sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Nicandro Díaz define protagonistas de Sangre de guerreras


Os preparativos para o remake mexicano da telenovela argentina Dulce amor estão a todo vapor. Aos poucos, Nicandro Díaz, o produtor da nova atração, está divulgando o elenco que fará parte deste melodrama que tem a missão de garantir os bons índices que vem obtendo Lo que la vida me robó. Ao longo de sua carreira, Nicandro tem produzido diversos sucessos, entre os quais se destacaram Soy tu dueña, Amanhã é para sempre, Destilando amor e, mais recentemente, Amores verdaderos.

Nesta última quinta-feira, em entrevista ao programa Fórmula Espectacular, Nicandro confirmou a participação de Claudia Álvarez para completar a trama das três irmãs protagonistas de Sangre de guerreras, entre as quais Marjorie de Sousa e Danna Paola já haviam sido definidas anteriormente.

A história está baseada na vida de uma família proprietária de uma fábrica de doces e tem muita semelhança com a trama de Amores verdadeiros, já que ambas contam com dois protagonistas masculinos que entram para trabalhar na casa de uma rica família e se apaixonam por suas respectivas patroas; mas, nesta ocasião, não será um guarda-costas, mas sim, um motorista que conquistará o amor da protagonista.

A nova versão de Dulce amor terá locação em lugares do Distrito Federal, como a colônia Santa María la Ribera; no centro da cidade; bem como em algumas regiões populares, e sua estreia está programada para o horário das 21h15, pelo Canal de las estrellas, em substituição a Lo que la vida me robó.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Silvia Navarro e Iván Sánchez são cotados para protagonizar Mi corazón es tuyo


Os rumores sobre a volta de Silvia Navarro às telinhas mexicanas estão fortes, isso porque segundo a revista TV Notas a atriz, conhecida no Brasil por sua atuação em Amanhã é para sempre, estaria realizando casting para a nova telenovela do produtor Juan Osorio, a qual, também se rumoreja, teria o espanhol Iván Sánchez como protagonista masculino.

Vale destacar que esta não seria a primeira vez que Navarro e Sánchez trabalhariam juntos, ambos participaram da obra teatral Locos de amor, que esteve em cartaz no ano passado, junto aos atores Alejandro Ibarra e Franky Martín.

Iván, que recentemente participou no melodrama La tempestad, e há alguns anos em La reina del sur, junto a Kate del Castillo, dando vida a Santiago, conhece muito bem o projeto, já que se trata de uma adaptação inspirada na série espanhola Ana y los siete.

Há alguns dias, Paulina Goto foi anunciada como a protagonista juvenil da telenovela, assim como a participação de Polo Morín como parte do elenco.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Telemundo Africa anuncia a estreia de A Dama e o Operário


A partir do próximo dia 03 de março, a Telemundo traz em sua programação mais uma novidade para os telenoveleiros do continente africano. Dama y Obrero, telenovela produzida em 2013 pelos estúdios da emissora estadunidense em Miami e baseada na telenovela chilena homônima, de 2012, é a nova aposta do canal, trazendo Ana Layevska e José Luis Reséndez (Estrella e Greco, de A madrasta), Fabián Ríos e Felicia Mercado nos papéis centrais da trama.

O mote do folhetim gira em torno de Ignacia (Ana Layevska), uma jovem engenheira que trabalha em uma grande empresa construtora, da qual Tomás Villamayor (Fabián Ríos), seu noivo, é o proprietário. O casal, junto há muito tempo, finalmente decide se casar, mesmo Ignacia desconhecendo o tipo de homem que Tomás é realmente. Faltando poucos dias para o casamento, uma briga entre os dois faz com que Ignacia decida sair da cidade e dar um tempo na relação. Nesse intervalo, conhece Pedro Pérez (José Luis Reséndez), um homem aparentemente rico, que faz com que ela se esqueça de todos seus problemas.

A atração é imediata e mútua e sem que eles mesmos possam evitar, passam um fim de semana inesquecível, e ao terminar a tarde de domingo, os dois se encontram perdidamente apaixonados. Porém, Ignacia sabe que o que está vivendo é um sonho, um parêntese em sua vida, por isso, na manhã seguinte, ao acordar, Pedro encontra um bilhete ao seu lado. Nele, Ignacia lhe agradece por tudo e vai embora sem deixar rastros. Arrependida pelo que fez, Ignacia retorna à sua casa, onde Tomás a espera com um novo cargo na empresa, pretendendo, assim, que ela o perdoe. Ela aceita a proposta e grande é sua surpresa quando chega à construção, agora como administradora de obra, e se depara frente a frente com Pedro, um simples peão de obra, sem dinheiro, nem grandes pretensões. Ignacia e Pedro descobrirão que apesar de terem todos os motivos do mundo para não estarem juntos, se amarão acima dos preconceitos, das diferenças e das rejeições.

Dublada pelos estúdios The Kitchen, em Miami, em português para Moçambique e Angola, onde se chamará A Dama e o Operário, e em inglês para os demais países da África, onde será conhecida como Labour of Love, a produção internacional traz em seu elenco nomes de destaque da teledramaturgia latina, entre os quais figuram Diana Quijano, Sofía Stamatiades, Leonardo Daniel, Mónica Sánchez Navarro, Shalim Ortiz, Christina Dieckmann, entre outros.

Telemundo Africa anuncia a estreia de A Rainha do Sul


A Telemundo Africa prepara mais uma estreia para as próximas semanas; desta vez, será a “narco-novela” La Reina del Sur, uma produção baseada no bestseller homônimo, escrito pelo espanhol Arturo Pérez-Reverte e publicado em 2002. Produzida por Hugo León Ferrer, em 2011, a telenovela tornou-se a produção mais cara já realizada pela Telemundo, com um orçamento de dez milhões de dólares. Dublada em português, A Rainha do Sul será transmitida a partir do dia 03 de março para os telenoveleiros de Moçambique e Angola, e em inglês para os demais países do continente, onde se chamará The Queen of the South.

Protagonizada por Kate del Castillo, La Reina del Sur conta, também, com as atuações de Rafael Amaya, Humberto Zurita, Gabriel Porras, Iván Sánchez, Cristina Urgel, Miguel de Miguel, entre outros, e relata a história de Teresa Mendoza, uma jovem humilde nascida na cidade de Culiacán, estado de Sinaloa, no México, a qual tem a vida mudada drasticamente ao se apaixonar pelo homem errado, um jovem atraente, piloto méxico-estadunidense de San Antonio, estado do Texas, Estados Unidos, que se envolve no tráfico de drogas a mando do poderoso chefe mafioso Epifanio Vargas. Teresa jamais quis se tornar rainha de alguma coisa, mas o destino jogou sujo com ela. O amor por Güero a condenou e a escolheu para ser a “dona da coca” e conquistar um mundo de homens, tornando-a uma poderosa e temida narcotraficante. Ela virou lenda e hoje a conhecem como A Rainha do Sul…

Acostumada a caminhar pelas ruas inundadas de cambistas, traficantes e policiais corruptos, Teresa cai na armadilha de um mundo do qual sempre fugiu. Ela somente perdeu uma aposta para o coração e, ao ritmo da música nortenha, vive sua história de amor com Güero Dávila, um homem que, com seu segredos irreveláveis, entre drinques de tequila, contrabandistas e malotes de cocaína, conseguiu enamorá-la. Suas promessas lhe devolveram a fé nos homens, após ser vítima do roubo de sua inocência.

Certa manhã, o telefone toca, é uma ligação para Teresa, na qual dizem que Güero, seu namorado e piloto dos traficantes, está morto por haver burlado as normas do tráfico e ter dado a com a língua nos dentes. Ela, devido à sua relação com ele, está condenada. Sua sorte está lançada. São as normas dos traficantes e nesse instante começa sua fuga. A Espanha é seu destino, via Melilla, conseguirá chegar ao mais alto e perigoso mundo do narcotráfico.

Assim, chegará a torna-se A Rainha do Sul, a principal fornecedora de coca da Costa do Sol. Em sua trajetória, conhecerá um novo amor, Santiago Fisterra, um contrabandista de drogas que lhe fará reviver a complicada relação que havia tido com Güero. Finalmente as notícias de seu êxito cruzam o Atlântico e chegam até a pessoa que um dia a deixou escapar com vida, mas que, agora, não quer cometer o mesmo erro. Após um acidente, Fisterra morre, mas Teresa sobrevive e é enviada à prisão.

Aí conhece Patricia O’Farell, uma mulher bissexual, traficante de drogas, que se apaixona por ela. Após saírem da cadeia, ambas iniciam um negócio de tráfico pelo estreito de Gibraltar, com negociantes russos. Graças à sua grande habilidade com números e sua inovação, consegue forjar uma “empresa” que se torna a mais bem-sucedida no ramo do tráfico de drogas no sul da Espanha.

Teresa inicia um novo romance com seu contador, Teo Aljarafe, mesmo sem chegar a se apaixonar. Ao descobrir que ele facilitava a informação de seus negócios ao governo, decide matá-lo.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

As trocas de atores nas telenovelas latinas – Parte 3

O novo milênio também trouxe algumas mudanças na teledramaturgia latina, digamos que uma troca de mocinhas e galãs do momento deu início às substituições. No ano 2000, a produtora Rosy Ocampo substituiu Adriana Fonseca, que chegava tarde às gravações, por Lourdes Reyes, em Amigos para sempre, onde dava vida à Melissa Escobar.

Libertad Lamarque
Um triste fato que marcou a produção da telenovela infantil Carinha de anjo, produzida também no ano 2000, foi a partida da grande atriz argentina e cantora de tango Libertad Lamarque, que interpretava a madre superiora. Enquanto gravava a telenovela, começou a sentir fortes dores em suas costas, sendo internada e atendida por seu médico particular. Apesar de tudo, Lamarque não se dirigiu ao hospital até que terminasse de gravar os episódios correspondentes desse dia, sendo considerada muito profissional de sua parte. Diagnosticada com uma bronquite que originou uma pneumonia, seu estado de saúde se agravou, vindo a falecer aos 92 anos, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Sua personagem foi substituída pela atriz Silvia Pinal.

Adriana Nieto
Locura de amor, também de 2000, esteve envolta em polêmicas com a atuação de Adriana Nieto, que, segundo o produtor Roberto Gómez Fernández, desde o início das gravações demonstrava que sua atuação era somente um hobby. Marcada por altos e baixos, a participação de Adriana, intérprete da estudante Natalia Sandoval, se destacou não somente pelos conflitos com Juan Soler, mas também por sua falta de respeito com os horários. Adriana defendeu sua versão afirmando que a produção e seu ator coestrelar a tratavam mal e não lhe permitiam tirar os descansos necessários. O ápice da polêmica foi quando declarou que Juan Soler chegava alcoolizado para trabalhar. Após os escândalos, Jaime García e Orlando Merino, os escritores da história, tiveram a missão de centrar a trama em alguns dos personagens restantes e recriar o de Natalia Sandoval, que passaria para as mãos de Irán Castillo, após receber a permissão do produtor Carlos Sotomayor, com quem, nesta ocasião, gravava a nova versão de O direito de nascer. Talvez por essa desagradável experiência com seu primeiro e último papel protagônico, Adriana Nieto não tenha mais encontrado espaço na Televisa, conhecida por vetar atores que não cumprem com seu papel e que se deixam uma produção pela porta dos fundos, dificilmente voltarão a entrar pela porta principal.

Ainda em 2000, Renato Bartilotti substituiu Alan Gutiérrez em Primeiro amor - A mil por hora. Seu personagem, Enrique, era o chefe dos garçons no café onde Giovana, vivida por Anahí, trabalhava para ajudar seu pai a pagar as altas mensalidades do colégio onde estudava.

Em 2001, outra produção de Rosy Ocampo passou por mudanças. Em Aventuras en el tiempo, protagonizada por Belinda e Christopher Uckermann, o ator Héctor Ortega substituiu Luis de Icaza no personagem de Kent Wolf, devido à morte do ator, vítima de uma parada cardíaca justamente no estacionamento da Televisa San Ángel, quando chegava para as gravações da telenovela.

Em A vida é um jogo, também de 2001, Ivonne Montero foi substituída por Jessica Salazar, no papel de Carola, a mulher que queria se casar por interesse com o pai de Paulina de la Mora, vivida por Ana Layevska. Desconhece-se o motivo da troca atrizes.

Silvia Derbez
Ainda em 2001, em La intrusa, protagonizada por Gabriela Spanic, duas mudanças: Silvia Derbez, no papel de Sagrario, é substituída por Barbara Gil, devido ao seu estado de saúde delicado que a obrigou a deixar a produção. Após gravar 33 capítulos, os quais foram exibidos, Silvia Derbez foi diagnosticada com câncer nos pulmões, o qual a levaria à morte um ano depois. Também por motivos de saúde, Enrique Lizalde foi substituído por Carlos Cámara, em seu personagem Rodrigo Junquera.

Em Siempre te amaré, produzida pela Televisa em 2002, decidiu-se prolongar a história. No entanto, os compromissos previamente contraídos por Fernando Carrillo, o galã da história, lhe impediram de continuar com as gravações, fazendo com que a produção “planejasse sua morte” e o substituísse por Arturo Peniche, que seguiu o roteiro elaborado e garantiu o sucesso da exibição.

Belinda
No mesmo ano, em 2002, Cúmplices de um resgate apresentou uma das mudanças mais controversas da televisão: Belinda é substituída quase no final da telenovela. Conta-se que os pais da atriz mirim pediram mais dinheiro a Televisa, já que, devido ao sucesso, a atração seria prolongada. No entanto, em uma coletiva de imprensa, Rosy Ocampo, a produtora, anunciou com profunda tristeza que a saída de Belinda era devido aos compromissos que a garota havia agendado anteriormente, sobretudo os de caráter escolar. Daniela Luján, a escolhida para substituir Belinda, continuou o papel das gêmeas Mariana e Silvana. Outra substituída na produção foi Verónica Macías, que deixou seu lugar para Yolanda Ventura, no papel de Clarinha. Conta-se que a primeira não era pontual com seus compromissos e que teve desavenças com a produção, por esses motivos a substituíram por Yolanda Ventura, que também já havia trabalhado com Rosy Ocampo em O diário de Daniela.

Eugenia Cauduro
Em 2003, Eugenia Cauduro foi substituída por Cecilia Gabriela em Alegrifes e rabujos, outra produção de Rosy Ocampo. Eugenia, que interpretava a rabuja Mercedes, mãe de Estevão e madrasta de Sofia, retirou-se da telenovela devido a uma gravidez de alto risco, para que tivesse tempo de se cuidar e estar em repouso. Cecilia Gabriela, que havia trabalhado pela primeira vez com Rosy Ocampo na produção Cumplices de um resgate, foi a escolhida para continuar com a personagem.

Em Amy, a menina da mochila azul, produzida por Juan Osorio para a Televisa, em 2004, a atriz Yolanda Ventura substituiu Sharis Cid no papel de Angélica, já que esta saiu da produção para participar da edição mexicana do Big Brother VIP 3.

Mujer de madera, também produzida pela Televisa em 2004, alterou a protagonista da história vivida por Edith González, que deixou o melodrama na metade de sua gravação para se dedicar à sua gravidez. Sua substituta foi a atriz Ana Patricia Rojo, que seguiu a história após a decisão dos produtores planejarem um incêndio na trama onde Marissa Santibáñez, a personagem vivida inicialmente por Edith, ficava desfigurada e mediante uma cirurgia tinha sua face reconstituída.

Mauricio Islas
Produzida em 2004 pela Telemundo e protagonizada por Gabriela Spanic, Prisionera também foi a protagonista de um dos escândalos mais comentados em sua época. O ator mexicano Mauricio Islas se viu envolvido em uma polêmica das grandes ao ser acusado de abuso sexual ao se envolver com a filha do cantor e ator José Luis Rodríguez “El Puma”, Génesis Rodríguez, nesta ocasião, com apenas 17 anos. Mauricio foi retirado da telenovela e seu personagem, Daniel Moncada, passou a ser vivido por Gabriel Porras.

Em La mujer en el espejo, telenovela colombiana produzida pela RTI para a Telemundo também em 2004, a vilã Bárbara Montesinos, interpretada por Gabriela Vergara, foi substituída pela própria protagonista da história, Paola Rey, em uma saída muito original do escritor. Logo depois, o papel da vilã passou para as mãos de Xilena Aycardi.

Natalia Streignard
Um insólito acontecimento ocorreu em La tormenta, telenovela de 2005, produzida pela RTI para a Caracol Televisión e Telemundo. Devido ao sucesso, a Telemundo decidiu esticar a telenovela, mas Natalia Streignard, a protagonista da trama, não pôde continuar com as gravações devido aos compromissos previamente adquiridos. Uma semana antes do término das gravações, a Telemundo optou por gravar cerca de mais 40 capítulos, porém, a atriz que já estava com uma cirurgia marcada devido a problemas no pulmão, se negou a gravar esses capítulos adicionais. Para congelar a trama da heroína, os produtores planejaram um acidente de avião; como resultado, sua personagem María Teresa Montilla ficava desfigurada e com o rosto vendado. Para sustentar esses capítulos que foram agregados, a atriz Gabriela Vergara, que havia deixado sua personagem em La mujer en el espejo, interpretou a sequestradora do bebê do casal principal. Entretanto, a mudança foi temporal, pois, como Natalia já havia gravado os capítulos finais, reapareceu no desenlace da trama. Fãs de todo o mundo saíram em defesa da atriz, protestando contra esse inevitável alargue que, literalmente causou uma tormenta de críticas.

