segunda-feira, 26 de julho de 2010

La diosa coronada estreia na Telemundo


Hoje, 26 de julho, às 22h30, a Telemundo dos Estados Unidos estreia La diosa coronada, telenovela baseada em fatos reais da vida da colombiana Angie Sanclemente Valencia, uma ex-modelo e Rainha da Beleza Colombiana, que sempre teve a ambição e a beleza como principais atributos.

Com roteiro de Juan Camilo Ferrand, direção de Rodolfo Hoyos e Miguel Varoni e produção executiva de Hugo León Ferrer, La diosa coronada conta um elenco composto por Carolina Guerra, Arap Bethke, Angeline Moncayo, Margarita Reyes, Valentina Lizcano, Carolina Gaitán, Jhon Mario Rivera, Carlos Humberto Camacho, Jonathan Islas, Luces Velasquez, Katherine Porto, entre outros.


A HISTÓRIA DE ANGIE, A NARCOMODELO


Angie nasceu em 25 de maio de 1979, em Bogotá, fruto de uma relação entre Jeaneth Valencia e Ramiro Sanclemente, um funcionário público que as abandonou. Aos dez anos se mudou com sua mãe para Barranquilla, onde, apesar de não ter passando fome, passou por várias dificuldades.

Ainda pequena, Angie queria ser rainha, e sua mãe lhe apoiava, pois a beleza da filha poderia ser um atalho para sair da pobreza. Assim, a garota se propôs a estudar para ser modelo. Anos mais tarde, se tornou vendedora de acessórios de automóveis, e, mesmo sendo tímida, com seus encantos ajudava a alavancar as vendas.

Nessa época conheceu um rapaz de família, Alejandro Velásquez Rasch, o primeiro homem que lhe ajudou sentimental e economicamente. Este lhe presenteou com uma loja para venda de roupas e pagou seus estudos de comunicação social para que cumprisse o projeto de ser apresentadora de um programa de televisão. Ao decorrer de três anos, em 1999, se casaram, mas a união durou pouco: após três meses se separaram.

Despeitada, Angie se dedicou à “modelagem”. Decidiu aumentar o volume dos seios e voltou à Bogotá, sua terra natal, disposta a tudo. Em 2000, Angie obteve o Reinado Nacional do Café, em Calarcá, porém 48 horas depois foi destronada, já que um dos requistos para competir era ser virgem e solteira, nesta ocasião a modelo ainda se encontrava casada oficialmente e participou com documentos falsos.

Sua sogra, Elizabeth Rasch, foi quem saiu divulgando o fato nos meios de comunicação do país. Porém, antes disso, Angie já havia passado por mais quatro concursos: Chica Med, Niña Bogotá, Rostro Más Lindo e Miss Tanga. O escândalo foi grande, Angie chorou na televisão e prometeu devolver o relógio de ouro, o certificado e o cheque que havia recebido como ganhadora.

Após essa fama fugaz, decidiu tomar outros rumos. Se divorciou e três anos mais tarde, em 2003, apareceu mostrando seus atributos em uma página da Internet que promovia mulheres latinas como acompanhantes de homens anglo-saxões. Com a intenção se inserir em um plano internacional, se mudou para a Cidade do México.

Os anos mexicanos foram calientes. Vivia em um apartamento em Polanco, um dos bairros mais elegantes, onde programava apaixonados encontros sexuais com um jovem modelo chamado Matías. Sua vida profissional foi coroada com algumas fotos na revista erótica mexicana H Extremo, de agosto de 2007.

Angie frequentava clubes noturnos sempre rodeada de muitas amizades. Nesses anos conheceu o mundo e teve a oportunidade de se comunicar intimamente com pessoas de diversas nacionalidades. No México, viajava assiduamente para Acapulco e Playa del Carmen, sempre se hospedando nos melhores hotéis, conduzindo os melhores carros e usando as roupas mais caras.

As autoridades pensam que em uma de suas noitadas Angie conheceu um colombiano chamado Eduardo, apelidado de El Flaco ou El monstruo, que a seduziu com presentes caros e a ensinou alguns segredos sobre o narcotráfico. Foi assim que formou parte de uma rede que recrutava belas mulheres e as usava como “mulas” para enviar drogas aos Estados Unidos e Europa. A princípio, era um relacionamento aberto, até que ele a quis por completo e se casaram em 2008.

Sua decadência se iniciou em 13 de dezembro de 2009, quando María, uma de suas modelos, uma argentina de 21 anos, foi detida no aeroporto de Ezeiza, Argentina, com 55 quilos de cocaína em sua bagagem, que deveria levar a Cancún. María ia vestida com calça branca, sapatos de salto alto e uma camisete listrada que fazia com que os olhares se desviassem de sua maleta.

