...

sábado, 20 de julho de 2013

Sexo forte, sexo frágil


NOME ORIGINAL
El sexo débil

ESCRITOR
Joaquín Guerrero Casasola

PRODUTORES 
Carlos Payán e Epigmenio Ibarra

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
121

ANO DE GRAVAÇÃO
2011

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
2012

EMISSORA
Rede CNT

TEMA DE ABERTURA
Instrumental


ELENCO

Itatí Cantoral: Helena Román

Raúl Méndez: Dante Camacho

Mauricio Ochmann: Julián Camacho

Khotán Fernández: Álvaro Camacho

Arturo Ríos: Agustín Camacho

Pablo Cruz Guerrero: Bruno Camacho

Adriana Parra: Silvia Bermúdez

Marco Treviño: Máximo de la Croix

Luciana Silveyra: Tamara Camacho

Martina García: Maria

Rodrigo Oviedo: Pedro

Bianca Calderón: Aída

Adrián Alonso: Víctor Camacho

Julia Urbini: Tania Camacho

Leticia Fabián: Luisa Durán

Augusto Di Paolo: Benjamín

Karina Gidi: Camila

Cecilia Suárez: Alexandra

Juan de Dios Ortiz: Gerardo Ramos

Cristhian Alvarado: Pancho

Johanna Murillo: Lucia

Rocío Vázquez: Gabriela

Giovanna Zacarías: Alicia


PERFIL DAS PERSONAGENS

Helena Román (Itatí Cantoral): independente, doutora e administradora. Sua especialidade é a andrologia, responsável pelo estudo, exploração e investigação de qualquer aspecto relacionado com as funções sexuais e reprodução masculina. É a companheira ou a rival perfeita. Chega da Alemanha e abandona o noivo no altar no dia do seu casamento. O que ela não imagina é que sua vida terá uma virada de 360 graus e quando perceber estará envolvida com todos os homens da família Camacho.

Dante Camacho (Raúl Méndez): estudou psiquiatria e é meio-irmão dos Camacho, filho de Agustín e Pilar, a melhor amiga de Silvia. Não sabe quem é sua mãe e sempre se sentiu no abandono, apesar de ter sido criado por Silvia desde sua chegada à casa dos Camacho. Por muitos anos, seu pai Agustín, lhe disse que sua verdadeira mãe o havia abandonado e já estava morta, nunca lhe disse qual sua origem. Entretanto, Dante se dá conta de que sua mãe esteve viva todo este tempo e consegue conhecê-la em seus últimos momentos de vida. Vê-se como um meio-homem e a única coisa que deseja é tornar-se um ser completo. Com muito jogo de cintura, consegue salvar um paciente que ia se suicidar e depois do susto, descobre que sua amada, em andanças pela Europa o trocou por um sueco. Apesar de equilibrado, Dante sentirá algo muito forte pela encantadora Helena.

Julián Camacho (Mauricio Ochmann): cirurgião plástico, 30 anos, amante das mulheres, sedutor e viciado em sexo. Sente que é o momento de tomar juízo. Sempre envolvido em transformar o corpo de suas pacientes, Julián não perde tempo em usufruir de excitantes momentos de prazer se elas derem uma brecha. Só que ele tem uma namorada que não vai perdoar suas traições. Luisa pagará na mesma moeda e ele a encontrará nos braços de seu melhor amigo.

Álvaro Camacho (Khotán Fernández): é um ginecologista afamado e o primogênito. Tem 37 anos e é o braço direito de seu pai, Agustín. Bem casado e com dois filhos, apesar de bem sucedido e de ter uma bela esposa, não deixa de dar seus pulinhos e o que é pior; não aceita que sua mulher faça sucesso em sua carreira profissional. Por causa disso, paga o preço da solidão. Tamara, sua esposa o deixa, e seu filho decide ficar na casa do pai. Assim, Álvaro terá que aprender a se situar e a ser um homem independente, além de seguir em frente com seu filho adolescente.

Bruno Camacho (Pablo Cruz): tem 29 anos é o filho mais novo dos Camacho. Mesmo sendo neurologista, não quer trabalhar na clínica da família, pois preferiu atuar em um centro de reabilitação em um bairro carente. É homossexual assumido e dono de um albergue. Seu parceiro, Pedro, é o pilar de sua vida e juntos encaram todo tipo de preconceito, ainda assim, não deixam de ajudar amigos metidos em enrascadas. Bem aceito pelos irmãos e pela mãe, Bruno tem a repulsa do pai, um machista convicto.

Agustín Camacho (Arturo Ríos): é o patriarca da família Camacho. É um cardiologista de 64 anos muito respeitado. Dono da clínica, tem uma amante jovem e sensual. Sua esposa o deixou justamente quando comemoravam 35 anos de casados. Sua tarefa é não permitir que sua família, composta por filhos varões, se desagregue. Não importa que para isso ele tenha que buscar outras mulheres ou as mesmas para conseguir. Sua vida é cercada pelo fantasma de Máximo de la Croix, que vive lhe dando palpites, às vezes acertados ou furados. Ele pensa que tem o mundo em suas mãos e que as mulheres são meros objetos. Vai sentir na pele quando vir seu casamento de 35 anos terminar de maneira inexplicável.

Máximo de la Croix (Marco Treviño): é o espírito do ex-marido de Alma, a antiga moradora da mansão, que se torna o consultório dos Camacho. É um tipo cínico, irresponsável, rude, ácido e crítico de primeira, porém, inteligente e interessante. Aparece somente para Agustín, lhe abrindo seus olhos, com seu sarcasmo.

Silvia Bermúdez (Adriana Parra): esposa de Agustín. Quando completa 35 anos de casada, descobre que não era essa a vida que desejava e diz ao marido que é o fim de tudo. Sua escolha, tomada a partir da decisão de Helena em abandonar o noivo no altar, mexe com os brios de todas as mulheres da família, inclusive a doméstica.

Aída (Bianca Calderón): Aída não é a típica amante que deseja tomar o marido da esposa. Seu relacionamento com Agustín é bem à vontade, pois não há um compromisso formal, somente o vê quando sente desejo, quando quer fazer amor e ter momentos de prazer. O trabalho de levantar cedo, passar a roupa e preparar o café não faz parte do perfil de Aída. Ela não destrói lares, pois são os homens que aceitam suas condições. Aída é muito batalhadora, é órfã de pais e trabalhou durante muito tempo. É contadora e, mesmo sem trabalho, continua lutando.

Luisa (Letícia Fabían): química farmacobióloga, Luisa trabalha nos laboratórios da clínica dos Camacho. É uma mulher que deseja ter uma relação estável, ainda que no caminho permeiem as infidelidades de seu namorado, o médico cirurgião Julián. O amor não é suficiente para ambos, pois é constante seu medo com o compromisso e a deslealdade deste. No entanto, não conseguem se separar facilmente. Ela é a preferida de Julián, mas sabe que ele, por ser cirurgião plástico está sempre envolvido com outras mulheres. Desconfia de sua fidelidade e o surpreende com outra no quarto. Depois ela se vinga da mesma maneira. Apesar de jovem, sensual, bonita e inteligente, não esconde sua paixão pelo mulherengo, mas fará da vida dele um verdadeiro inferno.

Tamara (Luciana Silveyra): mãe, profissional e uma jovem mulher entregue à sua família. Assim é Tamara, a representação daquelas que depois de dedicar toda sua vida aos demais, um dia percebeu que sua vida também era importante. Ela é muito audaz e afortunada no campo profissional, talvez até mais que seu marido, não que isso o torne menos produtivo. Ainda que aparentemente tudo esteja bem, ela sofre agressões por debaixo dos panos, pois Álvaro, seu esposo, a boicota com esquecimentos importantes para seu trabalho, como recados. O questionamento de Tamara é saber como fazer com que as mulheres tenham uma vida profissional bem-sucedida, combinada com uma relação pessoal também exitosa.

Pedro (Rodrigo Oviedo): diferentemente de Bruno, seu namorado, Pedro sim tem algo afeminado e vive encucado com a ideia de envelhecer e morrer. Doa sua vida pelo ativismo e também aposta pelo amor de um homem somente. Não vive com a ideia de pintar um mundo homossexual promíscuo, cheio de depravação e drogas, enxerga a vida de um casal homossexual a partir do ponto de vista hétero, mas sem pretender copiar este modelo tradicional de vida.

Maria (Martina García): é uma jovem que desde os quinze anos tem sido vítima de abuso sexual e emocional, ao se tornar alvo do machismo e ser utilizada em uma casa de acompanhantes. Maria não deseja estar aí e sofre com tudo isso. Bruno a ajuda a encontrar uma nova forma de vida. Assim, surge algo bonito com Julián, porque quando um homem tão mulherengo se encontra com uma mulher com um extenso histórico de amantes involuntários, e com grande experiência, o confronto é muito grande.

Alexandra (Cecília Suárez): advogada e meia-irmã de Dante Camacho, filha de Pilar. Aparece a fim de esclarecer mais dúvidas sobre sua mãe, acabando com as farsas e mentiras que amarguravam seu irmão.

Víctor Camacho (Adrián Alonso): Víctor, filho de Álvaro, é um jovem irresponsável, alcoólico, e a alguns passos da dependência química, além disso, não possui a mínima educação sexual. É um garoto machista dentro de casa, se envolve com diversas garotas, com as quais tem relações sem camisinha. Responde alto à sua mãe e se mete em diversos problemas com os garotos. Tem desavenças com seus pais e com sua irmã, a quem trata mal. Se traumatiza com a separação de seus pais, razão que contribui para que entre no mundo das drogas, como chantagem para que eles não se divorciem. Pensa que com estas atitudes contribui para a união do matrimônio. Tem medo de que sua irmã encontre um namorado, por não querer que ela tenha relações sexuais, o que o leva a se comportar agressivamente com ela, a fim de protegê-la.

Tania Camacho (Julia Urbino): Tania é uma jovem que, apesar de sua pouca idade, é bastante madura. Levará uma estreita relação com Aída, a nova parceira de seu pai, já que de alguma forma, esta trata de suprir a figura materna.