Em 2006, mais uma vez Gigi Zanchetta deixa uma produção inconclusa ao abandonar Los Querendones, telenovela realizada por Venevisión, conhecida internacionalmente como Sueño con tu amor. Conta-se que, nesta ocasião, a atriz tinha muito carinho por sua personagem, mas levava seu filho às gravações e devido a uma discussão com o produtor foi demitida. Sua personagem, Caridad Arriechi, foi assassinada.

Mauricio Ochmann
Mauricio Ochmann, conhecido ator mexicano e protagonista de Marina, telenovela produzida pela Telemundo, também em 2006, foi substituído por Manolo Cardona no papel de Ricardo Alarcón. Em um brevíssimo comunicado de imprensa, a Telemundo disse que o ator tomou a decisão de se retirar do projeto por motivos de saúde. No entanto, jornais reportavam que a verdadeira razão de sua renúncia era devida à sua adição a drogas. Mauricio foi internado em uma clínica de reabilitação no México e, mais tarde, em 2010, voltou a contracenar com Sandra Echeverría, em El clon, a versão americana da telenovela brasileira, O clone, de Gloria Perez.

Em Muchachitas como tú, de 2007, a cantora Dulce se retirou do projeto devido aos seus compromissos como cantora. Em seu lugar entrou a atriz Socorro Bonilla, no papel de Esther. Após sua substituição, Dulce declarou que a decisão do produtor parecia muito adequada, pois Socorro Bonilla aceitaria qualquer tipo de caracterização. Em sua defesa, Socorro respondeu que Dulce é uma cantora que zela por uma imagem e que não continuou no projeto por ter que se caracterizar como uma mulher de classe média baixa. Já ela sim era uma mulher de caracterização, não era de aparências e que não se importaria em viver uma mulher pobre na telenovela.

Derrick James
Também em 2007, duas mudanças ocorrem no decorrer de Al diablo con los guapos. Derrick James é substituído por Daniel Ducoing, no papel de Ramsés e Mónika Sánchez dá lugar pra Maribel Guardia no papel de Rosario. No primeiro caso, segundo os esclarecimentos da produtora Angelli Nesma, a substituição de Derrick ocorreu simplesmente porque ele abandonou a produção e nunca mais voltou. Certo dia em que Derrick tinha gravações chegou ao produtor associado e disse que devido a um compromisso fora do México não poderia participar naquele dia e se não poderiam adiar a gravação. O produtor lhe disse que não poderia adiar, pois já havia contratado os músicos e garçons para a cena da festa que seria gravada. Então, Derrick disse que estava tudo bem e agradeceu. Todos pensaram que iria para o estúdio, mas não, deixou todos plantados. Já a substituição de Mónika Sánchez na segunda fase da telenovela se deveu à sua aparência jovem para interpretar a mãe de Milagros, vivida por Allisson Lozz, aos seus 15 anos de idade.

Em Bellezas indomables, uma produção da Azteca, também de 2007, a atriz Marcela Ruiz Ezparza foi pega de surpresa ao ser retirada da produção sem aviso prévio por parte da empresa. Sua personagem, Maria Ángeles, se submetia a uma cirurgia plástica para não ser reconhecida por alguns personagens que a perseguiam e, após a suposta operação, María Ángeles era encarnada por Cinthia Vázquez, que, além de ter um timbre de voz diferente era muito mais alta e magra que a atriz original. Em declarações à imprensa, Marcela se mostrou chateada por sua saída repentina e sentiu que faltou cortesia por parte da produção em avisá-la o momento certo de sua retirada. No entanto, destacou que ela simplesmente acatou as medidas em benefício da empresa, para oferecer um produto de qualidade para o público.

Miguel Córcega
Durante as gravações de Cuidado com o anjo, em 2008, o ator e diretor Miguel Córcega, na ocasião com 78 anos, veio a falecer por consequência de uma embolia cerebral. O Padre Anselmo, seu personagem na telenovela, passou para as mãos de Héctor Gómez, outro grande ator, que também viria a falecer poucos meses depois do término das gravações.

Mi pecado, de 2009, protagonizada por Maite Perroni e Eugenio Siller, também sofreu mudanças. Vannya Valencia, a atriz que inicialmente interpretava a personagem de Lorena Mendizábal Molina, a ex-namorada de Julián, personagem de Eugenio, é substituída por Altair Jarabo como a vilã da história.

Wendy González
Em Cuando me enamoro, o remake de A mentira, produzido por Carlos Moreno Laguillo em 2010, a atriz Wendy González, após sofrer uma severa lesão no joelho, teve que abandonar o melodrama, deixando a personagem Adriana Beltrán nas mãos de Florencia de Saracho, que teve a missão de dar vida a uma personagem bastante divertida, e, às vezes, imprudente, melhor amiga de Renata, a protagonista da história, vivida por Silvia Navarro.


Em 2011, após a saída repentina do ator cubano Pedro Moreno do melodrama Porque el amor manda, uma produção de Juan Osorio, incorporou-se Alejandro Ávila como o novo Fernando Rivadeneira, um dos vilões encarregados de perturbar a vida de Fernando Colunga, o protagonista da trama. Ainda que as cenas não tenham ido ao ar, Pedro Moreno, já havia gravado algumas sequências, mas não se encaixou no personagem. Para substitui-lo, Juan Osorio chamou Alejandro, que, a princípio, havia se apresentado no casting para interpretar Elías, o padrasto da filha de Colunga na telenovela.

As trocas de atores nas telenovelas latinas - Parte 2

Gigi Zanchetta
Em 1990, a RCTV viveu a substituição da protagonista da telenovela El engaño. Gigi Zanchetta que, estando em seu auge de sucesso e juventude, era indisciplinada, viajava constantemente e chegava tarde às gravações. Certo dia, Gigi teve uma calorosa discussão com os veteranos Guillermo Ferran e Zulay Garcia, e, acreditando que por seu status de protagonista os produtores aguentariam suas manhas, se equivocou. Após um incêndio na história, os escritores a substituíram por Milena Santander, justificando a mudança com uma cirurgia plástica na personagem.

A RCTV voltaria a produzir, em 1991, uma telenovela que, assim como Estefanía, era ambientada no marco da ditadura; não era remake, mas possuía uma base argumental semelhante à história anterior. Intitulada Caribe, também coincidiu na mudança de protagonista; o casal inicial formado por Carolina Perpetuo e Jaime Araque não tardou em apresentar uma troca drástica. Jaime, que vinha tendo fortes problemas com os produtores e a empresa RCTV, foi retirado do projeto e substituído por Miguel de León, que na história historia interpretava o vilão, passando de mau e bom personagem.

Laura Flores
Também no ano de 1991, em La pícara soñadora, protagonizada pelos já falecidos atores Mariana Levy e Eduardo Palomo, Laura Flores interpretava a irmã de Eduardo, Mónica Rochild. No entanto, conta-se que na metade da telenovela Laura revelou a Valentín Pimstein sua vontade de se lançar como cantora e, devido a isso, teria que abandonar sua personagem. Laura, então, foi substituída por Lola Merino e, apesar de sua bela voz, não obteve sucesso como cantora e seguiu atuando.

Ainda em 1991, em Garotas bonitas, originalmente chamada Muchachitas, protagonizada por Kate del Castillo, Tiaré Scanda, Cecilia Tijerina e Emma Laura, a atriz July Furlong é substituída por Tina Romero no papel de Verônica, por motivos desconhecidos.

Em 1992, a atriz Angélica Ruvalcaba participa na telenovela Baila conmigo, estrelada por Eduardo Capetillo e Bibi Gaytán. Sua personagem, Mary Jean, uma jovem oriunda dos Estados Unidos que retorna ao México após vários anos, passa para as mãos de María Rebeca Alonso, já que Angélica, impossibilitada de terminar a telenovela por problemas de saúde é afastada. A partir daí, abandonou definitivamente o mundo da atuação. Conta-se que María teve que se disfarçar de gorda para poder substitui-la.

Em 1993, durante a gravação da telenovela Ángel o demonio, uma produção da Ecuavisa, novamente Gigi Zanchetta é despedida da trama e, em um marco sem precedentes, Ángel o demonio torna-se a primeira telenovela latino-americana cuja trama continua após o assassinato da protagonista, María Soledad. A produção decide, então, converter em protagonista a vilã da história, María Fernanda, vivida pela atriz Maria Sol Corral, que, na história, era a irmã gêmea malvada, separada ao nascer.

Também em 1993, Roberto Palazuelos é substituído por Sergio Sendel en Dos mujeres, un camino, telenovela de Emilio Larrosa, protagonizada por Bibi Gaytán e Laura León. A demissão ocorreu porque Roberto chegava tarde às gravações, atrasando o ritmo de produção do melodrama.

No ano de 1994, a morte do renomado ator mexicano Rafael Baledón deixou inconclusa sua participação na produção de Pedro Damián protagonizada por Maribel Guardia e Saúl Lisazo, Prisioneira do amor, exibida no Brasil pela Rede CNT, em 1997. Eduardo Noriega foi o ator responsável por dar sequência ao personagem de Braulio Monasterios.

Em 1995, a Venevision produz Ka Ina, protagonizada por Jean Carlo Simancas, Viviana Gibelli e Hilda Abrahamz. Cristina Reyes, que vivia a personagem Mireya Carvajal, gravou apenas onze capítulos e teve que se ausentar por problemas de saúde. O escritor da trama, César Miguel Rondón, convidou, então, Fedra López para o papel, com o qual a atriz alcançou grande popularidade, contracenando ao lado de Aroldo Betancourt, que se passava por um padre para escapar da justiça.

Ana Colchero
Nada personal, telenovela produzida em 1996 pela Argos Comunicación para a Azteca, que, aqui no Brasil recebeu o nome de Traição, em sua exibição pela Rede Bandeirantes, foi uma telenovela problemática. Após ter protagonizado Alondra, pela concorrente Televisa, Ana Colchero tomou a decisão de assinar contrato com a Azteca, interessada na oferta de melhores condições de trabalho. A atriz apostou fortemente na personagem que lhe foi oferecida, mas, as coisas mudaram drasticamente no decorrer da produção. Em declarações à imprensa, Ana conta que processou a Azteca por descumprimento de contrato, pela modificação da história sem seu consentimento, porque não lhe promoveram como era devido e não lhe outorgaram o primeiro crédito como prometido. Ana afirmou que foi objeto de castigo na produção, onde suas participações foram diminuídas e sua personagem, que era a protagonista, somente aparecia em cenas avulsas. Em resposta, foi acusada de abandonar a gravação e seu papel foi parar nas mãos de Christianne Gouat. O resultado do processo contra a empresa de Ricardo Salinas Pliego somente saiu em 2002. Seis anos de tramitação renderam à atriz a bolada de 45 mil dólares. Após o escândalo, a atriz, que era uma das mais cotadas na década de 90, saiu da cena mexicana e se dedicou a estudar Economia e ser escritora.

Durante as gravações de A alma não tem cor, de 1997, o produtor Juan Osorio substituiu Arturo Peniche pelo modelo e ator argentino Osvaldo Sabatini, esposo da atriz venezuelana Catherine Fullop, após problemas com o ator. Nesta ocasião, várias foram as publicações da imprensa que alegaram, quase com certeza, que Peniche esteve internado em um centro de desintoxicação por ter atravessado um forte problema de drogas e álcool que ameaçava destruir sua carreira. Entretanto, segundo a versão do ator, nada disso é verdade e garantiu que nunca teve problemas com vícios; que abandonou a produção por não estar de acordo com algumas coisas e depois aproveitaram para difamá-lo.

Também em 1997, em Esmeralda, Juan Carlos Serrán foi substituído por Rafael Amador no personagem de Dionísio Lucero, o capataz da fazenda Casa Grande, pai de Adrian e Florzinha, vividos por Alejandro Ruiz e Esther Rinaldi, respectivamente.

Em Mi pequeña traviesa, telenovela de Pedro Damián, protagonizada por Michelle Vieth e Héctor Soberón também em 1997, Aitor Iturrioz interpreta o papel de Hugo, no entanto, por motivos não revelados, é substituído por Arath de la Torre.

Marcelo Buquet
Rosy Ocampo, em sua época de produtora de telenovelas infantis, tornou-se famosa por substituir os protagonistas de suas tramas, Marcelo Buquet foi o primeiro quando protagonizou O diário de Daniela, em 1998. Com o término de seu contrato de exclusividade com a Televisa, o ator exigiu um aumento de salário muito alto na renovação, mas, diante da negativa da produtora, renunciou à produção e foi substituído por Gerardo Murguía em sua estreia como protagonista.

Também em 1998, a personagem Olívia, vivida por Claudia Vega em A usurpadora, é substituída por Amara Villafuerte. Por motivos desconhecidos, a amante de Willy, papel de Juan Pablo Gamboa, deixou a telenovela.

Em 1999, durante as gravações de DKDA Sueños de juventud, a cantora e atriz Litzy foi substituída por Andrea Torre, por problemas de saúde, no papel de Laura Martínez. Nesta ocasião, Litzy contraiu uma forte gripe que a distanciou das gravações por vários dias para evitar o contágio, entretanto, após deixar o hospital e voltar às suas atividades, voltou a sentir-se mal e foi recomendada a ficar em repouso por mais alguns dias. Como os produtores não podiam mais adiar as gravações, Andrea Torre assumiu sua personagem na telenovela.

Em Rosalinda, produção de Salvador Mejía Alejandre protagonizada pela atriz e cantora Thalía, também de 1999, Milagros Rueda é substituída por Ivonne Montero na personagem de Celina Barreto, por motivos desconhecidos.

Ainda em 1999, a personagem Juanita, de Alma rebelde, vivida inicialmente por Adriana Lavat, é trocada por Claudia Ortega. Segundo o produtor, Nicandro Díaz, Adriana era muito rebelde e deixou de ir às gravações. Outra substituição foi a de Raúl Padilla “Chóforo”. Seu personagem, Narciso, passou para as mãos de Sergio Ramos “El Comanche”, por motivos não esclarecidos.

As trocas de atores nas telenovelas latinas – Parte 1

O mundo das telenovelas é incerto e ninguém sabe o rumo que uma história pode tomar com os imprevistos que podem surpreender uma produção em andamento. Muitas vezes por conflitos com a produção, problemas pessoais ou de saúde, alguns protagonistas ou atores de elenco são substituídos por outros. Em alguns casos, essas saídas podem ser justificadas com a morte do personagem, mas, em outras, são simplesmente substituídas, deixando o público um tanto confuso. Para bem ou para mal, os escritores enfrentam um desafio ao recompor as histórias; às vezes, são bastante engenhosos, outras, nem tanto.

Desde o início da produção de telenovelas, há pouco mais de sessenta anos, são pouquíssimas as produções que começam a ser exibidas totalmente gravadas. As telenovelas entram no ar com uma média de quarenta capítulos gravados, raras vezes com quinze, dez e até mesmo cinco capítulos prontos. Como se trabalha com pessoas, o que não faltam são imprevistos detrás das câmaras.

Jorge Mistral
Começando pelos anos 70, temos a produção Hermanos Coraje, telenovela realizada pela Panamericana Televisión, do Peru, e Televisión Independiente de México, baseada na obra da autora brasileira Janete Clair. Nesta ocasião, o suicídio do ator Jorge Mistral, o intérprete do vilão da história, que na vida real estava passando por um período depressivo, devido a um câncer detectado no duodeno, colocou em apuros os produtores que tiveram que buscar um substituto para o papel, outro ator durão, com aspectos físicos parecidos ao de Mistral, para que desse vida ao cruel Pedro Barros. O escolhido, então, foi Armando Calvo, que seguiu o caminho traçado por Mistral e simplesmente gravou a telenovela até o seu final.

Em 1972, a RCTV produz La doña, a primeira versão da história que renderia diversas outras adaptações, inclusive uma brasileira e a mais recente versão mexicana Soy tu dueña. Nesta ocasião, Lila Morillo, em seu primeiro papel protagônico, interpretava Doménica, uma doce mulher que após ser abandonada no dia de seu casamento passava por uma grande transformação de personalidade. Entretanto, faltando apenas sete dias para o final da telenovela, a protagonista foi despedida por não cumprir com os horários de chegada às gravações. Com sua saída, convidaram Agustina Martín para a personagem de Doménica, e o melodrama foi cortado abruptamente em uma semana.

Nessa mesma década, no México, quando a televisão em cores chegava a muitos países, inclusive no Brasil, o sucesso brindava as produções de Valentín Pimstein e a versão original de Os ricos também choram, de 1979. No entanto, o melodrama sofreria uma perda significativa em seu elenco com uma greve entre o sindicato de atores da época e um problema pessoal de uma atriz que fizeram com que três atores do elenco fossem retirados da produção. Miguel Palmer, Columba Domínguez e Alicia Rodríguez se ausentaram da telenovela, sendo substituídos por outros atores que não desafinaram em nada e a produção seguiu com o mesmo êxito em terras astecas e em outros países como no Brasil e no Peru, onde a transmitiam quase que simultaneamente com o México, devido ao acordo que a América Televisión havia firmado com os executivos da Televisa.

