quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Biografia de César Évora


INTRODUÇÃO

César Évora Diaz nasceu em 04 de novembro de 1959 em Havana, Cuba. Filho de Tony Evora, pintor, desenhista e músico, e da senhora Maria J. Diaz, é ator de cinema, teatro e televisão, conhecido fundamentalmente por seus papéis em telenovelas mexicanas, onde tem desenvolvido a parte mais importante de sua carreira.


SUA HISTÓRIA

Com apenas cinco de idade, César Évora assiste ao divórcio de seu pai e de sua mãe que, trabalhando como secretária em uma escola, passa a criá-lo com a ajuda do avô. Seu pai viaja para a então Checoslováquia com sua segunda mulher e lá é surpreendido pela invasão russa. Até os oito anos de idade, César fica sem saber nenhuma notícia do pai e chega a odiá-lo.

Durante sua trajetória escolar sempre era escolhido para que abrisse os festivais ou declamasse alguma poesia, já que sempre se caracterizou por ter uma voz muito peculiar. Terminando os estudos e devido ao interesse pelos minerais e pela busca de petróleo em sua terra natal, se matricula no curso de Geofísica, carreira que a uma semana de haver iniciado esteve a ponto de abandonar, mas teve que esperar três anos, já que se desistisse antes teria que ingressar no exército cubano e lá permanecer por dois anos.

Em 1976, sendo ainda muito jovem, César tem que trabalhar como professor devido aos problemas econômicos que enfrenta sua família. Dando aulas de desenho, história, matemática, física e até mesmo educação física, recebe um salário simbólico que nem mesmo cobre o transporte que utiliza.

Em 1979, ainda em dúvida quanto à escolha de uma carreira, César assiste a gravação de um filme e, a partir desse momento, entende o que quer fazer da vida. Descobre sua vocação e o que lhe interessa: estar detrás das câmeras. Porém, neste mesmo dia, ao chegar em casa, recebe a notícia de que seu avô havia morrido.

Em 1981, conquista sua primeira grande oportunidade ao protagonizar, em sua terra natal, Cuba, o filme Cecilia, baseado na literatura do país. Após ser selecionado entre 500 inscritos, César se apaixona pela atuação e decide estudar no Instituto Superior de Artes.

Em 1982, aos 23 anos, se casa com Ines Martorel e, no ano seguinte, grava o filme Amada. Em 1984 atua em outra produção, chamada Habanera.

Em 1985, grava o filme Novia para David e, em 1986, Capablanca, e Un hombre de éxito, que o transportam para fora da ilha. Ainda em 1986, nasce seu primeiro filho, Rafael.

Em 1988, viaja para Nova Iorque para fazer teatro, o que lhe atribui uma maior experiência a nível profissional. Aí se reencontra com seu pai após 20 anos sem vê-lo e, em um primeiro momento, ambos reagem como estranhos, mas esclarecem muitas coisas. Ao crescer somente ao lado de sua mãe, tinha poucas recordações do pai que sempre se encontrava viajando e somente lhe falava ou mandava uma carta à cada seis meses. Ainda em 1988, nasce sua segunda filha, Mariana, porém seu casamento com Ines atravessa uma crise inevitável.

Em 1989, grava Barrio negro, e Bella del Alhambra. Dois anos mais tarde, em 1991, conhece Vivian Domínguez, por quem se apaixona à primeira vista. Vivian torna-se a causa da separação definitiva entre Ines e César. Ainda em 1991, o ator grava o filme Gertrudis.

Em 1993, após mais de dez anos de experiência em cinema e televisão, César Évora decide se mudar para o México. Chega ao país com 42 dólares e com sua nova esposa grávida de Carla, sua terceira filha.

Chegando em terras aztecas, consegue, na Televisa, sua primeira participação em uma telenovela, Coração selvagem. Após a conclusão da trama César pensa em regressar à Cuba, mas a emissora lhe faz outras propostas e renova seu contrato para mais seis anos. A telenovela lhe abre as portas para um lugar permanente entre os melodramas mexicanos.

Em 1994, participa em Agujetas de color de rosa e, um ano mais tarde, na telenovela Si Dios me quita la vida, defende seu primeiro protagonista: um cubano que foge de seu país.

Em 1996, chegam os títulos Luz Clarita e Canavial de paixões e, em 1997, grava a telenovela Gente bien. Na pele de Jaime Dumas, vive um homem sem escrúpulos, muito ambicioso e mulherengo.

Em 1998, grava O privilégio de amar, interpretando João da Cruz, um sacerdote dividido entre o amor pelo sagrado e por uma mulher; para fazer o personagem o ator busca várias citações bíblicas que chegam ao coração do público. Tanto é o carinho recebido pelo público que até mesmo a Igreja Católica destaca sua interpretação.

Em 1999, obtém a cidadania mexicana em uma cerimônia encabeçada pelo então presidente Ernesto Zedillo, no Palacio Nacional. Para César esta foi somente uma formalidade, pois já se sentia mexicano desde que havia pisado no país. Ainda em 1999, interpreta um dos papéis mais importantes de sua carreira em Laberintos de pasión.

Em 2000, atua na peça teatral Yo miento, tú mientes, todos mentimos, e grava a telenovela Abraça-me muito forte, onde interpreta o perverso Frederico, um homem ambicioso, mulherengo e rancoroso.

Em 2001, grava a telenovela Manancial. Ao recusar o papel de Justo, já que acabara de sair da pele de um vilão, prefere interpretar algo diferente e, mesmo em um papel pequeno, mostra uma faceta diferente e interessante.

Em 2002, protagoniza No limite da paixão, interpretando Otávio, que, mesmo sozinho, luta pela vida e alcança uma boa posição econômica, tornando-se um homem livre. Ao regressar ao lugar onde havia crescido, conhece uma mulher pela qual se deslumbra completamente. Neste mesmo ano faz uma breve participação especial em Así son ellas.

Em 2003, interpreta Atílio Montenegro, em Mariana da noite, uma telenovela que passa despercebida no Brasil, mas que no México tem grande reconhecimento e inclusive é considerada pelo próprio César a telenovela onde vive um de seus melhores personagens.

Em 2004, se junta ao ator Fernando Colunga no projeto teatral Trampa de muerte e, em 2005, atua em A madrasta, interpretando Estevão San Román. Durante as gravações decide abandonar o vício pelo cigarro. Após, começa a sentir mudanças favoráveis em sua saúde e com esta decisão evita um grande problema, pois padecendo de tosse crônica, passa por situações incômodas durante o trabalho.

Ainda em 2005, muda seu look radicalmente e surpreende na telenovela La esposa virgen, onde junto de Adela Noriega, dá vida ao louco Serenata, um andarilho esfarrapado. Para fazer o personagem, César se inspira em um mendigo de Cuba, a quem todos conhecem como El caballero de Paris. O ator não se nega em realizar o personagem, algo muito diferente do que havia feito durante toda sua carreira.

Em 2006, atua em Mundo de feras, onde interpreta dois personagens, o protagonista Gabriel, e o vilão Damião, irmãos gêmeos com personalidades distintas.

Em 2007, enquanto trabalha na obra Cartas de amor, chegam importantes projetos: participa na produção comemorativa dos cinquenta anos das telenovelas no México, Amor sin maquillaje, e nas telenovelas Yo amo a Juan Querendón, e Al diablo con los guapos, nesta última junto de Allison Lozz e Laura Flores.

Em 2008, realiza a obra teatral Pareja abierta, onde vive Pipo Alvarado, esposo de Nina Martínez, interpretada pela atriz portorriquenha Cordelia González. A obra apresentada em Porto Rico e Miami, recebe convites para se apresentar em várias cidades dos Estados Unidos, como Chicago e Nova Iorque, bem como na Venezuela, Colômbia e Equador.

César sempre sentiu interesse em conhecer os lugares onde viveu uma das civilizações mais antigas do mundo, assim, ao terminar a primeira temporada de Pareja abierta em Porto Rico, finalmente pôde conhecer as montanhas do Himalaya, no continente asiático.

Em 2009, César Évora regressa às telinhas na telenovela En nombre del amor e, nesse mesmo ano, viaja até a República Dominicana para rodar Tropico de sangre, filme que marca seu retorno às telonas após mais de dezessete anos. O filme, dirigido por Juan Deláncer, reúne, entre outros, os atores Michelle Rodríguez, Juan Fernández, Celinés Toribio e Franklin Domínguez.

