quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Biografia de Margarita Rosa de Francisco



INTRODUÇÃO

Margarita Rosa de Francisco Baquero nasceu em 8 de agosto de 1965, em Cali, departamento de Valle del Cauca, na Colômbia. Filha de Gerardo de Francisco Cucalón, quem deixou sua profissão de arquiteto para se tornar um renomado cantor e ator, e Mercedes Baquero Román, uma importante design de modas, Margarita Rosa é atriz de televisão e cinema, compositora e apresentadora, reconhecida como umas das artistas mais versáteis e mais premiadas da Colômbia. É a segunda entre três irmãos, Adriana, mais velha que ela um ano, é filósofa e Martín, o mais novo, é um destacado apresentador de televisão. Margarita Rosa fala inglês, francês e português, além, é claro, do espanhol, sua língua materna. Praticante de esportes como equitação, tênis, natação, ginástica e esqui aquático, Margarita Rosa é, ainda, “bem família”, especialmente com sua mãe, com quem tem uma relação muito próxima, já que, além de ser sua amiga, tem desenhado para ela seus figurinos desde os concursos de beleza até o vestuário de suas personagens nas telenovelas.


SUA HISTÓRIA

Margarita herdou parte de sua veia artística de seus avós. Desde pequena, demonstrou amor pela dança, arte e atuação; sempre que podia, participava de aulas de teatro ou coreografias no colégio, também demonstrava grande paixão pela música, especialmente a brasileira.

Aos catorze anos, começa a tomar aulas de ballet junto de sua irmã, influenciada por sua mãe, no conservatório Antonio María Valencia de Cali, dirigido por Gloria Castro, onde professores russos e cubanos ostentavam uma forma de ensinar rigorosa, onde se aprendia a suportar a dor, viajando além dela para transmitir através do corpo movimentos plásticos com uma técnica impecável, transformando-os em belos instrumentos de arte. Porém, foi obrigada a se retirar das aulas algum tempo depois, sendo encaminhada a um ortopedista por problemas na coluna vertebral, detectados por sua professora, o que lhe impedia de praticar os exercícios corretamente e prejudicava seu crescimento.

Em 1981, quando cursava o ensino médio, foi convidada por Clara María Ochoa, uma amiga calenha, proprietária da Carreta Films, para rodar o filme Tacones, produzido por Clara e dirigido por Pascual Guerrero. Pouco tempo depois, quando tinha dezesseis anos, seu médico lhe informa que sofria de uma severa escoliose, sendo operada e submetida à introdução de uma haste de Harrington, que se prende às vértebras que devem permanecer fixas. Margarita esteve oito meses em recuperação, tempo em que se dedicou a pintar, a ler e estudar filosofia e letras; após a recuperação, retirou o gesso e se reabilitou praticando exercícios.

Em 1983, morou durante seis meses em Nova Iorque, onde estudou inglês no Hunter College. Aos dezenove anos, em 1984, de volta à Colômbia, participa no concurso La Modelo del Año, do qual saiu vitoriosa, e nesse mesmo ano representa o Valle del Cauca no Concurso Nacional de Belleza, em Cartagena, onde conquista o segundo lugar, posto que surpreendeu a todos já que era a favorita do público, que não estava nem aí para Sandra Borda, quem levou a coroa.

Ao final do ano 1985, viaja à Europa para participar no concurso de Miss Mundo, em Londres, cidade onde permaneceu por mais de seis meses, estudando francês e português; além disso, tentou trabalho como modelo e visitou várias agências, sem ter obtido nenhum tipo de êxito.

Em abril de 1986, é convidada a trabalhar na “Vuelta a España en bicicleta”, servindo café colombiano, popularmente chamado de tinto, a todos os participantes no decorrer das diferentes etapas.  Corria o mês de maio, quando Margarita voltou a Londres e começou a sentir falta de seu país, planejando seu ingresso na universidade para estudar Comunicação Social. No entanto, novamente recebeu uma ligação de Clara María, que lhe ofereceu o papel da menina Mencha na telenovela Gallito Ramírez, da Caracol Televisión, e imediatamente retornou à Colômbia. Sua interpretação lhe valeu o prêmio Simón Bolívar, como Melhor Atriz Revelação Feminina, em 1986; além disso, conheceu o ator Carlos Vives, com quem viveu um amor que ultrapassou as câmeras, iniciando um namoro na vida real.

Em 1987, ao terminar Gallito Ramírez, Margarita continuou na televisão como apresentadora do noticiário 24 Horas, junto ao jornalista Mauricio Gómez, que a considerou uma magnífica parceira de trabalho. Era uma apresentadora segura, confiável e bonita que elevou a audiência daquele informativo durante muitos meses em que foi exibido no horário nobre colombiano.

Em 1988, iniciou a filmagem da minissérie da RTI Los pecados de Inés de Hinojosa, onde coprotagonizava ao lado de Amparo Grisales. Baseada no romance de Próspero Morales Padilla e ambientada no século 16, contava a história de Inés de Hinojosa e de sua sobrinha Juanita de Hinojosa, papel interpretado por Margarita, um verdadeiro marco em matéria de erotismo na televisão colombiana, que escandalizou especialmente pelas cenas lésbicas entre ambas as atrizes.

Em 20 de agosto de 1988, Margarita casou-se com Carlos Vives, em Cali, cuja história de amor saltou das telinhas e tomou forma real em um matrimônio que aglomerou multidões, congestionando os arredores da igreja La Merced. Sua lua de mel foi no estado da Flórida, Estados Unidos, mais precisamente no parque Disney World. Passado um tempo, mudou-se para San Juan de Puerto Rico, onde se dedicou à música, à leitura, à ginástica, ao seu lar e ao matrimônio que duraria até 1991, quando se divorciou.

Em 1990, participa em sua segunda telenovela, Calamar, da Caracol Televisión, interpretando Claramanta e dividindo créditos com o consagrado ator colombiano Carlos Muñoz. Neste mesmo ano, publica o livro e o vídeo Margarita Físicamente, onde compartilha informações de conteúdo variado sobre nutrição, hidratação e outros temas relacionados com exercícios. No vídeo, dirigido por Sergio Cabrera, apresenta-se Margarita Rosa realizando rotinas de aquecimento, aeróbica, alongamento, etc., onde são vistos diversos cenários, músicas e vestuários desenhados por ela.  Além disso, no início deste ano, sai à venda seu calendário Sueños de 1990.

Em 1992, interpreta Marina Valdés em Brigada Central II: La Guerra Blanca, uma minissérie coproduzida entre França e Espanha, onde foi filmada, cujo papel lhe trouxe muitas críticas por se prestar a participar em uma produção onde a imagem da Colômbia se desvirtuava e aparecia vinculada unicamente com o mundo da cocaína. Em sua estada pela Espanha, realizou estudos de arte dramática na Escuela de Juan Carlos Corazza.

Em 1993, interpreta Paloma em outra minissérie, desta vez na Colômbia, para a RCN Televisión, Puerta Grande, baseada na vida do toureiro colombiano César Rincón.

Em 1994, interpreta seu papel mais reconhecido a nível mundial até a atualidade: Carolina Oliveira a “Gaivota”, em Café, com aroma de mulher, da RCN Televisión, que marcou seu retorno às telenovelas. Ademais, estreia com grande sucesso como cantora e compositora da trilha sonora desta produção, em dois volumes. Por sua atuação recebeu diversos prêmios entre os quais se encontram o Simón Bolívar, como Melhor Atriz de Televisão de 1994; o Índia Catalina de Oro, como a Melhor Atriz Protagônica de Telenovela de 1995; o Calendario Azteca de Oro, como a Melhor Atriz de Televisão de 1995, no México, e o ACCA, como Melhor Protagonista Feminina, outorgado pela Associação de Críticos e Comentaristas de Miami, em 1996, nos Estados Unidos.