Também em 1979, na telenovela Estefanía, produção venezuelana da RCTV, protagonizada por Pierina España e José Luis Rodríguez “El Puma”, o então solicitado ator e cantor recebe uma oferta internacional que o obriga a deixar a produção; matam seu personagem e um papel secundário interpretado por Carlos Olivier sobe ao nível de protagonista e fica com a heroína ao final da história.

Nos anos oitenta, também ocorreram mudanças nas telenovelas, uma delas foi em 1983, em A fera, quando Lupita Lara teve que retirar-se durante a rodagem da trama e foi substituída por Nuria Bages, no papel de Helena. Outro substituído foi Alfredo Alegría, que deixou seu personagem, Lupito, para Alfonso Iturralde.

Edith González
Em Rosa selvagem, de 1985, realizada pela Televisa, Leonela, interpretada por Edith González sofreu uma mudança de atriz e foi substituída por Felicia Mercado. Conta-se que Edith tinha problemas com Verónica Castro, a protagonista da telenovela, além disso, que não estava contente com o rumo que sua personagem teria na história. Se bem que a mudança não tenha prejudicado em nada a produção, o talento de Edith se notou superior ao de Felicia, que recentemente havia começado no universo da atuação.

No ano de 1986, o remake de El amor tiene cara de mujer, intitulado Principessa e produzido por Valentín Pimstein, sofreu várias mudanças. Devido à quilométrica duração da telenovela, vários personagens foram interpretados por mais de um ator. Fernanda, inicialmente interpretada por Angélica Aragón, que saiu da produção para protagonizar Vivir un poco, foi vivida por Alma Muriel, que, posteriormente, também se retirou para protagonizar Los años felices. Finalmente a personagem ficou nas mãos de Hilda Aguirre. Outra mudança foi a substituição de Manuel Saval por Gerardo Paz e Roxana Saucedo por Cristina Rubiales.

Também em 1986, durante as gravações de Monte Calvario, uma produção de Valentín Pimstein protagonizada por Edith González e Arturo Peniche, Odiseo Bichir substituiu Alfonso Iturralde no papel de Roberto. O motivo foi porque o ator não chegou a um acordo de pagamento com a produção.

Doris Wells
Ainda em 1986, a venezuelana RCTV produz La dama de rosa, telenovela original de José Ignacio Cabrujas, que, originalmente, seria protagonizada por Jeannette Rodríguez, Gustavo Rodriguez e Doris Wells. Em etapa de pré-produção, Doris se nega a participar do projeto alegando que devido sua ampla trajetória merecia o primeiro crédito, acima de Jeannette, querendo que seu papel fosse protagônico e não co-protagônico. Em seguida, a atriz foi substituída por Nancy González, que gravou alguns capítulos. Não passou muito tempo quando ela e o ator Gustavo Rodríguez foram separados abruptamente da produção por problemas de drogas. Como a telenovela já estava no ar na Venezuela, Gustavo teve que ser substituído às pressas por Carlos Mata que havia sido o par romântico de Jeannette em Cristal. Para o mercado internacional, Carlos Mata teve que regravar todos os capítulos já feitos por Gustavo, que foram cerca de dez, enquanto que na Venezuela a telenovela seguia no ar. A pressão para o ator foi tanta que sua saúde foi afetada. O papel que nem Doris Wells, nem Nancy González puderam fazer caiu nas mãos de Dalila Colombo, que apareceu nos primeiros capítulos e logo desapareceu, reaparecendo com a história já avançada. Com a saída temporária da personagem, Gigi Zanchetta, que entrou como figurante assumiu o lugar de protagonista, contracenando com Fernando Carrillo, cuja relação traspassou para a vida real.

Em 1987, Amanda Gutierrez protagoniza com grande destaque a telenovela noturna da Venevision intitulada La luna, junto ao galã porto-riquenho Carlos Cesteros. Desde o princípio, a relação do galã com a Amanda era mais que péssima; conta-se que ele chegou a faltar com respeito a ela e esta pressionou aos executivos pedindo que escolhessem entre ela ou ele. De um capítulo para outro mataram o personagem de Cesteros e Amanda ficou sozinha em seu protagônico, ainda que a subtrama juvenil de Ruddy Rodríguez e Luis José Santander tenha sido reforçada e eles se tornaram o par romântico desta desafortunada telenovela.

Alma mía, telenovela venezuelana da RCTV, realizada em 1988, marcou a carreira de Astrid Carolina Herrera. Sua imagem correu por todo o continente quando se tornou a única protagonista desta história, já que Nohely Arteaga abandonou a produção por motivo de gravidez. Este detalhe fez com que a telenovela conseguisse ainda mais fama porque quando Nohely deixou a produção, vários meios da Venezuela e de países que exibiam a telenovela, disseram que entre as duas atrizes havia certa rivalidade que inclusive havia chegado aos tapas pelos camarins. No entanto, quando Nohely esclareceu os verdadeiros motivos pelos quais decidiu abandonar a telenovela a tensão baixou consideravelmente. Inclusive foi convidada por vários programas junto a Astrid Carolina Herrera. Entre elas nunca houve rivalidade e sempre eram vistas juntas, sobretudo após o nascimento do filho de Nohely.

Mariana Garza
Em Flor y canela, uma produção de Eugenio Cobo, também de 1988, para Televisa, Mariana Garza era a protagonista Marianela. Entretanto, abandona a produção por problemas de saúde e é substituída por Daniela Leites.

Em Rubí rebelde, de 1989, produzida pela RCTV, o papel da vilã principal, interpretado por Yajaira Orta teve que ser substituído de emergência. Yajaira foi diagnosticada com tuberculose e foi substituída por Dalila Colombo, que desde o capítulo 42 até o final interpretou a malvada Lucrecia Miranda. Vale destacar que paralelamente a esta telenovela, Dalila trabalhava na telenovela Abigail, sucesso em vários países - menos no Brasil, onde saiu do ar - protagonizado por Catherine Fullop e Fernando Carrillo, em um papel menor. Durante as gravações de Rubí rebelde uma nova mudança ocorre, Mariela Alcalá, a protagonista, engravida na vida real e sua gravidez é escondida o máximo possível até que sua personagem, Rubí, também ficasse grávida. Entretanto, Mariela é acometida por rubéola e se ausenta uma semana da telenovela com um princípio de aborto. Sua personagem continua nas mãos da atriz María Alejandra Martín, cujas cenas gravadas foram vistas somente na Venezuela, já que para o exterior, a atriz pôde gravar os capítulos feitos por sua substituta.

Também em 1989, durante as gravações de Carrossel, Augusto Benedico, ator espanhol intérprete do personagem Firmino, falece vítima de um infarto. Armando Calvo é escolhido para substitui-lo, a troca foi notória e o personagem original jamais foi esquecido. Outa mudança foi a mãe de Maria Joaquina, vivida por Ludwika Paleta: Clara Villaseñor, originalmente interpretada por Karen Senties, que deixa a telenovela e é substituída por Kenia Gazcón.

Ainda em 1989, quando Lucía Sanoja atuava em Maribel, uma produção da Venevision, protagonizada por Tatiana Capote e José Luis Santander, foi despedida por ordem expressa do já falecido produtor Joaquín Riviera, já que na empresa estavam fartos da irresponsabilidade de Lucía, que se sentia uma diva e chegava tarde às gravações. Sua personagem, Estrella Luna, foi substituída por Imperio Zammataro.

ZAP Novelas anuncia a estreia de Maldição de Amor


Com O Meu Ex Deseja-me em sua reta final, a ZAP Novelas investe em outra produção venezuelana para ocupar sua vaga. Trata-se de Maldição de Amor, originalmente intitulada Válgame Dios, outra telenovela produzida pela Venevision. Protagonizada por Sabrina Seara e Eduardo Orozco, o folhetim é uma história original da escritora Mónica Montañés, produzida por Carolina de Jacobo e dirigida por José Alcalde. Iniciou suas gravações em novembro de 2011 e estreou em seu país de origem em março de 2012.

Em processo de dublagem no Brasil pelo Studio Gabia, de São Paulo, Maldição de Amor conta, também, com a participação antagônica de Ricardo Álamo, Raquel Yanez e Carlota Sosa. Além da atuação de atores como Jean Carlo Simancas, Flavia Gleske, Gigi Zanchetta, Beatriz Valdés, entre outros.

Exibida em países como Equador, Honduras, El Salvador, Panamá, Costa Rica, Canadá e Espanha, chegou a vez de Angola e Moçambique conhecerem a história que conta em seus 144 episódios a trama de um grande amor, tão imenso quanto impossível, cheio de magias, de risos e de esperanças, bem como de lágrimas, sofrimentos, segredos, mentiras, medos e até mesmo assassinatos que tentarão impedir que o bem triunfe sobre o mal e que Yamilet López consiga quebrar uma maldição e por fim ser feliz.

