quarta-feira, 30 de junho de 2010

Lalola


NOME ORIGINAL
Lalola

ESCRITORES
Sebastián Ortega, Paolo Viera e Íris Lustoza

PAÍS DE ORIGEM
Argentina

NÚMERO DE EPISÓDIOS
138

ANO DE GRAVAÇÃO
2007

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2008

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Enamorada

INTÉRPRETE
Miranda!

Al momento de ser realista nunca me consideren especialista
y sin embargo algo en mí cambió sé exactamente cómo sucedió.
Mi corazón palpitaba cada vez que ese hombre se me acercaba
y con el tiempo me empezó a gustar, debo decir que no fue tan mal.

Como de repente todo se ha ordenado, desde que ha llegado, mi vida cambió,
ya no soy la misma que tú conociste, entonces, ahora estoy mucho mejor.
Porque me di cuenta que tuvo sentido haber recorrido lo que recorrí,
si al final de cuentas él era mi recompensa que suerte que nunca me fui.

Yo nunca fui muy afortunada, mis anteriores novios no me cuidaban,
me maltrataban y me hacían llorar y nadie me venia a consolar.
Ahora estoy como loca pensando que voy a comerle la boca,
quiero besarlo hasta sentir dolor y someterlo a nuestro hermoso amor.

Como de repente todo se ha ordenado, desde que ha llegado, mi vida cambió,
ya no soy la misma que tú conociste, entonces, ahora estoy mucho mejor.
Porque me di cuenta que tuvo sentido haber recorrido lo que recorrí,
si al final de cuentas él era mi recompensa que suerte que nunca me fui…

Como de repente todo se ha ordenado, desde que ha llegado, mi vida cambió,
ya no soy la misma que tú conociste, entonces, ahora estoy mucho mejor.
Porque me di cuenta que tuvo sentido haber recorrido lo que recorrí,
si al final de cuentas él era mi recompensa que suerte que nunca me fui…

Que suerte que nunca me fui…
Que suerte que nunca me fui…
Que suerte que nunca me fui…

TEMA DE ENCERRAMENTO
Hola

INTÉRPRETE
Miranda!

Hola, ¿qué tal?, ¿cómo te va?
¡Qué frase más vulgar con la que me voy a presentar!
Cuando a lo lejos oigo un "boom" yo sé que estás ahí
y no me importa cómo seguro te vas a acercar a mí.

Quiero conocerte cambiarías un poquito de mi suerte,
sigue la corriente, el impulso de tu piel nunca te miente…

El disco de mi mente se resiente con tu corazón,
el disco de tu corazón, el disco de tu corazón.
No ves que es necesário terminar en una habitación,
invítame a tu habitación, ¡ya!…

Si no tiene nada que ver, por Dios discúlpame,
no sé ni como tuve tu piel
de proponérmelo de hacer a la primera vez,
tal fácil es decirlo que no va a ser tan facil que se dé.

Quiero conocerte cambiarías un poquito de mi suerte,
sigue la corriente, el impulso de tu piel nunca te miente…

El disco de mi mente se resiente con tu corazón,
el disco de tu corazón, el disco de tu corazón.
No ves que es necesário terminar en una habitación,
invítame a tu habitación, invítame a tu habitación.

Pasemos a lo bueno, deshazte de tu ropa y dime…
Muñeca te lo ruego agítame la boca y dime…

Quiero conocerte cambiarías un poquito de mi suerte,
sigue la corriente, el impulso de tu piel nunca te miente…

El disco de tu corazón, el disco de tu corazón…
Invítame a tu habitación, ¡ya!

El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…
El disco de tu corazón…

Pasemos a lo bueno, deshazte de tu ropa y dime…
Muñeca te lo ruego agítame la boca y dime…

Pasemos a lo bueno…


ELENCO

Carla Peterson: Dolores Padilla “Lola” / Daniela

Luciano Castro: Fernando Carvalho “Nando”

Rafael Ferro: Gastão Zacks

Lola Bertht: Solange “Sol”

Muriel Santa Ana: Graciela Neira “Grace”

Agustina Lecouna: Natália Aguirre

Violeta Urtizberea: Júlia

Victor Malagrino: Patrício Miguel “Pato”

Nahuel Mutti: Boogie

Matías Desiderio: Martins

Luis Ziembrowsky: Andrei Aguirre

Pablo Cédron: Téo

Sandra Ballesteros: Victória “Vicky”

Bruna Castro: Melissa Carvalho “Mel”

Juan Gil Navarro: Camilo Lalo Padilha / Daniela

Tomás de las Heras: Nícolas “Nico”

Chela Cardalda: Íris

Marcela Kloosterboer: Romina

Mónica Villa: Adivinha

Tina Serrano: Mãe de Lalo

Santiago del Moro: Matias

Gabriel Goity: Pérez Pardo

Selva Alemán: Gina Calori

Esteban Pérez: Sérgio

Bárbara Lombardo: Sabrina

Sérgio Surraco: Pablo

Alex Benn: Billy

Rita Cortese: Bruxa

Laura Azcurra: Bruxa


PERFIL DAS PERSONAGENS

Lola (Carla Peterson) – antes era Lalo, um sedutor machista que é transformado em mulher por uma Bruxa. Lola assumirá o cargo de diretora da "Dom" e enfrentará as armações do ardiloso Gastão, e as fofocas e intrigas de Vitória. Se apaixona por Fernando, no começo não quer admitir. É a melhor amiga de Grace.

Fernando (Luciano Castro) – é um homem bom, educado, bonito e honesto. Foi abandonado pela namorada Sabina, que lhe deixou a filha Melissa para criar. Fernando trabalha na editora e é o único que não é machista. Se apaixona por Lola, apesar de não suportar Lalo. Se envolverá com a perversa Natália.

Gastão (Rafael Ferro) – é o vilão da novela. Ambicioso e metido a garanhão, Gastão fingia ser amigo de Lalo, mas sempre teve inveja dele, cobiçando o cargo de diretor da revista. Gastão armará planos contra Lola, Fernando e Andrei, além de ter muitas amantes.

Natália (Agustina Lecouna) – jovem perversa e mimada. Filha de Carol com seu amante Téo, foi criada pelo marido traído de Carol, Andrei. Natália é mentirosa e dissimulada, e quando se apaixona por Fernando, começa a armar tramoias para que eles se casem.

Grace (Muriel Santa Ana) – melhor amiga de Lola, sempre amou Lalo em segredo. As duas vivem juntas, e Grace ajuda Lola a aprender a vestir roupas femininas nos primeiros dias. Grace é locutora de um programa de rádio, e acaba se envolvendo com Andrei.

Andrei (Luis Ziembrowsky) – presidente da revista. É hipocandríaco, imprevisível e maluco. Vive tendo muitos ataques. É extressado, e casado com Carol. Quando eles se separam, Andrei se apaixona por Grace.

Victória (Sandra Ballesteros) – mantém um relacionamento secreto com Gastão. Amiga de Solange e Júlia, vive manipulando as duas para que prejudiquem Lola. Vicky é ambiciosa e está sempre tentando levar vantagens.

Patrício (Victor Malagrino) – trabalha na editora e vive um romance secreto com Solange. Os dois são flagrados fazendo amor depois do expediente pelo pessoal da editora, e são obrigados a assumir o namoro.

Solange (Lola Bertht) – amiga de Vicky, feminista. Ela e Pato vivem um romance, se separam e reatam, quando Solange descobre que seus pais morreram, fica sabendo que ela poderá receber uma herança, a menos, que se case com um judeu.

Júlia (Violeta Urtizberea) – secretária da empresa. Vive um relacionamento secreto com Andrei na reta final da história. Vive sendo chantageada por Gastão.

Nícolas (Tomás de las Heras) – namorado de Júlia, também trabalha na revista. Amigo de Patrício, o ajuda em seu romance com Solange.

Melissa (Bruna Castro) -  filha de Fernando. É uma doce e encantadora menina de 8 anos, que adora Lola, e vive uma bonita relação com o pai.

Boggie (Nahuel Mutti) – trabalha na rádio com Grace, está sempre ajudando como pode. Mantém uma paixão secreta por ela.

Íris (Chela Cardalda) – avó de Melissa, uma bondosa senhora que sempre cuida dela quando Fernando não pode.

Martins (Matías Desiderio) – namora Grace no início, um ciumento doentio. Eles se separam, mas ele tentará reconquistá-la.

Matias (Santiago del Moro) – amante  de Natália quando ela está noiva de Fernando. Mais tarde assume namoro com Matias, os dois fazem amor, e logo depois terminam tudo. Natália engravida, mas mente que o bebê é de Fernando.

Carol – casada  com Andrei. O traiu no passado, e deu à luz Natália, a quem Andrei pensa ser o pai. Carol se separa de Andrei e transforma a editora num inferno. Na reta final retorna para atrapalhar a vida de todos.

Téo (Pablo Cédron) – inescrupuloso, sempre teve inveja de Andrei e os dois sempre foram rivais. Amigo de Gastão, Téo é ex-amante de Carol e pai de Natália. Trabalha na editora.

Camilo Lalo Padilha (Juan Gil Navarro) – sedutor profissional, e um machista. Diretor da revista masculina "Dom", abandona a namorada Romina logo no início da trama. Furiosa, ela se vinga e pede ajuda de uma bruxa, que transforma Lalo em mulher.

Romina (Marcela Kloosterboer) – namorada de Lalo no começo da novela, ele a despreza e ela se vinga: Pede ajuda de uma feiticeira, que transforma Lalo em Lola. Romina desaparece da novela logo no início.

Bruxa (Rita Cortese) – transforma Lalo em Lola e, pouco tempo depois, tem um enfarte e morre, impossibilitando Lola de tentar voltar a ser homem.

Billy (Alex Benn) – ex-noivo  de Grace. Lalo nunca gostou dele. Vem passar uns dias na casa de Lola e Grace, e ele e Lola se apaixonam.


RESUMO

Camilo Lalo Padilha, o redator-chefe de uma famosa revista dirigida ao público masculino, conduz sua equipe com a mesma arrogância que leva sua vida pessoal. Sedutor incorrigível, vê as mulheres como meros objetos: estão a sua disposição para lhe dar prazer e são totalmente descartáveis. Insensível ao sofrimento das inúmeras mulheres que abandonou ao longo de sua vida, Lalo está a ponto de receber uma dose amarga de seu próprio veneno.

Após ter um caso com Romina, mais uma de suas conquistas, ele terá uma surpresa. Ela faz um feitiço com a ajuda de uma Bruxa e ele acorda na manhã seguinte no corpo de uma bela mulher. Sentindo-se traído e perdido, ele recorre a Grace, sua melhor amiga, que é apaixonada por ele secretamente.

Os dois saem à procura de Romina, mas é impossível encontrá-la. Lalo se vê obrigado a assumir sua nova identidade e enfrentar o mundo como mulher, com a ajuda de Grace. Para continuar com suas funções na revista ele se faz passar por Lola Padilha, uma prima de Lalo, que se apresenta para ocupar o cargo dele até sua suposta volta de uma viagem ao exterior.

O curioso é que Lola vira vítima do comportamento machista que "ela", quando Lalo, contribuiu para implantar na revista. Ele já não é um dos homens do departamento e agora as mulheres não a respeitam, pois acreditam que sua rápida ascensão é fruto dos favores que presta aos homens. Apesar de ter o perfil profissional dos homens que trabalham com ela, Lola é discriminada simplesmente por ser mulher. Ela aproveita seu conhecimento sobre o comportamento masculino e contra ataca com a astúcia feminina, arma que acaba de descobrir.

A situação se complica ainda mais quando Lola se sente, inexplicavelmente, atraída por Fernando, um colega de trabalho que ficou deslumbrado por ela desde o primeiro momento que a viu. O crescente interesse por ele e a intensidade de seus sentimentos fazem Lola assumir definitivamente sua feminilidade.

A princípio, Lola e Fernando passam por muitas brigas na editora, enquanto são vítimas de terríveis armações tramadas pelo ardiloso Gastão, um homem ambicioso e de fraco caráter, que sempre invejou Lalo e cobiçou o cargo do mulherengo na revista. Agora que "Lalo já não está", Gastão armará planos diabólicos para prejudicar Lola e expulsá-la da empresa, a fim de ficar com o cargo dela na High-five. Ao defender Lola de Gastão, Fernando também se torna vítimas das armadilhas do vilão, e o romance dos dois será atrapalhado por intrigas plantadas por Vicky, uma feminista assanhada que trabalha na editora, e mantém um relacionamento secreto com Gastão. A pedido do canalha, Vicky tentará separar Lola de Fernando.

O primeiro passo para a intensa paixão entre Lola e Fernando surgir é quando, graças a ele, ela passa num concurso e recebe um prêmio. Fernando, num impulso, aproveita para beijar a amada, mas ela reage com agressão física, e os dois voltam a discutir. Neste momento, Natália, uma jovem perversa e mentirosa, se apaixona por Fernando, e detestando Lola, começa a armar planos maléficos para se casar com o rapaz.

Natália forja gravidez de Fernando, e os dois ficam noivos. Depois, Natália simula um acidente onde ela perde o bebê e começa a se fazer de vítima para Fernando.

Em meio a tudo isso, Andrei, o presidente da editora, e pai de Natália, sofre enfartes e conflitos em seu casamento com a inescrupulosa e fogosa Carol. Ao flagrar Andrei e Lola em atitude suspeita, Carol resolve pedir o divórcio ao marido, e eles se separam. Porém, Carol acha que tem direito à metade da High-five, e como a mais nova inimiga de Andrei, ela disputa a direção da empresa com ele. O escritório se divide em dois, e se torna instável, ainda mais a rivalidade entre os dois grupos, um liberado por Andrei e o outro por Carol, formando uma verdadeira guerra dos sexos, o que fará renascer as brigas entre Lola e Fernando.

As paixões voltam a invadir a trama de Lalola, já que Carol vai embora e Fernando se reconcilia com Lola. Eles assumem seu amor, e se beijam. Mas Lola só aceita ficar com o rapaz, se ele terminar o namoro com Natália. Mas sempre que Fernando quer romper a relação com a víbora, ela se faz de coitadinha pelo recente "aborto". Porém, os sentimentos falam mais alto e Fernando consegue abandonar Natália e assume seu namoro com Lola.

Enquanto isso, Andrei se envolve com Grace, que é narradora de um programa de rádio de sucesso, e nele vive dando dicas e conselhos que ajudam a levantar o astral de sua grande amiga Lola. Ela se apaixona pelo pai de Natália, bem no meio de uma crise familiar dele: Após fazer teste de DNA, Andrei descobre que foi traído por Carol: Natália é filha do mau-caráter Téo, o maior rival de Andrei na editora. Mas o amor de Grace o ajudará a superar tudo isso. Fora Martins, o insuportável ex-namorado de Grace, que com sue ciúme doentio tentará persegui-la e vigiá-la. E Boggie, assistente de Grace na rádio, que sempre manteve um amor escondido por ela.

Enquanto Gastão volta a investigar a vida de Lola para provar que ela é uma impostora, tentando seduzir Grace para colher mais informações, Lola revela a Fernando que ela e Lalo são a mesma pessoa, após um jogo de futebol. A princípio, Fernando acha que Lola enlouqueceu e tenta interná-la, mas logo se convence que isso é a mais pura verdade. A notícia choca Fernando e abala sua relação com Lola, e ele termina tudo, afirmando que não poderá ficar com Lola sabendo que ela é um homem.

Arrasada com o fim de seu romance com Fernando, Lola recebe ainda a notícia de que Billy, um ex-namorado de Grace a quem Lalo nunca suportou, passará uns dias em sua casa. Ao se verem, Lola e Billy se apaixonam, e planejam uma viagem à Paris, o que deixa Grace enciumada. Ela, então, reporta o caso a Fernando, que luta por seu amor, e consegue impedir a viagem de Lola, e Billy vai embora sozinho para a França.

As investigações de Lola e Grace continuam a todo vapor, e elas descobrem que Lalo está no corpo de Daniela, e vice-versa. Fingindo ser Daniela, Lola vai morar na casa de Gina, a mãe da moça, e aceita a proposta de casamento de Sérgio, ex-amante de Daniela, que a fez abandonar o noivo Pablo no altar, ele ficou furioso, e para se vingar, transformou Daniela em Lalo, e fugiu. Se aproximando do mundo de Daniela, Lola tem certeza de que encontrará Pablo, e resolverá o problema. Mas a tarefa não será nada fácil.

Lola e Gastão ainda viram aliados, e conseguem salvar a empresa da falência. Ela publica um número da revista falando como tema central "O que você faria se acordasse no corpo do sexo oposto?".

Natália inicia romance com Matias, seu amante da época que ela era noiva de Fernando, os dois têm uma noite de sexo, e ela termina o relacionamento. Logo Natália descobre gravidez, e faz com que Fernando acredite que eles passaram uma noite juntos. Ela logo revela que está esperando um bebê de Fernando, o que o deixa surpreso. E Lola finalmente se reconcilia com Fernando, levando-o para uma praia paradisíaca, onde os dois têm sua primeira noite de amor.

Em certa parte da trama, Natália e Gastão se unem e armam um plano maquiavélico para atrapalhar o namoro de Lola e Fernando. No primeiro fim de semana dos pombinhos a sós, Natália se instala na casa do rapaz e um falso médico, comparsa de Gastão, mente uma doença para a malvada. Ao sentir enjoos e ter menstruação atrasada, Lola suspeita de gravidez, e faz o teste, para a decepção dela e de Fernando, o teste de gravidez dá negativo.

As vidas de Lola e Grace são infernizadas com a volta de Carol, que separa a locutora de rádio de Andrei e os dois reatam o casamento. Mas Carol vira amante de Gastão, que também conquista Natália ao mesmo tempo. Carol inferniza a vida de Lola na editora, e após publicar num número da revista uma matéria sobre amor e política, Gastão consegue prêmios com o sucesso de vendas da revista e é entrevistado na televisão, derrotando Lola, que só encontra apoio em Grace e Fernando. E Grace ainda flagra Andrei jantando com a secretária Júlia, e fica uma arara.

A vida de Lola dá uma reviravolta quando ela reencontra Romina, que lhe faz uma proposta tentadora: ela poderá voltar a ser Lalo Padilha. Será que Lola vai aceitar a proposta de Romina ou deixará sua vida passada para trás para ficar com Fernando e ter a oportunidade de viver um amor verdadeiro?

As coisas só complicam quando ela encontra Pablo, que lhe dá o número do telefone de uma feiticeira, que poderá transformá-la em homem, no mesmo dia em que Lola aceita a proposta de casamento de Fernando.

Gastão desmascara Lola na frente de todos, ao descobrir que ela é Lalo, mas todos o consideram um maluco. Gastão enlouquece, é demitido e internado num hospício, onde se casa com Natália.

Carol é expulsa da editora por Andrei, que faz as pazes com Grace e os dois fazem uma viagem pelo país dentro de um trailer, felizes e apaixonados. Ela continua narrando seu programa de rádio via satélite.

Andrei passa o cargo de diretora da revista para Lola, que o passa para Fernando. Mas ela o abandona no altar ao querer voltar ao corpo de Lalo ao reencontrá-lo na rua e perdê-lo de vista.

Fernando pede demissão, Natália e Gastão fogem do sanatório e retornam à presidência da empresa. Eles demitem Lola, os outros empregados pedem demissão, e loucos e falidos, Gastão e Natália terminam juntos na editora falida.

No dia do eclipse que pode levar Lola de volta ao seu corpo, Lola encontra Daniela no corpo de Lalo, e assim decidem continuar nos corpos atuais. Lola lembra que a bruxa disse que para continuar como estão, Lola teria que estar junto de seu grande amor. Ela corre até Fernando e os dois vivem felizes para sempre.


CURIOSIDADES

O primeiro capítulo de Lalola marcou 11 pontos de média às 20h15 e foi reprisado às 21h45, depois do telejornal SBT Brasil. Como a reprise não funcionou, acabou sendo mantida na faixa das 8 da noite. Os três primeiros capítulos da telenovela foram exibidos sem intervalos comerciais.

É a primeira telenovela genuinamente argentina, com temática adulta, a ser exibida pelo SBT desde A estranha dama, que fez muito sucesso em 1992 chegando a marcar mais de 20 pontos no Ibope.

Produzida por um canal menor, a América TV, Lalola foi a terceira colocada na audiência em seu país de origem, com 9 pontos, sendo que por vezes, chegou a alcançar o segundo lugar ganhando da poderosa Telefé, cuja programação noturna estava em crise. No entanto, desde o início do ano, a trama perdeu quase metade por lá, marcando entre 4 e 6 pontos. Mesmo assim, um resultado melhor do que o que a emissora alcançava antes do início da telenovela.

Na Argentina, o última capítulo da telenovela marcou 8,4 pontos. Lalola também passou no México pela TV Azteca, às 23h00, e marcava uma média de 6 pontos.

A justiça primeiramente classificou a trama como imprópria para menores de 10 anos, mas voltou atrás e classificou como imprópria para menores de 12 anos.

Depois de sua mudança para o horário nobre, tornou-se um fracasso. A transmissão que era às 20:15 passou para às 21:00. A trama que marcava entre 7 e 9 pontos, não passou dos 4, perdendo para a principal novela da Globo Duas caras e Amor e intrigas da Rede Record. O seu último capítulo fechou em 3 pontos de média.

No começo da novela, dava para se perceber que o nome do personagem era Fernando Canavaro, de repente por algum motivo ou devido ao abrasileiramento da trama o personagem começou a se chamar Fernando Carvalho. (Deram um nome parecido para não confundir ninguém). O engraçado é que ele foi chamado assim por boa parte da novela deixando isso bem evidente em algumas cenas o que tornou a mudança ainda mais brusca.

Lalola foi vencedora de 8 dos prêmios Martín Fierro (considerado uma das maiores premiações da televisão argentina), dentre eles o maior prêmio, o Martín de Oro.

Biografia de Jorge Salinas


INTRODUÇÃO

Jorge Salinas Pérez nasceu na Cidade do México, México, em 27 de julho de 1968. Desde muito pequeno seu sonho era ser piloto de avião, mas foi aos vinte anos quando definitivamente decidiu encaminhar seus passos para a atuação.


SUA HISTÓRIA

A iniciação profissional de Jorge Salinas se deu muito longe dos cenários, mas muito perto das nuvens, já que foi a aviação que chamou sua atenção ao escolher uma carreira para estudar. Graças a influência de seu pai, Jorge Salinas começou estudos para se tornar piloto; no entanto, os abandonou depois de quatro anos. Estava convencido de que seu destino era em solo firme, no mundo artístico.

Após realizar uma pequena participação em uma obra de teatro, Jorge Salinas se inscreve no Centro de Educación Artística (CEA) da Televisa, em 1990, e pouco tempo depois de terminar seus estudos estreia no mundo do espetáculo com um pequeno papel no filme Viva el chubasco.

Em 1991, recebe duas propostas na televisão: a primeira na telenovela Cadenas de amargura, ao lado de Daniela Castro, sob a produção de Carlos Sotomayor; e a segunda em Valéria e Maximiliano, protagonizada por Letícia Calderón e Juan Ferrara, também com o comando de Carlos Sotomayor.

Em 1992, atua em Vovô e eu, Mágica juventud, ao lado de Kate del Castillo, e em Dos mujeres, un camino. Devido ao destaque obtido nesta última, Jorge é convidado a ir a Miami para se integrar ao elenco de Morelia, uma produção da Mapat, que lhe deu maior reconhecimento no mundo artístico.

Em 1995, nasce sua primeira filha, chamada Gabriela, fruto de seu romance com a também atriz Adriana Cataño, no ano seguinte atua nas telenovelas Canción de amor e Mi querida Isabel, e, em 1997, participa da produção Maria Isabel.

Em 1998, participa em Tres mujeres, uma produção de Roberto Hernández, na qual divide créditos com Karyme Lozano e com a primeira atriz Norma Herrera. Nesta produção Jorge inicia sua consagração televisiva ao cativar a audiência feminina.

Em 1999, chega em sua carreira uma nova faceta ao atuar no filme Sexo, pudor y lagrimas. Não satisfeito com isso, decide participar no polêmico espetáculo musical Sólo para mujeres, que o menciona como galã do momento.

Em 2000, Jorge Salinas protagoniza, ao lado de Lucero e Jaime Camil, Mi destino eres tú e no ano seguine, em 2001, é protagonista de Atrévete a olvidarme, com a atriz Adriana Fonseca.

Em 2003, forma parte do elenco de Las vías del amor como outro personagem protagonista. Ainda neste ano tem sua grande atuação em Mariana da noite, protagonizando Ignacio Lugo Navarro, com a atriz Alejandra Barros, Angélica Rivera, César Évora, e novamente com Adriana Fonseca.
Em 26 de julho de 2004, nascem seus filhos gêmeos Jorge Emilio e Santiago, fruto de seu amor com a peruana Fátima Boggio com quem não vive mais junto.

Em 2005, Jorge volta às telinhas, para, desta vez, protagonizar La esposa virgen, junto de Adela Noriega e no ano seguinte, em 2006, faz uma participação especial em A feia mais bela.

Em 2007, atua no filme Labios rojos, de Rafael Lara, no qual faz par com a atriz Silvia Navarro. As filmagens se iniciaram no mês de junho na Cidade do México e terminaram em outubro do mesmo ano.

Em 2008, Jorge Salinas volta a trabalhar com Adela Noriega, desta vez em Fuego en la sangre, na qual divide créditos com Eduardo Yáñez, Nora Salinas, Pablo Montero, Elizabeth Álvarez, entre outros.

Em 2010, após os conflitos familiares que invadiram sua vida nos últimos meses, Jorge Salinas é confirmado como protagonista da telenovela Una familia con suerte, uma produção de Juan Osorio, baseada na telenovela argentina Los Roldán, que será gravada a partir de agosto e contará, também, com as atuações de Jacqueline Bracamontes, Sabine Moussier, Pablo Montero, Sherlyn, Liz Vega, Alejandra Guzmán, Susana Dosamantes, entre outros.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2010 - Una familia con suerte
2008 - Fuego en la sangre (Oscar)
2006 - A feia mais bela (Aldo)
2005 - La esposa virgen (José Guadalupe)
2003 - Mariana da noite (Ignácio)
2002 - Las vías del amor (Gabriel)
2001 - Atrévete a olvidarme (Daniel)
2000 - Mi destino eres tú (Eduardo)
1999 - Tres mujeres (Sebastián)
1997 - María Isabel (Rubens)
1996 - Mi querida Isabel (Alejandro)
1996 - Canción de amor (Damián)
1995 - Morelia (Beto)
1993 - Dos mujeres un camino (Ángel)
1992 - Mágica juventud (Héctor)
1992 - Vovô e eu (Ernesto)
1991 - Valéria e Maximiliano (Damião)
1991 - Cadenas de amargura (Roberto)

FILMES

2007 - Labios rojos (Ricardo)
2003 - La hija del canibal (Guarda)
2000 - Amores perros (Luis)
1999 - Sexo, pudor y lágrimas (Miguel)
1983 - Viva el chubasco

terça-feira, 29 de junho de 2010

A telenovela econômica - Parte 2

Paralelamente aos movimentos internacionais, as maiores exportadoras da América Latina, Globo e Televisa, desenvolvem seus produtos de ficção com distintos padrões tecnoestéticos. Enquanto a emissora brasileira introduz questões político-sociais em suas produções, a mexicana se utiliza de livretos cubanos e argentinos, com pouca ou nenhuma inovação. Não raro, adquire scripts originais recentemente produzidos em outras redes da América Latina.

O modelo argentino, a partir de uma lógica de produção vertical (aquela que não envolve homogeneamente os processos de concepção, produção e veiculação de um programa por parte das emissoras, ou seja, um modelo unificado de produção) encadeada pela proliferação de produtoras independentes, desenvolve-se rapidamente através da aliança com programadores nacionais.

Apenas para citar um exemplo, tem-se a Cris Morena Group e a RGB, duas produtoras de conteúdo ficcional concebidas por antigos gestores da emissora-líder Telefé, que no auge da crise de 2000 desfazem-se do negócio, vendendo ao grupo espanhol Telefónica.

Um período anterior à expansão das empresas de televisão inicia-se com a proliferação de seus múltiplos produtos no mercado internacional. A partir da década de 70 estes movimentos, concebem a terceira fase da comunicação, tanto no que diz respeito à iniciativa das corporações quanto às mais variadas organizações, que passam a incorporar a informação em seu sistema de funcionamento.

O desenvolvimento do neoliberalismo, através da liberalização, privatização e desregulamentação, impulsionaria, ainda, a transnacionalização dos capitais, especialmente pela sincronia dos mercados, devido às novas tecnologias. Grosso modo, o capitalismo reconfigurado da década de 70 segmentaria os públicos, transformando-os em consumidores.

Diante deste cenário, geram-se ações, empreendidas pelas emissoras, para o desenvolvimento de estratégias de distribuição, que por vezes também influenciam na produção. O movimento transnacional, no entanto, ocorre após o esgotamento das possibilidades de distribuição.

Com forte presença na grande de programação das emissoras de televisão, a telenovela configura-se como um lucrativo negócio para seus investidores. Sua audiência movimenta o mercado publicitário e viabiliza novos negócios aos programadores, através de merchandising ou licenciamento de produtos. Em um segundo momento, seu arranjo híbrido possibilita diversos modelos de produção, como co-produções, pré-vendas e joint-ventures.

No Brasil e no México, de forma mais grandiosa, e na Argentina, que ainda tem seu mercado em ascensão, a ficção seriada foi ferramenta fundamental na construção de monopólios e oligopólios, por parte das emissoras. A partir dos anos 1990 a comercialização de títulos e a criação de empresas extensoras das redes, especialistas na comercialização de formatos de telenovela, são as principais responsáveis para que o produto conquistasse territórios transnacionais.

A telenovela econômica - Parte 1

O resultado dos descobrimentos marítimos foi o desenvolvimento do comércio, a circulação de novos produtos coloniais no mercado e a quebra da hegemonia econômica das cidades italianas. Cinco séculos depois, nos anos 70, alguns atores também conquistaram “novas terras”; os chamados mercados globais. Diferente dos comerciantes europeus do século 15, estes atores, agora representados pelos conglomerados mundiais, se beneficiaram da desregulamentação de leis e lançaram seus produtos como bens culturais, rumo a novos mercados.

No mercado audiovisual, esse panorama não é diferente. O advento do videoteipe, no final dos anos 50, sinalizaria um futuro promissor quanto ao desenvolvimento do mercado de televisão. A partir do decênio de 70, com a desregulamentação dos mercados mundiais, forma-se uma conjuntura político-econômica favorável à expansão transnacional.

Neste sentido, as empresas de televisão que produzem telenovelas também são contempladas, agregando nova função econômica à ficção seriada, para que após o término de sua produção, continue gerando receita a seus investidores.

No decênio de 80, diversos movimentos relacionados à conquista de novos mercados são empreendidos pelas empresas de televisão, e o modelo de produção se transforma gradualmente. Surgem as co-produções, as pré-vendas e os joint-ventures. Neste sentido, os conglomerados de comunicação são beneficiados por diversos fatores de ordem política e econômica.

Este cenário reconfigurado leva ao crescimento dos investimentos diretos (superior a 10%), necessários para compensar o aumento dos custos fixos, gerados pela evolução tecnológica. O investimento em tecnologias de informação e comunicação (TIC) também se faz necessário, por garantir fluxos ágeis o bastante para o desenvolvimento de mercados competentes e sincronizados, além da possibilidade de ampliação das formas de consumo.

As Organizações Globo, principal conglomerado brasileiro no setor de comunicação, iniciaram sua expansão a partir da aquisição do canal italiano Telemontecarlo. A falta de legislação e o elevado faturamento propiciado pelo mercado europeu foram determinantes para esta transnacionalização de nível empresarial.

Paralelamente, o grupo mexicano Televisa também empreendeu uma série de ações a fim de ampliar sua produção de telenovelas ao mercado latino-americano. No entanto, somente no início dos anos 1990 consegue instalar-se na Argentina, disposta a realizar produções com mão-de-obra nacional. Firmaria, ainda, aliança com os canais 9 (Omar Romay) e 13 (Grupo Clarín), tradicionais programadoras de seus conteúdos no país, especialmente ficção seriada.

A soma de esforços de ambos os grupos, rumo à internacionalização, ocorre após um extenso período de exibição de novelas brasileiras na Itália e mexicanas na Argentina; países onde a ascendência do gênero é demonstrada através do crescimento da audiência de seus programadores, normalmente emissoras não posicionadas em primeiro lugar e com forte apelo popular.

As telenovelas brasileiras em Portugal - Parte 2

Como contextualização teórica apresento sumariamente a Teoria das Mediações para a compreensão da leitura das telenovelas em Portugal por portugueses e brasileiros imigrantes.

A Teoria das Mediações foi desenvolvida por Jesús Martín-Barbero, investigador colombiano. Tendo em conta o impacto da mídia na sociedade, o autor defende que é impossível perceber qual a importância da influência dos meios sobre os indivíduos, sem o estudo sobre a relação que os indivíduos estabelecem com os próprios meios de comunicação.

Neste sentido, Martín-Barbero dá o nome de “mediações” aos espaços que se encontram entre os indivíduos e os meios, espaços de crenças, medos, sonhos, espaços que caracterizam a vida cotidiana. De acordo com esta perspectiva, as análises devem abranger não apenas um enfoque, como a audiência, mas sim um campo em constante interação constituído pela produção, pelo produto e pela recepção.

Os consumidores de telenovela as veem para obter informações sobre locais que não conhecem, portugueses e estrangeiros, ou sobre outras vidas similares à sua; por outro lado, gostam de ver telenovelas para se distraírem, ou seja, a telenovela ajuda-os a apreender novas informações e a adotarem uma forma de escapismo das situações do cotidiano.

É perceptível que as diferenças e a ideia de nação podem, agora, estar presente no consumo das telenovelas. De maneira não generalizada, portugueses consomem as produções de Portugal e brasileiros imigrantes consumem as produções do Brasil na TV portuguesa. As produções brasileiras aparecem em destaque nas audiências, mas atrás das produções portuguesas.

As telenovelas brasileiras em portugal - Parte 1

O drama televisivo, especialmente em sua forma mais conhecida, a telenovela diária, é uma narração que, de uma maneira muito peculiar no Brasil, se converte no principal e mais lucrativo dos produtos de televisão, desde o advento desta última, em 1950, já que é consumido por todos os setores da sociedade.

Mesmo tendo sua origem, essencialmente, no gênero melodramático, este gênero tem percorrido um caminho muito interessante no Brasil, como desejava sua forma própria de narrativa popular, baseada nas relações da vida diária, acrescentando realismo e crítica social mediante a criação de um produto que representa a modernidade no Brasil, por se unir-se ao moderno e ao arcaico, um produto típico da hibridação cultural. Produção esta muito consumida também em países europeus, especialmente em Portugal.

Pode-se afirmar que a novela produzida no Brasil é um produto de alto nível artístico, que se foi aprimorando no decorrer das últimas décadas e que, embora moldado industrialmente pela Rede Globo passou a influenciar as produções de outras emissoras, tanto no Brasil, como no exterior.

A fidelização do público passou a exigir cada vez maior criatividade dos produtores, uma vez que se buscava uma constante renovação de roupagem para um produto que tanto sucesso comercial alavancava. Estabeleceu-se uma convenção que cada novo programa deveria trazer maiores novidades, em termos de elenco, assuntos polêmicos diferentes das novelas anteriores, além de provocar vendas de mais discos, roupas e outros produtos de consumo.

O senso comum aponta esse consumo como exemplo do impacto das telenovelas na população, porém, é interessante verificar que alguns lançamentos de produtos da moda são bastante efêmeros e mal são lembrados no início da novela seguinte. É importante registar que as mudanças mais significativas e que são efetivamente incorporadas socialmente relacionam-se com temas como preconceito, igualdade da mulher em relação ao homem, entre outros.

Sobre a influência no exterior podemos encontrar a nova produção de telenovelas em Portugal. Mas antes das novas produções (a portuguesa, sobretudo pela estação TVI) a telenovela brasileira é presença constante na televisão portuguesa.

O gênero telenovela esteve na base das maiores transformações do mercado televisivo português. Em 1977, com a transmissão de Gabriela, cravo e canela, a estação RTP1 conseguiu com que os portugueses alterassem os seus comportamentos; em 1994, mediante o acordo de exclusividade com a Rede Globo, a estação comercial recém criada, SIC, assumiu a liderança do ranking; em 2000/2001, a TVI, canal em grandes dificuldades, alcança o primeiro lugar, através da aposta maciça em telenovelas portuguesas.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Cadê a telenovela venezuelana?

A seguir apresento uma entrevista, feita via e-mail por internautas, com a Dr. Carolina Acosta-Alzuru, professora venezuelana associada ao Grady College of Journalism and Mass Communication da Universidade de Georgia. As telenovelas são o foco de sua investigação acadêmica e o epicentro onde estuda os enlaces entre os meios, culturas e sociedade. Carolina é ainda autora do livro Venezuela es una telenovela. Nessa entrevista ela opina em seu blog sobre a falta de telenovelas produzidas na Venezuela:

Por que as telenovelas colombianas substituíram as venezuelanas no mercado internacional?

Existem várias razões:

1. A associação entre as produtoras colombianas e a Telemundo (que pertence a rede norte-americana NBC) alcançou uma poderosa mistura de criatividade com altos investimentos.

2. A telenovela colombiana não é produzida sob a restrições de uma lei de conteúdo.

3. A telenovela colombiana não é produzida no ambiente deixado pela RCTV na televisão venezuelana. Estas medidas trouxeram como consequência preocupações à outra emissora que produz telenovelas na Venezuela. O resultado dos motivos 2 e 3 é uma telenovela menos atrativa, menos arriscada e menos contemporânea porque é excessivamente escrupulosa.

4. As telenovelas colombianas não são produzidas sob o sistema monetário e com as desvalorizações que existem na Venezuela, as quais incidem na atualização de equipamentos e no treinamento de pessoal.

5. As telenovelas colombianas têm sido melhor comercializadas internacionalmente do que as venezuelanas.


A telenovela colombiana invadiu com criatividade e por isso ocupa o horário nobre na Venezuela?

A telenovela colombiana co-produzida com a Telemundo ocupa o horário nobre atualmente porque a Televén descobriu que os resultados obtidos eram melhores do que com as telenovelas brasileiras que, há anos, colocava em seu primetime. As telenovelas do Brasil eram aceitas na Venezuela somente pelas classes altas, as da Telemundo são aceitas por todos. Esse é um motivo, mas existem outros.

A falência da RCTV tirou de circulação uma de nossas duas grandes produtoras de telenovelas, isso empobreceu tremendamente nossa televisão e nossa indústria de telenovelas. Primeiro porque é uma opção a menos e segundo porque, não tendo concorrentes, diminui-se a qualidade das telenovelas da Venevisión. Houve uma falsa sensação de segurança no mercado nacional e uma preferência pelo mercado internacional que, juntamente aos problemas do ambiente político, leis e orçamentos explicados na pergunta anterior, diminuíram paulatinamente a qualidade das telenovelas da Venevisión e as desconectaram do gosto de nosso público ao ponto no qual estamos agora, no qual o mesmo canal não tem outra alternativa que colocar telenovelas feitas na Colômbia em seu horário nobre.


Como qualificar a situação que atravessa a telenovela venezuelana neste momento no país?

A situação é crítica. Nossa indústria está empobrecida e todos os que trabalham nela estão em uma situação dificílima. Mas isto não significa que não haja futuro.


Qual futuro é previsto para produção dramática nacional?

Temos imenso talento tanto em nível de autores como de atores. Também em nossos estúdios de televisão existem uma série de herois e heroínas anônimos que trabalham detrás das câmeras na produção e direção. Em todos esses grupos há capacidade e entrega. Eu acredito que o talento se sobressairá ao contexto adverso no qual trabalham.


A telenovela venezuelana deveria evoluir, ou seja, tomar um noivo rumo que não seja romântica nem moderna?

Hoje em dia, as histórias originais têm elementos tanto do gênero rosa como moderno. Não estão em nenhum dos dois extremos. A telenovela venezuelana, em minha opinião, tem que voltar a falar aos venezuelanos primeiro e nos recuperar como público. O mercado internacional deve vir depois, somente se tivermos uma estratégia de mercado mais eficiente e honesta. A dica é que nossa indústria telenoveleira nunca subestime a inteligência do público, nem lute contra a forte tendência da cultura popular que se repete nela mesma.


Uma mensagem para os escritores de dramas venezuelanos?

Seria absolutamente pretensioso de minha parte nada dizer aos nosso escritores. Conheço de perto as dificuldades, esforço e angústias no trabalho de escrever telenovelas. A maioria das pessoas não tem ideia do número de horas que passam idealizando, escrevendo, revisando  questionando os detalhes das histórias que têm que ser escritas na velocidade industrial. Minha mensagem é para os que tomam as decisões do negócio. Para obter bons resultados deve-se planejar estratégias baseadas na investigação e observação rigorosa do gênero e de seu público. Deve-se também dar mais apoio a nossos escritores, atores, diretores e trabalhadores da área de produção, com salários e condições de trabalho de acordo com sua trajetória.

A magia dos remakes

A indústria da telenovela se tornou o reino das fantasias onde se fabricam vários contos de uma mesma história.

Beatriz Pinzón Solano nasceu na Colômbia, e, igualmente a seu compatriota, Pedro Coral, percorreu a América Latina ganhando o público contando sua louca e desventurada vida. Entre os amigos, o trabalho e os amores impossíveis foram ganhando a simpatia do público que não perdia nenhum de seus capítulos. Ela, com sua inocência e carisma, ele, com sua esperteza e ideias mirabolantes, foram, em seu momento, os personagens mais chamativos e divertidos, que abriram brechas para a improvisação de vários clones entre seus fãs.

Enquanto isso, as produtoras internacionais, como a Televisa, já tinham seus olhos fixos neste casal. Suas personalidades e aspectos causaram tal agitação que estas empresas não aguentaram a tentação de criar suas versões.

Assim, Beatriz e Pedro se reproduziram, como muitos outros personagens dos quais tomaram a essência para fazer réplicas, iguais ou piores, com o propósito de tirar-lhes proveito até a última gota da popularidade que tiveram. Não importa o nome, as personagens se repetem e viajam de país em país, até acabar com a magia.

Mas Betty, a feia, e Pedro, o escamoso não são nem os primeiros nem os últimos que tiveram clones ao redor do mundo. Ainda assim, a feia colombiana foi adaptada em 30 países, desde México e Estados Unidos até Brasil, China, Israel, Rússia e Filipinas, para mencionar alguns.

A simpática personagem de Beatriz Pinzón Solano, uma brilhante economista que trabalhava como secretária na Ecomoda, empresa na qual ela seria a antítese da imagem que projetavam, conquistou, com seu extravagante figurino e sua estranha risada, o coração de espectadores até a última curva do mundo.

A respeito da marcada tendência do remake de telenovelas, estratégia que a Televisa, do México, usa e abusa, o Observatorio de Medios de la Universidad de la Sabana de Colombia, deu sua opinião:

“É fundamental que olhem o trabalho da Argentina e da Colômbia e se atrevam a fazer novas propostas que tenham êxito”, disse Juan Carlos Gómez, diretor da instituição. “Devem buscar novos temas apostando na qualidade e é possível que tenham sucesso nessa sociedade multicanal”.

Por sua parte, o analista mexicano Omar Rincón, assegura que a Televisa é a maior indústria telenoveleira da América Latina, mas que a produção massiva não implica na qualidade.

“Eles não estão interessados em mudar o gosto dos telespectadores”, explica, “é um mercado conformista no qual sua fórmula funciona, tem tradições enraizadas e o nacionalismo faz com que prefiram suas adaptações mesmo que as originais sejam de qualidade”.

“As pessoas esperam por este modelo de telenovela. É sua fórmula. Se está dando resultado, por que mudar? Mais que transmitir histórias originais estrangeiras, preferem comprá-las para adaptá-las à maneira mexicana de ser”, acrescenta.

Para os especialistas, as emissoras preferem deixar que outros países, como a Colômbia, Argentina e Brasil corram risco de criar novas histórias, se essas funcionarem, elas compram e adaptam.

No caso das produtoras argentinas, sua linha de trabalho tende às telenovelas juvenis. Verano eterno, por exemplo, marcou uma fase importante e deixou claro que o público jovem também gosta de ver suas histórias, desse modo, Rebelde way e Patito feo chegaram para continuar sua fórmula.

As tramas venezuelanas, ainda que semelhantes às do México, se veem envoltas num toque de vaidade e com mais realismo e naturalidade, sendo, assim, mais críveis. Ademais, o fato de criarem suas próprias histórias já é um mérito.

Colômbia surge no mercado com a vivacidade e alegria de sua bandeira. A ousadia, a espontaneidade, a sinceridade com a qual aborda seus temas ou crises sociais, como a máfia, o narcotráfico ou o culto excessivo ao corpo e às festas, a coloca num lugar especial entre a audiência.

O Brasil não pode ser deixado de lado, pois é o perfil que trata temas articulados, busca a formação de opiniões e às vezes dá sua contribuição à cultura, isso sem mencionar a qualidade nas atuações e o sabor a caipirinha único destas telenovelas que fizeram do samba um ritmo universal.

Zorro: A espada e a rosa


NOME ORIGINAL
El Zorro: La espada y la rosa

ESCRITOR
Humberto Olivieri "Kiko" (Baseado nas obra de Johnston McCulley e Isabel Allende)

PAÍS DE ORIGEM
Colômbia

NÚMERO DE EPISÓDIOS
96

ANO DE GRAVAÇÃO
2007

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2007

EMISSORA
Rede Record

TEMA DE ABERTURA
Amor gitano

INTÉRPRETE
Beyoncé e Alejandro Fernández

Ay, ay, ay… Gitana…

Ven y quédate conmigo, dame el corazón,
vida mía estoy muriendo le doy mi prisión.

Anda dime lo que sientes, quítate el pudor
y deja de sufrir, escapa con mi amor.
Después te llevaré  hasta a donde quieras,
sin temor y sin fronteras, hasta donde sale el sol…

Contigo soy capaz de lo que sea,
no me importa lo que venga porque ya sé adonde voy…

Soy tu gitano, tu peregrino, la única llave de tu destino,
el que te cuida más que a su vida, soy tu ladrón…

Soy tu gitana, tu compañera, la que te sigue, la que te espera,
voy a quererte aunque me saquen el corazón…

Y aunque nos coste la vida,
y aunque duela lo que duela,
esta guerra la ha ganado nuestro amor,
esta guerra la ha ganado nuestro amor…

Yo nací para tus ojos para nadie más,
siempre voy a estar en tu camino…

Alma de mi alma, corazón que tempestad, dime por donde ir,
después te llevaré hasta a donde quieras,
sin temor y sin fronteras, hasta donde sale el sol.

Contigo soy capaz de lo que sea,
no me importa lo que venga porque ya sé adonde voy…

Soy tu gitano, tu peregrino, la única llave de tu destino
el que te cuida más que a su vida, soy tu ladrón…

Soy tu gitana, tu compañera, la que te sigue, la que te espera,
voy a quererte aunque me saquen el corazón…

Y aunque nos coste la vida
y aunque duela lo que duela,
esta guerra la ha ganado nuestro amor…

Y aunque nos coste la vida
y aunque duela lo que duela,
esta guerra la ha ganado nuestro amor…


ELENCO

Christian Meier: Diego de la Vega / Zorro

Marlene Favela: Esmeralda Sánchez de Moncada

Andrea López: Mariángel Sánchez de Moncada

Arturo Peniche: Governador Fernando Sánchez de Moncada

Luly Bosa: Almudena Sánchez de Moncada

Anabolena Meza: Sara Kalí

Ricardo González: Bernardo

Adriana Campos: Yumalay

Raúl Gutiérrez: Olmos

Osvaldo Ríos: Alejandro de la Vega

Andrea Montenegro: Maria Pia de la Vega

Erick Elias: Renzo

Margarita Giraldo: Açucena

Germán Rojas: Jonas

Natalia Bedoya: Laisha

Orlando Venezuela: Miguel

Jorge Cao: Padre Tomás Villarte

Natasha Klauss: Irmã Suplícios

Carmen Marina Torres: Dolores

Harry Geithner: Comandante da Guarda Ricardo Montero

Césa Mora: Sargento García

Héctor Suárez Gomis: Capitão Aníbal Pizarro

Luigi Ayacardi: Tobias del Valle e Campos / Falso Zorro

Teresa Gutiérrez: Marquesa Carmen Santillana de la Roquette

Didier Van Der Hove: Santiago Michelena

Marilyn Patiño: Catarina

Ivelin Giro: Maria Luiza


INTRODUÇÃO

Produzida pela Telemundo, Zorro: A espada e a rosa, conta a história do lendário herói hispano, relatada pela primeira vez em formato de telenovela e gravada completamente em alta definição.

Protagonizada por Christian Meier, Marlene Favela, Arturo Peniche, Osvaldo Ríos e Erick Elías, esa trama se ambienta nos anos de 1800 no México, na Espanha e na cidade de Nossa Senhora de Los Angeles no estado da Califórnia no México de antigamente.

Zorro: A espada e a rosa apresenta as aventuras deste lendário heroi, cujo nome verdadeiro é Diego de la Vega, um homem culto, refinado e rico. Mas, o que poucos sabem é que Diego é também um misterioso personagem que se veste de preto e protege os menos favorecidos.


RESUMO

Em 1800, nos arredores da Baixa Califórnia, o povoado de Santa Lúcia é tomado por um grupo de espanhois que vêm à conquista dessas terras e dispostos a eliminar os acampamentos indígenas que aí se encontram.

Um jovem espanhol chamado Fernando Sánchez de Moncada, assassina a uma índia chamada Toypurnia diante de seu pequeno filho de cinco anos cujo nome é Tisha, que significa pequena raposa ou Zorro.

Tisha é o produto do romance entre a índia e um capitão espanhol, Dom Alejandro de la Vega, que anos mais tarde, ao se dar conta da existência dessa criança, faz com este seja reconhecido e batizado como Diego de la Vega, que dará vida à lenda desse misterioso, mas, também, apaixonado e justiceiro personagem, conhecido como Zorro.

Diego se transforma em um homem culto, elegante, digno e com um grande sentido pela justiça. O jovem cresce em uma vida rodeada de luxos, comodidades e frivolidades, nas quais ele aparenta se encaixar, mas somente nas aparências, já que este se esconde detrás de uma máscara, uma capa e uma espada, para se enfrentar e lutar contra aqueles que oprimem e desprezam os pobres.

A história se desencadeia quando Diego de la Vega, conhece a encantadora Esmeralda, filha mais nova do perigoso e temido Fernando Sánchez de Moncada, o governador de Los Ángeles.

Esmeralda é uma jovem doce e alegre que luta diariamente contra a maldade de seu pai. Quando esta descobre que havia sido criada por Fernando, que a adotou e trancou sua verdadeira mãe em uma prisão para poder ficar consigo, sua vida muda completamente. Agora, ela compreende o desprezo que seu pai sente por ela e porque sua irmã Mariángel não a suporta.

Desde então, a missão de Esmeralda é encontrar sua mãe e resgatá-la da prisão a qual foi confinada injustamente. Para isso contará com a ajuda de Zorro, o homem que a torna mulher e a qual ama com loucura. Mas, este amor não será tão fácil, visto que os planos que tem seu pai para ela são outros. Segundo Fernando, Esmeralda deverá se casar com quem ele decida afim de garantir a fortuna da família. Mas, a personalidade rebelde de Esmeralda vencerá todos os obstáculos que aparecerão. Entretanto, Esmeralda roubará o coração de Diego de la Vega, que terá que convencê-la de que é um bom homem e que a ama de verdade.

Tudo se complica quando, pelas noites, Esmeralda se entrega de corpo e alma ao Zorro, sem saber que se trata da mesma pessoa. Durante o dia, Diego é um homem rico, filho de um rico homem protegido pela Coroa espanhola, que goza de todos os privilégios da burguesia. Durante a noite, o mesmo homem que vive com em boas condições, veste sua capa e sua máscara preta para lutar contra as injustiças que os ricos cometem contra os pobres do povoado.

E é este lado deste amável e generoso Diego o que consegue roubar também o coração de Esmeralda. Seu físico atlético e seu espírito aventureiro a levam se tornar a companheira secreta do Zorro. Mas, ainda que o coração de Esmeralda pertença somente a seu herói, aparece em sua vida Renzo. Longe de ser uma fantasia, esse cigano é um rapaz humilde e doce que luta para libertar sua tribo dos espanhóis. Renzo se torna seu melhor amigo e se admirador secreto.


CURIOSIDADES

Em sua semana de estreia na Rede Record, a trama surpreendeu a todos, dando média de 10 pontos, com picos de 12 , já no mês de agosto a trama atingiu média de 7 pontos. Já na Grande São Paulo a média foi de 5 pontos. Seu melhor desempenho era registrado em Recife com média de 20 pontos.

Seu pior desempenho foi no dia 4 de setembro, quando a telenovela amargou o quinto lugar chegando em alguns momentos a empatar com a TV Cultura e TV Gazeta com 2 pontos no Ibope. Ao final fechou com uma média geral de 5 pontos, mantendo assim a audiência deixada pela antecessora Alta estação.

Zorro: A espada e a rosa sofreu vários cortes devido à baixa audiência, que havia caído de 8 pontos nas primeiras semanas de sua exibição, para 4 pontos em sua final, terminando com 96 capítulos, contra 102 do original.

A telenovela foi exibida pela rede brasileira NGT, à meia-noite e às 4 da manhã, em apenas 15 capítulos, com reprise integral (maratona) aos sábados, da meia-noite às 5 da manhã.


COMENTÁRIOS

Zorro: A espada e a rosa foi uma co-produção entre Sony Pictures Television International e RTI Colombia para Telemundo. Com um roteiro original de Humberto “Kiko” Olivieri, essa telenovela foi dirigida por Mauricio Cruz e Augustín Restrepo, com a produção executiva de Patricio Wills e Hugo León Ferrer.

A Telemundo é uma cadeia americana de televisão em língua espanhola, a fonte essencial de entretenimento, notícias e esportes para os hispanos que vivem nos Estados Unidos. Transmitindo uma programação singular a nível local e nacional para o seguimento da população de maior crescimento nos Estados Unidos, a rede Telemundo chega a 93% dos lares hispanos em 142 mercados através de suas 16 estações, 36 afiliadas e mais de 684 sistemas a cabo. Telemundo é propriedade da NBC Universal, uma das companhias de meios e entretenimento mais proeminentes do mundo.

A telenovela contou com uma equipe de produção de mais de 80 técnicos. Recriando o estado da Califórnia durante a época de 1800, a rede Telemundo realizou um árduo trabalho de cenografia e vestuário, o qual foi confeccionado especificamente para cada personagem. Enquanto artesãos e ferreiros foram contratados para criar todos os acessórios da época, tais como chapéus, leques e as lendárias espadas utilizadas na esgrima, os atores também realizaram um grande trabalho de preparação para dar vida a suas respectivas personagens, cursando aulas de equitação e esgrima.

A telenovela, protagonizada por Christian Meier, Marlene Favela, Arturo Peniche e Héctor Suárez, foi realizada pela primeira vez neste gênero e contava a história do herói que lutou pelos menos favorecidos naquela época do século 18 nos arredores da Baixa Califórnia, os quais foram recriados em Villa de Leyva, uma população histórica da Colômbia.

O ator peruano Christian Meier, desde o início, destacou que não pretendia ser o Zorro espanhol, interpretado no cinema por Antonio Banderas ao lado de Anthony Hopkins e que, junto de seus companheiros, passavam várias horas praticando esgrima para se tornarem excelentes espadachins e darem mais vida às personagens.

Christian, a quem não havia bastado ter se tornado cantor desde sua infância, ter interpretado um esposo com tendências homossexuais em A mulher do meu irmão ao lado de Bárbara Mori, haver dado vida à obra mais polêmica de Jaime Baily, No se lo digas a nadie, ou ter se convertido em um peão apaixonado por sua patroa em La tormenta, voltou à telinha na pele de Diego de la Vega, o Zorro, um heroi a quem todos confiavam seus problemas e desventuras. Quiseram que o personagem do Zorro continuasse enigmático, mas humano, natural e menos super herói.

Marlene Favela, a Esmeralda na telenovela, disse que sua personagem foi um desafio para sua carreira, o mais difícil dos que já havia interpretado. Esmeralda foi uma mulher irreverente que lutava pelos seus ideais e se entregava ao amor sem limites, enfrentava tudo e mesmo assim era sensível.

O tema musical que se chamou Amor gitano foi interpretado pelo cantor mexicano Alejandro Fernández e pela americana Beyoncé, que, pela primeira vez, cantava em espanhol. A música, que foi escrita por Reyli Barba e Jaime Flores com a colaboração de Beyoncé, é uma apaixonada declaração de amor ao ritmo de  pop e flamenco.

domingo, 27 de junho de 2010

TV Brasil apresenta Jaime

A TV Brasil exibe neste domingo, 27 de junho, às 23h00, o filme português Jaime, produzido em 1999 por Luís Galvão Teles, Jani Thiltges e Claude Waringo, com roteiro de Carlos Saboga e António-Pedro Vasconcelos, que também dirigiu o filme.

O filme retrata, em 111 minutos, a vida de um garoto de treze anos chamado Jaime (Saúl Fonseca), que não aceita que os pais estejam separados e tudo fará para juntá-los novamente.

Sua mãe Marta (Fernanda Serrano), se muda com ele para bem longe na companhia do amante. Jaime, desesperado para ver os pais novamente juntos, acredita que isso só será possível se ele conseguir recuperar a motocicleta do pai que foi roubada, fazendo-o perder o emprego. Assim, ele se empenha para juntar dinheiro suficiente e poder comprar uma moto nova, começa a trabalhar às escondidas da mãe e do pai, convencido de que o dinheiro lhe permitirá comprar a felicidade perdida.

Como Jaime, Saúl Fonseca, resume muito bem as motivações de seu personagem ao defini-lo como um jovem honesto e justo que ama seus pais e não quer vê-los separados. Seu perfil se completa com o de seu amigo Ulisses (Sandro Silva), com quem trabalha às escondidas para levar dinheiro para casa sem se dar conta de que é explorado.

O seu plano não resulta e a situação agrava-se, sobretudo ao começar a faltar na escola e a ser perseguido pelo inspetor Coluna (Nicolau Breyner), dedicado à erradicação do trabalho infantil ilegal. Mas isso tudo não o perturba, irá continuar o seu plano. A vida torna-se extremamente difícil para o rapaz, sobretudo quando perde o pai e o amigo.

O filme de António-Pedro Vasconcelos recebeu o Prêmio CICAE e Prêmio Júnior no Festival de Cannes, França (2000); Prêmio Especial do Juri no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián (1999); Prêmio do Público no Festival de Cinema de Coimbra (2000); e Prêmios de Melhor Película, Melhor Diretor e Melhor Ator no Globo de Ouro Português (2000).

Na sua opinião: Quais são os mais belos atores?

Confira o resultado da enquete:

Fernando Colunga: 197 votos (64%)






Jaime Camil: 92 votos (29%)










Reynaldo Gianecchini: 89 votos (28%)









William Levy: 79 votos (25%)










Cauã Reymond: 76 votos (24%)










David Zepeda: 69 votos (22%)










Sebastián Rulli: 68 votos (22%)











 Valentino Lanus: 68 votos (22%)









Thiago Lacerda: 67 votos (21%)










Rodrigo Santoro: 66 votos (21%)









Bruno Gagliasso: 58  votos (18%)












Juan Soler: 53 votos (17%)









Mario Cimarro: 50 votos (16%)










Bruno Ferrari: 48 votos (15%)












Fábio Assunção: 47 votos (15%)












Marcello Antony:  45 votos (14%)











Dado Dolabella: 41 votos (13%)











Eduardo Santamarina: 41 votos (13%)











Murilo Benício: 40 votos (13%)











Sergio Sendel: 38 votos (12%)







Total de votos: 307

Na sua opinião: Quais são as mais belas atrizes?

Confira o resultado da enquete: 

 Thalía: 180 votos (48%)





Gabriela Spanic: 155 votos (41%)






Jacqueline Bracamontes: 115  votos (30%)







Bárbara Mori: 114 votos (30%)





Lucero: 103 votos (27%)



 

Adela Noriega: 98 votos (26%)





Juliana Paes: 82 votos (22%)





Silvia Navarro: 72 votos (19%)







Taís Araújo: 71 votos (19%)





Yadhira Carrillo: 68 votos (18%)






Camila Pitanga: 67 votos (18%)






Alinne Moraes: 66 votos (17%)






Edith González: 65 votos (17%)







Giselle Itié: 59 votos (15%)


 



Thaís Pacholek: 59 votos (15%)






Bianca Rinaldi: 55 votos (14%)







Giovanna Antonelli: 53 votos (14%)








Cléo Pires: 45 votos (12%)





Sabine Moussier: 42 votos (11%)





Deborah Secco: 41 votos (11%)








Total de votos: 372

Qual foi a melhor telenovela juvenil exibida no Brasil?


Confira o resultado da enquete:


Rebelde: 53 votos (55%)

Amigas e rivais: 29 votos (30%)

Primeiro amor - A mil por hora: 21 votos (21%)

Isa TKM: 20 votos (20%)

Quinze anos: 11 votos (11%)

A vida é um jogo: 6 votos (6%)

Garotas bonitas: 5 votos (5%)


Total de votos: 96


Com 55% dos votos, a telenovela Rebelde, produzida por Pedro Damián para a Televisa em 2004, venceu a enquete como a melhor telenovela juvenil exibida no Brasil, onde estreou em 2005.

A trama, uma adaptação do folhetim argentino Rebelde way, escrito por Cris Morena, foi veiculada pelo SBT e Boomerang e contou ao todo com três temporadas.

Recentemente, a Rede Record, que firmou acordo de co-produções com a Televisa em 2008, anunciou que produzirá a versão brasileira de Rebelde, já que adiou o remake de Cuidado con el ángel, que se chamaria Vivendo o amor.

A telenovela será adaptada no Brasil por Margareth Boury, de Alta estação, e contará com direção de Ivan Zettel. Será alvo de investimentos milionários por parte da emissora mexicana, que teria proposto injetar US$ 20 milhões na produção do folhetim.

A razão de tamanho investimento - e da aceitação da Record - estaria no forte roteiro e da alta possibilidade de lucro imediato, afinal Rebelde tem um grande leque de produtos que poderão ser licenciados.

Com a nova produção, a segunda da emissora em parceria com a mexicana Televisa, a Record irá aproveitar a telenovela para lançar uma linha de vestuários e de acessórios inspirada nos personagens principais.

A banda que irá estrelar a versão brasileira de Rebelde será formada por jovens maiores de idade, já que os protagonistas da trama precisarão viajar e fazer shows durante a madrugada. Com a medida, a Record evitará possíveis problemas com o Juizado da Infância e da Adolescência.

Anteriormente, a emissora dava como certa a realização de um concurso, que escolheria os protagonistas da trama em um de seus programas de auditório, porém, segundo a jornalista Keila Jimenez, a emissora já estuda a possibilidade de ela mesma escalar o elenco da trama. A emissora estaria desistindo de realizar o concurso por falta de tempo, já que a história começará a ser gravada no mês de agosto, com estreia prevista para novembro.

Produtores de elenco da Record estão visitando teatros e escolas de interpretação da região Sudeste em busca de atores para compor o time principal da versão brasileira da telenovela e segundo Hiran Silveira, diretor de teledramaturgia, a ação deverá ser estendida a outras regiões do país, com o envolvimento de afiliadas.

Os produtores da Record buscam não apenas atores que saibam cantar, para compor a banda em torno da qual gira a trama, mas também atores que possam interpretar outros papéis, até porque a versão brasileira terá mais personagens que a original mexicana.

Os interessados em participar da seleção de elenco da telenovela também podem mandar e-mail para rebelde@rederecord.com.br, com currículo e links de vídeos.

sábado, 26 de junho de 2010

Chiquititas 2008


NOME ORIGINAL
Chiquititas 2006 – Chiquititas sin fin

ESCRITORA
Cris Morena

PAÍS DE ORIGEM
Argentina

NÚMERO DE EPISÓDIOS
111

ANO DE GRAVAÇÃO
2006

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2008

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Chiquititas já

INTÉRPRETE
Elenco de dubladores

Anda, não pares que chegou a hora de ver as Chiquititas.
Anda, não pares, não podes perder o mundo das Chiquititas…

Chegou a hora e o momento e o teu mundo, este é o teu lugar,
os teus desejos, todos os sonhos com as Chiquititas tu vais conquistar.
Sempre vivemos, aqui contigo dentro do peito, bem junto ao coração,
traz um sorriso e um amigo e vem cantar connosco esta canção.

Com as Chiquititas é tão fácil sonhar, nós vamos dançar,
com as Chiquititas nós vamos cantar, com as Chiquititas o teu mundo será
um mundo de sonho, que vai começar.

Anda, não pares que chegou a hora de ver as Chiquititas.
Anda, não pares, não podes perder o mundo das Chiquititas…

A tua alegria, é o que é preciso pra que esta festa, já possa começar,
pois neste mundo, basta um sorriso, para o sonho em real se transformar.
Sempre vivemos, aqui contigo dentro do peito, bem junto ao coração,
traz um sorriso e um amigo e vem cantar connosco esta canção.

Com as Chiquititas é tão fácil sonhar, nós vamos dançar,
com as Chiquititas nós vamos cantar, com as Chiquititas o teu mundo será
um mundo de sonho, que vai começar.
Com as Chiquititas o teu mundo será um mundo de sonho, que vai começar.

Anda, não pares que chegou a hora de ver as Chiquititas.
Anda, não pares, não podes perder o mundo das Chiquititas.
Vem!


ELENCO

Jorgelina Aruzzi: Magali García / Lili

Gastón Ricaud: Lucas Rodríguez “Kili”

Gonzalo Heredia: Mateus Von Bouer

María Carámbula: Julieta Alvarenga de Demont

Mariana Briski: Terezinha Gómez

Ernesto Claudio: Vítor García

Stefano de Gregorio: João Eduardo Manoel Flores

Mariana Espósito: Augusta Rossi “Guta”

Guadalupe Antón: Anita dos Santos

Facundo Aguilar: Damião Lerner “Josep”

Ricardo Aiello: Manoel Fernando Serra “Nando”

Camila Castro: Luana Baroli

Juan Pedro Lanzani: Nícolas Ramírez “Mosquito” / “Quito”

Nicole Popper: Paula Ramírez

Carolina Quattrocci: Micaela Cortéz “Miki”

Luciano Ruiz: Marcel Demont

Gastón Soffritti: Frederico Romero “Pulga” / “Fred”

Delfina Varni: Talita Estella Demont

Candela Vetrano: Valéria Sansimón “Vale”

Carolina Pampillo: Bárbara García

Mariana Richaudeau: Lúcia Machado

Alejo García Pintos: Pierre Demont / Pedro Omar Demont “Domínguez”

Agustín Sierra: Franco

Adrian Spinelli: Teodoro Pereli

Sérgio Bermejo: Miguel (Pai de Paula)

Eugenia: Eugênia (Tia de Guta)

Carlos Mambresi: Gato (Pai de Gerson)

Brenda Gandini: Connie (Ex-noiva de Kili)

Beatriz Villacasa: Edwiges (Inspetora do juizado de menores)

Irene Almus: Úrsula (Inspetora do juizado de menores)

Geraldine Visciglio: Geraldine (Ex-namorada de Pulga)

Daniela Laborde: Camila (Amiga de Josep)

Gloria Carrá: Betina (Namorada de Vítor García)

Micaela Vazquez: Rita (Amiga de Connie)

Ana Acosta: Marina (Noiva de Gato)

Luiz Diego Ignacio: Diego (Ex-namorado de Lili)

Romina Gaetani: Mercedes (Tia de Franco)


PERFIL DAS PERSONAGENS

Magali (Jorgelina Aruzzi) – é uma empresária de sucesso ligada à indústria alimentar e de distribuição. A sua inteligência e sentido dos negócios ajudou a transformar um pequeno negócio num forte grupo econômico. Magali dedica a sua vida aos negócios e as vezes parece uma mulher fria e distante. Mas ela tem um segredo. Há oito anos teve um filho que foi roubado. Desde então, ela procura em todos os orfanatos, lares e instituições do país. Agora, parece ter encontrado três candidatos, no orfanato Demont. A sua busca não vai parar desde o momento em que encontra os órfãos mais pequenos. Será incansável na tentativa de descobrir o filho que lhe foi roubado.

Lili (Jorgelina Aruzzi) – é o outro lado de Magali. A empresária séria, conservadora e fria, dá lugar a louca, maravilhosa e divertida Lili. E é com esse espírito que ela embarca na aventura de se tornar assistente do orfanato. Imediatamente se torna a melhor amiga dos orfãos. Ela vai ser a conselheira, a amiga, mas também a cúmplice e a companheira de brincadeiras e armações. Se Lili traz uma nova Luz ao orfanato Demont, o contato com os órfãos vai fazer nascer nela uma nova vida, onde o amor e a esperança dão lugar a amargura e ao pessimismo de Magali.

Kili (Gastón Ricaud) – Lucas  mais conhecido por Kili, é o cozinheiro do orfanato é o grande aliado das crianças no orfanato Demont. É ele que as protege da Teresinha e dos seus ataques de fúria. ele cozinha muito bem, adora dançar tango e ter a atenção de todas as mulher da feira, em especial da Julieta Demont, a dona do orfanato. Mas coisas vão mudar com a chegada de Lili. Kili vai apaixonar-se pelo jeito especial da nova assistente do orfanato. Kili também tem um passado que o marcou profundamente. Ele era médico e perdeu um paciente muito querido: Pedrinho. Para esquecer esse sentimento de culpa, ele faz um curso de culinária e começa a trabalhar como cozinheiro no orfanato Demont. Com isso indica que sua chegada ao orfanato não foi por acaso. Mas nessa altura, Kili já tem Lili como uma companheira que vai ajudar a ultrapassar todas as dificuldades.

Mateus (Gonzalo Heredia) – Mateus Von Bauer é filho de um banqueiro suíço que vem fazer um levantamento das contas do Grupo García. Acaba se aproximando de Magali e entre os dois nasce uma relação especial. Mateus é um homem bonito, charmoso e cheio de recursos. Magali não vai ser a única a se impressionar por ele.

Bárbara (Carolina Pampillo) – a mulher de Vítor, tem quase a idade de Magali. Casou com Vítor pelo dinheiro e pelo conforto. Mas vive angustiada e a procura de um homem mais novo que Vitor. Vai descobri-lo, mas as consequências da sua traição vão ser imediatas.

Vítor (Ernesto Claudio) – Vítor García é um produtor agrícola milionário. Com a ajuda da filha, Magali criou um grupo econômico ligado à indústria alimentar. Vítor é um homem conservador e violento, que não gosta de ser contrariado. Foi ele que tirou o filho de Magali, para evitar o escândalo de ter uma filha com mãe solteira. É capaz de fazer de tudo para proteger a imagem da família.

Lúcia (Mariana Richaudeau) – é a melhor amiga de Magali e a única que sabe o seu segredo. Apoia ela na procura de seu filho e ajuda ela a manter seu segredo da personagem "Lili" no Orfanato Demont. Lucia é a única pessoa que Magali ouve e a que lhe diz sempre as verdades. São como duas irmãs.

Mosquito (Juan Pedro Lanzani ) – Nicolas Ramírez, apelidado por Mosquito, é o mais velho e acaba de chegar ao orfanato com a irmã, Paula. Esteve muito tempo na rua e por isso tem um temperamento agressivo e desconfiado. Mas o convívio com as outras crianças vai ajudá-lo a encontrar o seu lado bom, justo e corajoso. Rapidamente se torna o líder dos rapazes. A sua postura confiante vai deixar algumas das meninas mais velhas caidinhas por ele. Mas Mosquito só tem olhos para uma.

Guta (Mariana Espósito) – Augusta Rossi não é órfã. A melhor amiga de Miki. Os pais, antropólogos, partiram numa expedição para o Peru e queriam que ela fosse para uma colônia de férias de luxo. Ela preferiu ir para um lar de crianças, para aprender o que é não ter família e poder ajudar os outros. Mas o destino trocou as bolas e Guta vai viver na pele o desespero de perder tudo o que tinha por garantido. Agora o orfanato Demont é tudo o que lhe resta. Nunca esteve apaixonada, mas ao conhecer alguém melhor irá descobrir o verdadeiro significado da palavra "amor".

Paula (Nicole Popper) – passou toda a infância na rua, junto com seu irmão Mosquito. Quando a mãe morreu, ela e o irmão fugiram de casa para escapar da violência do pai, que bebia demais. Paula aprendeu a se defender sozinha. Escondeu a sua beleza e o lado feminino para se proteger. É frontal e direta. Fiel ao irmão e a mais ninguém. Mas não é por isso que ela não chama a atenção dele quando ele erra.

Miki (Carolina Quattrocci ) – Micaela é a mais apaixonada, a mais sonhadora e a mais criativa do grupo. Tão criativa, que às vezes mistura a realidade e a ficção. Adora contar histórias aos mais pequenos. E de escrevê-las também. As suas personagens são sempre herois de capa e espada e donzelas inocentes. À procura de um príncipe encantado, mas ainda nada encontrou. Nem por isso deixa de ser feliz.

Vale (Candela Vetrano) – Valéria é a mais velha do grupo e a sua passagem pelo Orfanato Demont está chegando ao fim. Quando completar 16 anos terá de sair do orfanato por atingir a faixa etária. Nunca conseguiu ser adotada. Por isso se tornou invejosa e rancorosa. Por ser a mais velha acha que não conseguirá ser adotada pelas pessoas que preferem crianças menores e por isso não se dá muito bem com todos. Alia-se sempre a Julieta e Terezinha contra os órfãos.

Pulga (Gastón Soffritti) – até a chegada de Mosquito, era o líder do grupo. Agora tem um adversário da mesma altura. Mas depois dos primeiros choques vão tornar-se amigos. Pulga é um rapaz simpático que faz sucesso com as garotas. Tem um grande medo de água e faz de tudo para não tomar banho. Esse é o seu maior defeito. É um ser tão apaixonado que às vezes coleciona namoradas, e anda com várias ao mesmo tempo, sem lhes dizer nada, claro.

Josep (Facundo Aguilar) – seu nome é Damião, mas todos os chamam de Josep. As crianças se aproveitam do seu ponto fraco: é o mais medroso de todos. Teve uma infância difícil que o marcou para sempre. Daí tem medo de tudo e de todos. No Orfanato Demont encontrou um ambiente estável e acolhedor. Apesar das fúrias de Terezinha, de quem sempre foge.

Luana (Camila Castro) – uma menina carinhosa e muito travessa. Escreve a palavra “mamãe” em cada lugar por onde passa, por isso que é fácil descobrir os seus passos pelo orfanato. Tem uma doçura que conquista ao primeiro olhar. É por causa dela que Lili decide que tem de ficar no orfanato Demont. Luana gosta de imaginar que a mãe é como Lili, engraçada, travessa e sempre com uma história para contar.

Nando (Ricardo Aiello) – seu nome é João Manuel, mas no orfanato todos o chamam de Nando. É um brilhante inventor de engenhocas. Sempre sério e racional, gosta de usar palavras difíceis e de mostrar aos adultos que sabe mais que eles. Nando teve uma infância difícil. Estava ao cuidado de uma ama, mas teve um acidente. Passou meses no hospital e foi abandonado.

João Eduardo (Stefano de Gregorio) – foi menino de rua e teve de sobreviver sozinho. Depois foi resgatado e enviado para o orfanato. João Eduardo teve pai e mãe, mas foi abandonado por ambos. Também teve uma irmã, mas já não se lembra dela. Do que se lembra é da vida de rua, que o fez rápido nas reações e forte nas convicções. É um terror com bom coração, que adora futebol. Está sempre inventando planos para se livrarem da Terezinha. Gosta da Lili e é capaz de fazer o que for preciso para ajudar um amigo.

Anita (Guadalupe Antón) – foi criada num convento de freiras antes de chegar ao orfanato. Não conheceu os pais. É muito religiosa. Apesar disso participa nas brincadeiras com os outros e também faz asneiras. Mas nunca se esquece de pedir perdão ao menino Jesus por alguma coisa que ela tenha feito de errado. O seu sonho era encontrar a mãe.

Gerson – tem sempre alguma coisa para dizer. É um sonhador e um contador de histórias e está sempre a inventar mil e uma aventuras, em que é sempre o heroi. No entanto, as suas mentiras são completamente inofensivas e não têm maldade nenhuma. São uma maneira de se esquecer que tem um pai ausente, que nunca quis saber dele. Mas isso vai mudar.

Pierre (Alejo García Pintos) – o último dos Demont não herdou nenhuma das qualidades que fez dos seus antepassados homens de força e respeitados na sociedade. Pelo contrário. Pierre é fraco, pouco inteligente e medroso. A melhor ideia que Pierre teve foi a de fundar o Orfanato Demont para se aproveitar do dinheiro e doações que recebe para o para manter sua família. Ele bem tenta arranjar uma maneira de enriquecer de forma fácil e sem trabalho. Corta os gastos do orfanato, aproveita até mesmo da empregada do orfanato, Terezinha, e coloca ela para trabalhar em sua casa. Mas os planos não estão mais dando certo.

Julieta (María Carámbula) – filha de boa família, casou-se com Pierre para ficar com um sobrenome de linhagem nobre, Demont. Mas parece que isso não deu muito certo. Os Demont estavam na falência. Agora Julieta passa os dias relembrando os velhos tempos da riqueza. Isso faz ela se tornar azeda e sempre surge a oportunidade de explorar fortunas alheias. Ela vê o orfanato e os órfãos apenas como um negócio para conseguir dinheiro. Ela quer ter os "roedores" (apelido que deu para os órfãos) longe de sua vista.

Marcel (Luciano Ruíz) – é a cópia do pai em tudo, menos na inteligência. Onde Pierre falha, Marcel acerta sempre. Malvado e extremamente inteligente está sempre a arranjar planos para enganar os outros. Tem medo dos órfãos mais velhos, mas é craque em manipular os mais novos. Adora o pai e respeita a mãe. Mas odeia a irmã. Só a tolera quando eles se aliam contra os pais. Marcel só quer crescer, para deixar de depender dos familiares e poder ser independente.

Talita (Delfina Varni) – a pequena princesinha da família imita a mãe em tudo. É arrogante, mimada e insuportável. Faz a vida de Terezinha um inferno com as suas exigências. Detesta os órfãos e está sempre a arranjar problemas com eles. Talita tem em gênio o que não tem em tamanho. Sabe enganar a mãe e a empregada como ninguém e leva sempre a vantagem. Quando contrariam, ela grita por todos os cantos por Mamãe…

Terezinha (Mariana Briski) – foi criada numa fazenda e sempre soube lidar melhor com os animais do que com as pessoas. É por isso que os seus modos são muitas vezes quase brutais. Nunca se separa da sua varinha e sempre ameaça as crianças com ela. Mas apesar de tudo, Terezinha não é má, por mais rígida e arrogante que seja ainda tem um coração bom que fica reservado para o amor de sua vida. Normalmente é ela quem sofre as consequências dos fracassos de seus patrões.


INTRODUÇÃO

Chiquititas 2006 (também conhecida como Chiquititas sin fin) foi a oitava temporada da versão original da telenovela Chiquititas, escrita por Cris Morena. A novela foi lançada em homenagem aos 11 anos de existência da trama. No Brasil, a trama foi exibida pelo SBT com o nome de Chiquititas 2008.


RESUMO

Magali García é uma empresária fria e rigorosa, que sofre porque no passado, quando terminou os estudos, muito jovem, revelou ao pai Vítor que estava grávida, e rigoroso e querendo tirar o nome da família da lama, Vítor mandou Magali viver num campo abandonado durante 9 meses, e mandou sua empregada sequestrar o filho de Magali, colocá-lo num orfanato e mentir que nasceu morto. O plano deu certo, mas a empregada se arrependeu e contou tudo à Magali, que passou a odiar o pai e procurar o filho.

Oito anos depois, Magali tem certeza que seu filho está no Orfanato Modelo Demont, e é Nando, Anita ou Luana. Com a ajuda de sua melhor amiga Lúcia, Magali vai fingir ser Lili, uma mulher maluca, engraçada e extremamente divertida que vai trabalhar no Orfanato Demont para cuidar das crianças, voluntariamente, aparentemente é prima de Magali. Esse é o plano dela para descobrir quem é o seu filho. Lili vai se encantar com as crianças, e será o anjo, a fada, o duende, a mãe de brinquedo, e uma amiga para todas as horas dos órfãos

O lado oposto de Magali, é de Terezinha, a malvada zeladora dos órfãos, que causa pânico neles, e é vista como uma bruxa.

Julieta e Pierre Demont, donos do orfanato e pais dos mimados e convencidos Marcel e Talita Demont, são ambiciosos, perversos, falsos e capazes de qualquer armação para conseguir o que querem: Dinheiro. São gananciosos ao extremo.

Kili, o simpático, sedutor e bonitão cozinheiro do Orfanato Demont, se apaixona perdidamente pelo jeito maluco de ser de Lili, e ela também sente que o ama, mas está apaixonada por Mateus, o gerente de um banco, que gosta do jeito sério de ser de Magali, a verdadeira face de Lili. Para complicar a situação, Lili tem que se dividir em duas: se dedicar ao orfanato tanto quanto se dedica à empresa.

Ainda tem os adolescentes: Miki ama Mosquito, que não percebe seu amor, por gostar de Guta, grande amiga de Miki. Guta, apesar de amar Mosquito, tenta evitá-lo para não magoar seu amigo Josep, que gosta dela. E as crianças Luana, Nando e Anita fazem, com suas trapalhadas e confusões, o Orfanato Demont um verdadeiro rebuliço. Os melhores amigos João Eduardo e Gerson adoram futebol, estão sempre juntos, e adoram preparar armadilhas contra Terezinha, e contra Talita e Marcel. Um mundo de magia e diversão, que você não pode perder.

Vítor descobre o disfarce da filha, e os dois têm uma longa e esclarecedora conversa. O empresário faz as pazes com Lili/Magali, e totalmente redimido de suas crueldades, passa a ajudá-la nas investigações.
Entretanto, Mateus viaja para os Estados Unidos, muito desolado ao descobrir o segredo de Magali, por quem estava apaixonado, deixando a empresa dos García numa situação complicada.

Vítor, Lúcia e Betina viajam para a Europa, na tentativa de convencer o Sr. Von Bouer, pai de Mateus e diretor do banco, a chegar num acordo estável. No caminho, o carro sofre um acidente e Vítor, Lúcia e Betina morrem. A empresa acaba indo á falência, deixando Magali com uma mão na frente e a outra atrás, e ela ainda é demitida do orfanato.

Kili, que já sabe de seu segredo, a ajuda em tudo que é possível, juntamente a Diego, ex-noivo dela e pai de sua filha 'perdida'. Os três confirmam com um exame de DNA que Anita é a filha de Magali, e ela revela seu segredo aos órfãos, que a princípio se revoltam e a menosprezam, mas depois todos fazem as pazes.

Magali e Kili conseguem a guarda de Luana, e Diego adota Nando. No penúltimo capítulo, Kili pede Magali em casamento e ela aceita. Os pais de Guta reaparecem vivos, descobrem os golpes de Pierre e conseguem tirar o orfanato do vilão, que termina solitário e sem dinheiro, pois Julieta, Terezinha, Marcel e Talita se mudam para uma fazenda.

Guta e Mosquito também ficam juntos, Josep e Paula iniciam um romance, Vale descobre ser irmã de João Eduardo e torna-se boa pelo acontecido, Miki arranja um namorado e Pulga reencontra seu tio e primos. A história se encerra numa emocionante festa de Natal no bairro.