimiga perigosa, a ponto de se aliar a Frederica para se fazer passar pela herdeira perdida e poder tirar a protagonista da vida de seu amado João André. No passado, teve a ver com algum problema de Frederica, por isso é manipulada por esta mulher. Em seu primeiro despeito após terminar com o galã, vive um louco romance em uma ilha, do qual jamais poderá se livrar, não só porque fica grávida, como também, porque seu obsessivo amante a perseguirá até reconquistá-la. No entanto, sua obsessão por João André, e por ser rica, é tão forte que chegará inclusive a trocar seu próprio filho pelo de Beatriz Elena, a fim de não perder seus privilégios ao lado de João André.


Marcelo Egaña “O Imoral” (Jorge Reyes)

Tem 40 anos. É o advogado e amante de Frederica, é também o amante secreto da filha dela, Fernanda. É um homem ambicioso, sem escrúpulos, nem moral. Foi o primeiro amor de Beatriz Elena e, ainda que verdadeiramente tenha sentido algo por ela, sua conduta sem ética como professor da universidade, o fez com que a enganasse publicamente com outras alunas, para grande decepção de Beatriz Elena. Está de olho na grande fortuna Salvaterra, pela qual lutará usando as armas que sejam necessárias para se apoderar da maior fatia possível. Não esquece Beatriz Elena, e tenta reconquistá-la obsessivamente, apesar da constante rejeição dela, inclusive, chega a lhe causar os piores danos com sua sádica, obcecada e maquiavélica forma de amar.


César Augusto Salvaterra “O Magnata” (Jean Carlo Simancas)

Tem 70 anos. É extremamente dedicado ao trabalho e ao acúmulo de êxito e fortuna, o que tem conseguido em sua totalidade, sendo o atual proprietário de um gigantesco Consórcio de alta representatividade na área comercial. É um homem solitário, de inadequada relação com as mulheres, as quais usa como objetos de prazer e ostentação, mas também com as quais se aborrece e é acostumado a trocá-las frequentemente, por isso seus casamentos duram muito pouco. Tem três ex-esposas e quatro filhos, que brigam por sua fortuna, após sua morte. Sua esperança era ter um filho varão, que desse continuidade e fortaleza ao seu império, mas, ao ter um filho que ele acredita ser gay, sofreu seu último desencanto familiar. Teve a oportunidade de amar sinceramente somente uma vez na vida, mas sua obsessão pelo dinheiro, pelos negócios e por querer fazer as coisas à sua maneira, o levou a colocar essa relação em segundo plano, perdendo, assim, sua única chance de tornar-se mais humano e mais feliz. A única culpa que atormenta sua vida, é a filha desconhecida e perdida que teve com essa única mulher a quem amou mais que sua vida: Marina Lozano.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

Andy Indomável disse...

Essa novela "Coração Esmeralda" é muito sem graça. Cheguei a ver alguns capítulos dela e me decepcionei demais. E olha que gosto muito das novelas venezuelanas. Mas a Venevisión tem decepcionado com algumas tramas como essa, "De Todas Maneras Rosa" (2013/14) e tbm com aquelas feitas nos Estados Unidos, como "Cosita Linda", por exemplo. Se caso essa novela passasse aqui no Brasil, não a veria. Seria legal tbm se dublassem "Las Bandidas" (2013), que tbm é venezuelana e que era um co-produção da Televisa e RTI. Essa trama é uma versão de "Las Amazonas" (anos 80) e que tbm teve outras versões: "Quirpa de Trés Mujeres" (anos 90) e a mexicana "Menina, Amada Minha" (essa foi exibida pelo SBT em 2004).

Khaoe Pacheco disse...

Com dublagem feita no Rio de Janeiro!
Mesmo sendo ruim, eu veria. Dublagens feitas no Rio deixa qualquer novela ruim, boa.

Anônimo disse...

Seria bom se dublassem Las Amazonas (Venevision - 1985)