sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

TV Brasil exibe maratona de filmes da América Latina, Espanha e Portugal

Durante o mês de fevereiro a TV Brasil exibira uma série de filmes produzidos em países da América Latina, Espanha e Portugal. A emissora pública, a única a apresentar esse tipo de conteúdo, selecionou os melhores longas da primeira temporada do Cine Ibermedia, exibido todos os domingos, e a cada semana, de terça a sexta-feira, irá apresentar os longas dos dezessete países que participam do programa Ibermedia: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, Equador, Espanha, México, Panamá, Portugal, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

O programa Ibermedia foi criado em 1997 pela Conferência das Autoridades Audiovisuais e Cinematográficas Ibero-Americanas (CAACI). Entre comédias, dramas, policiais e ação, os filmes ajudam a divulgar a história, os costumes e a cultura do povo Ibero-americano. Outra finalidade é estimular a co-produção de obras para cinema e televisão, bem como a distribuição e promoção. Isso permite ao telespectador conhecer diretores, produtores, atrizes e atores que atuam em outras praças, além de acompanhar a produção cinematográfica desses países.

O polêmico filme La Ciénaga (O pântano), da diretora Lucrécia Martel, abre o Festival Ibermedia a partir desta terça, 08 de fevereiro, à meia noite. Trata-se de um retrato sóbrio da decadência da classe média argentina, marca da diretora que, após esse filme, rodou outro sobre a mesma temática, La niña santa, passando a ser considerada um dos grandes expoentes do novo cinema argentino.

Durante o mês de fevereiro, no noroeste argentino, com o sol escaldante e chuvas tropicais, algumas terras tornam-se pantanosas. Esses pântanos - ciénaga, em espanhol - são mortais para os animais que neles se afundam. Mas a história não é sobre esses pântanos, e sim sobre a cidade La Ciénaga e os seus arredores.

Um acidente vai reunir duas famílias no sítio La Mandrágora, próximo ao povoado de Rey Muerto, a noventa quilômetros de La Ciénaga. Tentando sobreviver a um calor infernal, nem todas conseguirão.

La Ciénaga é um retrato da classe média observado em dois ângulos: a classe média alta, representada por uma alcóolica Mecha, e a classe média baixa, encarnada por uma resignada Tali.

Segundo os críticos, a ironia e crueza da diretora, fizeram do filme, tão interessante quanto polêmico. O filme recebeu o prêmio Alfred Bauer no Festival de Berlim, além de quatro prêmios no Festival de Havana, incluindo Melhor Diretor e Melhor Atriz.

American visa é a produção que vai ao ar na quarta-feira, 09 de fevereiro, no mesmo horário. Considerada uma obra prima do diretor boliviano Juan Carlos Valdivia, American visa é a adaptação baseada no livro de Juan Recacoechea e reúne um elenco composto por Demian Bichir, Roberto Barbery, e uma das grandes estrelas mexicanas, a atriz Kate del Castillo.

O filme conta a história de um professor de inglês boliviano que separa-se de sua esposa e vê seu único filho ir estudar nos Estados Unidos. Após ter seu visto negado, o professor envolve-se numa teia de atividades criminosas contra o consulado americano. Ao mesmo tempo, ele se apaixona por uma bela prostituta.

O filme concorreu ao Oscar americano de Melhor Filme Estrangeiro em 2007 e, nesse mesmo ano, foi vencedor do Festival de Cinema Brasileiro e Latino do Paraná, que ainda levou mais um troféu de Melhor Atriz para Kate Del Castillo.

O filme La sagrada família, de Sebastián Campos, é a atração do Festival Ibermedia desta quinta-feira, dia 10, à meia noite, e mostra a desintegração de uma família burguesa no Chile. Utilizando diálogos improvisados, sem roteiro prévio, o filme de estreia do diretor é carregado de emoções e trata de questões consideradas tabus na sociedade chilena como drogas, sexo e homossexualismo.

A tradicional Semana Santa na casa de praia de uma acomodada família chilena é invadida pela primeira namorada do filho, Sofia, uma jovem inquietante e rebelde, que tem uma explosiva carga sexual. Acompanhada de um grande carregamento de drogas, ela chega fazendo perguntas inconvenientes e difíceis, assuntos que a maioria das famílias prefere ignorar. Sua passagem pela casa desencadeia uma série de acontecimentos e emoções, além de romper com todo o seu aparente equilíbrio. E mais, faz com que a família nunca mais volte a ser a mesma.

La sagrada família recebeu o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Viña del Mar; Prêmio FIPRESCI e Prêmio do Juri, no Festival de Cinema Latino de Toulouse; Menção Especial no Festival Internacional de Cinema de Austin; Prêmio SIGNIS no Festival Internacional de Cinema Independente de Buenos Aires; Prêmio Titra Film no Festival de Cinema Tout Ecran, de Genebra; Melhor Obra Prima no Festival de Cinema Latinoamericano de Lima e Melhor Filme no Festival Internacional de Cinema de Transilvania.

Carandiru é a atração brasileira que será exibida na  sexta-feira,  dia 11, à 0h15. Dirigido por Hector Babenco, cineasta argentino e naturalizado brasileiro, o filme é uma superprodução baseada no livro Estação Carandiru, de Drauzio Varela, e conta a história de um médico que se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade atrás das grades, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Porém, apesar de todos os problemas, o médico logo percebe que os prisioneiros não são figuras demoníacas, existindo dentro da prisão solidariedade, organização e uma grande vontade de viver.

Sob a perspectiva do médico, o longa retrata o cotidiano desses internos na casa de detenção de São Paulo. São histórias de crime, vingança, amor e amizade, que culminam com o fatídico massacre ocorrido em 1992.

O filme foi feito com um orçamento de R$ 12 milhões, contou com 40 locações/cenários, realizadas em torno da Grande São Paulo e um elenco principal de 26 atores, entre jovens talentos e veteranos, e cerca de 8 mil figurantes.

No ano seguinte ao seu lançamento Carandiru recebeu dois prêmios no Grande Prêmio Cinema Brasil nas categorias de Melhor Diretor e Melhor Roteiro Adaptado. Também foi premiado no festival de cinema novo de Havana.
Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

TVboricua.USA disse...

Saludos. De Puerto Rico hay muchas películas buenas. Qué las disfruten. Les recomiendo "Caos" por si no la han visto. Muy buen blog.