segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Canal Caracol estreia três telenovelas

Hoje, 30 de agosto, o canal colombiano Caracol estreia três telenovelas em sua grade de programação: La magia de Sofía e Más sabe el diablo, no período da tarde, e Secretos de familia, no horário nobre noturno.


A primeira, La magia de Sofía, é uma produção da Colombiana de Televisión, e relata a vida da família Caballero, mas com uma particularidade: será desde o ponto de vista de Sofía, uma curiosa menina de oito anos, que tenta explicar o porquê de os adultos serem especialistas em complicarem tudo quando a vida pode ser tão simples.

Por isso, para encontrar respostas, Sofía recorre aos contos que lhe foram contados por seu avô e seu pai, afim de achar semelhanças entre aquelas histórias e as situações que rondam sua vida. Em seu próprio universo mágico, Sofía imagina felizes desenlaces para o mundo complexo das pessoas que são mais velhas que ela.

Protagonizada por Sara Pinzón, La magia de Sofía, conta, ainda, com as presenças de Isabella Córdoba, Nicolás Nocetti, Ana María Abello, María D´Almazzo, Daniel Medina, Mauro Donetti, Mariluz, Jaime Santos, Moisés Cadavid, Margarita Durán, Sandra Ramón, Moisés Gutiérrez, Daniela Rodríguez, entre outros.


A segunda, Más sabe el diablo, é uma produção da Telemundo de 2009, na verdade um remake da telenovela colombiana ¿Por qué diablos?, e conta a história de Ángel Salvador, um jovem que, criado pelas ruas de Nova Iorque, torna-se ladrão e, devido ao assassinato de seu melhor amigo, decide se vingar.

Vivendo em meio a crimes e boas ações, Ángel se apaixona profundamente pela única mulher que o apoiou, Manuela Dávila, noiva de Martín acero, um homem corrupto e sem escrúpulos, que, por ironia do destino, é seu verdadeiro pai.

Más sabe el diablo é protagonizada por Gaby Espino e Jean Carlos Canela, contando, ainda, com a participação de Miguel Varoni, Karla Monroig, Jorge Luis Pila, Carlos Camacho, Roberto Mateos, Jeannette Lehr, Eva Tamargo, Leonardo Daniel, Katalina Krueger, Esperanza Rendon, Jimmie Bernal, Angelly Moncayo, Tali Duclaud, entre outros.


A última, Secretos de familia, é aposta do canal produzida para o horário nobre e retoma um estilo de telenovela moderna, com uma história de mulheres, que mistura o drama, a ação, os conflitos atuais e o descobrimento de segredos, tomando, assim, distância das telenovelas humorísticas.

A telenovela que marca também o retorno à atuação de reconhecidas figuras de primeira linha como Raquel Ercole, Ronald Ayazo e Julio César Luna, é protagonizada por cinco mulheres de diferentes gerações que, na história, estão vinculadas a uma mesma família: a já citada Raquel Ércole, María Cecilia Botero, Marcela Carvajal, Margarita Muñoz e Patricia Vásquez.

Junto a elas, se inclui um amplo elenco que conta com os nomes de Ana Bolena Meza, Javier Delgiudice, Juan Pablo Gamboa, Juan Pablo Espinosa, Luis Alfredo Velasco e a estreia na televisão colombiana do venezuelano Luciano D´alessandro.

Secretos de familia conta a história de Dona Teresa, a matriarca da família San Miguel, família esta que representa a imagem do prestígio e se destaca entre a alta sociedade. Teresa está disposta a revelar um segredo que colocará em risco a estabilidade de sua nora, sua neta e sua bisneta para, assim, poder se livrar de um peso na consciência que tem levado consigo há 25 anos.

As mentiras, os erros e os desamores existem em qualquer família, mas, as mulheres que pertencem a esta família em especial, serão criticadas e julgadas injustamente, somente por serem as San Miguel.

domingo, 29 de agosto de 2010

TV Brasil apresenta Una casa con vista al mar

A TV Brasil exibe neste domingo, 29 de agosto, às 23h00, o filme venezuelano Una casa con vista al mar. Dirigido por Alberto Arvelo, conhecido por suas obras experimentais, o filme é baseado no romance Vicenzino Guerrero, de Freddy Sosa, e na pergunta de um menino da região dos Andes sobre o que é o mar e a impossibilidade de conseguir uma resposta satisfatória.

Gravado em 2001, o filme se desenvolve em Los Andes, de 1948 e, em 93 minutos, conta a história de Tomás Alonso (Imanol Arias) que, em um dia de chuva, enterra sua mulher em companhia de seu filho Santiago (Leandro Arvelo), de doze anos.

De volta à casa, Tomás e Santiago buscam a única lembrança da esposa, uma fotografia tirada em sua juventude, onde pousa candidamente às margens de um mar. Nessa mesma noite, após uma séria conversa, pai e filho se juram valentia, como dois soldados arcaicos que empreendem uma batalha contra a solidão.

Com a morte de sua esposa, Tomás se vê, com seu filho, sozinho em uma casa, no meio das montanhas, junto com seus bois e um campo de trigo. Durante algumas noites, toca violino, como uma forma de aliviar a dor de Santiago pela perda da mãe.

Obcecado com a fotografia de sua mãe no mar, o menino pede à Tomás que fale desse lugar, que lhe diga se nos mares existe bois ou não. O violinista, que nunca esteve fora das montanhas, lhe inventa o mar que imagina: um lugar impossível, ingênuo e magnífico.

Assim, Tomás Alonso e Santiago começam a criar um mundo ao alcance deles mesmos, e dia-a-dia vão edificando uma sorte de mitologia, de instantes, de lugares: falam do mar a cada madrugada enquanto lavram a terra; cortam o trigo e tomam café às tardes de chuva; inventam uma valentia sem exércitos, nem inimigos e perguntam-se como serão os bois que vivem perto do mar.

Com a ansiedade de Santiago pelo mar, Alonso trata de fazer do inóspito local um lugar de sonhos, mas, a chegada de um forasteiro, um fotógrafo itinerante (Gabriel Arcand), e um incidente inesperado desatam os nós da trama. Induzido por moradores cruéis que o desprezam por sua pobreza, Tomás enfrentará um dilema: ser um homem bom e covarde, ou converter-se em um assassino para defender seu filho.

Segundo a crítica, Una casa con vista al mar é uma história íntima desenvolvida ao redor das paixões e adversidades de alguns camponeses residentes nos lugarejos venezuelanos de 1948, mas, ao mesmo tempo, é uma história violenta e esperançada de dois personagens primitivos e elementares: Tomás Alonso e Santiago, e a relação entre eles, após a morte da mãe. Enquanto acontecem as cenas de pai e filho, outra trama vai se desenvolvendo de modo paralelo e introduz um novo personagem, o fotógrafo, sobre quem se estrutura o desenlace da história.

Estrelado pelo ator espanhol Imanol Arias, pelo canadense Gabriel Arcand e pelos venezuelanos Leandro Arvelo, Alejo Felipe e Héctor Manrique, Una casa con vista al mar foi gravado em tempo recorde de sete semanas, participou de mais de 57 festivais internacionais e recebeu mais de uma dúzia de prêmios no ano de sua estreia.

Fez muito sucesso na Europa, onde foi lançado comercialmente em 2003, lotando as salas de cinema, em cada apresentação. Conseguiu o prêmio do público no Festival La cità, de Biarritz, e no Festival de Cinema Ibero-americano, de Huelva, em 2001, assim como o prêmio Glauber Rocha e da Fipresci no Festival Internacional do Novo Cinema Latino-americano, de Havana. Além disso se apresentou na seção Made in Spanish, do Festival de cinema de San Sebastián, em 2001 e foi a proposto ao Oscar pela Venezuela como o Melhor filme de língua não inglesa.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Quase anjos ganhará versão espanhola


A Telefónica de Contenidos fechou um acordo com a Azul Ficción, RGB Entertainment, Cris Morena Group e Televisa para participar na adaptação espanhola da telenovela argentina Quase anjos, uma comédia juvenil cheia de romance, amor, intrigas, rebeldia, mistério, aventura e música, criada por Cris Morena Group e RGB Entertainment.

A adaptação manterá a ideia original da trama, mas com conteúdo dirigido a um público mais adulto. O acordo de colaboração tornou possível a gravação de um programa piloto que se iniciou na Espanha com a realização do casting, e que continuou na Argentina durante o mês de julho, nos estúdios Pampa, localizados em Martínez, com uma equipe de 200 pessoas, entre elenco, produção, direção, técnicos, cenógrafos, etc.

A produção executiva do projeto esteve a cargo de Nieves Olmedo, da Azul Ficción, com a supervisão do diretor de conteúdos da RGB Entertainment, Darío Turovelzky, e da equipe da Telefónica de Contenidos. Se espera chegar a um acordo com alguma emissora espanhola nas próximas semanas.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Mulheres assassinas - Emma, costureira


DATA
26/08/10

HORÁRIO
22h45

CANAL
Rede CNT

COM
Verónica  Castro, Héctor Suárez, Carlos Bracho, Carlos Bonavides, Cecilia Tijerina, Alexandra de la Mora, Alejandro Villeli, Ricardo Barona, Alfredo Herrera e José Astorga

RESUMO
Em um ateliê de costura, marido e mulher trabalham e convivem harmoniosamente. Porém, certo dia, dois assaltantes entram no local e, mesmo diante dos apelos do casal, não se contentam com o pouco dinheiro que levam e um dos bandidos decide atirar no homem.

A partir desse momento a vida no lugar toma outro rumo: Mário acaba ficando paralítico em razão dos disparos sofridos, e Emma segue na sua luta diária, trabalhando muito para cumprir os prazos de entrega, cuidando ao máximo do marido e fazendo de tudo para manter o salário dos empregados e as contas em dia.

Mas, Mário que desde o acidente, havia aumentado seu caráter autoritário, e por muitas vezes era o causador de constantes discussões, passa a maltratar a mulher e, ainda que possa seguir fazendo os cortes dos tecidos, se nega totalmente a ajudá-la.

Aos poucos, ela começa a sentir dificuldades e, para piorar, Mário contrata uma bela jovem para lhe fazer massagens relaxantes. Acontece que, de repente, Emma descobre que a casa está hipotecada, que a energia elétrica foi cortada e que a situação ruma para a falência.

Tudo se complica quando Emma descobre que Mário hipotecou a casa para emprestar dinheiro, com o qual passa a encher de presentes a bela jovem que de repente passa também a lhe proporcionar momentos de satisfação sexual.

Emma surpreende o casal e isto lhe causa uma grande revolta. Então, ela decide por um fim naquela situação: joga cinco litros de querosene em Mário, que está na cama, e ateia fogo, transformando aquele local num verdadeiro inferno.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O caso Gabriela Spanic


Instalada na Cidade do México, onde desfruta do êxito graças ao papel de Ivana Dorantes, a vilã na telenovela Soy tu dueña, a atriz venezuelana Gabriela Spanic, de 36 anos, vinha sofrendo, há quase quatro meses, sérios problemas de saúde que foram se agravando com o passar do tempo.