Café, com aroma de mulher parece ter sido o auge de Margarita Rosa de Francisco até o momento, entre outras coisas, porque lhe mostrou que também poderia ter futuro como cantora. De fato, além de ser reconhecida por seus papéis, é constantemente homenageada por centenas de pessoas que sabem suas canções, as escutam, as cantam e até mesmo tratam de curar seus amores com suas melodias.

Entre 1994 e 1995, dedica-se a promover os discos Café con aroma de mujer Vol. 1 e Café con aroma de mujer Vol. 2. Com o volume 1, alcançou a venda de 500.000 cópias somente na Colômbia e o tema Gaviota foi um sucesso tanto em seu país como a nível internacional, conquistando o disco de platina duplo. O volume 2 não foi exceção, conquistou disco de platina. Com a versão internacional de Café con Aroma de Mujer, produzida pela Polygram Latino EUA, também alcançou disco de platina. Além disso, foi reconhecida com o prêmio TVyNovelas como Melhor Cantora Revelação na Colômbia e com o prêmio  ACCA, como Melhor Intérprete de Tema Musical, entregue pela Associação de Críticos e Comentaristas de Miami, em 1996, nos Estados Unidos, assim como o disco de platina Polygram Latino, também nos Estados Unidos, pela recopilação de ambos os volumes.

Em 1996, estreia Ilona llega con la lluvia, onde interpreta Ilona Grabowska, filme dirigido pelo diretor colombiano Sergio Cabrera, baseado no romance homônimo de Álvaro Mutis. Obteve o prêmio Sol de Oro, como a Melhor Atriz, no Festival Internacional de Cinema de Biarritz, na França, em 1996, e o prêmio Kikito, como Melhor Atriz no Festival Ibero-americano de Cinema de Gramado, em 1997, no Brasil.

Em 1997, participa na série da RCN Televisión Hombres - onde seu irmão também atuou - no papel de Antonia Miranda, com o qual obteve os prêmios Simón Bolívar, como a Melhor Atriz de Televisão de 1996, e o ACPE, em Nova Iorque, como Melhor Atriz de 1997. Neste mesmo ano, estreia seu disco Margarita Rosa, onde também atua como compositora. Ainda que algum tempo depois tenha manifestado certa insegurança com o que havia feito, por não estar suficientemente bem preparada com suas composições, alcançou com este trabalho o disco de ouro por suas vendas.

Em 1998, interpreta o papel de uma mulher mais adulta, Maria Luisa Caicedo, em La madre, da RCN Televisión, onde também participa na produção de sua trilha sonora.  Com este trabalho, obteve o prêmio Simón Bolívar, como a Melhor Atriz de Televisão de 1998. Em 1999, contribui com a Cruz Vermelha Colombiana e colabora nas campanhas de ajuda às vítimas do terremoto na região cafeeira da Colômbia, ocorrido em 25 de janeiro daquele ano, deixando 1.230 pessoas mortas, cerca de 5 mil feridas e 250 mil desabrigadas, sendo considerada a pior tragédia natural da história recente do país.

Em 2000, participa na telenovela da Caracol Televisión, La caponera, como Bernarda Cutiño, onde também atua como cantora e compositora da trilha sonora. Em maio deste ano, vincula-se à UNICEF como Embaixadora, um reconhecimento por sua ajuda na proteção e no respeito pelos direitos das crianças do país colombiano, e é nomeada como a primeira Embaixadora Nacional da Organização, adquirindo um compromisso com as crianças e adolescentes da Colômbia.

Em 21 de maio de 2001, Margarita Rosa desembarca no Brasil para divulgar seu trabalho em Café, com aroma de mulher, telenovela gravada em 1994 e exibida pelo SBT pela primeira vez nessa ocasião. Essa não foi sua primeira viagem ao Brasil, a atriz já conhecia Salvador e Rio de Janeiro, mas desta vez foi diferente: Margarita passou de turista a artista famosa. Aliás, virar uma estrela por aqui era seu sonho, pois é apaixonada pelo Brasil e aqui se sente em casa. E de fato ficou surpresa ao pisar na rua e se deparar com fãs que a homenageavam com faixas. Margarita deu autógrafos, posou para fotos e continuou em solo paulistano, onde participou de quase todos os programas de auditório do SBT, esbanjando simpatia e bom humor, entre eles o programa da Hebe, Domingo Legal, Programa Livre e Programa do Ratinho, onde foi homenageada com a paródia “Mulher com aroma de cachaça”.