Em 2010, Évora interpreta Emiliano em Llena de amor, um homem maduro e rico empresário, correto e justiceiro que dá tudo para defender o que é seu. Neste telenovela, o ator compartilha créditos com Ariadne Díaz, Valentino Lanus, Azela Robinson, Altair Jarabo, Laura Flores, Lucía Méndez, entre outros.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2010 - Llena de amor (Emiliano)
2009 - En nombre del amor (Eugenio)
2007 - Al diablo con los guapos (Constancio)
2007 - Yo amo a Juan Querendón (Samuel)
2007 - Amor sin maquillaje (Pedro)
2006 - Mundo de feras (Gabriel/Damião)
2005 - A madrasta (Estevão)
2005 - La esposa virgen (Edmundo “Loco Serenata”)
2003 - Mariana da noite (Atílio)
2002 - Así son ellas (Luis)
2002 - No limite da paixão (Otávio)
2001 - Manancial (Rigoberto)
2000 - Abraça-me muito forte (Frederico)
1999 - Laberintos de pasión (Gabriel)
1998 - O privilégio de amar (Padre João da Cruz)
1997 - Gente bien (Jaime)
1996 - Luz Clarita (Mariano)
1996 - Canavial de paixões (Amador)
1995 - Si Dios me quita la vida (Antonio)
1994 - Agujetas color de rosa (Esteban)
1993 - Coração selvagem (Marcelo)

FILMES

2009 - Tropico de sangre (Antonio)
1991 - Gertrudis (Pedro)
1989 - Bella del Alhambra (Amante de Rachel)
1989 - Barrio negro
1986 - Capablanca (Capablanca)
1986 - Un hombre de éxito (Javier)
1985 - Novia para David (Professor)
1984 - Habanera (José Luis)
1983 - Amada
1981 - Cecilia

PEÇAS TEATRAIS

2008 - Pareja abierta
2006 - Cartas de amor
2004 - Trampa de muerte
1998 - Tú mientes, yo miento, todos mentimos


SUAS PREMIAÇÕES

PRÊMIOS TVYNOVELAS

2007 - Melhor ator antagônico (Mundo de feras)
2004 - Melhor ator antagônico (Mariana da noite)
2001 - Melhor ator antagônico (Abraça-me muito forte)
2000 - Melhor ator de elenco (Laberintos de pasión)
1999 - Melhor ator de elenco (O privilégio de amar)
Blog Widget by LinkWithin

11 comentários:

Andy disse...

O que posso falar sobre César Evora? Eu não sei! Adoro o trabalho dele, sua forma de atuar. Independente de estar vivendo mocinho ou vilão, César arrasa mesmo. Por exemplo, sou mais ele que Fernando Colunga. César é maravilhoso, intenso e demais. Sem exagero!

Anônimo disse...

eu adorei a biografia acho ele um ator maximo

josielma disse...

EU AMO ESSE ATOR,ELE BEM QUE PODERIA VIR FAZER UMA NOVELA NO BRASIL SENDO O PROTAGONISTA JUNTO COM VICTORIA RUFFO,TOMARA QUE ELE LEIA ISSO E PASSE PARA VICTORIA,ELES VÃO SER BEM RECEBIDO AQUI NO BRASIL.BJOS AMO VCS

Anônimo disse...

amo cesar evora e victoria ruffo eles formam um casal perfeito não só na novela ele é muito bonito e charmoso e ela também essa novela a madrasta é uma das melhores das mexicanas que já assisti tem que repetir várias outras vezes pois não canso de assisti-la assim como a novela a usurpadora e o cesar evora tá se saindo melhor que o fernando colunga pois é mais galã que ele amo todos voces beijo!

vera baptista disse...

Amo Cesar Evaro e Victoria Ruffo, sao atores simplismente incriveis. Passam uma verdade em cada trabalho quem realizam.Amo cada olhar, cada sorriso, cada caricia entre eles. Gostaria de ve los em outra novelas como protagojistas. Sao incriveis demais é muita ternura uma pareja perfeita. Viftoria Ruffo e Cesar Evaro los amo.

Anônimo disse...

cesa evora lindoooo amooo ele um ótimo ator merece sempre o melhor pois fez um ótimo persssonagem em a madrasta e em abrassa me muito forte..... ótimo ótimo ator bjs de sua maior fa
felicidades s2

Anônimo disse...

cesar evora e a victoria ruffo formam um lindo casal. bem que o cesar evora poderia fazer uma festa de aniver aqui em brotas na minha casa e faço aniver no dia 05 de novembro.

Anônimo disse...

Este ator é maravilhor adoro ele.

Regina Magalhaes disse...

sou de Portugal.... adoro este ator, e adorei saber para alem da vida de novelas ... gosto muito dele.... era um sonho poder conhecer pessoalmente....tenho pena e que não passem novelas mexicanas na televisão portuguesa... passou uma mas já foi a muitos anos, foi ai que fiquei a gostar deste ator... adoro-te césar Évora

Sebastiana Rodrigues disse...

Eu amor vitória ruffo e césar evora

Unknown disse...

César evora, maravilhoso, sou fã n 1, muito lindo e talentoso.