A princípio, a atriz havia declarado que os problemas se deviam ao cansaço, ao excesso de trabalho, ao clima ou a alguma comida que não lhe havia caído bem. Porém, Gabriela decidiu tomar medidas drásticas ao descobrir que tanto sua mãe, como seu filho e sua babá estavam tendo os mesmos sintomas, assim, decidiram ir todos ao médico.

Após realizarem alguns exames descobriram que o mal-estar era causado porque todos estavam sendo envenenados pouco e pouco e que as consequências poderiam se agravar a longo prazo levando-os ao caminho da morte. Porém, a culpada já tinha nome e sobrenome, era Marcia Celeste Fernández Babio, a assistente, braço direito e confidente da atriz.

Imediatamente, Gabriela e sua mãe se dirigiram à polícia e levantaram uma denúncia contra a assistente por tentativa de assassinato. Como Marcia Celeste lhe havia pedido permissão para viajar à Argentina, seu país de origem, a princípios de agosto, foi detida em seu regresso no último 19 de agosto no sul da Cidade do México, e com ela foram encontradas ampolas de sulfato de amônio, justamente a substância que estava envenenando a família Spanic e a mesma que a polícia havia encontrado nos aposentos da suposta assassina.

Através de um comunicado, a Procuradoria Geral de Justiça do Distrito Federal informou que a acusada, de 24 anos de idade, foi transladada ao Centro de readaptação social feminina Santa Martha Acatitla, por tentativa de homicídio com agravo de quatro pessoas, pois se presume que há quatro meses administrativa a substância nos alimentos e bebidas da família.

Durante sua declaração à polícia, Gabriela explicou que Celeste, como todos a conheciam, foi contratada desde janeiro como sua assistente pessoal e que a partir de abril, tanto ela como sua mãe, seu filho e babá deste, começaram a ter vertigem, dores de cabeça e abdominal, calafrios e debilidade generalizada.

Quando Gabriela recebeu os resultados médicos que haviam detectado o envenenamento por doses de sulfato de amônio, a primeira suspeita foi para sua assistente já que recordou que ela nunca comia nem bebia o mesmo que o restante da família, alegando que já havia comido antes.

MIPCOM: Emissoras preparam suas bagagens


Considerada o principal evento de conteúdo audiovisual do mundo, a MIPCOM, que acontece na cidade de Cannes, França, uma vez ao ano, normalmente em outubro, com duração de cinco dias, constitui-se de fóruns e vitrines para empresas que produzem cinema e programas televisivos. Este ano a feira será realizada de 04 a 08 de outubro.

A cada ano, mais de 13 mil delegados se inscrevem para a feira que oferece oportunidades de co-produção, compra, venda, financiamento e distribuição de entretenimento às empresas que produzem conteúdo digital e audiovisual, para, assim, descobrirem as tendências futuras e comercializarem seus direitos de conteúdos a nível global.

Pela primeira vez as quatro maiores emissoras brasileiras de televisão, Rede Globo, Rede Record, SBT e Rede Bandeirantes, estarão com estrutura própria para a venda de produções nacionais na MIPCOM.

Até 2005, por exemplo, somente a Rede Globo montava sua estrutura no Palais des Festivals et des Congrès para receber compradores para suas telenovelas e outros formatos. Além das redes brasileiras, a Associação Brasileira de Produtoras Independentes (ABPI-TV), sob a marca Brazilian TV Producers, terá novamente um amplo espaço para oferta de produtos e parceiras com mais de 30 produtoras nacionais.

O SBT tem como carro chefe na bagagem Uma rosa com amor, a Rede Record vai negociar, principalmente, Ribeirão do tempo, a Rede Bandeirantes tem na manga Tribunal na TV.

A grande rede de televisão mexicana, a Televisa também estará presente no evento e levará na bagagem telenovelas como Cuando me enamoro, Teresa, Para volver a amar e Llena de amor para oferecer aos seus compradores.

Dentre outras produções que a Televisa oferecerá na MIPCOM estão inclusas Décadas, um formato de variedades; e Sueña conmigo, uma co-produção entre Nickelodeon, Illusion Studios e Televisa.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Biografia de Dominika Paleta


INTRODUÇÃO

Dominika Paleta Paciorek nasceu em 23 de outubro de 1972 na Cracóvia. Filha do reconhecido músico polonês Zbigniew Paleta, que imigrou ao México com sua família nos anos 80, e da artística plástica Bárbara Paciorek, Dominika é irmã da também atriz Ludwika Paleta, e tem como meio-irmão Facundo Paleta Stevens.


SUA HISTÓRIA

Ainda pequena, Dominika chegou ao México, vinda da Cracóvia, após seu pai ter recebido uma excelente oferta de trabalho na capital do país, pela qual resolveu se mudar com toda sua família.

Desde pequena, aparecia em comerciais e participava em uma ou outra obra de teatro, além de papéis com pouca importância em algumas telenovelas, como Vovô e eu, em 1992. Porém, sua grande oportunidade chegaria aos seus 25 anos de idade.

Em 1997, protagoniza a telenovela Amada enemiga, onde demonstra todo seu talento e caráter. Apesar de a telenovela não ter recebido grande aceitação do público, isto não a desanima e sua perseverança se vê recompensada com novas ofertas de trabalho.

Em 1998, volta à telinha como a vilã Leda Durán em A usurpadora, junto de Gaby Spanic e Fernando Colunga. Graças a seu desempenho, obtém o prêmio Eres como Melhor lançamento feminino de 1998.

Em 1999, obtém uma participação especial em Tres mujeres e, logo após, atua em Alma rebelde e grava o filme Un ángel para Pablo. No ano seguinte, em 2000, participa da telenovela Locura de amor, em um papel que demonstra sua versatilidade ao passar de vilã à boa moça e, logo após, em Por un beso. Ainda em 2000 grava um capítulo de Mujer, casos de la vida real, e se casa com o ator uruguaio Fabián Ibarra.

Em 2001, participa em La intrusa, onde interpreta uma jovem rica e esnobe, papel este que ganha reconhecimento da crítica, e com o qual atua ao lado de Arturo Peniche, Laura Zapata, Sergio Sendel e, novamente, Gabriela Spanic.

Em 2003, assina contrato com a rede Telemundo e participa da telenovela El alma herida, compartilhando créditos com Rebecca Jones e Itatí Cantoral. Neste mesmo ano grava o filme Ladies’ night. Após começa a se dedicar às peças de teatro como La prueba, junto de seu cunhado Plutarco e de sua irmã Ludwika, e grava o filme La noche de siempre, em 2004.

Em 2005, novamente pela Telemundo grava Los Plateados, remake de Los Pincheira, uma telenovela chilena de grande sucesso, onde, intepretando um papel antagônico, atua ao lado de Mauricio Islas.

Em 2007, desvenda o mundo da apresentação com o programa Crecer jugando, destinado às mamães com filhos pequenos. Ainda neste ano, grava um episódio da série 13 medos, da Televisa.

Em 2008, interpreta novamente uma vilã na telenovela El juramento, uma produção da Telemundo, baseada em A mentira, escrita por Caridad Bravo Adams; onde compartilha créditos com Natalia Streignard, Osvaldo Rios, e com os grandes atores mexicanos Susana Dosamantes e Héctor Bonilla. Ainda neste ano, atua na peça Los monólogos de la vagina.

Nesse mesmo ano, regressa à Televisa em Amanhã é para sempre, uma produção de Nicandro Díaz, dando vida à Liliana Elizalde, uma jovem que vive atormentada por passar quinze anos em uma clínica psiquiátrica acusada de ter provocado a morte da sua mãe. Nessa telenovela, ela volta a atuar com Fernando Colunga após dez anos. Ainda, na trama, divide cenas com atores como Lucero, Silvia Navarro, Fernando Colunga, Rogelio Guerra e Sergio Sendel, com quem havia contracenado em La intrusa.

Em 2009, Dominika mostra mais uma de suas facetas artísticas, narrando toda história do filme infantil de animação Tinker Bell: Uma aventura no mundo das fadas, acompanhada pelo ator argentino Kike Porcellana.

Em janeiro de 2010, após o grande sucesso em Amanhã é para sempre, o produtor Nicandro Díaz González a convida para viver a protagonista da telenovela Soy tu dueña, remake de La dueña, protagonizado por Lucero e Fernando Colunga, mas ela recusa, dizendo ter outros projetos como cinema e teatro, e ressaltando que ser protagonista para ela não é importante, já que teve essa experiência em 1997, na telenovela Amada enemiga.

Recentemente, volta à televisão a convite do produtor Pedro Torres, onde atua em um dos episódios da terceira temporada da famosa série Mulheres assassinas e, novamente, grava outro filme, Reminiscencia.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2008 - Amanhã é para sempre (Liliana)
2007 - El juramento (Alma)
2005 - Los Plateados (Luciana)
2003 - El alma herida (Patricia)
2001 - La intrusa (Anabella)
2000 - Por un beso (Fernanda)
2000 - Locura de amor (Pamela)
1999 - Alma rebelde (Graciela)
1999 - Tres mujeres (Raquel)
1998 - A usurpadora (Leda)
1997 - Amada enemiga (Jessica)
1992 - Vovô e eu (Participação especial)

SÉRIES

2010 - Mulheres assassinas 3 - Maria, fanática (Maria)
2007 - 13 medos (Erika)
2000 - Mujer, casos de la vida real - Traición
1999 - Camino a casa

FILMES

2010 - Reminiscencia (Elena)
2004 - La noche de siempre (Claudia)
2003 - Ladies’ night (Lila)
1999 - Un ángel para Pablo

PEÇAS TEATRAIS

2008 - Los monólogos de la vagina
2005 - Yo estaba ocupada encontrando respuestas
2004 - La prueba

domingo, 22 de agosto de 2010

TV Brasil apresenta Chicha tu madre

A TV Brasil exibe neste domingo, 22 de agosto, às 23h00, o filme argentino-peruano Chicha tu madre, um drama urbano sazonado com humor que explora a condição humana e a flexibilidade dos parâmetros morais diante da necessidade de se construir, dia após dia, as oportunidades para se seguir em frente em um mundo adverso.

Gravado em 2006, sob a direção e roteiro de Gianfranco Quattrini, o filme conta em 90 minutos a história de Julio César (Jesús Aranda), um homem que ganha a vida como taxista pelas ruas de Lima, Peru, mas que sonha com se dedicar a prever o futuro com o tarô.

Quando este descobre a gravidez de sua filha adolescente Yoselin (Maricarmen Valencia), empreende um perigoso processo de transformação, durante o qual compreenderá que, mesmo não sendo dono de seu destino, ainda assim, é possível encontrar a salvação.

Julio percebe a sua vida como algo pequeno e busca no seu aprendizado e fascínio pelo tarô um sentido maior para a sua existência. O significado místico que as cartas dão ao seu cotidiano parece indicar o seu caminho: ele vai encontrando pessoas e tentando ajudá-las com suas leituras.

Guiado pela sabedoria das cartas, Julio chegará aos braços da prostituta Katlyn (Tula Rodríguez) e conhecerá o enigmático enfermeiro argentino Fabián Canavese (Pablo Brichta), pessoas e encontros que serão decisivos no rumo que tomará sua vida, especialmente quando estiver envolvido em um escândalo esportivo que afetará ao clube de futebol que tanto ama e que agora é liderado por DT Sanguinetti (Jean Pierre Reguerraz), um treinador argentino.

A palavra “chicha“ tem muitos significados. Por um lado é um tipo de bebida nacional, feita à base de milho roxo, que se bebe sem distinções sociais. Por outro, o mesmo termo se refere com desprezo ao que é indigno ou de mau gosto. Finalmente, dizer “Chicha tu madre” é quase um insulto e esse foi o ponto de vista que o autor utilizou para confrontar a vida cotidiana.

O filme que foi visto por mais de 160 mil espectadores no ano de seu lançamento, com excelentes críticas, recebeu o prêmio de Melhor ator para Jesús Aranda, no Festival de Huelva, Espanha. A produção conta, ainda, com as atuações de Tatiana Espinoza, Gilberto Torres, Jorge Rodríguez Paz, Edwin Vásquez, Nidia Bermejo, Luis Ramírez, Karen Dejo, Carlos Mesta, Miguel Iza, Ramón García, Nancy Cavagnari, Liliana Más, Leontina Lais, entre outros.

Biografia de Daniela Luján


INTRODUÇÃO

Daniela Barrios Rodríguez, mais conhecida como Daniela Luján, nasceu em 05 de abril de 1988 na Cidade do México, México. Filha de Miguel Barrios Luján e de Amalia Rodríguez Gómez, a atriz, cantora e apresentadora tem mais duas irmãs, Verónica e Betty.


SUA HISTÓRIA

A jovem Daniela iniciou sua carreira artística aos cinco anos de idade, em 1993, ao ser escolhida entre mais de três mil crianças para participar no programa educativo infantil Vila Sésamo.

Em 1995, aparece em alguns capítulos da telenovela La dueña, personificando a protagonista Regina Montero em sua infância. Após, atua no filme Entre Pancho Villa y una mujer desnuda.

Em 1996, participa na telenovela Luz Clarita, ao lado de César Évora, após uma audição por seis meses na qual participam mais de 800 meninas. Obtendo o papel da terna menina órfã de sete anos que buscava sua mãe, Daniela ganha o coração dos espectadores e torna-se a estrela infantil do momento.

Com esta telenovela, Daniela adquire fama internacional ao ser vista em mais de 80 países, tanto do continente americano, como também na Grécia, Filipinas e Vietam. A telenovela recebe vários reconhecimentos, como o Prêmio ACE (Associação de Cronistas de Espetáculos de Nova Iorque), entregue em 21 de março de 1998, para a revelação feminina.

Devido ao sucesso de Luz Clarita, Daniela inicia a peça teatral Luz Clarita en el país de la fantasía, com direção de Rubén Lara, com quem percorre 56 lugares no México, Porto Rico e Peru, recebendo reconhecimentos nacionais e internacionais.

Em 1997, estando em Porto Rico, grava, na Isla del Encanto, o disco La luz más clarita, com o qual viaja em shows por todo o país, México, Estados Unidos e Filipinas. Ainda neste ano, realiza a obra teatral El sueño de una flor, com a qual percorre vários teatros e casas de espetáculos dos Estados Unidos, onde se apresenta no Radio City Music Hall, de Nova Iorque, obtendo grande sucesso e convertendo-se na primeira menina latina a apresentar-se neste recinto lotado. De tanto sucesso, lança sua turnê por Washington, Chicago, Miami, Los Ángeles, Porto Rico e Filipinas, onde faz um show nos idiomas tagalo, inglês e espanhol.

Em 1998, também em Porto Rico, grava seu primeiro filme Angelito mío, que recebe uma trilha sonora de Daniela. Após o sucesso do filme, grava a minissérie da Telemundo, Después del adiós, onde interpreta uma garota surda-muda, papel que faz com aprenda esta linguagem.

Ainda em 1998, grava Gotinha de amor e atua na obra musical Chapeuzinho Vermelho. Meses depois, obtém o papel protagônico, junto a Martín Ricca, em O diário de Daniela, uma co-produção realizada entre a Televisa, do México e as Filipinas.

O diário de Daniela quebra recordes de audiência no horário infantil da Televisa, bem como em outros países da América Central, do Sul e Caribe. Além disso, é lançado o disco El diario de Daniela, que obtém disco de ouro pelas altas vendagens, além da nomeação ao Grammy Latino. A telenovela torna-se também a primeira na história da televisão moderna a exibir seu capítulo final ao vivo no Estádio Azteca, onde consegue reunir mais de 100 mil pessoas.

Após o grande êxito da telenovela, inicia uma turnê pelo interior da República Mexicana, onde inclui temas de suas produções discográficas anteriores. Este show é apresentado em um dos cenários mais importantes do México: o Auditorio Nacional. Posteriormente leva seu espetáculo musical à República Dominicana e se apresenta no Gran Teatro de Cibao, sendo esta apresentação um enorme sucesso.

Em 1999, realiza sua seguinte produção discográfica, Por un mundo mejor e, no ano seguinte, em 2000, participa da telenovela Primeiro amor - A mil por hora, como irmã mais nova de Anahí. Ainda neste ano, sob a produção de Edgardo Díaz, criador do famoso grupo Menudo, grava, em Miami, Coraz@n.com, onde demonstra sua evolução como artista e pessoa, sendo este um disco pop com temas mais adultos. Viaja até o Brasil, participa de programas televisivos e grava músicas em português com Dennis de Kalaffe, sendo Coração.com e O amor é real, que se torna o tema musical da telenovela Gotinha de amor.

Em 2002, Daniela se dedica à apresentação dos programas juvenis de rádio Alejibre kids, e Generación del milenio, na televisão. Apresenta, ainda, o concurso Intercolegial de baile 2002, e em 30 de abril deste ano, recebe o prêmio Yohualli, como cantora juvenil. Neste mesmo ano assume o maior desafio de sua carreira interpretando o duplo papel de Silvana e Mariana em Cúmplices de um resgate, da produtora Rosy Ocampo, telenovela na qual Daniela substitui Belinda, que havia deixado a trama por problemas com a produtora. Aí atua ao lado de Martín Ricca, com quem já havia trabalhado em O diário de Daniela.

Juntos gravam o disco Cómplices al rescate, el gran final, com o qual realizam La gira oficial de Cómplices al rescate, uma turnê que viaja por toda a República Mexicana durante os meses de julho e agosto de 2002, obtendo mais uma nomeação ao Grammy Latino, em setembro de 2003. Daniela também participa na obra musical ¿En dónde está el mago de Oz? ao lado de Manuel “el loco” Valdés e Miguel Pizarro.

Em 2004, viaja para os Estados Unidos para apresentar o programa musical Ritmo y sabor, da Telemundo, onde tem a oportunidade de entrevistar a atriz e cantora Thalía. Voltando ao México, participa na obra teatral Ariel, una tierna historia de mar, junto a José Joel, e realiza uma pequena aparição em Rebelde.

Em 2005, participa em outra obra musical, nesta ocasião chamada Centella: tierra de magia y estrellas, tendo um curioso cenário aquático no aquário Atlantis, da capital mexicana, onde sofre um acidente que a leva a uma cirurgia em junho deste ano.

Em 2006, apresenta o programa infantil Kids 4 TV e, ainda neste ano participa na peça teatral Vaselina 2 mil 6, compartilhando créditos com os atores Sherlyn, Aarón Díaz e Alex Sirvent; obtendo uma grande aceitação do público interpretando Licha, porém, após cem apresentações encara a personagem Sonia, mostrando uma maturidade interpretativa e vocal, sendo uma das atrizes que mais se destaca neste obra.

Em 22 de março de 2007, estreia no Canal de las estrellas sua participação na produção de Jorge Ortiz Pinedo, Una familia de diez, na qual interpreta Gaby, personagem com a qual pôde demonstrar sua versatilidade se integrando ao gênero da comédia.

Em 2008, realiza o papel de Cinderela, em Cenicienta, un musical para soñar. Já na segunda metade do ano protagoniza La sirenita, el musical más divertido bajo el mar, ambas obras com a participação de José Joel e Miguel Angel Valles. Ao mesmo tempo, participa na obra Radio patito apresentada no Polyforum, da capital mexicana, e em 2009, participa na peça teatral Camisa de fuerza, e El juego, além de voltar às telenovelas com Sortilegio.

Em março de 2010, é publicado em uma revista que Daniela havia ficado grávida e, aparentemente, isto havia ocorrido no ano passado, ao ter se relacionado, pelo período de cinco meses, com um jovem chamado César, de 30 anos.

Além disso, na revista se pode ver as supostas análises feitas pela atriz, onde se mostra onze meses de gestação. Segundo a publicação, uma amiga da atriz que havia dado a conhecer tal informação.

Daniela desmente o fato nos meios de comunicação alegando que isto havia sido somente rumores, já que não poderia estar grávida pois se encontrava gravando Sortilegio e, assim sendo, obviamente, alguém haveria de ter notado uma suposta gravidez.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2009 - Sortilegio (Lissete)
2004 - Rebelde
2002 - Cúmplices de um resgate (Mariana/Silvana)
2000 - Primeiro amor - A mil por hora (Sabrina)
1998 - O diário de Daniela (Daniela)
1998 - Gotinha de amor (Daniela)
1996 - Luz Clarita (Luz Clarita)
1995 - La dueña (Regina - Criança)

SÉRIES

2008 - La rosa de Guadalupe - La niña de mis ojos (Angelica)
2007 - Una familia de diez (Gaby)
2006 - Skimo - El bombón de la custodia
2003 - Mujer, casos de la vida real - La custodia
2003 - Minga y Petraca
1993 - Vila Sésamo (María)

PEÇAS TEATRAIS

2010 - El juego (Danny)
2009 - Cuentos para un día de Sol (Trapitos)
2009 - Abracadabra
2009 - Camisa de fuerza
2008 - Radio patito
2008 - La sirenita, el musical
2008 - La Cenicienta
2006 - Vaselina (Licha/Sonia)
2005 - Centella, tierra de magia y estrellas (Princesa Catite)
2004 - Ariel, una tierna historia de mar
2003 - ¿En dónde está el mago de Oz? (Doroty)
1998 - Caperucita roja
1997 - El sueño de una flor
1996 - Luz clarita en el país de la fantasía

FILMES

1998 - Angelito mío
1995 - Entre Pancho Villa y una mujer desnuda

SUA DISCOGRAFIA

2009 - Tanta mujer
2000 - Cor@zón.com
1999 - Por un mundo mejor

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Mulheres assassinas - Claudia, esfaqueadora


DATA
19/08/10

HORÁRIO
22h45

CANAL
Rede CNT

COM
Natalia Esperón, Rafael Amaya, Mauricio Barcelata, Lilia Aragón e Luis Couturier

RESUMO
Claudia é uma mulher jovem e bonita, mas vive num mundo paralelo à realidade. Sua vida é baseada no uso de drogas e na busca desenfreada por todos os prazeres possíveis. Mesmo assim, seus tios sempre procuraram lhe oferecer o melhor na tentativa de que ela pudesse encontrar o melhor caminho para sua vida.