Ainda em 2001, Margarita apresenta o reality show Expedición Robinson, programa que viria a inspirar a criação de Desafío, atração que se tornou o reality show de maior êxito na Colômbia, alcançando o top 10 dos programas mais vistos na história da televisão do país, rendendo temporadas anuais até o dia de hoje.

Em 2002, participa como Naty Revuelta, no filme Fidel, uma biografia de Fidel Castro, do diretor David Attwood, onde divide créditos com Víctor Hugo Martín, Cecilia Suárez, Gael García Bernal e Mario Iván Martínez. Além disso, é jurada do Festival Internacional de Cinema de Cartagena, edição 42, na companhia do diretor chileno Silvio Caiozzi, da produtora mexicana María Novaro e do roteirista mexicano Guillermo Arriaga.

Em junho de 2003, casa-se com Daniel Castello Mallarino, mediante cerimônia civil. Daniel havia sido seu namorado dez anos antes e, no ano de 2002, depois de se reencontrarem, retomaram sua relação. Nascido em Bogotá e, na ocasião, com 51 anos de idade, Daniel esteve casado com María Pía Duque, quem disputou com Margarita Rosa, em 1984, a coroa da beleza nacional. No entanto, a união durou apenas dois anos, visto que em 2004 se divorciaram. Mais adiante, em 2010, Daniel veio a falecer. Ainda em 2003, Margarita Rosa retorna à Pontificia Universidad Javeriana de Bogotá para continuar seus estudos profissionais, onde cursa Música na Faculdade de Bellas Artes, em una época que ela define a mais feliz e onde se conectou ainda mais com sua própria essência.

Em 2004, as mechas douradas de Margarita Rosa de Francisco adornaram a imagem do shampoo Pantene, em um importante contrato publicitário com esta marca. Durante o Concurso Nacional de Belleza deste mesmo ano, a atriz não concedeu entrevistas aos meios de comunicação, já que não queria falar sobre a separação de seu segundo casamento, nem de seu romance com o irmão da atriz Marcela Carvajal, conhecida pelas telenovelas Hasta que la plata nos separe e ¿Por qué Diablos?

Em 2006, participa no filme Paraíso travel, do diretor colombiano Simón Brand. Aí, com a ajuda de um especialista em maquiagem, caracterizou Raquel, uma mulher judiada pela vida, alcoólica, em decadência total, que abandonou sua família, radicada em Medellín, para realizar o sonho americano. Este filme estreou em meados de janeiro de 2008, na Colômbia, alcançando grande audiência nos cinemas nacionais, ainda que a participação de Margarita Rosa seja curta, sua intervenção é fundamental na história.

Em 2007, estreia a telenovela Mientras haya vida, da Azteca, que protagonizou junto ao argentino Saúl Lisazo, encarnando María Montero, uma mãe solteira que tem que seguir adiante com suas três filhas, após ser abandonada por seu esposo que ia viver ilegalmente nos Estados Unidos. Para completar, canta o tema principal desta telenovela, chamado Ven a morir, com influência colombiana, cubana e um pouco de bossa nova, o qual compôs junto a Marcela Cárdenas. Margarita Rosa manifestou sua satisfação em trabalhar no México, graças ao produtor Epigmenio Ibarra, após sete anos de ausência das telenovelas. Por este papel, carregado de muita denúncia social, a atriz recebeu excelentes críticas da imprensa mexicana pelo bom desempenho de sua atuação.

Em 2008, grava Capadocia, uma série original da HBO Latin America, cuja produção recria a realidade de uma penitenciária de mulheres, assim como a realidade fora dela, mostrando as semelhanças entre ambas, muitas vezes diferenciadas somente por suas grades. Margarita dá vida à Mercedes Mejía, uma contrabandista de esmeraldas, fatal e sedutora, que consegue entrar na penitenciária de mulheres para vingar a morte de seu irmão narcotraficante, no último episódio da temporada.

Também em 2008, lança seu disco Margarita Rosa, o qual apresenta a mesma influência musical do anterior “Margarita Rosa”, ainda que com uma sonoridade própria, uma fusão de bossa nova, salsa e música andina, com composições autobiográficas e fábulas que tratam de amor, despedidas e reflexões sobre a existência. Uma de suas canções, chamada El cuadro, fala de uma mulher pintada que se apaixona por quem vai comprá-la.

Em 2009, sai em cartaz o longa-metragem Cartagena (L'homme de Chevet), filme francês dirigido por Alain Monne e protagonizado por Sophie Marceau e seu esposo Christopher Lambert. O filme foi rodado em locações colombianas da cidade de Cartagena, como La Boquilla, Turbaco e nas praias de Santa Marta. Nesta produção, Margarita encarna Lucía, a fiel, mas receosa empregada de Muriel, uma francesa que chegou à cidade com a ilusão de se casar, sem êxito, devido a um acontecimento do destino. Leo, um ex-boxeador de Cartagena, de origem francesa, agora sem dinheiro e praticamente no olho da rua, deve encontrar trabalho e, desse modo, se apresenta na casa de Muriel. Sua função será cuidá-la, com a surpresa de que esta mulher mudará sua vida, permitindo-lhe descobrir o amor.

Também em 2009, Margarita participa na produção Kdabra, série sobre magia protagonizada pelo mexicano Christopher Von Uckermann. Baseada em uma ideia original de Andrés Gelós e dirigida pelo colombiano Felipe Martínez, a atração conta uma história cheia de suspense e magia, que reúne elementos do mundo real e sobrenatural. Aqui, Margarita interpreta Ana, uma mulher tímida, calada, muito religiosa, devota de sua casa e obediente a seu esposo. Seu grande amor é Luca, seu filho, por quem vive preocupada.

Ainda em 2009, é lançado Del amor y otros demonios, um filme de Hilda Hidalgo, que deu vida própria à versão cinematográfica da obra literária homônima de Gabriel García Márquez. A bela cidade de Cartagena foi o epicentro das filmagens. Nesta produção, Margarita vive na pele de Bernarda, a mãe da personagem principal, Sierva María, interpretada por Eliza Triana.

Em setembro de 2010, apresenta sua peça de teatro A solas, obtendo um extraordinário reconhecimento. Em cena, a artista realizou apresentações que incluíam canto, dança, atuação e um bate-papo, onde contava histórias de sua carreira e revivia algumas personagens lendárias. Sob a direção de Sandro Romero e com a produção executiva de Susana Silva, A solas contou também com a presença dos músicos Néstor Vanegas, Nelson Amarillo, Diego Mendoza, Guillermo Díaz, Andrés Cruz, Carlos Taboada, e com a participação especial de Gerardo de Francisco, que cantou ao lado de sua filha.

Em 2011, retorna à cena musical e às telinhas, desta vez compondo o tema de abertura da telenovela que também protagonizou: Correo de inocentes, do canal RCN Televisión. Dirigido por Klych López, documentarista, diretor de cinema e roteirista calenho, o folhetim mostra a realidade do tráfico de drogas e das “mulas humanas” que cumprem pena em diferentes presídios do mundo, longe de suas famílias e de seu país. A história de Ana María Londoño e Rafael Noguera foi gravada em locações de Bogotá, Cali, Tumaco e Tolima e demorou um ano para ser concluída.

