...

domingo, 13 de março de 2011

TV Brasil apresenta El abrazo partido

A TV Brasil exibe neste domingo, 13 de março, às 23h00, o filme argentino El abrazo partido, uma comédia dramática que conta a história de Ariel Makaroff, um jovem em busca de sua identidade pessoal e cultural. O filme gira em torno da falta de oportunidades na Argentina e a percepção da Europa como um lugar para progredir, além das peculiaridades da comunidade judia.

Com roteiro de Marcelo Birmajer e Daniel Burman, produção de Diego Dubcovsky e do mesmo Burman, o filme, de 99 minutos, foi gravado em 2004 e relata a vida de Ariel Makaroff (Daniel Hendler), um rapaz que aos vinte e cinco anos ainda não se tornou independente.

Ariel é um jovem argentino de descendência judia-polonesa que mora com sua mãe Sonia (Adriana Aizemberg) e trabalha na Creaciones Elías, a loja de lingerie da família, localizada numa galeria comercial em Buenos Aires. Joseph (Sergio Boris), o irmão mais velho de Ariel, tem outra loja na mesma galeria, a qual funciona como um pequeno mundo, onde habitam as pessoas que conhecem os Makaroff.

Neste mesmo microuniverso convivem os mais diversos personagens: italianos barulhentos que consertam rádio; o casal coreano que acaba de se instalar na cidade; Osvaldo (Isaac Fain), o discreto dono de uma papelaria onde ninguém entra, e Rita (Silvina Bosco), a sexy loira que toma conta de um cibercafé, cujas vidas, aparentemente monótonas, escondem histórias insuspeitas.

O pai de Ariel e Joseph os abandonou na década de 70, quando eles eram pequenos, indo morar em Israel para participar da guerra de Yom Kippur. Até o momento, Ariel não superou o abandono e para ele isso é um dilema moral insuportável, um pensamento obsessivo que o cega, até que, de um momento para outro, a verdade se transforma, como tudo ao seu redor, em novas verdades, em outra história, que agora também será a sua.

Agora, deseja recuperar sua nacionalidade polonesa para viajar à Europa e, talvez, terminar aí seus estudos de Arquitetura. Seu único refugio parece ser a figura da avó (Rosita Londner), que se lembra com horror a Polônia da qual teve que fugir para escapar do genocídio contra os judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Ela não somente lhe oferece os documentos para que consiga a nacionalidade polonesa, como também diversos conselhos e anedotas que podem lhe servir para encontrar seu rumo.

O que significa ser jovem, judeu e neto de imigrantes na Argentina de hoje? Como se constrói, já ultrapassada a barreira dos 25 anos, a figura de uma pai que abandonou a família quando o filho era apenas um bebê para combater no exército israelita? É um idealista a quem se deve compreender em sua luta por um objetivo maior ou um covarde que nunca regressou e lava seus pecados enviando um mísero cheque mensal? É possível conservar e reafirmar a identidade em meio à crise social, à falta de oportunidades, ao êxodo massivo, com a culpa e a ausência cravadas no peito?

Estas e outras são as interrogativas que surgem em El abrazo partido, o quarto longa-metragem de Daniel Burman, que foi a escolha oficial da Argentina para o Oscar Awards 2004, na categoria de Melhor Filme. A produção demonstra a força do atual cinema argentino, apresentando um drama humano com muito humor e um roteiro cheio de diálogos.

El abrazo roto foi vencedor do Premio Especial del Jurado e do Oso de Plata ao Melhor Ator, para o uruguaio Daniel Hendler, no Festival de Berlim, em 2004.
Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

Anônimo disse...

a TV BRASIL deveria exibir a novela da "Amy, a menina da mochila azul"