A primeira vitória foi conseguir que ela se casasse com Oscar, um jovem sem muitas pretensões, mas que ama Claudia de verdade e tem com ela uma filha. Só que Claudia não quer saber do marido e nem da filha e vive pelo submundo à procura de novas drogas e novos parceiros para suas aventuras sexuais.

De repente ela conhece Jorge, um boa vida que faz dos bares o seu objetivo para grandes ou pequenos golpes. Com ele, Claudia vê uma parceria sólida, já que ambos possuem os mesmos conceitos a respeito da vida.

Um dia, precisando de dinheiro para as drogas ela arquiteta um plano, aparentemente sem maiores problemas: roubar a casa dos tios, já que, tendo a combinação do cofre, seria fácil pegar o dinheiro que eles lá mantinham.

Ela, Jorge e mais um amigo vão a casa com o objetivo de roubar, porém o casal está em casa e a situação toma outro rumo. Repentinamente Claudia pega uma faca e ataca os tios, transformando o lugar num cenário de puro horror. Claudia será condenada a 50 anos de prisão.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Biografia de Gabriela Spanic


INTRODUÇÃO

Gabriela Elena Spanic Utrera nasceu em 10 de dezembro de 1973 na cidade de Ortiz, estado de Guarico, na Venezuela. Filha de Norma Utrera, venezuelana, e Casemiro Spanic, descendente de croatas, que chegou à Venezuela em 1947, a atriz, cantora e modelo tem Daniela como sua irmã gêmea, além de Antonio, irmão do meio e Patricia, a caçula.


SUA HISTÓRIA

Gabriela Spanic, desde os tempos do colégio, participava dos grupos de teatro experimental, iniciando, assim, uma carreira amadora, que precederia inúmeros sucessos anos depois. Estudou dois semestres do curso de Psicologia enquanto alternava com aulas de atuação no Centro de Investigación do Teatro Luz Columba, dirigido por Nelson Ortega, convencida de que sua praia não era a Psicologia, mas, sim, estar em frente às câmeras.

Preparou-se para o canto junto a companhia Producciones Eleonora Paolino C.A. e fez parte do Centro de Entrenamiento para Profesionales de la Comunicación da Organización Diego Cisneros, onde realizou vários cursos de aperfeiçoamento profissional, como luta e técnica para cinema e televisão, voz e articulação, expressão corporal e movimento escênico para a televisão.

Ingressou no Taller Libre para el Actor, onde realizou diferentes cursos de aperfeiçoamento profissional, como arte dramática, voz e dicção e relações humanas. No Herman Institute preparou-se como modelo profissional, onde realizou cursos de etiqueta, poses fotográficas, maquiagem profissional e superação pessoal.

Como muitas atrizes e atores famosos, Gabriela começou a aparecer na televisão, ainda adolescente, como figurante, em papéis sem falas. Após, ganhou pequenas participações em telenovelas venezuelanas como Mundo de fieras, de 1991, e Divina obsesión, La loba herida, e Rosangélica, de 1992. Sabendo que somente a perfeição física poderia lhe ajudar a participar e abrir o caminho para os papéis principais das telenovelas, decidiu fazer uma dieta alimentar, através da qual perdeu 25 quilos em um curto espaço de tempo.

Ainda em 1992, participa do concurso Miss Venezuela, representando seu estado de Guarico. Ganha na categoria Melhor corpo e consegue ser miss Venezuela Internacional, dando o primeiro passo de sua carreira. Após o título, passa a trabalhar como modelo profissional, participa em concursos a nível mundial, e também em programas como Cristina, em Miami; Giros TV, Maite, Estrenos y estrellas, Sábado sensacional e 24 horas, na Venezuela; e Señora y Bella, e Estilo, no Panamá.

Em 1993, realiza vários comerciais para a televisão entre os quais se destacam as campanhas publicitárias da Hacienda Las Maravillas, Olimpico, Gap, Kache Internacional, Tropicana, Avant Premier e Pre-Venta Venevisión. Pouco a pouco, os produtores começam a admirá-la, assim, nesse mesmo ano, é convidada para demonstrar seu talento em Morena Clara, interpretando a vilã Linda Prado.

Em 1994, atua em Maria Celeste, que estabelece seu talento e a prepara para seu primeiro papel protagônico em Como tú, ninguna, na pele da personagem Gilda Barreto. A produção alcança uma das maiores audiências já registradas na Venezuela e é considerada uma das telenovelas de maior êxito da história do país, sendo vendida para mais de 80 países e traduzida em vários idiomas. Nesta trama, Gaby volta a trabalhar com Miguel de León, seu galã da vez, quem havia conhecido em Maria Celeste, e com ele inicia um romance que ultrapassa a telinha.

Em 1996, consegue outro papel na telenovela Quirpa de tres mujeres, onde reafirma suas qualidades cômicas e se destaca com a personagem principal juvenil Emiliana. Ainda neste ano, inicia as gravações de Todo por tu amor, telenovela na qual demonstra que é uma atriz multifaces no drama e na comédia, com sua personagem Amaranta, “una cosa divina”, slogan que a identifica em todo o mundo.

Em 1997, é convidada especial do Concurso Miss Venezuela, além disso participa de diferentes shows musicais, como Mister Venezuela em La casa del artista. Participa, também, em diferentes programas beneficientes como Unidos contra el cáncer, La cruz roja e Maternidad Concepción Palacios, na Venezuela.

Em 22 de outubro de 1997, após o término das gravações de Todo por tu amor, Gabriela e Miguel de León decidem se casar e, logo após, ambos recebem um convite para trabalhar no México. Em vez de desfrutarem a lua-de-mel, após cinco dias do casamento embarcam para a Hollywood das telenovelas. Já no país, ambos sentem-se completamente estrangeiros, sem conhecer ninguém. Começam aulas de pronunciação pois deveriam deixar para trás o sotaque venezuelano.

Em 1998, o escritor Carlos Romero, com quem Gaby havia trabalhado em Como tú, ninguna, lhe propõe um novo desafio: A usurpadora. Anteriormente seria Thalía quem interpretaria o papel das irmãs gêmeas, mas, não podendo aceitá-lo, Romero decide por Gabriela Spanic, ela ou mais ninguém. Seu marido, Miguel, também consegue um papel na trama, interpretando o milionário Douglas Maldonado. A decisão de Romero é a mais acertada e a história das gêmeas Paulina e Paola rompe recordes e é vendida para mais de 120 países, sendo traduzida em diversos idiomas.

Em 1999, Gaby vive Maria do Céu ao lado de Saúl Lisazo, em Por teu amor, onde continua conquistando seu público com uma personagem diferente, uma mulher com um caráter forte e, ao mesmo tempo, muito doce.

Ainda no final de 1999, Gaby, sem maquiagem, roupa simples e cabelo preso tenta passar despercebida em sua visita pelo Brasil, mas, para sua surpresa, milhares de fãs ansiosos nas ruas à sua espera causam um tumulto geral e a imprensa logo nota sua presença. Muito espantada com o reconhecimento, dá uns poucos autógrafos e parte rumo ao hotel, deixando uma aparência de assustada com toda aquela situação.

No dia seguinte, já recuperada do susto, faz uma entrevista coletiva acompanhada por Miguel de León. Responde a milhares de perguntas, sempre muito humorada e conta sobre a sua dieta maluca que a fez emagrecer 25 quilos em aproximadamente três meses, e sobre seu sucesso em A usurpadora ao redor do mundo.

Participa de diversos programas de televisão e, sempre simpática e sorridente, arrasa nas entrevistas, demonstrando sempre ser uma pessoa simples, que não havia deixado o sucesso lhe subir a cabeça. Em todas as entrevistas, afirma o desejo de ser mãe e de ter no mínimo cinco filhos. Grava nos estúdios do SBT um comercial para o Baú da Felicidade e uma propaganda para promover os últimos capítulos de A usurpadora.

Em março de 2000, Gaby visita a Eslovênia e a Croácia, acompanhada por sua irmã Daniela e pelo coordenador de operações internacionais da Televisa, Héctor Cárdenas Saavedra. Graças ao convite da revista Gloria, da Croácia, a atriz encontra seus parentes perdidos no país e a grande família dos Spanic se reúne em Zagreb, capital croata, para um grande jantar. Após a viagem, cheia de emoções para ambas irmãs, decidem visitar a Indonésia, a Espanha e as Filipinas.

Ainda em 2000, realiza sua terceira telenovela no México, La intrusa, ao lado de Arturo Peniche. Novamente nesta trama, Gaby interpreta irmãs gêmeas, as personagens Virginia e Vanessa. A telenovela não alcança o êxito obtido pela atriz em 1998, como se esperava, e muitos julgam a produção como uma pura cópia de A usurpadora, mas, mesmo tendo títulos similares, a história é totalmente diferente. A telenovela termina em 2001 e também nesse ano finaliza o contrato exclusivo de três anos com a Televisa.

Em junho de 2002, Gaby chega à Colômbia, contratada pela Telemundo NBC, e protagoniza La venganza, onde trabalha com José Ángel Llamas, realizando dois papéis em um só corpo: Valentina Díaz, uma boxeadora, e Elena Roldán, sua mãe. O êxito se estende por alguns meses a mais que o previsto e o tempo total de gravação dura um ano e três meses.

Pouco tempo depois, a atriz assina um contrato de exclusividade por três anos com a emissora e, posteriormente, se divorcia de Miguel de León. Neste período, Gaby e Llamas mantêm um tumultuado e comentado romance que tem fim seis meses depois. A telenovela torna-se marco de entrada da Telemundo no meio produtor de telenovelas e La venganza é vendida para mais de 40 países.

Em 2005, grava Prisionera, onde protagoniza Guadalupe, ao lado de Maurício Islas. Nesse mesmo ano, Gaby realiza um sonho antigo de ser cantora, entra para o ramo empresário e lança no mercado europeu o box Gabriela 2005 Total, que inclui sua auto-biografia, intitulada Mi vida entre líneas, escrito pela atriz, traduzido em vários idiomas, e seu primeiro disco, estreando como cantora e compositora, já que dos onze temas cantados, sete são de sua autoria, além de um calendário e um DVD com receitas de cozinha revelando os segredos de sua boa forma.

Ainda neste ano, faz uma turnê promocional do box visitando a Romênia, Eslovênia, Espanha, Praga, Croácia, Sérvia e Lituânia. Após o fechamento das apresentações com grande êxito, Gaby participa, na Romênia, na telenovela Sólo el amor, junto ao ator Lucian Viziru, tornando-se a única atriz latina a participar de uma telenovela nesse país.

Também em 2005, Gaby grava um episódio da série Decisões da vida, da Telemundo, e trabalha contra a violência doméstica junto a Fundación Lideres de Paz, INC. e, durante o ano de 2006, grava um vídeo de exercícios intitulado Mejorando tu vida, distribuído pela Warner.

Ainda em 2006, grava a telenovela Tierra de pasiones, onde interpreta Valeria San Román, uma rica empresária do mundo dos vinhedos da Califórnia, de caráter forte e batalhador. Com esse papel, Gaby conquista o prêmio FAMA 2006 na categoria de Melhor atriz do ano nos Estados Unidos e é eleita pelos estadunidenses como a atriz latina mais poderosa.

Tendo uma carreira brilhante como atriz, Gabriela tem vivido distante de sua irmã gêmea Daniela Spanic, e de seu cunhado Ademar Nahum, a quem Gabriela considera o responsável pelo afastamento de Daniela de toda a família devido à uma crise desencadeada durante um problema de saúde que Daniela sofreu no México, onde esteve em coma durante vários dias após sofrer um derrame cerebral, quando estava grávida de quatro meses de sua filha Catalina. Mesmo após a recuperação de Daniela e o nascimento da sobrinha, desde então as irmãs não se falam.

Em 2007, Gaby participa novamente da série Decisões da vida, da Telemundo e, em 07 de julho de 2008, dá à luz seu filho Gabriel de Jesús, que nasce no hospital Mont Sinaí de Miami Beach, sul da Flórida. O pai da criança, o empresário venezuelano Neil Pérez, não reconhece o filho, nem registra a criança, exigindo de Gabriela teste de DNA, algo que ela prontamente se nega a fazer e somente o faria mediante a Justiça. Devido a isso ela também não tem um bom convívio com o empresário.

Logo ao final de 2009 Gabriela retorna ao México, fazendo aumentar as especulações de que poderia voltar às telenovelas mexicanas. As especulações tornam-se verdadeiras e a rede Televisa a chama para participar da telenovela Soy tu dueña, do produtor Nicandro Díaz González.

Assim, em 2010, Gabriela Spanic interpreta Ivana Dorantes, em Soy tu dueña, uma mulher sensual, egoísta e ambiciosa que inveja secretamente sua prima Valentina, interpretada pela atriz Lucero. Confabulada com Alonso, seu amante, intepretado por David Zepeda, planeja despojá-la de sua fortuna, além de roubar-lhe José Miguel, intepretado por Fernando Colunga, o verdadeiro amor de sua prima.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2010 - Soy tu dueña (Ivana)
2006 - Tierra de pasiones (Valeria)
2005 - Sólo el amor
2004 - Prisionera (Gadalupe)
2002 - La venganza (Valentina)
2001 - La intrusa (Virginia/Vanessa)
1999 - Por teu amor (Aurora/Maria do Céu)
1998 - Mas allá de La usurpadora (Paulina/Paola)
1998 - A usurpadora (Paulina/Paola)
1996 - Todo por tu amor (Amaranta)
1996 - Quirpa de tres mujeres (Emiliana)
1996 - Como tú, ninguna (Gilda/Raquel)
1994 - Maria Celeste (Celina)
1993 - Morena Clara (Linda Prado)
1992 - Rosangélica (Karla)
1992 - La loba herida
1992 - Divina obsesión
1991 - Mundo de fieras

SÉRIES

2007 - Decisões da vida - A la tercera va la vencida (Daniela)
2005 - Decisões da vida - Un amor verdadero (Mariela)


SUA DISCOGRAFÍA

2005 - Total

SEUS PRÊMIOS

2009 - Festival de cinema de Beverly Hills - Prêmio de estrela latina do ano
2009 - Los 30 grandes de la televisión mexicana
2009 - Prêmios Lo nuestro - Atriz mais bem vestida
2006 - Prêmios FAMA - Estrela latina nos Estados Unidos
2005 - Prêmio Las palmas de oro
2003 - Prêmio da Indústria da televisão espanhola - Melhor atriz do ano
1998 - Prêmio Festival de la Creatividad México
1997 - Prêmio Magaly Dorta - Melhor atriz do ano
1997 - Prêmio Chaima de oro - Melhor atriz revelação do ano e Garota Chaima Bolívar
1995 - Prêmio Gaviota de oro - Melhor atriz jovem do ano
1995 - Premio Antoni's de Oro - Melhor atriz jovem do ano
1995 - Prêmio Casa del Artista - Melhor atriz jovem do ano
1995 - Prêmio Revista Páginas - Rosto televisivo do ano


OUTROS RECONHECIMENTOS

Honra ao mérito de primeira classe da prefeitura de Ortiz do estado Guarico
Honra ao mérito de segunda classe da prefeitura de San Juan de los Morros
Honra ao mérito das Forças Armadas do estado Guarico
Reconhecimento de Venezolana de Televisión
Telecaribe como Melhor atriz jovem do ano

terça-feira, 17 de agosto de 2010

O SBT acertou em colocar Canavial de paixões durante o período eleitoral?


Confira o resultado da enquete:


Sim: 40 votos (55%)

Não: 21 votos (29%)

Talvez: 11 votos (15%)


Total de votos: 72


Hoje, 17 de agosto, às 20h00, o SBT reestreia Canavial de paixões, uma telenovela produzida pela emissora em 2003, baseada no texto original de Caridad Bravo Adams. A versão original, produzida por Humberto Zurita, em 1996, para a Televisa, também foi exibida no Brasil pela Rede CNT/Gazeta, em 1997, época em que os dubladores entraram em greve e a telenovela teve de ser exibida legendada em sua reta final. Essa versão contou com as atuações protagônicas de Daniela Castro, Juan Soler, Francisco Gattorno e Patricia Navidad.

Na versão brasileira, adaptada por Henrique Zambelli e Simoni Boer, com supervisão de texto de Ecila Pedroso e direção geral de teledramaturgia de David Grimberg, os mesmos personagens são interpretados por Bianca castanho, Gustavo Haddad, Thierry Figueira e Ana Cecília Costa.

Mais uma vez, agora numa versão compacta de 70 capítulos, Canavial de paixões recontará a história de Clara, Paulo, Mirela e João de Deus que se passa no pequeno povoado católico chamado São Bento dos Canaviais, onde a economia é baseada no plantio de cana e na produção de açúcar, principalmente do Grupo Usineiro Giácomo.

Teresa (Débora Duarte) é esposa do poderoso usineiro Amador Giácomo (Victor Fasano), e sempre suportou os casos extraconjugais do marido. Mesmo assim, nunca permitiu que sua família se aproximasse da família Santos, temendo que um amor juvenil que houve entre seu marido e Débora Faberman (Claudia Ohana), esposa de Fausto Santos (Jandir Ferrari), fosse revivido.

Clara, Paulo, João de Deus e Mirela, desde crianças, nutrem uma grande amizade, apesar das diferenças sociais. Mas a desconfiança e o preconceito dos adultos faz com que elas sofram até se tornarem adultas.

Teresa Giácomo impede que seu filho Paulo mantenha amizade com Clara, filha de Débora, a quem Teresa acha que era amante de seu marido. Teresa também não quer que Paulo tenha amizade com João de Deus, por ser um órfão criado pelo padre da paróquia, nem com Mirela, menina órfã que vive humildemente com a avó curandeira.

Paulo também sofre com a crise conjugal dos pais e procura a curandeira Remédios (Wanda Stefânia), que lhe dá um amuleto capaz de reaproximá-los. A tentativa de Paulo fracassa quando Teresa recusa o amuleto. Clara é quem fica com o talismã, selando misticamente o eterno amor entre ela e Paulo.

Com a morte de Débora Faberman, mãe de Clara, sua irmã maquiavélica Raquel (Helena Fernandes) se casa com Fausto, seu cunhado. Ela faz com que a paternidade de Clara seja motivo de desconfiança e Fausto passa a rejeitar a filha.

Passam-se quinze anos e o casamento de Fausto e Raquel se transforma num fiasco. Clara (Bianca Castanho) tenta se reaproximar do pai, mas continua sendo rejeitada. Mesmo com o passar dos anos, ele ainda desconfia do passado de Débora Faberman e da paternidade da filha.

João de Deus (Thierry Figueira) é responsável pela sobrevivência do canavial de Fausto. A produção de cana é vendida para outra usina, já que o Grupo Usineiro Giácomo não aceita a união dos negócios com a família Santos. Clara tenta renegociar com Teresa, mas suas tentativas são em vão.

Agenor, braço direito de Teresa, é responsável pelo Grupo Usineiro Giácomo, que prospera cada vez mais. Inescrupuloso, ele manda e desmanda de acordo com seu humor e interesse de realizar seus planos. Agenor substitui o patrão na usina e no coração de Teresa, uma mulher angustiada que não consegue esquecer a humilhação que sofreu no passado.

Paulo volta para São Bento já formado e, reencontrando Clara, o amor entre os dois floresce novamente. Teresa fará de tudo para separar os dois, e poderá contar com a ajuda de Regina, noiva de Paulo.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Biografia de Juan Soler


INTRODUÇÃO

Juan Soler Valls Quiroga nasceu em 19 de janeiro de 1966 na cidade de San Miguel de Tucumán, Argentina. Filho de Juan Soler e de Quequi Valls, o ator é o primogênito do casal, tendo como irmãos Facundo, María José e María Inés. É conhecido especialmente por seu trabalho em telenovelas mexicanas, onde tem desenvolvido uma extensa carreira na Televisa.


SUA HISTÓRIA

Em sua cidade natal tornou-se conhecido como jogador de rugby, esporte pelo qual era apaixonado e que também lhe deu a oportunidade de representar seu país por três anos. Porém, em 1988, iniciou-se como modelo fotográfico e de moda, profissão que o levou à ocupação que desenvolve até hoje, a atuação.

Em 1991, após haver atuado em obras de teatro infantil em Buenos Aires, capital argentina, decide mudar-se para o México em busca de uma oportunidade no mundo das telenovelas. Ainda nesse ano, em 04 de julho, nasce Valentina, sua primeira filha, que vive na Argentina com sua mãe, Karina.

Em 1995, faz uma pequena participação na telenovela A força de uma mulher, exibida no Brasil pela Rede CNT/Gazeta. Nesse mesmo ano, atua em Acapulco, cuerpo y alma.

Em 1996, recebe seu primeiro papel protagônico na telenovela Canavial de paixões, também exibida pela Rede CNT/Gazeta, onde interpreta Paulo. Com esse papel, Juan ganha reconhecimento e recebe o prêmio de Melhor ator do ano na premiação TVyNovelas.

Em 1997, atua, ao lado de Verónica Castro, em Pueblo chico, infierno grande, papel que lhe concede seu segundo prêmio TVyNovelas, dessa vez como Melhor ator jovem. No ano seguinte, o produtor da telenovela, satisfeito com o trabalho de Juan, o convida para atuar em Angela, ao lado de Angélica Rivera.