Em 2012, Margarita lança Bailarina, um disco totalmente diferente de seus anteriores, explorando novos géneros e em cujo encarte aparece nua, com o corpo sob a água; cena que pode ser vista no clipe de Canción para las cosas, vídeo em que se pode ver claramente a cantora nua, o que causou furor em seu lançamento no YouTube, com pelo menos 16 mil visitas em seus primeiros dias. O projeto, segundo ela, nasceu de uma sessão de fotos que realizou para seu atual namorado Will van der Vlugt, um fotógrafo e diretor holandês. A cantora descreve o disco como algo sem disfarces, autêntico, cheio de magia e com muito realismo sobre nossa existência.

Também em 2012, lança Ranga, um curta-metragem dirigido por Will van der Vlugt, apresentado no Festival Internacional de Cinema de Cartagena e inspirado na personagem que a atriz interpretou em Paraíso travel, um de seus filmes mais aclamados do cinema colombiano. Trata-se de um monólogo, de poucos minutos, nos quais o espectador se vê submerso na vida de uma mulher alcoólica e decadente, que se encontra em um delírio constante.

Em 2013, Margarita viaja a África para trazer ao público colombiano as melhores emoções do reality Desafío 2013: África, el origen, onde documenta de maneira divertida todas as aventuras de sua viagem.

Em 2014, continua em terras africanas, agora em Marrocos, gravando mais uma temporada do reality Desafío, que, até o momento se conhece por Desafío Marruecos, Las mil y una noches, buscando, dessa maneira, garantir a audiência que obteve a versão 2013, considerada a de maior sucesso ao longo dos dez anos que o formato está no ar.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2011 - Correo de inocentes - RCN (Pilar Carrasco)
2007 - Mientras haya vida - Azteca (María)
2000 - La caponera - Caracol (Bernarda)
1998 - La madre - RCN (María Luisa)
1994 - Café com aroma de mulher - RCN (Teresa “Gaivota”)
1989 - Calamar - Caracol (Claramanta)
1986 - Gallito Ramírez - Caracol (Mencha)

SÉRIES

2009 - Kdabra – Fox (Ana)
2008 - Capadocia – Fox (Mercedes)
1997 - Hombres - RCN (Antonia)
1993 - Puerta grande - RCN (Paloma)
1992 - Brigada central 2: La guerra blanca - TVE (Marina)
1988 - Los pecados de Inés de Hinojosa - RTI (Juanita)

FILMES

2012 - Ranga (Ranga)
2010 - García (Amalia)
2009 - L'homme de chevet (Lucía)
2009 - Del amor y otros demonios (Bernarda)
2008 - Paraíso Travel (Raquel)
2006 - Adiós (Ana Elisa)
2002 - ¡Fidel! (Naty)
1996 - Ilona llega con la lluvia (Ilona)
1981 - Tacones

REALITIES

Desafío 2014: Marruecos, Las mil y una noches
Desafío 2013: África, el origen
Desafío 2012: El fin del mundo
Desafío 2011: La Lucha de las Regiones: La Piedra Sagrada
Desafío 2008: La Lucha de las Regiones
Desafío 2006: La guerra de los estratos
Desafío 2005: Cabo Tiburón, Colombia
Desafío 2004: La Aventura
Expedición Robinson - 2001

TEATRO

2010 - A solas


SUAS PUBLICAÇÕES

1990 - Vídeo e livro “Margarita Rosa Físicamente”


SEUS PRÊMIOS

PRÊMIOS SIMÓN BOLÍVAR

1998 - Melhor atriz de televisão (La madre)
1996 - Melhor atriz de televisão (Hombres)
1994 - Melhor atriz de televisão (Café, com aroma de mulher)
1987 - Melhor atriz revelação feminina (Gallito Ramírez)

PRÊMIOS INDIA CATALINA DE ORO

2012 - Melhor atriz protagônica de série ou minissérie (Correo de inocentes)
2000 - Melhor atriz do século do Festival Internacional de Cinema de Cartagena
1995 - Melhor atriz protagônica de telenovela (Café, com aroma de mulher)

PRÊMIOS TVYNOVELAS

2000 - Melhor artista integral do século
1995 - Melhor cantora revelação
1995 - Melhor atriz protagônica (Café, com aroma de mulher)