De todos os modos, ela nem tocava a valise, seu acompanhante a depositaria no mostrador e no aeroporto alguém a recolheria para embarcá-la a Europa ou Estados Unidos. A modelo somente teria que viajar na primeira classe, se instalar em um hotel cinco estrelas na Riviera Maya, conhecer personalidades do mundo das drogas e regressar a Buenos Aires como se nada tivesse ocorrido. Por esse trabalho lhe dariam 1.000 dólares antes de ir e outros 4.000 ao voltar, mas algo saiu mal.

Quando estava por embarcar, a polícia aeroportuária a chamou do mostrador e lhe disse que havia um problema com sua bagagem, quem nem mesmo estava camuflada. A jovem ficou detida e, desesperada, decidiu se refugiar na figura de testemunha protegida e declarar tudo o que sabia, ficando em liberdade condicional.

Nessa mesma noite a polícia decidiu investigar um apartamento onde deteve três traficantes. Antes de serem presos, tentaram escapar saltando pela sacada. Um deles, Ariel, também modelo, sofreu várias fraturas e, já no hospital, aceitou falar.

Rapidamente as declarações apontaram para uma só cabeça: Angie. Os detidos confessaram que a operação era dirigida por uma colombiana de curvas salientes que havia chegado na Argentina acompanhada por um cachorro branco. Os investigadores averiguaram quem havia entrado no país nas últimas horas registrando um animal de estimação com essas características e se depararam com o seguinte nome Angie Sanselmente Valencia. Logo se soube que na realidade seu sobrenome paterno havia sido alterado com um ligeiro erro. Quando a polícia federal tratou de procurá-la no hotel onde se alojava desde 07 de dezembro, não encontrou nenhum rastro.

Em 18 de dezembro de 2009, o juiz Marcelo Aguinsky expediu a sentença de captura nacional e internacional contra a modelo que, durante cinco meses, se manteve foragida, até que finalmente em 26 de maio de 2010, um dia após seu aniversário, foi detida num albergue para jovens onde esteve hospedada, no tradicional bairro de Palermo, na cidade de Buenos Aires, fazendo-se passar por uma estudante universitária, sob outra identidade e com um visual diferente após ter pintado os cabelos e engordado alguns quilos.

Em 27 de maio, um dia após sua captura, prestou depoimento por mais de duas horas e, assim como sua mãe, negou as acusações dizendo que havia sido vítima de um complô. Foi encaminhada à unidade operacional da Polícia Aeroportuária de Ezeiza, onde aguardou a decisão sobre seu caso.

Desde 19 de julho de 2010, após ter sido considerada como a suposta chefe da associação ilícita dedicada ao contrabando, com agravante por lidar com drogas destinadas à comercialização, a modelo, conhecida como Pepo ou Diamante, que dava ordens aos demais integrantes da associação e seria o nexo entre chefes de um cartel mexicano e os integrantes da organização que ela liderava, encontra-se presa por medida preventiva. O tribunal, além de incriminá-la, decretou o embargo de seus bens até que chegue ao valor de 13.750.000 pesos (US$ 3.430.000).


RESUMO DE LA DIOSA CORONADA


Raquel (Carolina Guerra), uma jovem de caráter forte e ambicioso, que cresceu na pobreza, cansada de tanta miséria, decide utilizar sua beleza para prosperar no universo dos reinados da beleza, onde encontra uma oportunidade.

Acreditando que isto lhe renderá uma vida de maior riqueza, rapidamente aprende que estará, também, cercada de abusos, onde o êxito implica em um custo sexual. No entanto, Raquel é capaz de fazer todo o necessário afim de obter a fama, o dinheiro e o poder que tanto deseja.

Em seu caminho cruza com Genaro (Arap Bethke), um misterioso homem de negócios, com muita influência, que a leva a um mundo que antes parecia inalcançavel. Através dele, Raquel é levada ao mundo do narcotráfico, que a coloca em um nível de luxos que nunca antes ela havia imaginado.

Cega pela ambição, Raquel se associa a um dos traficantes mais poderosos do país, utilizando como fachada uma agência de modelos, que as utiliza como “mulas” para transportar cocaína. Desta maneira, a jovem consegue acumular uma grande fortuna e se tornar uma das maiores traficantes do país, a quem todos chamam de La diosa coronada.
Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

L.Karina disse...

Muito interessante a história dessa novela.
Ah!Gostei do seu blog.Li resumos de algumas novelas que eu gostaria muito de rever algum dia.