INTRODUÇÃO

A história da Argos, onde também colabora a Sony Pictures, centra-se na vida dos Camacho, uma família composta por cinco homens, o pai e seus quatro filhos, todos dedicados à prática da medicina. Certo dia, as mulheres de cada um dos Camacho decidem abandoná-los sob diferentes circunstâncias, todas cansadas do machismo imperante na personalidade de cada um deles.


RESUMO

Os homens sempre tiveram o pensamento de que o machismo é sinônimo de respeito, liderança e valentia, quando na verdade o “ser macho” é algo provocado por sentimentos que um homem não deve revelar, ou algo que, pelo menos, a sociedade recrimina. Isso ocorre com os Camacho, uma família de médicos que, por seu caráter machista, pensam que podem controlar o mundo e todas as mulheres que os rodeiam. De fato, este é o principal motivo que faz com que, um dia, cada uma das mulheres dos Camacho abandone seus parceiros.

Agustín Camacho e seus quatro filhos, Álvaro, Julián, Dante e Bruno, todos educados de forma tradicional, possuem tudo para chamarem-se o sexo forte: prestígio profissional, êxito com as mulheres, carisma e posição econômica. A família de médicos aluga uma casa para montar sua própria clínica, esta havia sido habitada anteriormente somente por mulheres. Em uma noite de festa, as mulheres das suas vidas - avó, esposa, namorada, neta e empregada - decidem abandoná-los. Nesse dia, os Camacho ficam sozinhos, como se uma maldição houvesse caído sobre eles.

Álvaro é abandonado por ter ciúmes de sua esposa, por esta ser mais bem-sucedida no âmbito profissional. Dante, porque sua namorada atual o deixa por um sueco que conheceu em Paris. Julián é deixado por sua noiva por ter sido infiel várias vezes e Agustín, o patriarca, é abandonado por sua esposa por não tê-la escutado durante três décadas de matrimônio. O único que é brindado com uma relação estável é Bruno, o filho mais novo, que é homossexual.

Após estes acontecimentos, os Camacho têm que enfrentar seus medos sozinhos, combinados com a chegada de Helena, uma mulher que abandona seu noivo no dia de seu casamento, e que muda a vida de todos os homens desta família. Helena descobre que detrás dos músculos, da força e de todo machismo destes cinco homens, também habitam seres sensíveis, cheios de medo e insegurança. Já estes, buscam em Helena uma explicação, a fim de detectar suas falhas como esposos e pais.


COMENTÁRIOS

Desde 2010, a emissora mexicana Cadenatres se aventurou na transmissão de telenovelas diferentes e atuais junto ao produtor Epigmenio Ibarra. Foi então quando a dupla planejou uma saga de tramas que abordassem as relações humanas, conjugando a realidade com a ficção. Assim nasceu, primeiramente, Las Aparicio, uma produção que refletiu, sem hipocrisias e tabus, a realidade da atual sociedade mexicana, desde a ótica feminina.

Em seguida, surgiu El sexo débil, que aqui no Brasil, através da Rede CNT, tornou-se Sexo forte, sexo frágil, e que, ao contrário da primeira, revelou segredos dos homens mexicanos, educados para não expressar seus sentimentos e levar como bandeira seu forte machismo. Ambas as produções utilizaram recursos similares, que se diversificaram pelo contexto no qual foram apresentadas, mas foram estes os ingredientes de uma telenovela inovadora.

Entre as coincidências das duas produções esteve a temática homossexual. Enquanto que em Las Aparicio se viu de perto o conflito de um casal de mulheres, em Sexo forte, sexo frágil os papéis se inverteram para um casal de homens, que, além de se casarem, se aventuraram no controverso processo de adoção. Além disso, se deu ênfase em uma família mexicana contemporânea que com o passar do tempo se dilui, pois em ambas as histórias seus integrantes foram abandonados, pela morte ou ausência de seus respectivos parceiros.

Utilizou-se, também, um narrador, que oferecia alguns detalhes de cada capítulo, no caso de Sexo forte, sexo frágil, a voz em off estevo a cargo do ator Raúl Méndez, quem deu vida à Dante Camacho. A locação também foi um elemento que, inclusive, se tornou um personagem, primeiramente na casa das Aparicio e depois na clínica da família Camacho. Foi neste lugar onde habitou um fantasma, Máximo, interpretado pelo ator Marco Treviño, que primeiro aludiu a um dos falecidos maridos de uma das Aparicio e ficou na clínica como o álter ego dos homens.

Os elementos visuais foram fundamentais em toda a campanha de divulgação e nesta parte estiveram bastantes presentes seus criadores, os quais optaram por uma cena que lembra os quadros gregos, onde a deusa (neste caso Itatí Cantoral), vestida vaporosamente, tem a seus pés seus súditos que a olham com certa adoração. É uma representação onírica da mulher dizendo: “Enquanto não deixarem de ser machos, com todos seus erros, continuarão sendo o sexo frágil”.
Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário: