domingo, 6 de junho de 2010

Feridas de amor



NOME ORIGINAL
Heridas de amor

ESCRITORES
Enrique Jimenez, Guillermo Quesada e María Auxilio Salado (Baseados na obra de Nora Alemán)

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
100

ANO DE GRAVAÇÃO
2006

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2006

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Heridas de amor

INTÉRPRETE
Ricardo Montaner

Pasa el amor, pasa el dolor y pasa la amargura,
pasa lo que inquieta, pasa el tren a veces y a veces no pasa.
Pasa que te cuento todo,
porque a veces pasa que no digo nada
y luego se te olvida que te quiero tanto
el tanto se te pasa.

A veces pasa que agendamos las tristezas,
pasamos cursos de infelicidad con diez.

Aquí huele a pena que mata y golpea,
sin pena ni gloria se muere el amor.
Aquí huele a llanto, del llanto que moja
paredes del cielo y orillas del mar.

Aquí huele a pena que mata y golpea
sin pena ni gloria y heridas de amor.

Pasa que estaba esperando
siéntate a mi lado haber si se te pasa,
hay tanto frió afuera
y aquí adentro el ánimo se nos congela.

Pasa que te cuento todo
porque a veces pasa que no digo nada,
y luego se te olvidó que te quiero tanto,
y el tanto se te pasa.

A veces pasa que agendamos las tristezas,
pasamos cursos de infelicidad con diez.

Aquí huele a pena que mata y golpea,
sin pena ni gloria se muere el amor.
Aquí huele a llanto, de llanto que moja
paredes del cielo y orillas del mar.

Aquí huele a pena que mata y golpea,
sin pena ni gloria se muere el amor.
Aquí huele a llanto, del llanto que moja
paredes del cielo y orillas del mar.

Aquí huele a pena que mata y golpea
sin pena ni gloria se muere el amor.
Aquí huele a llanto, del llanto que moja
paredes del cielo y orillas del mar.

Aquí huele a pena que mata y golpea
sin pena ni gloria, hay heridas de amor.

Heridas de amor.


ELENCO

Jacqueline Bracamontes: Miranda San Llorente

Guy Ecker: Alessandro Luque

Diana Bracho: Bertha de Aragão

Sergio Sendel: César Beltrán

José Luis Reséndez: Fabrício Beltrán Campuzano

Enrique Lizalde: Gonçalo San Llorente

Karla Álvarez: Florência San Llorente

Ingrid Martz: Renata San Llorente

Nuria Bages: Fernanda de Aragão

Beatriz Moreno: Amparo Jiménez

José Elías Moreno: Francisco Jiménez

Ernesto D'Alessio: Juan Jiménez García

Susana González: Liliana López Reyna

Antonio Mora: Joel Jiménez

Rodrigo Tejeda: Raul Jimenez

Rosangela Balbó: Rebeca Campuzano

Grettell Valdéz: Pâmela Altamirano

Lourdes Munguía: Daira Lemmans

Luis Couturier: Julio Bustamante

María Prado: Tomassia Aguirre

Jan: Luciano Sartori

Pablo Bracho: Luis Alberto Campos

Haydeé Navarra: Carola Molinar

Vanessa Arias: Nuria Gómez

Susy-Lú: Verônica Ontiveros

Paola Riquelme: Erica Duarte

Lina Durán: Andrea Villamil

Franz Miguel Cossio: Ângelo Bustamante

Marcelo Córdoba: Daniel Bustamante

Hugo Macías: Santiago Boaventura

Carlos Pérez: Sansão

Francisco Vázquez: Chaquiras

Alicia Delgado: Naty

Margdaleno Trujillo: Gabino


INTRODUÇÃO

Encabeçado pelo brasileiro Guy Ecker e a bela Jacqueline Bracamontes, essa novela trata-se de uma versão livre da história original de Nora Alemán e que fez um estrondoso sucesso na década de 90 no México sob o título de Valéria e Maximiliano, e que no Brasil, foi apresentada pela TV Manchete em 1995.


RESUMO

Miranda San Llorente é uma jovem moderna, firme e decidida, que tem tudo na vida: Beleza, dinheiro e nobreza. Seu pai, Gonçalo San Llorente é um homem poderoso, e que há anos, vem perseguindo a mãe das meninas, Fernanda, por ela ter sido infiel a ele. E também, faz as filhas acreditarem que a mãe está morta. O que Gonçalo ignora, é que tudo isso foi um plano de sua cunhada, a cruel Bertha, uma mulher hipócrita, e que consegue enganar a todos, menos Miranda.

Gonçalo deposita em Miranda todas as suas esperanças, já que, das suas três filhas, é a que mais se parece a ele no carácter e decisião. Florência, a mais velha, sofre de um mal cardíaco que vai matá-la, e a mais nova, Renata, é uma adolescente imatura e caprichosa.

Miranda tem preparado o seu casamento para quando chegue o seu prometido, Fabrício Beltrán, que terminou o doutoramento na Alemanha. O que Miranda não sabe é que Fabrício vem para se casar, mas não com ela, e sim com sua irmã, Florência.

Bertha de Aragão, tia materna de Miranda, ajudou a que entre Fabrício e Florência surgisse um amor para magoar Miranda, a qual nunca acreditou na sua falsa bondade e honestidade. Bertha, vê ainda em Miranda a mulher que mais odeia, a sua própria irmã, Fernanda de Aragão.
Fabrício regressa acompanhado pelo seu amigo Alessandro Luque, que deseja vingar-se de Gonçalo por pensar que este assassinou o seu pai.

O conflito de Alessandro será terrível quando conhecer Miranda, que vai despertar pela primeira vez nele o amor, que se contrapõe aos seus desejos de vingança. Por seu lado, Miranda sente uma atração inexplicável por ele, o que provocará uma relação de amor e ódio da qual ambos sairão magoados.

Os negócios de Gonçalo afundam-se devido à má gerência de César, irmão de Fabrício e cúmplice de Bertha. Gonçalo é enviado para a prisão e Miranda deve recuperar não apenas a fortuna, como a sua família completa, incluindo a sua mãe, que saiu da vida da família devido às intrigas de Bertha. Para além disso, Miranda e Alessandro terão que superar os obstáculos que entre entre eles vão surgir. César, que também a ama, e Bertha, que se apaixona por Alessandro desde o primeiro momento.

Nesta luta de sentimentos e paixões, de orgulho e poder, tanto Miranda como Alessandro descobrirão que somente quem as produz, pode curar as “feridas de amor”.


CURIOSIDADES

Produzida por Roberto Hernández, responsável por novelas como Tres Mujeres e Corazones al Limite, a novela marca o regresso as novelas do astro Guy Ecker, que não fazia novelas desde 2001, quando participou do sucesso Salomé.

É também a primeira oportunidade estelar a Jacqueline Bracamontes, até então, marcada por sua personagem Maribel, em Rubi. Vale comentar que a primeira pensada para o papel foi Aracely Arámbula, que declinou do convite, dando a chance para Jacqueline.
No Brasil, a novela tornou-se um verdadeiro fracasso. No ínicio, em agosto, chegou a médias de 7 pontos, chegando a picos de 9. Mas aos poucos, a audiência foi baixando até chegar aos pífios 4 pontos, subindo para os 6 na sua reta final.

Vale comentar que o SBT chegou a apresentar 5h horas de novelas em 25 minutos!

Sua pior média de audiência foi conseguida no capítulo 77 exibido em 28 de Novembro de 2006, quando conseguiu apenas 2 pontos de ibope. Devido ao grande fracasso, o SBT aumentou o capítulo de Cúmplices de um resgate (novela que antecedia Feridas de amor) de 45 minutos para 1 hora e meia para preencher o horário. Em contrapartida, Feridas de amor foi absurdamente picotada e seus capítulos tinham apenas 25 minutos.

Seu ultimo capítulo teve media de 7 com picos de 9.

A telenovela terminou com 100 capítulos aqui no Brasil, contra 130 originais.


COMENTÁRIOS

Feridas de amor foi a nova versão da novela Valéria e Maximiliano, que foi exibida em 1992 no México e em 1995 no Brasil (incompleta, pela Rede Manchete). Mas essa nova versão não alcançou o mesmo sucesso da versão original, mesmo trazendo alguns elementos interessantes para a renovação da história.

O curioso é que a versão original, na época, recebeu várias acusações de estar plagiando a história do épico cinematográfico … E o vento levou. Feridas de amor, porém, já se distancia um pouco da novela original, e ainda mais do filme.

Feridas de amor foi uma boa novela, mas prejudicada pela inexperiência de seus adaptadores Enrique Jimenez, Guillermo Quesada e María Auxilio Salado, ainda verdes para uma história como essa. Daí a imaturidade de alguns diálogos, a inconclusão de algumas histórias e a grande barriga criada durante a crise econômica da família San Lorente.

Entretanto, a grande novidade de Feridas de amor em relação à sua antecessora foi a criação da personagem Bertha, vivida por Diana Bracho. Ela foi a grande vilã da história e a grande personagem da mesma. Uma personagem criada de maneira brilhante e interpretada com maestria por Diana Bracho, sem sombra de dúvidas o maior destaque da novela. Diana Bracho dividiu as gravações da novela com outros compromissos, por isso eram constantes as viagens de Bertha dentro da história, para justificar sua ausência.

Jacqueline Bracamontes demonstrou segurança ao viver Miranda, a protagonista, mesmo enfrentando algumas críticas. Guy Ecker fez um trabalho sem novidades, mas bom como de costume. O mesmo vale para Sergio Sendel. Duas atrizes que também se sobressaíram em seus papéis foram Nuria Bages e Ingrid Martz (esta última chegou a fazer teste para ser Miranda). Karla Alvarez começou estranha no papel da ambígua Florência, mas com o tempo, foi acertando sua atuação, e provando que não sabe fazer apenas vilãs.

O passado dos personagens maduros ganhou vida com a atuação especial dos astros de Valéria e Maximiliano: Juan Ferrara (o Alessandro original, como Gonçalo), Letícia Calderón (a Miranda, vivendo a Fernanda jovem), Cecília Gabriela (Florência, vivendo a Bertha) e Arturo Peniche (Fabrício, como Alfredo Luque). As partes no passado foram muito interessantes no começo, mas o excesso de aparições do passado, e as revelações a conta-gotas, deixaram o transcorrer da história um tanto confuso.

A produção e direção de arte da novela estiveram impecáveis, afinal, mesmo sendo uma novela produzida para o horário das 17 horas, e portanto, com um orçamento menor, notou-se um capricho na realização da novela.

A reviravolta da novela acontece com o assassinato de Gonçalo, e isso marca a entrada da atriz Susana González na novela, como a advogada Liliana. Curiosamente, ela estava em duas novelas inéditas no México ao mesmo tempo: Feridas de amor e El amor no tiene precio.

Por conta dos baixos índices que a novela vinha alcançando, o SBT decidiu cortar a novela em mais de 30 capítulos para agilizar seu final.

Entre erros e acertos, Feridas de amor foi uma novela digna, com uma história interessante, atuações convincentes e produção caprichada. Mas ficou aquém do que era esperado para o remake de um grande sucesso.
Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário: