domingo, 2 de maio de 2010

Primeiro amor - A mil por hora


NOME ORIGINAL
Primer amor – A mil x hora

ESCRITOR
Edmundo Báez (Baseado na obra de René Muñoz)

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
110

ANO DE GRAVAÇÃO
2000

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2003

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
A mil x hora

INTÉRPRETE
Lynda

Hay tantos pensamientos que habitan mi cabeza
y aún en silencio no encuentro las respuestas.
En esta noche fría necesito de un abrazo,
ya ha vuelto la bulimia y me duele tanta confusión.

Debajo de la cama me guardo una maleta,
por si me da la gana, buscar independencia.
Algunas veces pienso que es mejor marcharme lejos,
dejar para mi madre una nota en el espejo.

No que no, que no, que no, que no, que no…

Y pasan los días, y pasan las noches, uno a uno a mil por hora.
Y pasan los días, y pasan las noches, uno a uno a mil por hora.

A mil, a mil por hora…
A mil, a mil por hora…

Entre tantas miradas, busco el amor a ciegas,
alguien que sin palabras me haga sentir princesa.
Quiero vivir mi vida siempre a corazón abierto,
y hallar una salida y dejar atrás el miedo.

No que no, que no, que no, que no, que no…

Y pasan los días, y pasan las noches, uno a uno a mil por hora.
Y pasan los días, y pasan las noches, uno a uno a mil por hora.

A mil, a mil por hora…
A mil, a mil por hora…
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…
(A mil por hora)
A mil, a mil por hora…

TEMA DE ENCERRAMENTO
Juntos

INTÉRPRETES
Anahí e Kuno Becker

Desde hace tanto tiempo, guardo este sentimiento,
me siento unido a ti, te veo y siento morrir.
Sé lo que debo sentir y no lo puedo decir,
amor ya no quiero fingir, tonto soy si te me vas.

Desde hace tanto tiempo, guardo este sentimiento,
Me siento unida a ti, te veo y siento morir.
Sé lo que debo sentir porque no lo puedes decir,
me harías tan feliz si pudieras compartir.

Juntos en silencio cuando hay tanto que decir (siempre juntos).
Juntos y distantes cuando hay tanto por vivir (juntos).
Juntos soñando los dos, un momento magico.
Juntos somos tú y yo y el amor (tú y yo y el amor).
Juntos los dos…

Desde hace tanto tiempo, guardo este sentimiento,
me siento unido a ti, te veo y siento morrir.
Sé lo que debo sentir y no lo puedo decir,
amor ya no quiero fingir, tonto soy si te me vas.

Juntos en silencio cuando hay tanto que decir (juntos los dos).
Juntos y distantes cuando hay tanto por vivir.
Juntos soñando los dos, un momento magico.
Juntos somos tú y yo y el amor.
Juntos los dos (tú y yo y el amor).

Juntos en silencio cuando hay tanto que decir (siempre juntos).
Juntos y distantes cuando hay tanto por vivir (juntos).
Juntos soñando los dos, un momento magico.
Juntos somos tú y yo y el amor.

Juntos en silencio cuando hay tanto que decir (juntos los dos).
Juntos y distantes cuando hay tanto por vivir (junto los dos).
Juntos en silencio cuando hay tanto que decir…


ELENCO

Anahí: Giovana Luna

Ana Layevska: Marina Iturriaga

Kuno Becker: León Baldomero

Mauricio Islas: Daniel Ventura

Valentino Lanús: Rafael

Arleth Terán: Priscila Luna

Daniela Luján: Sabrina Luna

José María Torre: Bruno

Manuel Ibáñez: Conrado

José Elias Moreno: Estevão Luna

Blanca Sánchez: Andrea

Leticia Perdigón: Catarina Luna

Sebastián Rulli: Maurício

Laisha Wilkins: Tamara

Alexa Damián: Emília

Carla Ortíz: Gina

Eduardo Rivera: Artêmio

Pedro Sicard: Cláudio

Liuba de Lasse: Lucrécia Malverde “Lulu”

Alan Gutiérrez: Henrique

Damián Mendiola: Vinnie

Arturo Vázquez: Fagulha

Fabián Robles: Santiago “Iguana”

Susan Von: Bárbara

Sebastián Ligarde: Antônio Iturriaga

Mariagna Pratts: Pilar Camargo

Arturo García Tenorio: Indalésio

Mauricio Aspe: Rudy Medeiros

Aitor Iturrioz: Bóris

Roxana Castellanos: Ana

Ricardo Chávez: Sebastião

Rafael Bázan: Morrito

Felipe Nájera: Valente

Ehécatl Chávez: Tirilo

Damián Sarka: Diego

Jackeline del Vecchio: Aura

Flavio Peniche: Poncho

Kika Edgar: Olívia

Julio Sánchez: Mariano

Dulce María: Britany

Pedro Damián: Stephan


INTRODUÇÃO

Trata-se de um remake da telenovela Quinze anos produzida em 1987 e exibida no Brasil em 1991, protagonizada por Adela Noriega e Thalía.
Desta vez, em Primeiro amor, o casal principal era interpretado por Anahí e Kuno Becker. A novela também conta com a estrela infantil Daniela Luján, protagonista de novelas como O diário de Daniela e Luz Clarita.


RESUMO

Esta é a história da debutante Giovana Luna e dos obstáculos que terá que superar em sua luta para encontrar a felicidade ao lado de León Baldomero, o amor de sua vida, em um mundo onde os jovens se empenham em viver a mil por hora, sem pensar nas consequências. Nesse cenário, esses jovens terão que se desenvolver para encontrar o caminho que os leve a realização de seu amor.

No entanto, apesar de se conhecerem desde crianças, Giovana e León têm problemas para comunicarem o grande carinho que sentem, pois o tempo e as circunstâncias se encarregaram de fazê-los acreditar que haviam mudado de maneira negativa. Mas com o passar dos dias, esse casal tomará consciência de que sua relação está mais viva que nunca e descubrirá que o verdadeiro amor sobrevive a todos os obstáculos.

Os impedimentos que surgirão entre os dois não serão poucos, a começar por Catarina, a mãe de Giovana, que insiste que a mocinha tenha uma festa de quinze anos muito acima das possibilidades da família, desaprovando totalmente a relação de Giovana com León, por considerá-lo um pobretão.

Por outro lado, temos a presença de Daniel Ventura, que está louco por Giovana e deseja obtê-la a qualquer custo, sem se importar em passar por cima dos objetivos de outras pessoas. Também Priscila, a invejosa irmã mais velha de Giovana, que, se sentindo excluída do círculo familiar, tem despejado sua amargura sobre sua irmã, a até mesmo prometido tomar León, por bem ou por mal.

Acompanhando Giovana pelo caminho, nem sempre fácil, de sua adolescência, está sua melhor amiga, Marina Iturriaga, outra debutante de classe alta, filha da afamada atriz Pilar Camargo, que sempre se preocupou em dar à sua filha presentes caros, em vez de seu afeto.

O mesmo acontece com o pai de Marina, Antônio Iturriaga, homem de negócios que com sua atitude hipócrita irá lastimar tanto sua filha, que terminará por lhe causar transtornos nervosos, e ainda por cima colocará em perigo a vida da jovem.

No entanto, o amor lhe dará uma esperança, encarnado em Rafael, um belo e educado rapaz que havia regressado ao México depois de ter concluído seus estudos no exterior. O único problema é que Marina, com seu orgulho, desprezará Rafael que buscará consolo, nada menos que em Giovana. Isto, por sua vez, causará tensão entre as debutantes no momento em que mais se precisam, e colocará à prova a amizade de tantos anos.

E, assim, em um mundo a mil por hora, as personagens terão que aprender a reconhecer o verdadeiro amor e a driblar os perigos que surgirão no caminho, já que, a final de contas, são os que todos os adolescentes do mundo têm que enfrentar alguma vez na vida.


COMENTÁRIOS

Mostrar adolescentes vivendo em um mundo acelerado foi a proposta inicial de Pedro Damián com Primeiro amor – A mil por hora, um aguardado remake de Quinze anos.

Para protagonistas, muito se comentou que se esperaria até o dia em que Daniela Luján fosse a estrela ideal. Mas o projeto não podia esperar Daniela crescer, o papel foi dado a Anahí, que havia tido muito destaque em sua novela anterior, Mujeres engañadas. Daniela Luján ainda assim esteve na novela como a irmã de Giovana, Sabrina. Anahí sugeriu para o estelar masculino Mauricio Ochmann, astro da TV Azteca, que não aceitou e continuou em sua emissora. Então Kuno Becker, namorado da estrela na época, assumiu o papel de León.

Muitos foram os destaques do elenco. Anahí brilhou como a sofrida Giovana Luna, uma heroína cheia de conflitos, que lidou com temas fortes como o estupro e o vírus da AIDS. Kuno Becker também esteve muito bem como o batalhador León.

A grande surpresa veio com Ana Layevska, que viveu a problemática Marina. Ela teve uma química surpreendente com Valentino Lanús, que foi Rafael, seu “irmão”. Os dois se destacaram muito e foram uma revelação. Valentino virou o galã do momento com essa novela. Muitos acreditam que esse foi o grande casal da novela.

Letícia Perdigón também esteve muito bem como a deslumbrada Catarina, que sonhava com a festa de quinze anos de Giovana, mesmo que não pudesse pagar. Sua personagem foi das mais ricas dentro da história. Fabián Robles começou caricato como Iguana, mas aos poucos, o público se convenceu de sua interpretação, que acabou sendo muito elogiada.

A personagem mais complexa com certeza foi Priscila, brilhantemente interpretada por Arleth Terán. Priscila foi vítima, vilã e heroína. Em todos os momentos, a atriz deu o tom certo à personagem, uma menina amargurada e revoltada com todos os anos de desprezo que teve da mãe.

O grande vilão da novela foi Daniel Ventura. Um vilão muito excêntrico, por seu bom humor, e por sua inesquecível caracterização. Mauricio Islas surpreendeu a todos com essa atuação. Destaca-se a cena no qual Daniel delira e imagina ver todos os que ele prejudicou enquanto está completamente drogado.

Quanto a atuações ruins, os irmãos Montijo, vividos por Felipe Nájera e Damián Mendiola foram campeões de trejeitos e exagero. E quanto a talento desperdiçado, Blanca Sánchez, que merecia mais espaço com sua amargurada Andrea.

A história começou prometendo, a primeira reviravolta veio com o suposto estupro de Giovana. Porém as semanas seguintes, os encontros e desencontros dos casais cansaram um pouco. Pois apesar das boas atuações, já não saia do mesmo, o vai-e-vem de Giovana e León e as brigas constantes de Marina e Rafael.

A novela começa a pegar ritmo com a aguardada festa de quinze anos, onde vários acontecimentos chaves determinaram os rumos que a novela iria tomar e levaram os personagens a uma nova fase da história. Um exemplo foi a história da maleta com drogas, carregamento dos Montijo, que no início era algo alheio à história principal, na festa, uniu grande parte dos personagens principais. A partir daí também, surgem as consequências dos sonhos de Catarina, que gastou muito com a festa.

Sobre os Montijo, vale comentar que no início ninguém entendia realmente qual era a história que envolvia essa família e por que estavam ali. Com o tempo, tudo isso foi se esclarecendo. Mas o início, misterioso demais, deixou a desejar.

Então a história foi se desenrolando, com isso, no elenco entrou um reforço, Laisha Wilkins como a atrevida Tamara, que entrou para tentar conquistar Rafael. Em seu núcleo, o de um grupo de ajuda que atuava na Europa Central, também houve uma participação mais que especial de Pedro Damián, produtor da novela, como Stephan.

O desenlace foi acontecendo, o que culminou no clímax com a revelação do passado de Priscila, do suposto estupro, e da morte de Constância, amiga de Marina. Porém, a Televisa, satisfeita com os índices da novela, a esticou de última hora, com isso, colocaram várias situações desnecessárias, como a entrada de Britany, que apesar de divertida, não tinha muito o que fazer em plenas últimas semanas, ou a luta de Indalésio, que foi um tanto absurda, ou o striptease que os garotos tiveram que fazer para pagar a viagem de formatura de Giovana e suas amigas, salva-se apenas a participação de Lynda, cantando o tema da novela.

Muitos temas foram abordados na novela. Pois apesar que Primeiro amor - A mil por hora, no fundo, tenha sido uma novela bem clássica, em geral as personagens acabaram sendo bem reais, até mesmo Daniel.

O tema que mais marcou foi a anorexia enfrentada por Marina, que por seus conflitos emocionais, vomitava por tudo. Pedro Damián quis alertar os jovens sobre esse tema, que até então, não era muito casual. Curiosamente, Anahí enfrentou na época esse problema. O mais irônico era ver Giovana aconselhando tanto Marina, quando era ela quem, na verdade, estava se destruindo, como ela sempre dizia.

Outro tema forte foi a homossexualidade, aqui tratada sem estereótipos e de uma forma leve, sem chocar. Bruno, aos poucos, foi se descobrindo apaixonado por seu professor de teatro Adriano. Pedro Damián foi até o fim com o tema, que conseguiu ser polêmico sem ser sensacionalista.

A gravidez na adolescência foi tratada também através da personagem Olívia. Grávida de Daniel, a personagem percebe que Daniel não será o pai ideal para seu filho. Na novela, a irresponsabilidade de Olívia acaba gerando consequências sérias, mas que foram resolvidas da melhor forma.

Mas “a mil por hora” que a própria novela, estavam os bastidores, onde, de fato, Anahí foi a grande estrela. Para começar, estava atuando junto a Kuno Becker, seu namorado. Mas os dois terminaram durante as gravações e não se dirigiram mais a palavra. Dizem que o pivô da separação foi Valentino Lanús. Estranhamente, na festa de encerramento da novela, Kuno e Anahí foram flagrados assistindo ao último capítulo de mãos dadas.

Anahí também teve uma briga durante uma gravação com Letícia Perdigón. Comenta-se que a briga foi seríssima. Ao ser perguntada sobre o assunto, Letícia respondeu: “Eu não entendi o que aconteceu, Anahí é como minha filha de verdade”. Uma pessoa que por incrível que pareça, Anahí não brigou, foi Ana Layevska. Pelo contrário, viraram grandes amigas de verdade.

Durante a festa de encerramento, a equipe da novela deu reconhecimentos aos melhores da novela. O melhor ator protagônico foi Mauricio Islas, a melhor atriz protagônica foi Ana Layevska. Os melhores atores coadjuvantes foram Fabián Robles e Letícia Perdigón. Os mais pontuais foram Kuno Becker e Lucero Lander. O menos conflituoso foi Valentino Lanús, que também foi a revelação masculina, junto a Ana Layevska, que foi a revelação feminina.

A novela foi um grande sucesso. Nos prêmios TVyNovelas, das várias indicações, ganharam Ana Layevska, como revelação feminina, Valentino Lanús, revelação masculina, e Arleth Terán, atriz coadjuvante. Também ganharam prêmios, a melhor briga do ano (entre León e Daniel, de fato, uma forte rivalidade), melhor sequência de ação (uma das corridas de carros, novamente, entre León e Daniel), e melhor beijo (entre Ana Layevska e Valentino Lanús), que foram o melhor casal romântico do ano.

O CD com a trilha sonora da novela alcançou o disco de ouro no México. As músicas A mil por hora (o tema de abertura) e Juntos (cantada por Anahí e Kuno Becker, e tema de encerramento) ficaram várias semanas em primeiro lugar nas paradas de sucessos.

No dia da exibição do penúltimo capítulo, a Televisa resolveu gravar um especial da novela, com um sequência semelhante a que teve A usurpadora, chamada Primer amor - Tres años después. O especial contava a reaparição de Daniel, proposital e misteriosamente desaparecido no último capítulo. A sequência de duas horas, foi exibida em um sábado às 21h, duas semanas após o capítulo final, e também foi um grande sucesso.

No Brasil, foi uma verdadeira novela para essa novela estrear. Inicialmente, foi programada para novembro de 2001, após o final de Rosalinda. Não foi ao ar. Depois, os jornais e revistas publicaram nota para a estréia da novela em maio de 2002, que não aconteceu sem qualquer explicação. Até que em fevereiro de 2003, finalmente Primeiro Amor a Mil Por Hora chegou ao Brasil. Claro, depois de dois adiamentos, uma mudança de horário e o sacrifício de um horário de novelas.

Além disso, a princípio, o SBT só ia chamar a novela de Primeiro Amor, mas em um dos adiamentos, acabou colocando o A mil por hora.
Primeiro amor – A mil por hora pecou no excesso de encontros e desencontros, em compensação trouxe personagens humanos e cativantes. Jovens talentos muito bem aproveitados em uma boa história, cheia de emoções e conflitos adolescentes.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

Patty Girl disse...

Nossa..........amei e amo essa novela.......que saudade dos meus 11 anos!!!! parabéns o blog ta show...XD bjux

Anônimo disse...

Nossa esse site é otimo, essa novela marcou minha infância *-*
Gostaria de saber se tem algum lugar que eu poderia baixa tds os capitulos...tem? Bjos!

Sadrack Osório disse...

Carambaaa...
e eu sinto saldade dos meus 10.
rsrsrs.


Novela marcante.. mesmo para um Homem..
rs

Olha, essa novela aconteceu na época que eu mais gostava. E de fato, claro, eu gostava da novela e ainda gosto.
Mais as vezes penso, se eu assisti-la de novo não sera deprimente. Imagino assim é como se todo mundo daquela época tivesse morrido. Eu não vejo meus amigos daquela época, e muitas pessoas de minha vida simplesmente não fazem mais parte dela, umas por terem partido, e outras porque foram embora e não as vejo mais.

Será que seria suportavel assisti-la novamente.

Mas mesmo assim queria ter acesso a elas. Alguem souber onde baixa ou até mesmo onde posso compra-la. Pois quero muito ter essa em minha coleção de seriados.

Abraços.