PRÊMIOS ACCA

1996 - Melhor intérprete de tema musical (Café, com aroma de mulher)
1996 - Melhor protagonista feminina (Café, com aroma de mulher)

PRÊMIOS MACONDO

2012 - Melhor atriz principal (García)
2010 - Melhor atriz de elenco (Del amor y otros demonios)

PRÊMIO CALENDARIO AZTECA DE ORO

1995 - Melhor atriz de televisão (Café, com aroma de mulher)

PRÊMIO SOL DE ORO

1996 - Melhor atriz do Festival de Cinema de Biarritiz, França (Ilona llega con la lluvia)

PRÊMIO KIKITO

1997 - Melhor atriz do Festival Ibero-americano de Cinema de Gramado, Brasil ((Ilona llega con la lluvia)

PRÊMIO ACPE

1997 - Melhor atriz de abril

PRÊMIO ACE

1998 - Reconhecimento pelo trabalho


SUA DISCOGRAFIA

2012 - Bailarina
2011 - A solas – En vivo
2008 - Margarita Rosa
2000 - La caponera vol. 2
2000 - La caponera vol. 1
1998 - La madre
1997 - Margarita Rosa
1995 - Café con aroma de mujer (Versão internacional)
1994 - Café con aroma de mujer vol. 2
1994 - Café con aroma de mujer vol. 1

Blog Widget by LinkWithin

9 comentários:

Anônimo disse...

Adorei a biografia,o único trabalho que conheço dessa brilhante atriz é 'Gaivota',mas mesmo assim,eu me encantei com a performace dela.Muito á vontade,espontanea,nem parece que estava seguindo um texto.Obrigada por compartilhar!

Besos!

Sara

Wilma disse...

Adorei a biografia de Margarita,ela é sensacional.
Gostaria muito de vê-la em uma novela com par romântico com GUY ECKER.
Gostaria de conhece-la pessoalmente.
Wilma BRASIL.CAMPO GRANDE RJ
wilmabicalho@ig.com.br

INEZ ANDRADE DA CUNHA disse...

ATRIZ EXCELENTE, CHORO MUITO QDO ASSISTO. LEMBRO DA MINHA MÃE, ELA PEDIA PARA EU COPIAR A MÚSICA. ELA JÁ SE FOI. AMO ESSA NOVELA. É UM CASAL LINDO!!!!

chicletano disse...

Leonina como eu, nasci em 17 de agosto, adorei a novela CCADM, eu era o ator brasileiro Gui Ecker e a Gaviota meu amor. Estou assistindo novamente, perdi varios capitulos, mas pude ver o primeiro capitulo num site famoso que passa videos....kkkkkk....

Adorei.. um enorme beijo a Margarita
querida meiga doce bela........

Unknown disse...

Adoro a atriz e cantora Margarida,fico emocionada com a novela café com aroma de mulher meu desejo é conhece-la um dia quem sabe,acompanho sua carreira e como a admiro formaria um belo casal ela e Guy ecker fora das telinhas..Margarida querida adoro vc fica com deus e continue fazendo sucesso eu como Brasileira torço por vc sempre!Bjs

Paloma disse...

É espetacular a forma natural com que ela representa. Parece estar vivendo, realmente, toda a história. Magnífica atriz, muito expressiva e bonita.

Anônimo disse...

Simplesmente Amoo essa novela e esses dois atores :) não me canso de assistir!!!Uma interpretação linda,meiga,doce...um Amor que chega me falta o ar...Como eu queria um dia poder conhecê-los pessoalmente :) e dizer-lhes isso olhando em seus olhos...e a música de abertura,simplesmente Lindaaaa ...enfim sou suspeita a falar que sou a fã n° 01 dessa novela e desses atores!!!bjusssssss

flavia disse...

Esta atriz e doce e maravilhosa, excelente novela... assisti na primeira vez e assisto novamente... otima oportunidade para nos fas, matarmos saudades ... pra sempre Gaivota
Junho/2014

Anônimo disse...

Muito linda! essa novela café com aroma de mulher é demais já assisti a primeira,agora e pela internet também.