Maldição de Amor tem previsão de estreia para a segunda semana de março; o mote do folhetim é, literalmente, um casal em chamas, mas chamas de verdade, já que o drama conta a história de um bombeiro, o herói que todas desejam ter, e de uma doce psicóloga, disposta a desafiar uma maldição familiar para encontrar o homem perfeito.

Ignacio Castillo arrisca sua vida a cada dia. Em meio ao fogo, à fumaça e à angústia de um incêndio, demonstra sua valentia, coragem e grande valor como ser humano. É bombeiro e, além disso, faz bicos como taxista. Este é o personagem encarnado por Eduardo Orozco, que interpreta seu primeiro papel como protagonista.

Yamilet López, uma jovem recém-formada em psicologia, é muito sonhadora, entretanto, astuta e segura de si mesma. Yamilet, porém, além de todas estas qualidades, possui um pequeno problema: está desesperada para conseguir um esposo. Provém de uma família muito matriarcal - as López- que foram amaldiçoadas por seus antepassados com a praga de que sempre escolheriam o homem errado. Ela tratará de ser a exceção à regra e se debaterá entre dois pretendentes: Ignacio, o bondoso trabalhador, e José Alberto, interpretado por Ricardo Álamo, um galã sem-vergonha.

Sem dúvida, a aparição deste vilão acarretará uma difícil concorrência para Ignacio, pois à sua maneira, ele também é herói, o mau não é mau gratuitamente, assim como também o bondoso não é, tem suas razões e sua verdade que defenderá até o final.

Telemundo comemora a primeira estreia internacional de La impostora


A telenovela La impostora, produzida pela Telemundo Studios e distribuída pela Telemundo Internacional, iniciou sua trajetória latino-americana graças a sua estreia no Panamá, no último dia 19 de fevereiro, no horário das 20h00, pelo canal TVN, dando origem, assim, ao primeiro lançamento internacional desde sua estreia nos Estados Unidos, em 14 de janeiro.

Este apaixonante drama narra a vida de Blanca Guerrero, papel estrelar a cargo da atriz Lisette Morelos, uma humilde garçonete que se passará por outra mulher a fim de descobrir um grande segredo. Em sua busca, também encontrará o amor. Tendo como cenário as paradisíacas praias de Acapulco, La impostora conta com um casting de primeiro nível, composto também pelo jovem ator Sebastián Zurita e sua mãe, a veterana Christian Bach. Participam, ainda, os atores Manuel Landeta, Begoña Narváez, Mauricio Hénao, Jonathan Islas e Alpha Acosta, entre outros.

La impostora é inspirada na telenovela chilena Cerro Alegre, de 1999, original dos autores Sebastián Arrau e Coca Gómez. A novidade desta adaptação é que foi negociada diretamente pelos autores da telenovela, que também supervisionam os textos da nova versão. Além disso, algumas tramas foram modificadas: nesta ocasião, já não é um artista de rua que se infiltra como um poderoso empresário estadunidense, mas sim uma garçonete, já que uma heroína funcionaria melhor para a história. Outra mudança foi a alteração do ritmo da história para os tempos modernos, elevando a maldade de Raquel, a vilã.

O melodrama relata a lenda do beijo de amor eterno, a qual reza que existe um lugar onde alguém se apaixona para sempre por um desconhecido ao beijá-lo à meia-noite do ano que se inicia. Blanca beijará Eduardo justamente em uma noite como esta, mas, o que ela não imagina é que aquele que se tornará seu grande amor é o filho da poderosa Raquel Altamira, uma desapiedada empresária naval que cometeu uma enorme injustiça contra o pai de Blanca.

Certo dia, contratada por Adriano Ferrer, um importante e poderoso empresário que busca acabar com Raquel e descobrir seu segredo mais oculto, Blanca se passará pela milionária investidora de Nova Iorque Victoria San Marino, para chegar até a mãe de Eduardo e destruí-la. Durante sua missão, se infiltra na família Altamira com a intenção secreta de descobrir o paradeiro do filho desaparecido de Adriano. Porém, Raquel usará de enganos e traições para esconder seu segredo. A história se complicará ainda mais quando Eduardo se apaixonar por Victoria, ainda que não tenha esquecido Blanca, sem saber que as duas são a mesma pessoa.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Abraça-me muito forte será a substituta de A madrasta


De acordo com o jornalista e colunista do blog Parabólica JP, José Armando Vannucci, a reprise de Abraça-me muito forte é a escolhida para substituir A madrasta nas tardes do SBT, na faixa das 16h30, a partir do dia 17 de março.

Abraça-me muito forte é uma produção de Salvador Mejía, realizada em 2000, pela Televisa, e conta com a atuação de figuras de destaque como Aracely Arámbula, Fernando Colunga, Victoria Ruffo, César Évora, Osvaldo Ríos, Arnaldo André, Nailea Norvind, Joaquín Cordero, Helena Rojo, Toño Mauri, Pablo Montero, Carmen Salinas, René Muñoz, Miguel Córcega, entre outros.

A trama, que estreou no Brasil em 2001, conta a história de Cristina (Victoria Ruffo), uma doce jovem que vive na fazenda Pantanal, uma bela propriedade de Severiano Álvarez (Joaquín Cordero), seu pai, um fazendeiro muito poderoso e autoritário. Neste lugar, trabalha Diego Fernández (Osvaldo Ríos), o capataz da fazenda, por quem Cristina é completamente apaixonada.

Há muito tempo, ambos se encontram às escondidas e pretendem fugir. Ela, diante do amor que sente por Diego, se entrega a ele e, logo depois, descobre estar grávida. Sem saída, Cristina não conta a Diego sobre a gravidez por medo de ele não poder assumir o bebê e acaba confessando sua história para o pai. Enfurecido, Severiano humilha e bate em sua filha e ordena que ela vá para a capital para poder dar a luz longe de todos os conhecidos, já que seria uma vergonha para a família Álvarez ter uma filha mãe solteira.

Severiano demite Diego e diz que Cristina foi para a cidade cuidar dos preparativos da festa, pois está de casamento marcado com um fazendeiro muito rico. Arrasado, Diego acha que foi enganado por Cristina, a mulher que mais amou em sua vida, e some cheio de mágoas.

Estela (Rossana San Juan), a empregada da fazenda, acompanha Cristina na viagem. Frederico Rivero (César Évora), um fazendeiro falido e desonesto, amigo de Severiano, se aproxima de Cristina, fazendo amizade com ela, que não conhece ninguém nessa cidade. Na verdade, ele quer se casar com ela para conseguir sua fortuna.

Com o apoio de Frederico, Cristina dá a luz a bebê Maria do Carmo. Severiano toma conhecimento e mantendo contato com Frederico, dá a ideia de fazer com que a criança volte à fazenda como filha de Estela. Chegando à fazenda, o pai pede que Cristina aceite sua decisão de ficar perto da menina sem dizer que é sua mãe, ou afaste-se dela para sempre.

Arrasada e com muito sofrimento, Cristina aceita, e Estela passa a cuidar da menina. Cristina, ao saber que Diego foi embora da fazenda, sente-se abandonada. Frederico passa a seduzi-la com maldade e de olho em sua fortuna. Severiano descobre e vê com bons olhos um casamento, pois acredita que sua família precisa de mais dinheiro. Achando que o amigo ainda é rico, obriga a filha a se casar com ele, ameaçando-a distanciá-la da menina caso não aceite.

Obrigada pelo pai e para ficar perto da filha, Cristina se casa com Frederico na igreja, em uma grande festa. Ela então batiza a própria filha e a vê crescer como sua afilhada. Após o casamento, Frederico se mostra um homem violento, estupra Cristina e passa a espancá-la diariamente, além de humilhá-la sempre e deixá-la trancada em um quarto. Além disso, para poder se apoderar do dinheiro de Cristina, provoca um acidente que a deixa cega. A única amiga de Cristina é Estela, que a alegra contando sobre Maria do Carmo.

Vinte anos depois, Maria do Carmo (Aracely Arámbula) é uma bela jovem, muito bem educada, graças a Cristina, que, mesmo cega, ajudava no que fosse preciso. Já Frederico, tornou-se poderoso, pois, com a morte de Severiano, herdou tudo e por todos esses anos fez da vida de Cristina um verdadeiro inferno.

Carlos Manuel (Fernando Colunga), sobrinho de Frederico, chega da capital para morar na fazenda. Frederico se alegra com sua chegada, após ter concluído seus estudos de Medicina no exterior. Carlos Manuel se envolve com Débora (Nailea Norvind) sem saber que é amante de seu tio. Quando Frederico se dá conta desta relação, se opõe e busca uma maneira de separar Débora de seu sobrinho. Simultaneamente, Maria do Carmo se apaixona por Carlos Manuel desde o primeiro momento, provocando o ódio de Débora, que, junto de Frederico, faz todo o possível para separar o casal.

