domingo, 23 de fevereiro de 2014

As trocas de atores nas telenovelas latinas – Parte 3

O novo milênio também trouxe algumas mudanças na teledramaturgia latina, digamos que uma troca de mocinhas e galãs do momento deu início às substituições. No ano 2000, a produtora Rosy Ocampo substituiu Adriana Fonseca, que chegava tarde às gravações, por Lourdes Reyes, em Amigos para sempre, onde dava vida à Melissa Escobar.

Libertad Lamarque
Um triste fato que marcou a produção da telenovela infantil Carinha de anjo, produzida também no ano 2000, foi a partida da grande atriz argentina e cantora de tango Libertad Lamarque, que interpretava a madre superiora. Enquanto gravava a telenovela, começou a sentir fortes dores em suas costas, sendo internada e atendida por seu médico particular. Apesar de tudo, Lamarque não se dirigiu ao hospital até que terminasse de gravar os episódios correspondentes desse dia, sendo considerada muito profissional de sua parte. Diagnosticada com uma bronquite que originou uma pneumonia, seu estado de saúde se agravou, vindo a falecer aos 92 anos, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Sua personagem foi substituída pela atriz Silvia Pinal.

Adriana Nieto
Locura de amor, também de 2000, esteve envolta em polêmicas com a atuação de Adriana Nieto, que, segundo o produtor Roberto Gómez Fernández, desde o início das gravações demonstrava que sua atuação era somente um hobby. Marcada por altos e baixos, a participação de Adriana, intérprete da estudante Natalia Sandoval, se destacou não somente pelos conflitos com Juan Soler, mas também por sua falta de respeito com os horários. Adriana defendeu sua versão afirmando que a produção e seu ator coestrelar a tratavam mal e não lhe permitiam tirar os descansos necessários. O ápice da polêmica foi quando declarou que Juan Soler chegava alcoolizado para trabalhar. Após os escândalos, Jaime García e Orlando Merino, os escritores da história, tiveram a missão de centrar a trama em alguns dos personagens restantes e recriar o de Natalia Sandoval, que passaria para as mãos de Irán Castillo, após receber a permissão do produtor Carlos Sotomayor, com quem, nesta ocasião, gravava a nova versão de O direito de nascer. Talvez por essa desagradável experiência com seu primeiro e último papel protagônico, Adriana Nieto não tenha mais encontrado espaço na Televisa, conhecida por vetar atores que não cumprem com seu papel e que se deixam uma produção pela porta dos fundos, dificilmente voltarão a entrar pela porta principal.

Ainda em 2000, Renato Bartilotti substituiu Alan Gutiérrez em Primeiro amor - A mil por hora. Seu personagem, Enrique, era o chefe dos garçons no café onde Giovana, vivida por Anahí, trabalhava para ajudar seu pai a pagar as altas mensalidades do colégio onde estudava.

Em 2001, outra produção de Rosy Ocampo passou por mudanças. Em Aventuras en el tiempo, protagonizada por Belinda e Christopher Uckermann, o ator Héctor Ortega substituiu Luis de Icaza no personagem de Kent Wolf, devido à morte do ator, vítima de uma parada cardíaca justamente no estacionamento da Televisa San Ángel, quando chegava para as gravações da telenovela.

Em A vida é um jogo, também de 2001, Ivonne Montero foi substituída por Jessica Salazar, no papel de Carola, a mulher que queria se casar por interesse com o pai de Paulina de la Mora, vivida por Ana Layevska. Desconhece-se o motivo da troca atrizes.

Silvia Derbez
Ainda em 2001, em La intrusa, protagonizada por Gabriela Spanic, duas mudanças: Silvia Derbez, no papel de Sagrario, é substituída por Barbara Gil, devido ao seu estado de saúde delicado que a obrigou a deixar a produção. Após gravar 33 capítulos, os quais foram exibidos, Silvia Derbez foi diagnosticada com câncer nos pulmões, o qual a levaria à morte um ano depois. Também por motivos de saúde, Enrique Lizalde foi substituído por Carlos Cámara, em seu personagem Rodrigo Junquera.

Em Siempre te amaré, produzida pela Televisa em 2002, decidiu-se prolongar a história. No entanto, os compromissos previamente contraídos por Fernando Carrillo, o galã da história, lhe impediram de continuar com as gravações, fazendo com que a produção “planejasse sua morte” e o substituísse por Arturo Peniche, que seguiu o roteiro elaborado e garantiu o sucesso da exibição.

Belinda
No mesmo ano, em 2002, Cúmplices de um resgate apresentou uma das mudanças mais controversas da televisão: Belinda é substituída quase no final da telenovela. Conta-se que os pais da atriz mirim pediram mais dinheiro a Televisa, já que, devido ao sucesso, a atração seria prolongada. No entanto, em uma coletiva de imprensa, Rosy Ocampo, a produtora, anunciou com profunda tristeza que a saída de Belinda era devido aos compromissos que a garota havia agendado anteriormente, sobretudo os de caráter escolar. Daniela Luján, a escolhida para substituir Belinda, continuou o papel das gêmeas Mariana e Silvana. Outra substituída na produção foi Verónica Macías, que deixou seu lugar para Yolanda Ventura, no papel de Clarinha. Conta-se que a primeira não era pontual com seus compromissos e que teve desavenças com a produção, por esses motivos a substituíram por Yolanda Ventura, que também já havia trabalhado com Rosy Ocampo em O diário de Daniela.

Eugenia Cauduro
Em 2003, Eugenia Cauduro foi substituída por Cecilia Gabriela em Alegrifes e rabujos, outra produção de Rosy Ocampo. Eugenia, que interpretava a rabuja Mercedes, mãe de Estevão e madrasta de Sofia, retirou-se da telenovela devido a uma gravidez de alto risco, para que tivesse tempo de se cuidar e estar em repouso. Cecilia Gabriela, que havia trabalhado pela primeira vez com Rosy Ocampo na produção Cumplices de um resgate, foi a escolhida para continuar com a personagem.

Em Amy, a menina da mochila azul, produzida por Juan Osorio para a Televisa, em 2004, a atriz Yolanda Ventura substituiu Sharis Cid no papel de Angélica, já que esta saiu da produção para participar da edição mexicana do Big Brother VIP 3.

Mujer de madera, também produzida pela Televisa em 2004, alterou a protagonista da história vivida por Edith González, que deixou o melodrama na metade de sua gravação para se dedicar à sua gravidez. Sua substituta foi a atriz Ana Patricia Rojo, que seguiu a história após a decisão dos produtores planejarem um incêndio na trama onde Marissa Santibáñez, a personagem vivida inicialmente por Edith, ficava desfigurada e mediante uma cirurgia tinha sua face reconstituída.

Mauricio Islas
Produzida em 2004 pela Telemundo e protagonizada por Gabriela Spanic, Prisionera também foi a protagonista de um dos escândalos mais comentados em sua época. O ator mexicano Mauricio Islas se viu envolvido em uma polêmica das grandes ao ser acusado de abuso sexual ao se envolver com a filha do cantor e ator José Luis Rodríguez “El Puma”, Génesis Rodríguez, nesta ocasião, com apenas 17 anos. Mauricio foi retirado da telenovela e seu personagem, Daniel Moncada, passou a ser vivido por Gabriel Porras.

Em La mujer en el espejo, telenovela colombiana produzida pela RTI para a Telemundo também em 2004, a vilã Bárbara Montesinos, interpretada por Gabriela Vergara, foi substituída pela própria protagonista da história, Paola Rey, em uma saída muito original do escritor. Logo depois, o papel da vilã passou para as mãos de Xilena Aycardi.

Natalia Streignard
Um insólito acontecimento ocorreu em La tormenta, telenovela de 2005, produzida pela RTI para a Caracol Televisión e Telemundo. Devido ao sucesso, a Telemundo decidiu esticar a telenovela, mas Natalia Streignard, a protagonista da trama, não pôde continuar com as gravações devido aos compromissos previamente adquiridos. Uma semana antes do término das gravações, a Telemundo optou por gravar cerca de mais 40 capítulos, porém, a atriz que já estava com uma cirurgia marcada devido a problemas no pulmão, se negou a gravar esses capítulos adicionais. Para congelar a trama da heroína, os produtores planejaram um acidente de avião; como resultado, sua personagem María Teresa Montilla ficava desfigurada e com o rosto vendado. Para sustentar esses capítulos que foram agregados, a atriz Gabriela Vergara, que havia deixado sua personagem em La mujer en el espejo, interpretou a sequestradora do bebê do casal principal. Entretanto, a mudança foi temporal, pois, como Natalia já havia gravado os capítulos finais, reapareceu no desenlace da trama. Fãs de todo o mundo saíram em defesa da atriz, protestando contra esse inevitável alargue que, literalmente causou uma tormenta de críticas.

Em 2006, mais uma vez Gigi Zanchetta deixa uma produção inconclusa ao abandonar Los Querendones, telenovela realizada por Venevisión, conhecida internacionalmente como Sueño con tu amor. Conta-se que, nesta ocasião, a atriz tinha muito carinho por sua personagem, mas levava seu filho às gravações e devido a uma discussão com o produtor foi demitida. Sua personagem, Caridad Arriechi, foi assassinada.

Mauricio Ochmann
Mauricio Ochmann, conhecido ator mexicano e protagonista de Marina, telenovela produzida pela Telemundo, também em 2006, foi substituído por Manolo Cardona no papel de Ricardo Alarcón. Em um brevíssimo comunicado de imprensa, a Telemundo disse que o ator tomou a decisão de se retirar do projeto por motivos de saúde. No entanto, jornais reportavam que a verdadeira razão de sua renúncia era devida à sua adição a drogas. Mauricio foi internado em uma clínica de reabilitação no México e, mais tarde, em 2010, voltou a contracenar com Sandra Echeverría, em El clon, a versão americana da telenovela brasileira, O clone, de Gloria Perez.

Em Muchachitas como tú, de 2007, a cantora Dulce se retirou do projeto devido aos seus compromissos como cantora. Em seu lugar entrou a atriz Socorro Bonilla, no papel de Esther. Após sua substituição, Dulce declarou que a decisão do produtor parecia muito adequada, pois Socorro Bonilla aceitaria qualquer tipo de caracterização. Em sua defesa, Socorro respondeu que Dulce é uma cantora que zela por uma imagem e que não continuou no projeto por ter que se caracterizar como uma mulher de classe média baixa. Já ela sim era uma mulher de caracterização, não era de aparências e que não se importaria em viver uma mulher pobre na telenovela.

Derrick James
Também em 2007, duas mudanças ocorrem no decorrer de Al diablo con los guapos. Derrick James é substituído por Daniel Ducoing, no papel de Ramsés e Mónika Sánchez dá lugar pra Maribel Guardia no papel de Rosario. No primeiro caso, segundo os esclarecimentos da produtora Angelli Nesma, a substituição de Derrick ocorreu simplesmente porque ele abandonou a produção e nunca mais voltou. Certo dia em que Derrick tinha gravações chegou ao produtor associado e disse que devido a um compromisso fora do México não poderia participar naquele dia e se não poderiam adiar a gravação. O produtor lhe disse que não poderia adiar, pois já havia contratado os músicos e garçons para a cena da festa que seria gravada. Então, Derrick disse que estava tudo bem e agradeceu. Todos pensaram que iria para o estúdio, mas não, deixou todos plantados. Já a substituição de Mónika Sánchez na segunda fase da telenovela se deveu à sua aparência jovem para interpretar a mãe de Milagros, vivida por Allisson Lozz, aos seus 15 anos de idade.

Em Bellezas indomables, uma produção da Azteca, também de 2007, a atriz Marcela Ruiz Ezparza foi pega de surpresa ao ser retirada da produção sem aviso prévio por parte da empresa. Sua personagem, Maria Ángeles, se submetia a uma cirurgia plástica para não ser reconhecida por alguns personagens que a perseguiam e, após a suposta operação, María Ángeles era encarnada por Cinthia Vázquez, que, além de ter um timbre de voz diferente era muito mais alta e magra que a atriz original. Em declarações à imprensa, Marcela se mostrou chateada por sua saída repentina e sentiu que faltou cortesia por parte da produção em avisá-la o momento certo de sua retirada. No entanto, destacou que ela simplesmente acatou as medidas em benefício da empresa, para oferecer um produto de qualidade para o público.

Miguel Córcega
Durante as gravações de Cuidado com o anjo, em 2008, o ator e diretor Miguel Córcega, na ocasião com 78 anos, veio a falecer por consequência de uma embolia cerebral. O Padre Anselmo, seu personagem na telenovela, passou para as mãos de Héctor Gómez, outro grande ator, que também viria a falecer poucos meses depois do término das gravações.

Mi pecado, de 2009, protagonizada por Maite Perroni e Eugenio Siller, também sofreu mudanças. Vannya Valencia, a atriz que inicialmente interpretava a personagem de Lorena Mendizábal Molina, a ex-namorada de Julián, personagem de Eugenio, é substituída por Altair Jarabo como a vilã da história.

Wendy González
Em Cuando me enamoro, o remake de A mentira, produzido por Carlos Moreno Laguillo em 2010, a atriz Wendy González, após sofrer uma severa lesão no joelho, teve que abandonar o melodrama, deixando a personagem Adriana Beltrán nas mãos de Florencia de Saracho, que teve a missão de dar vida a uma personagem bastante divertida, e, às vezes, imprudente, melhor amiga de Renata, a protagonista da história, vivida por Silvia Navarro.


Em 2011, após a saída repentina do ator cubano Pedro Moreno do melodrama Porque el amor manda, uma produção de Juan Osorio, incorporou-se Alejandro Ávila como o novo Fernando Rivadeneira, um dos vilões encarregados de perturbar a vida de Fernando Colunga, o protagonista da trama. Ainda que as cenas não tenham ido ao ar, Pedro Moreno, já havia gravado algumas sequências, mas não se encaixou no personagem. Para substitui-lo, Juan Osorio chamou Alejandro, que, a princípio, havia se apresentado no casting para interpretar Elías, o padrasto da filha de Colunga na telenovela.
Blog Widget by LinkWithin

5 comentários:

Eduardo de Assumpção disse...

gostei muito da pauta, esse blog está de parabéns!

Telenoveleiros! disse...

Muito obrigado Eduardo, volte sempre!

Anônimo disse...

Adorei! Só uma coisa... A Alisson não tinha 21 anos, mas sim apenas 15 quando gravou Al Diablo con los Guapos. A personagem sim era mais velha, e tinha uns 18 anos.

Telenoveleiros! disse...

Obrigado pela correção, a informação já está atualizada.

Marina Jackson disse...

Não me conformo até hoje com o sumiço do Derrick James. =/
Não se encontra sequer uma notícia sobre ele na internet.
Gostava tanto dele...
E parabéns pelo blog, Amei!!!!