Em 1999, Juan recebe um convite para trabalhar no Peru, na telenovela María Emilia, querida, que é acolhida com muito sucesso.

Em 2000, retorna ao México para protagonizar Locura de amor, tendo vários conflitos com a protagonista Adriana Nieto, que acaba sendo substituída por Irán Castillo.

Em 2001, participa da telenovela Sin pecado concebido e, em 2002, protagoniza A outra, ao lado de Yadhira Carrillo. Por esse trabalho, recebe novamente o prêmio de Melhor ator pela revista TVyNovelas.

Em 20 de dezembro de 2003, se casa em Acapulco com a atriz Magdalena Moguilevsky, conhecida como Maki e, neste mesmo ano participa da telenovela Bajo la misma piel, do produtor Carlos Moreno Laguillo, onde interpreta Alejandro, um homem simples, sincero e muito autêntico que se apaixona perdidamente por Miranda, papel realizado por Kate del Castillo.

Em 2004, participa de Apuesta por un amor, onde compartilha créditos com Roberto Palazuelos, Alejandra Avalos e Eric del Castillo. Neste mesmo ano é cotado para o papel de Alessandro, em Rubi, porém, o ator que só aceitaria o papel se a protagonista fosse Patricia Manterola, é substituído por Eduardo Santamarina. Ainda neste ano, em 18 de dezembro, nasce sua filha Mia.

Em 2006, aparece em A feia mais bela, onde entra na segunda fase da telenovela no papel de Aldo Domenzaín, um belo chefe de cozinha que disputa o amor da protagonista Letícia com Fernando Mendiola.

Em 20 de fevereiro de 2007, nasce Azul, sua terceira filha, e, nesse mesmo ano protagoniza a telenovela Palabra de mujer, sob a produção de José Alberto Castro.

Em 2008, protagoniza o capítulo Sonia, desalmada, em Mulheres assassinas e, em 2010, após dois anos longe das telinhas, regressa às telenovelas ao lado de Silvia Navarro, em Cuando me enamoro… se detiene el tiempo.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2010 - Cuando me enamoro (Jerónimo)
2007 - Palabra de mujer (Martín)
2006 - A feia mais bela (Aldo)
2004 - Apuesta por un amor (Gabriel)
2003 - Bajo la misma piel (Alejandro)
2002 - A outra (Álvaro)
2001 - Sin pecado concebido (Octavio)
2000 - Locura de amor (Dr. Enrique)
1999 - María Emilia, querida (Alejandro)
1998 - Angela (Mariano)
1997 - Pueblo chico, infierno grande (Genaro)
1996 - Canavial de paixões (Paulo)
1995 - Acapulco, cuerpo y alma (Humberto)
1995 - A força de uma mulher (Marcelo)
1995 - Montaña rusa (Federico)

SÉRIES

2010 - Hermanos y detectives - Diez minutos antes de morir
2008 - Mulheres assassinas - Sonia, desalmada (Fernando)
2007 - E agora, que faço? - Meu novo amigo (Juan)
2006 - Amor mío - Mi gran boda gringa (Pablo)

PEÇAS TEATRAIS

2008 - Hasta que la boda nos separe
2000 - Me fascina mi vecina
1999 - P.D. Tu gato ha muerto
1997 - Bajo las sábanas
1993 - Juego de sociedad


SEUS PRÊMIOS

PRÊMIOS TVYNOVELAS

2003 - Melhor ator protagônico (A outra)
1998 - Melhor ator jovem (Pueblo chico, infierno grande)
1997 - Melhor ator protagônico (Canavial de paixões)

domingo, 15 de agosto de 2010

TV Brasil apresenta Las horas del día

A TV Brasil apresenta neste domingo, 15 de agosto, às 23h00, o filme espanhol Las horas del día. Considerado pela crítica o mais inquietante filme espanhol dos últimos tempos, o primeiro longa do diretor Jaime Rosales é um retrato do comportamento de um homem medíocre, cuja única particularidade é matar.

Gravado em 2003, com roteiro de Jaime Rosales e Enric Rufas, Las horas del día, conta, em 110 minutos, a história de Abel (Alex Brendemühl), um jovem comum, bem integrado na sociedade, que vive uma rotina entediante em uma pequena cidade nos arredores de Barcelona.

Sua vida gira em torno de seu pequeno negócio de família, uma loja de roupas, da casa de sua mãe (María Antonia Martínez) que o ignora, à casa da namorada Tere (Ágata Roca), que já não aguenta sua apatia, e da banca de jornal da esquina aos bares e cafés da vizinhança.

São sempre os mesmos problemas, os mesmos rostos e as mesmas conversas. No entanto, em sua calma exterior, algo, inexplicavelmente, muda e ele se transforma em um assassino serial.

Em 1998, um artigo sobre assassinos seriais publicado no The Times caiu nas mãos de Jaime Rosales. Nesse artigo, vários especialistas relatavam diferentes teorias sobre o fenômeno dos assassinos em série nas sociedade ocidentais ao longo do século vinte.

Como todos os casos eram diferentes, os especialistas não chegaram a um acordo sobre as causas nem os motivos, mas em uma coisa muitos coincidiam: a maioria dos assassinos eram pessoas normais, pessoas tão normais aos olhos dos demais que parecia inconcebível que poderiam ser capazes de realizar crimes monstruosos.

Se perguntando o que é ser uma pessoa normal e o que existe por trás de alguém que se levanta, vai ao trabalho, come, sorri, sofre e volta a se levantar no dia seguinte como qualquer outro vizinho do bairro, Jaime Rosales e Enric Rufas tiveram a ideia de escrever um roteiro diferente, um filme que mostrasse uma vida tal como ela é, mas com todas suas contradições: a vida de um homem normal, que às vezes mata. Uma vida carregada de conflitos cotidianos e sem importância, pequenos conflitos econômicos, amorosos, de convivência, encontros e desencontros motivados pelo azar e pelo destino.

Assim nasceu o roteiro de Las horas del día, um filme distinto no panorama do cinema espanhol. Sendo profundamente realista não julga ou condena seu personagem central. Não há bons nem maus nessa história atroz, não há intriga nem investigação, não há psicologia, nem explicações. Há um boa dose de cinema em estado puro, para amantes de filmes extremos.

No ano de seu lançamento, Las horas del día recebeu o prêmio Fipresci, concedido pelo Sindicato Francês da Crítica de Cinema, paralelamente ao Festival de Cannes. A partir de então, o filme de Rosales foi indicado a Melhor filme europeu Discovery, na Academia Europeia de Cinema; recebeu o prêmio de Melhor diretor no Festival Opera Prima de Tudela, na Espanha; além de duas nomeações para os Prêmios Goya de Melhor diretor e Melhor roteiro original.

Alma indomável: Em breve na Rede CNT


A Rede CNT está prestes a estrear Alma indomável, uma telenovela da Venevisión International, escrita por Alberto Gómez, o mesmo de Acorrentada, e gravada entre 2008 e 2009 no sul da Flórida, Estados Unidos, em belas locações externas com muito colorido, vegetação natural e animais campestres, além de paisagens exuberantes, praias magníficas, e majestosas mansões.

Protagonizada por Scarlet Ortiz e José Ángel Llamas, com atuações antagônicas de Lilibeth Morillo e Luis José Santander, Alma indomável conta a história de uma bela mulher do campo, Alma, neta do milionário Patrício Sorrento, e, portanto, herdeira legítima de sua fortuna. Alma foi criada na mais desprezível pobreza, como uma selvagem inculta, por uma mulher cruel que a recebeu quando era apenas um bebê, sem que esta conhecesse sua verdadeira origem. Um jogo do destino a leva à luxuosa fazenda de Patrício, onde lhe darão morada por pena, e é aí onde sua vida começará a mudar para sempre.

Ao conhecer o administrador da fazenda, João Paulo Robles, seu coração lhe dirá que ele é o amor de sua vida. Mas esse grande amor não estará destinado a florescer facilmente, já que vários personagens cruéis, além de certas circunstâncias infortunadas, conspirarão para manter os apaixonados separados.

A vida leva João Paulo e Alma por caminhos diferentes. Impulsionados por motivos inevitáveis ambos se casarão com outras pessoas, mas nem o tempo, nem a distância conseguirão apagar o que sentem um pelo outro. Enquanto isso, Alma passará por uma transformação radical, tornando-se uma famosa top model, refinada e elegante. Após receber seus próprios milhões, e por fim tomar posse da herança que lhe corresponde, ela regressará à fazenda onde passou por tantas humilhações, mas, agora, como a dona.

Com o passar do tempo, os casamentos de João Paulo e de Alma fracassarão, o que os deixarão livres para reavivar seu amor uma vez mais. No entanto, surgirá um novo obstáculo: a perversa Abigail Richardi, outra bela modelo, que estará decidida, a qualquer custo, a ficar com João Paulo e, em sua tentativa, destruir Alma.

Apesar de seu novo refinamento, o caráter de Alma continuará intacto, e ela se negará a ser vencida pela maldade. Somente o poder do amor poderá conquistar sua alma indomável.

A telenovela já estreou com grande êxito nos Estados Unidos, Estônia, Bolívia, Colômbia, Chile, Panamá, Equador, Honduras e República Dominicana, entre outros. Com um elenco composto por Lisette Morelos, Patty Álvarez, Maite Embil, Leonardo Daniel, Karina Mora, Adita Riera, Franklin Virgüez, Isabel Moreno, Martha Picanes, Alan Ibarra, Yadira Santana, Yul Burkle, Esperanza Rendon, Rodolfo Jiménez, Kenya Hijuelos, Oscar Corbella, Tali Duclaud, Juan Vidal, Roberto Leverman, Yami Quintero, Nelida Ponce, Julio Capote e Gabriel Parisi, agora é a vez do Brasil exibir a trama, que, originalmente teve 165 capítulos.

sábado, 14 de agosto de 2010

Maria Celeste


NOME ORIGINAL
María Celeste

ESCRITORES
Yoyiana Ahumada, Daniel Álvarez, Gabriela Domínguez, Valentina Párraga, Luis Zelkowicz

PRODUTORA
Mariana Monzón

PAÍS DE ORIGEM
Venezuela

NÚMERO DE EPISÓDIOS
152

ANO DE GRAVAÇÃO
1994

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede Bandeirantes

TEMA DE ABERTURA
Piénsalo dos veces

INTÉRPRETE
Luis Fernando

Puede ser que tú mañana quieras volver a este rincón
donde tú y yo, una y mil noches,
pusimos al amor un broche de pasión.

Y por eso y porque aún te quiero
y tal vez no tengas luego la ocasión.

Piénsalo dos veces antes de marcharte,
piénsalo, si he fallado en algo, si algo te ha hecho daño, dimelo.
Piensa si lo que mereces, es más de lo que me ofreces.

Piénsalo dos veces antes de quedarte sin mi amor,
antes de que empieces a buscar a otro igual que yo,
antes de que des el salto, júrame que has de pensarlo.

Que tal vez mañana sea tarde y otra ocupe tu lugar
hasta cuando pueda yo esperarte a ti,
será mejor que no lo intentes con probar.

Y por eso y porque aún te quiero
este amor no es ningun juego vuelve atrás

Piénsalo dos veces antes de marcharte, piénsalo…


ELENCO

Sonya Smith: Maria Celeste Paniagua

Miguel de León: Santiago Azpurua

Belén Díaz: Martírio Paniagua

Fedra López: Irania Paniagua

Gabriela Spanic: Celina Hidalgo

Eduardo Luna: César Augusto

Adolfo Cubas: Horácio

Aroldo Betancourt: Manaure

Rafael Briceño: Patrício Hidalgo

Ernesto Balzi: Tibério

Orangel Delfín: Rodolfo

Mauricio González: Cupertino

Carolina Mota: Ximena

Angélica Arenas: Consuelo

Ileana Jacket: Hermínia

Aidita Artigas: Sarita

Cristina Obín: Octávia

Sandra Juhaz: Marilu

Gaspar González: Manuel

Jose Angel Urdaneta: Samario

Freddy Romero: Isaías

Diego Acuña: Valladares

Marielena Pereira: Marisol


INTRODUÇÃO

Gravada em 1994 pela Venevisión, Maria Celeste foi o pontapé inicial do romance real vivido por Gabriela Spanic e Miguel de León, após se conhecerem durante as gravações da telenovela. Se apaixonaram dois anos depois, quando protagonizaram Como tú, ninguna e se casaram, porém, após sete anos marcados por duras declarações e polêmicas, se divorciaram.


RESUMO

Maria Celeste é uma jovem doce e alegre, criada por Martírio Paniagua, uma mulher pobre, porém honrada; e está convencida de que esta é sua verdadeira mãe, mas se engana; Maria Celeste é, na verdade, filha de uma jovem milionária, chamada Celina, que foi deserdada nos anos setenta por se casar com um músico roqueiro, César Augusto.

Maria Celeste é cuidada por Martírio desde que seus pais morreram em um trágico acidente de circunstâncias misteriosas. Sendo grande amiga da mãe da menina, Martírio a registrou e a criou ao lado de sua verdadeira filha, Irania.

Obrigada a procurar trabalho para ajudar em casa, Maria Celeste chega por casualidade ao Consórcio Hidalgo, sem saber que essa importante empresa pertence a seu avô materno, Patrício Hidalgo que, há anos, trata de encontrar sua neta que perdeu junto de sua filha por culpa de sua intransigência.

O destino decidiu que Maria Celeste deveria regressar à sua verdadeira família e, além disso, encontrar o amor de sua vida, Santiago Azpurua, seu chefe no Consorcio Hidalgo e afilhado de Patrício.

No entanto, nada será fácil para a bela Maria Celeste. Ao descobrir sua verdadeira identidade, Irania, sua irmã postiça, colocará em prática um plano maligno para convencer a todos de que ela sim é a verdadeira herdeira da fortuna Hidalgo, e em seu plano conseguirá roubar até mesmo o amor de Santiago.

A partir deste momento, um redemoinho de mentiras e intrigas envolve Maria Celeste, que, com a injusta imagem de usurpadora, foge envolvida em suspeitas e acusações. Porém, após a desesperação, ela volta para cobrar vingança, justiça e, mais que tudo, sua honra, o respeito e a felicidade. Finalmente, o amor e a justiça triunfam, e ela, por fim, poderá desfrutar do lugar que lhe corresponde e viver a felicidade junto de Santiago.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O que torna a telenovela brasileira um grande êxito?


Assim como o restante da América Latina, a telenovela brasileira se baseia na tradição do gênero ficcional narrativo, mas pode-se afirmar que o Brasil é, talvez, o país onde a telenovela se desenvolveu com mais êxito, pois permitiu-se investir em outros subgêneros como o cômico, o policial, o imaginário e inclusive o documentário, com traços etnográficos.

O êxito da telenovela brasileira, segundo os críticos, se deve à união de vários elementos, como a qualidade técnica e utilização da mais sofisticada tecnologia da televisão; o grau de profissionalismo dos roteiristas e atores; o abandono do discurso maniqueísta; as gravações em cenários naturais e também a exploração da sensualidade.

Ainda nestas produções se recorre ao uso de linguagens mais coloquiais, inclusive regionais, assim como a aparição de anti-herois e de discursos que se distanciam dos clássicos como a Cinderela, pelo contrário, são discursos críticos que contemplam uma série de comportamentos sociais, onde se mostra, através de diferentes histórias, aspectos culturais, de costumes, de crenças e de moda.

Um fenômeno identificador da telenovela brasileira é sua proximidade com o cotidiano. Ela ocupa um lugar preferencial entre as famílias e nela os brasileiros se autoconhecem. O negro, o branco, o imigrante, o operário, o agricultor, a mulher, o homem, as paisagens rurais e urbanas são protagonistas. A brasilidade é uma espécie de conciliação entre os elementos que identificam a pluralidade da nação brasileira.

As transformações tecnológicas e as exigências do mercado audiovisual também refletem na evolução da proposta estética e temática apresentada pela telenovela do país. No processo produtivo da telenovela várias são as fases percorridas desde a apresentação da ideia até o fechamento do orçamento.

Posteriormente, se efetua uma seleção dos integrantes da produção: realizador, diretor artístico, atores, atrizes e figurantes. Além disso, escolhem-se as locações e se desenha as cenografias tanto externas como internas, porque outra de suas características é a mistura entre os dois tipos de ambientes.

Um aspecto importante da produção é a iluminação porque ressalta alguns objetos e suprime outros, permite modificar ideias sobre o tamanho e a distância de pinturas e de ambientes. E o Brasil também tem seu destaque no manejo da iluminação, tanto interna como externa, ao utilizar técnicas cada vez mais sofisticadas, sem descuidar dos detalhes.

O ritmo de montagem das telenovelas brasileiras é ágil, o corte de câmera mantém uma boa velocidade, os efeitos especiais funcionam perfeitamente e não são utilizados em excesso, o restante é complementado como o uso de uma música original, como elemento simbólico.

Em síntese, pode-se dizer que as telenovelas produzidas pelas principais emissoras do país são um bom produto de exportação devido à sua qualidade de produção, assim como Caminho das Índias, exportada para mais de 90 países.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mulheres assassinas - Sonia, desalmada


DATA
12/08/10

HORÁRIO
22h45

CANAL
Rede CNT

COM
Leticia Calderón, Juan Soler, Grettell Valdéz e Nuria Bages

RESUMO
Sonia é uma mulher bonita que já chegou aos trinta anos de idade e que carrega consigo alguns dramas da infância. O medo e a insegurança causados pelo próprio pai são seus inimigos naturais no presente e, diante disso, leva uma vida, de certo modo, conturbada ao lado do marido Fernando, um conceituado médico que diante das situações causadas pela esposa em seu relacionamento não perde a oportunidade de ter relacionamentos extraconjugais, principalmente com algumas enfermeiras que atuam no hospital onde trabalha.

Essas infidelidades esporádicas até que não chegam a abalar a vida de Sonia, porém quando aparece no hospital a jovem Marcela, que faz residência, as coisas prometem mudar radicalmente.

Dr. Fernando e Marcela se atraem logo de cara e começam um ardente romance que vai abalar de vez as estruturas de Sonia. Marcela é bem mais nova e provoca inveja até nas enfermeiras que trabalham com ela e que já tiveram seus momentos de amor com o mulherengo doutor.

Sonia passa a espionar os dois, desiludida pela triste descoberta, começa a planejar uma maneira de se desfazer de sua rival. Os ciúmes, o ódio e a sede de vingança se apoderam desta mulher, que acaba por realizar um plano sinistro.

Ela consegue atrair Marcela para seu carro para ter apenas uma simples conversa. Ali, ela surpreende a enfermeira com uma seringa onde injeta um forte sedativo. A moça acorda na casa de Sonia que vai se transformar num cenário de puro terror e terríveis tormentos.

Para Sonia, esta é a única forma para que sua rival sofra as consequências por ter se envolvido com um homem casado. A situação chegará a um horrível ponto de inflexão que desencadeará um trágico final.

As vinhetas de abertura de telenovelas

A definição de vinheta na televisão pode ser: peça de curta metragem, constituída de algum tipo de signo ou representação, composta de elementos imagéticos, sonoros e mensagem de expressão verbal, usada com fim informativo, decorativo, ilustrativo, de remate, de chamada, de passagem, de identificação institucional e de organização do espaço televisivo, etc.

Na televisão, ela tem várias funções e recebe denominações próprias: vinheta de identidade, vinheta de chamada, vinheta de passagem e vinheta de abertura, sendo esta última o foco desta postagem.

A vinheta de abertura da telenovela é uma parte importante da história já que, além de apresentar a canção principal que fica marcada e sempre será recordada, apresenta os personagens que farão parte da trama.

A aberturas das telenovelas internacionais, principalmente mexicanas, fogem do estilo da computação gráfica, talvez por questões de orçamento, e são como trailers que fazem um pequeno resumo da própria história com cenas dos atores fazendo caras e bocas com os créditos por cima, mas há quem goste.

Já as telenovelas brasileiras usam e abusam da computação gráfica e para a construção de aberturas utilizam elementos tridimensionais computadorizados; formato wide (com as tarjas pretas); efeitos fractais ou até mesmo fotos antigas sobrepostas e organizadas em um ritmo de stop-motion de modo a formar uma animação e contar histórias; entre outros.

As imagens das vinhetas de abertura sempre trazem consigo um sistema de narrativa específica para tal programa, um signo de identificação, o logotipo e a música. Elas são criadas por uma combinação artística de desenhos de traços livres, de formas geométricas, com técnicas de cores e de luz manipulada em movimento por processos informatizados: localiza-se no plano da aparência e da ilusão. São geradas com os recursos da técnica, originada do imaginário, materializada no papel e, posteriormente, digitalizadas.

A música certamente atua no inconsciente do público; o que caracteriza o investimento na criatividade estética das vinhetas de abertura é agradar. Através dos sons, a abertura é carregada de intencionalidade. A partir do momento em que ela se torna familiar, atribuem-se significados àquilo que se ouve.

As vinhetas brasileiras constituem, em suma, formas de expressão com poder de comunicação significativa, subdivididas em formas distintas, ocupando funções específicas. Tais projetos transmitem mensagens, mesmo sendo de curta metragem, normalmente sessenta segundos.

Seus principais elementos constitutivos, a imagem e o som, são formas desenvolvidas graças ao fato de o homem percebê-los como entidades culturais comunicativas. A imagem, em todas as suas formas, estática ou em movimento, produzida por habilidades humanas, pela técnica e pelo design, tais como: o desenho, a pintura, a fotografia, a câmara, a arte e o computador, aliada à possibilidade técnica da reprodução em série, representa, historicamente, um dos instrumentos mais poderosos e responsáveis pela formação do imaginário das sociedades modernas.

Assim, a vinheta de abertura é o resultado da mistura de elementos que contêm significados próprios e da manipulação dos significados de repertórios pertencentes ao imaginário, à cultura e aos símbolos.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Biografia de César Évora


INTRODUÇÃO

César Évora Diaz nasceu em 04 de novembro de 1959 em Havana, Cuba. Filho de Tony Evora, pintor, desenhista e músico, e da senhora Maria J. Diaz, é ator de cinema, teatro e televisão, conhecido fundamentalmente por seus papéis em telenovelas mexicanas, onde tem desenvolvido a parte mais importante de sua carreira.


SUA HISTÓRIA

Com apenas cinco de idade, César Évora assiste ao divórcio de seu pai e de sua mãe que, trabalhando como secretária em uma escola, passa a criá-lo com a ajuda do avô. Seu pai viaja para a então Checoslováquia com sua segunda mulher e lá é surpreendido pela invasão russa. Até os oito anos de idade, César fica sem saber nenhuma notícia do pai e chega a odiá-lo.

Durante sua trajetória escolar sempre era escolhido para que abrisse os festivais ou declamasse alguma poesia, já que sempre se caracterizou por ter uma voz muito peculiar. Terminando os estudos e devido ao interesse pelos minerais e pela busca de petróleo em sua terra natal, se matricula no curso de Geofísica, carreira que a uma semana de haver iniciado esteve a ponto de abandonar, mas teve que esperar três anos, já que se desistisse antes teria que ingressar no exército cubano e lá permanecer por dois anos.

Em 1976, sendo ainda muito jovem, César tem que trabalhar como professor devido aos problemas econômicos que enfrenta sua família. Dando aulas de desenho, história, matemática, física e até mesmo educação física, recebe um salário simbólico que nem mesmo cobre o transporte que utiliza.

Em 1979, ainda em dúvida quanto à escolha de uma carreira, César assiste a gravação de um filme e, a partir desse momento, entende o que quer fazer da vida. Descobre sua vocação e o que lhe interessa: estar detrás das câmeras. Porém, neste mesmo dia, ao chegar em casa, recebe a notícia de que seu avô havia morrido.

Em 1981, conquista sua primeira grande oportunidade ao protagonizar, em sua terra natal, Cuba, o filme Cecilia, baseado na literatura do país. Após ser selecionado entre 500 inscritos, César se apaixona pela atuação e decide estudar no Instituto Superior de Artes.

Em 1982, aos 23 anos, se casa com Ines Martorel e, no ano seguinte, grava o filme Amada. Em 1984 atua em outra produção, chamada Habanera.

Em 1985, grava o filme Novia para David e, em 1986, Capablanca, e Un hombre de éxito, que o transportam para fora da ilha. Ainda em 1986, nasce seu primeiro filho, Rafael.

Em 1988, viaja para Nova Iorque para fazer teatro, o que lhe atribui uma maior experiência a nível profissional. Aí se reencontra com seu pai após 20 anos sem vê-lo e, em um primeiro momento, ambos reagem como estranhos, mas esclarecem muitas coisas. Ao crescer somente ao lado de sua mãe, tinha poucas recordações do pai que sempre se encontrava viajando e somente lhe falava ou mandava uma carta à cada seis meses. Ainda em 1988, nasce sua segunda filha, Mariana, porém seu casamento com Ines atravessa uma crise inevitável.

Em 1989, grava Barrio negro, e Bella del Alhambra. Dois anos mais tarde, em 1991, conhece Vivian Domínguez, por quem se apaixona à primeira vista. Vivian torna-se a causa da separação definitiva entre Ines e César. Ainda em 1991, o ator grava o filme Gertrudis.

Em 1993, após mais de dez anos de experiência em cinema e televisão, César Évora decide se mudar para o México. Chega ao país com 42 dólares e com sua nova esposa grávida de Carla, sua terceira filha.

Chegando em terras aztecas, consegue, na Televisa, sua primeira participação em uma telenovela, Coração selvagem. Após a conclusão da trama César pensa em regressar à Cuba, mas a emissora lhe faz outras propostas e renova seu contrato para mais seis anos. A telenovela lhe abre as portas para um lugar permanente entre os melodramas mexicanos.

Em 1994, participa em Agujetas de color de rosa e, um ano mais tarde, na telenovela Si Dios me quita la vida, defende seu primeiro protagonista: um cubano que foge de seu país.

Em 1996, chegam os títulos Luz Clarita e Canavial de paixões e, em 1997, grava a telenovela Gente bien. Na pele de Jaime Dumas, vive um homem sem escrúpulos, muito ambicioso e mulherengo.

Em 1998, grava O privilégio de amar, interpretando João da Cruz, um sacerdote dividido entre o amor pelo sagrado e por uma mulher; para fazer o personagem o ator busca várias citações bíblicas que chegam ao coração do público. Tanto é o carinho recebido pelo público que até mesmo a Igreja Católica destaca sua interpretação.

Em 1999, obtém a cidadania mexicana em uma cerimônia encabeçada pelo então presidente Ernesto Zedillo, no Palacio Nacional. Para César esta foi somente uma formalidade, pois já se sentia mexicano desde que havia pisado no país. Ainda em 1999, interpreta um dos papéis mais importantes de sua carreira em Laberintos de pasión.

Em 2000, atua na peça teatral Yo miento, tú mientes, todos mentimos, e grava a telenovela Abraça-me muito forte, onde interpreta o perverso Frederico, um homem ambicioso, mulherengo e rancoroso.

Em 2001, grava a telenovela Manancial. Ao recusar o papel de Justo, já que acabara de sair da pele de um vilão, prefere interpretar algo diferente e, mesmo em um papel pequeno, mostra uma faceta diferente e interessante.

Em 2002, protagoniza No limite da paixão, interpretando Otávio, que, mesmo sozinho, luta pela vida e alcança uma boa posição econômica, tornando-se um homem livre. Ao regressar ao lugar onde havia crescido, conhece uma mulher pela qual se deslumbra completamente. Neste mesmo ano faz uma breve participação especial em Así son ellas.

Em 2003, interpreta Atílio Montenegro, em Mariana da noite, uma telenovela que passa despercebida no Brasil, mas que no México tem grande reconhecimento e inclusive é considerada pelo próprio César a telenovela onde vive um de seus melhores personagens.

Em 2004, se junta ao ator Fernando Colunga no projeto teatral Trampa de muerte e, em 2005, atua em A madrasta, interpretando Estevão San Román. Durante as gravações decide abandonar o vício pelo cigarro. Após, começa a sentir mudanças favoráveis em sua saúde e com esta decisão evita um grande problema, pois padecendo de tosse crônica, passa por situações incômodas durante o trabalho.

Ainda em 2005, muda seu look radicalmente e surpreende na telenovela La esposa virgen, onde junto de Adela Noriega, dá vida ao louco Serenata, um andarilho esfarrapado. Para fazer o personagem, César se inspira em um mendigo de Cuba, a quem todos conhecem como El caballero de Paris. O ator não se nega em realizar o personagem, algo muito diferente do que havia feito durante toda sua carreira.

Em 2006, atua em Mundo de feras, onde interpreta dois personagens, o protagonista Gabriel, e o vilão Damião, irmãos gêmeos com personalidades distintas.

Em 2007, enquanto trabalha na obra Cartas de amor, chegam importantes projetos: participa na produção comemorativa dos cinquenta anos das telenovelas no México, Amor sin maquillaje, e nas telenovelas Yo amo a Juan Querendón, e Al diablo con los guapos, nesta última junto de Allison Lozz e Laura Flores.

Em 2008, realiza a obra teatral Pareja abierta, onde vive Pipo Alvarado, esposo de Nina Martínez, interpretada pela atriz portorriquenha Cordelia González. A obra apresentada em Porto Rico e Miami, recebe convites para se apresentar em várias cidades dos Estados Unidos, como Chicago e Nova Iorque, bem como na Venezuela, Colômbia e Equador.

César sempre sentiu interesse em conhecer os lugares onde viveu uma das civilizações mais antigas do mundo, assim, ao terminar a primeira temporada de Pareja abierta em Porto Rico, finalmente pôde conhecer as montanhas do Himalaya, no continente asiático.

Em 2009, César Évora regressa às telinhas na telenovela En nombre del amor e, nesse mesmo ano, viaja até a República Dominicana para rodar Tropico de sangre, filme que marca seu retorno às telonas após mais de dezessete anos. O filme, dirigido por Juan Deláncer, reúne, entre outros, os atores Michelle Rodríguez, Juan Fernández, Celinés Toribio e Franklin Domínguez.

Em 2010, Évora interpreta Emiliano em Llena de amor, um homem maduro e rico empresário, correto e justiceiro que dá tudo para defender o que é seu. Neste telenovela, o ator compartilha créditos com Ariadne Díaz, Valentino Lanus, Azela Robinson, Altair Jarabo, Laura Flores, Lucía Méndez, entre outros.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2010 - Llena de amor (Emiliano)
2009 - En nombre del amor (Eugenio)
2007 - Al diablo con los guapos (Constancio)
2007 - Yo amo a Juan Querendón (Samuel)
2007 - Amor sin maquillaje (Pedro)
2006 - Mundo de feras (Gabriel/Damião)
2005 - A madrasta (Estevão)
2005 - La esposa virgen (Edmundo “Loco Serenata”)
2003 - Mariana da noite (Atílio)
2002 - Así son ellas (Luis)
2002 - No limite da paixão (Otávio)
2001 - Manancial (Rigoberto)
2000 - Abraça-me muito forte (Frederico)
1999 - Laberintos de pasión (Gabriel)
1998 - O privilégio de amar (Padre João da Cruz)
1997 - Gente bien (Jaime)
1996 - Luz Clarita (Mariano)
1996 - Canavial de paixões (Amador)
1995 - Si Dios me quita la vida (Antonio)
1994 - Agujetas color de rosa (Esteban)
1993 - Coração selvagem (Marcelo)

FILMES

2009 - Tropico de sangre (Antonio)
1991 - Gertrudis (Pedro)
1989 - Bella del Alhambra (Amante de Rachel)
1989 - Barrio negro
1986 - Capablanca (Capablanca)
1986 - Un hombre de éxito (Javier)
1985 - Novia para David (Professor)
1984 - Habanera (José Luis)
1983 - Amada
1981 - Cecilia

PEÇAS TEATRAIS

2008 - Pareja abierta
2006 - Cartas de amor
2004 - Trampa de muerte
1998 - Tú mientes, yo miento, todos mentimos


SUAS PREMIAÇÕES

PRÊMIOS TVYNOVELAS

2007 - Melhor ator antagônico (Mundo de feras)
2004 - Melhor ator antagônico (Mariana da noite)
2001 - Melhor ator antagônico (Abraça-me muito forte)
2000 - Melhor ator de elenco (Laberintos de pasión)
1999 - Melhor ator de elenco (O privilégio de amar)