Carlos Manuel consegue que seu professor Dr. Robles (Arnaldo André), amigo e especialista em oftalmologia analise a deficiência de Cristina para que o ajude a operá-la. O doutor se apaixona em segredo por ela e tem um grande interesse em que recupere a visão.

A volta inesperada de Diego também causa grandes reviravoltas na trama e, sabendo da verdade, Diego fará de tudo para libertar Cristina das garras do monstruoso Frederico.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Por teu amor reestreia no SBT


Nesta segunda-feira, 17 de fevereiro, às 17h30, estreia pelo SBT, em substituição a O privilégio de amor, a primeira reprise de Por teu amor, telenovela protagonizada pela estrela venezuelana Gabriela Spanic e pelo galã argentino Saúl Lizaso. Produzida por Angelli Nesma para a Televisa, em 1999, é inspirada na história original de Caridad Bravo Adams, El otro, de 1960, e escrita em uma versão livre por Gabriela Ortigoza.

Por teu amor conta ainda com as participações de Katie Barberi, Margarita Magaña, Gerardo Murguía, Joaquín Cordero, Mauricio Aspe, Roberto Ballesteros, Claudio Báez, Aitor Iturrioz, Isaura Espinoza, Gerardo Albarrán, Daniel Gauvry, Rosita Bouchot, Gabriela Goldsmith, Alfonso Iturralde, Norma Lazareno, Carlos Monden, Maleni Moráles, Lourdes Munguía, Adriana Nieto, Jorge Poza, Lourdes Reyes, Yadira Santana, Sergio Sánchez, Xavier Ortíz, Guillermo Aguilar, Melba Luna, Pilar Escalante, Graciela Estrada, Vicky Rodel, entre outros.


SINOPSE

A história tem início dezoito anos antes, quando na pequena cidade de São Carlos vive Nicolau e Aurora. Eles têm duas filhas, Bruna e Maria do Céu, e levam uma vida bastante confortável, pois são donos de uma empresa que comercializa camarões congelados. O casal e as meninas vivem na companhia de dona Paz, mãe de Nicolau. Nicolau e Aurora são compadres de Alma e Luciano. Ele, um bêbado irresponsável que vive humilhando a esposa. Ela, cansada de tantos maus tratos, vive um relacionamento extraconjugal com Sandro.

Nicolau e a esposa viajam para visitar os compadres e na volta sofrem um acidente onde Aurora perde a vida e Nicolau é levado em estado grave para o hospital. Alma foge com o amante, que a convence a abandonar o marido e os filhos para viver com ele nos Estados Unidos. Ele promete transformá-la numa cantora famosa e garante que ganhará muito dinheiro.

Dezoito anos depois, Maria do Céu se transformou numa jovem mulher. Idêntica à sua mãe, ela é comprometida com Sérgio, o médico da cidade. Dona Adelaide, mãe do médico, torce pelo casamento e não vê a hora de ser avó. Bruna, a filha caçula de Nicolau, é uma adolescente cheia de sonhos que sofre por estar apaixonada pelo namorado da irmã.

Luciano, agora é sócio de Nicolau na empresa e vive com os filhos Renê e Augusto. Durante todos esses anos, Luciano mentiu para os filhos dizendo que sua mãe está morta. Oportunista e interesseiro, Luciano não se importa em trair a amizade de Nicolau e força seu filho Renê a conquistar Bruna, pois está de olho no patrimônio que ela herdará do pai. O jovem, que tem o mesmo caráter do pai, aceita namorar a garota mesmo não estando apaixonado por ela.

Chegam a São Carlos dois importantes empresários. Marco Duran, que depois de muitos esforços conseguiu vencer na vida, e Lázaro, um milionário que pretende investir na cidade construindo um hotel de luxo. Marco conhece Maria do Céu na praia e fica impressionado com sua beleza. Alma continua nos Estados Unidos e vive um verdadeiro inferno ao lado de Sandro que a explora obrigando-a a se apresentar sensualmente em um cabaré.

Marco volta a encontrar Maria do Céu numa loja da cidade e não perde a chance de tentar conquistá-la. Maria do Céu não dá a mínima para o desconhecido que insiste em paquerá-la. Marco é um homem objetivo, acostumado a resolver seus problemas sem rodeios, por isso, ele não perde tempo e vai até a empresa da família Monteiro pedir a Nicolau que lhe dê a mão de sua filha, pois pretende se casar com ela o mais rápido possível.

Maria do Céu assiste a cena incrédula e exige que o pai expulse o desconhecido. Marco não se intimida, jura que está apaixonado por ela e promete fazê-la feliz. Maria do Céu, que já está comprometida com Sérgio, fica muito revoltada, sem sequer imaginar que sua irmã, a mimada e inconsequente Bruna, também é interessada no jovem.

Temendo perder Sérgio para sempre, Bruna arma uma situação e faz com que Maria do Céu pense que o rapaz se aproveitou da caçula da família Monteiro. Ela própria obriga o namorado a casar-se com sua irmã. Desiludida, Maria do Céu aceita a proposta de casamento de Marco Duran, impondo como única condição que a união do casal nunca fosse consumada.

Cego de amor, Marco aceita prontamente a condição de Maria do Céu, que durante a lua-de-mel sofre um grave acidente e corre risco de vida. Extremamente atencioso, Marco cuida da esposa com muito carinho, mas fica profundamente chateado quando, em delírios, ela chama pelo nome do ex-namorado Sérgio.

Na volta a São Carlos, Maria do Céu começa a admirar e se interessar pelo marido, que prefere manter distância por conta do orgulho ferido. Quando os dois começam a se acertar, chega à cidade a ciumenta Miranda Novaes, ex-namorada de Marco, que engravida de outro homem, mas faz o marido de Maria do Céu acreditar que o filho é dele.


PERSONAGENS

Maria do Céu Monteiro (Gabriela Spanic): é uma bela jovem, de bom gosto, e cujo temperamento forte desperta a admiração do milionário Marco Duran, um forasteiro que chega a São Carlos para investir na cidade construindo um hotel de luxo. Ela é a mulher que ele sempre sonhou, no entanto, para Céu, ele não é mais que outro homem como muitos vieram envenenar com seu dinheiro a tranquila vida de São Carlos, e não disfarça o desprezo que sente por ele, até mesmo quando as circunstâncias a obrigam a tornar-se sua esposa. Maria do Céu defende sua irmã Bruna sobre todas as coisas. Ela é fiel a seus princípios e muito trabalhadora, mas, às vezes, é também muito orgulhosa. Trabalha com seu pai na fábrica de camarões da família.

Marco Duran (Saúl Lisazo): sujeito misterioso que desconhece sua origem. Cresceu em um orfanato, o que marcou sua vida, mas, apesar do passado, possui uma grande fortuna baseada no trabalho. Apaixona-se por Maria do Céu à primeira vista, e tenta conquistá-la de todas as formas, mesmo mantendo um relacionamento com Miranda.

Sérgio Zambrano (Gerardo Murguía): é o médico de São Carlos e noivo de Maria do Céu. Desperta o interesse de Bruna, sua jovem cunhada, que esconde seus sentimentos para não magoar a irmã. Após separar-se da amada, Sérgio, levado por suas emoções, não é capaz de lidar com seus problemas, por isso, refugia-se na bebida.

Miranda Novaes (Katie Barberi): é a namorada de Marco. Quando não consegue o que quer fica deprimida. É obsessiva e ciumenta. Tenta prejudicar o relacionamento de Marco e Maria do Céu. Miranda tem um caso com um jovem de São Carlos, de quem engravida, fazendo com que Marco acredite ser o pai.

Bruna Monteiro (Margarita Magaña): filha mais nova de Nicolau e irmã de Maria do Céu. Mimada e imatura, Bruna tem uma paixão secreta por Sérgio, noivo de sua irmã. Após buscar Bruna na festa organizada por Marco para conhecer os moradores de São Carlos, Sérgio acaba se envolvendo emocionalmente com Bruna, que confessa seu amor e começa a beijá-lo. Deixando-se levar pelo momento, os dois acabam fazendo amor na praia.

Nicolau Monteiro (Roberto Vander): pai de Maria do Céu e Bruna. Viúvo de Aurora. Tem valores e ideias muito enraizadas no que diz respeito a moral e a boa reputação. Cuida muito bem de suas filhas, e as ama acima de tudo e de todos. Mima Bruna e admira Maria do Céu, a quem considera seu braço direito nos negócios da fábrica de camarões da família. Confiável e leal com todos, preserva a memória de sua esposa.

Paz Monteiro (Irán Eory): mãe de Nicolau, avó de Maria do Céu e de Bruna. Paz é o pilar e a conselheira da família Monteiro. Apesar dos seus mais de sessenta anos, é uma bela senhora. É alegre, jovial, generosa e de grande sabedoria. Ninguém conhece a triste história de amor de seu passado, a qual virá à tona e estará na boca de todos em São Carlos.

Lázaro Rodrigues (Joaquín Cordero): amigo e confidente de Marco; com grande intuição e experiência para os negócios. No passado, uma mulher o traiu e o fez perder sua fortuna. Desde então, ele a procura para vingar sua má sorte.

Adelaide Zambrano (Norma Lazareno): mãe de Sérgio. Elegante, distinta e fina, vive preocupada com sua reputação. É manipuladora com seu filho, a quem chantageia fazendo-se de vítima. Obcecada com a ideia de ser avó, não perde tempo em apressar o casamento de Sérgio e Maria do Céu.

Alma / Mayra Ribeiro (Lourdes Munguía): comadre de Nicolau e Aurora, os pais de Maria do Céu. Cansada dos maus tratos de Luciano, seu marido, Alma começa a se envolver com Sandro, um cafajeste que a convence a abandonar o marido e os filhos para viver com ele nos Estados Unidos, prometendo transformá-la numa cantora famosa e bem-sucedida. No entanto, ao aceitar a proposta, é humilhada e obrigada a ser cantora de cabaré. Vítima das ameaças de Sandro, quem desfruta de seus ganhos, Alma vive atormentada e arrependida por haver abandonado seus filhos, a quem nunca deixou de amar.

Luciano Figueira (Claudio Báez): esposo de Alma e compadre de Nicolau e Aurora. Sente inveja de Nicolau, de quem é sócio minoritário na fábrica de camarões. Vive na defensiva, porque acredita que todos estão contra ele. Deseja ter uma boa posição social e, por isso, incentiva que Renê, seu filho, se case com Bruna, a filha de seu compadre.

Renê Figueira (Mauricio Aspe): filho de Luciano e Alma. Vaidoso, convencido e petulante, acredita que merece tudo. Não tem escrúpulos e não guarda afeto por ninguém. Faz pouco caso de Augusto, seu irmão, alegrando-se ao evidenciar seus erros.

Augusto Figueira (Aitor Iturrioz): filho de Luciano e Alma, e irmão de Renê. Terno, carinhoso e inteligente, porém, um pouco bobinho. É tímido com as mulheres e não muito atraente fisicamente, em comparação com seu irmão. Vive em um mundo de poesia.

Sandro Valle (Roberto Ballesteros): golpista desapiedado que se alegra em prejudicar aos demais. Explora mulheres em um cabaré nos Estados Unidos, em especial, Alma, de quem tomou toda a dignidade, humilhando-a constantemente e se aproveitando de seu trabalho.

Eliseu Fontes (Sergio Sánchez): prefeito de São Carlos, esposo de Carlota e pai de Maria Fernanda e Jesus. Submisso à esposa, vive pressionado pela mulher, que o aconselha a se aproximar de Marco para tentar levar alguma vantagem.

Carlota Fontes (Maleni Morales): esposa de Eliseu e primeira dama da cidade de São Carlos. Mãe de Maria Fernanda e Jesus. Amargurada, invejosa e crítica, destila seu ódio, desprezo e hipocrisia contra tudo e contra todos. É muito severa com suas convicções e não tolera imperfeições. Prepotente e vaidosa, busca um homem de classe para que se case com sua filha e a pressiona que conquiste Marco Duran, pois ele é um excelente partido.

Maria Fernanda Fontes (Lourdes Reyes): filha mimada e volúvel de Carlota e Eliseu. Vive pressionada por sua mãe para que tenha uma melhor aparência diante dos homens e se vista bem, afim de que arrume um bom partido. É a melhor amiga de Abigail e Bruna, com quem apronta diversas travessuras. É apaixonada por Renê.

Raquel Parra (Yadira Santana): mãe de Abigail e David. Esconde sua beleza atrás de roupas simples e recatadas. Diante de todos é considerada viúva e tem levada uma vida de sofrimentos. Trabalha como secretária de Eliseu, na Prefeitura. Esconde um grande segredo: no passado, se envolveu com Marco, que anos atrás a seduziu e a abandonou assim que soube que estava grávida de Abigail.

Abigail Parra (Adriana Nieto): filha de Raquel e irmã de David. Bonita, rebelde e inquieta, considera-se a amiga pobre de Maria Fernanda e Bruna. Sempre trata de aparentar maior idade e tem constantes enfrentamentos com sua mãe, porque se sente superprotegida e porque nunca lhe disse o nome de seu pai. Ao conhecer Marco Duran, fica fascinada por ele sem imaginar que esse homem é seu verdadeiro pai.

David Parra (Jorge Poza): filho de Raquel e irmão de Abigail. Estudioso, trabalhador e honesto. Ajuda sua mãe na Prefeitura e é apaixonado em silêncio por Maria do Céu. Gosta de poesia desde pequeno e é amigo de Augusto.

Rubi estreia no canal TLN Network


O TLN Network, canal da Televisa com programação em português, estreia nesta segunda-feira, 17 de fevereiro, mais uma telenovela em sua programação; trata-se de Rubi, uma produção de José Alberto Castro, de 2004, baseada na versão original de 1968, criada por Yolanda Vargas Dulché, que chega para substituir e exibição de Manancial.

A trama é estrelada pela atriz uruguaia Bárbara Mori, pelo argentino Sebastián Rulli e pelos mexicanos Eduardo Santamarina e Jacqueline Bracamontes e conta com um grande elenco, integrado por grandes figuras como Ana Martín, Paty Díaz, Roberto Vander, Jan, Yadhira Carrillo, Marlene Favela, Ingrid Martz, Miguel Pizarro, Olivia Bucio, Antonio Medellín, Ana Bertha Espín, José Elías Moreno, Ofelia Cano, Josefina Echánove, Arlette Pacheco, Manuel Landeta, Manuel "Flaco" Ibáñez, Sergio Goyri, Luis Gatica, Leonorilda Ochoa, entre outros.


SINOPSE

No coração de Rubi reina a luta constante de qualquer mulher entre o desejo de encontrar o verdadeiro amor e a obsessão desesperada pelo dinheiro. Se, por um lado, o destino lhe negou uma boa situação econômica, por outro a favoreceu com uma extraordinária beleza física, e Rubi está decidida a usá-la para se casar com um homem rico que brinde a sua vida de luxos, tal como deseja.

Rubi estuda numa universidade privada graças a uma razoável bolsa de estudos e ao apoio de sua irmã Cristina, que trabalha arduamente para ajudar a mãe a sustentar a casa. Na universidade, Rubi torna-se amiga de Maribel, uma jovem milionária, mas doce e simples, que ficou incapacitada de uma perna depois de um acidente.

Maribel pensa que encontrou em Rubi mais do que uma amiga, uma irmã, e gosta dela com sinceridade, sem saber que o afeto de Rubi está envenenado pela inveja. Quando a bela jovem visita a mansão de sua amiga, convence-se de que esse é o status que ela merece e fará tudo o que for necessário para consegui-lo.

Maribel, tímida por causa do seu defeito físico, passa horas ao computador conversando com um rapaz chamado Heitor, e pouco tempo depois ficam noivos sem nunca se terem visto. Quando por fim se conhecem pessoalmente, Heitor supera a incapacidade de Maribel e pede-lhe que se case com ele. Maribel aceita, feliz e apaixonada.

Heitor apresenta a Rubi o seu melhor amigo, um jovem médico ortopedista chamado Alessandro, e também entre estes nasce um grande amor. Maribel, ao saber, sente que a sua felicidade está completa. Rubi também está feliz, pois, além de estar apaixonada por Alessandro, acha que finalmente a vida lhe fará justiça ao se casar com um médico bonito, rico e que, além disso, a adora. É por isso que a sua decepção é enorme quando percebe que a família de Alessandro não é rica.

Rubi tem de escolher entre casar-se com o homem que ama e o seu desejo desesperado de ser rica. No entanto, ainda que saiba que talvez nunca chegue a ter outro amor como este na sua vida, termina o seu compromisso.

Com o coração destroçado, Alessandro afasta-se dela para sempre e dedica-se de corpo e alma à sua profissão. Agora, Rubi está mais decidida que nunca a casar-se com um milionário, estando por isso disposta a cometer a mais vil das traições: roubar o amor de Heitor de Maribel. Todavia, ainda que o seu sonho de luxos e riqueza se torne realidade ao se casar com Heitor, Rubi terá finalmente que aprender uma dolorosa lição: que a vaidade, o orgulho e a cobiça são pecados terríveis, e a justiça divina é implacável.

Além do Brasil, onde está disponível apenas através da operadora Costa do Sol TV, estabelecida na cidade de Cabo Frio, Rio de Janeiro, e em sinal aberto pela parabólica digital através do satélite Intelsat 11, o canal TLN Network está presente em outros países de língua portuguesa, como Angola e Moçambique, através das operadoras Zap e DStv.