domingo, 23 de maio de 2010

Biografia de Angélica Rivera


INTRODUÇÃO

Angélica Rivera Hurtado nasceu na Cidade do México, México, em 02 de agosto de 1970. Foi casada com o irmão da atriz Verónica Castro, o produtor José Alberto Castro, com quem teve três filhas: Angélica Sofia, Fernanda e Regina.


SUA HISTÓRIA

Quando tinha catorze anos, Angélica Rivera encontrou a curiosidade em uma rua, onde a diva Verónica Castro filmava uma vídeo. Esta, por sua vez, sem imaginar que posteriormente estaria frente a sua futura cunhada, se encanta com o rosto de Angélica e lhe sugere a participação no concurso El Rostro de El Heraldo de México. Ela seguiu o conselho de Verónica e saiu como a vencedora da premiação.

Este prêmio lhe abriu as portas da dramaturgia. Filmou o videoclip Ahora te puedes marchar, de Luis Miguel, gravou comerciais nos Estados Unidos e Japão e teve um programa de vídeos na TNT, que apresentava ao lado de Martha Aguayo.

Em 1989, sua carreira sofreu uma mudança drástica, já que teve a oportunidade de realizar uma pequena personagem em dois capítulos da telenovela Dulce desafío, com Adela Noriega e Eduardo Yáñez, com quem, curiosamente, viria a protagonizar Destilando amor, anos mais tarde. Desde então, Angélica nunca mais deixou de atuar. Após sua estreia como atriz, teve também pequenas participações em Simplesmente Maria e Alcançar uma estrela, em apenas um capítulo de cada.

Porém, novamente chega à sua vida, a fada madrinha Verónica Castro, que a convida para participar de uma telenovela completa: Mi pequeña soledad, protagonizada pela mesma Verónica junto a Omar Fierro. Neste trabalho, Angélica conhece José Alberto Castro, o produtor da telenovela, que anos mais tarde, viria a se tornar seu parceiro.

Posteriormente, Angélica participa da telenovela La pícara soñadora, agora com um papel mais importante, junto de Eduardo Palomo e Mariana Levy. Após, chega à sua carreira Alcançar uma estrela II, produzida por Luis del Llano, que, com seu estilo inovador, formou o Muñecos de papel, um grupo musical com o elenco principal, integrado por Ricky Martin, Erik Rubín, Pedro Fernández, Sasha Soköl, Bibi Gaytán e ela, Angélica Rivera, que obteve sua primeira oportunidade no canto. Alcançar uma estrela II se tornou uma das telenovelas mais exitosas da década dos 90, com altos índices de audiência. O impacto foi tão grandioso que os Muñecos de papel realizaram turnês por diversos lugares do país.

Em 1993, Angélica obtém uma grande oportunidade ao protagonizar uma telenovela que já não era voltada para os jovens, se tratou de Sueño de amor, onde dividiu créditos com Cynthia Klitbo, Sergio Basáñez e Omar Fierro. Ainda neste ano, Angélica passa a fazer parte da família de Verónica Castro, ao iniciar um romance com José Alberto, o irmão da diva.

Em 1995, Angélica se consolida como a heroína de bons sentimentos e gênio forte em La dueña, produção de Florinda Meza, que obteve a maior audiência desse ano e que por muitos anos mais seria sua novela mais reconhecida. Sua personagem, Regina, era uma mulher vingativa e independente, o que agradou ao público, acostumado a ver protagonistas ingênuas. Ainda nesta produção, compartilhou os créditos com Francisco Gattorno, Cynthia Klitbo e Eduardo Santamarina. Atualmente, se realiza um remake desta história, no México: Soy tu dueña, protagonizada por Lucero e Fenando Colunga, tendo Gabriela Spanic e David Zepeda como antagonistas.

Em 1996, nasce sua primeira filha Angélica Sofía e, já como mãe, em 1997, Angélica regressa às telenovelas com Huracán, junto a Eduardo Palomo, uma produção de Alejandro Camacho e Rebecca Jones. Um ano depois, realiza Ángela, produzida por seu noivo, que a colocou junto do argentino Juan Soler e outras figuras, como Jacqueline Andere.

No ano de 1999, nasce sua segunda filha, chamada Fernanda, e já em 2000 protagoniza, ao lado de Sergio Goyri, Carlos Ponce e Itatí Cantoral, a telenovela Sin pecado concebido.

No ano de 2003, após quase dois anos de ausência, Angélica regressa às telenovelas em uma produção de Salvador Mejía Alejandre, e obtém seu primeiro papel antagônico ao lado de Alejandra Barros e Jorge Salinas, em Mariana da noite, onde interpreta Márcia Montenegro, a tia rival de Mariana. Aqui, Angélica era uma mulher dominante, com caráter masculino, o que representava uma nova faceta de sua capacidade como atriz, que agradou tanto ao público como aos críticos que lhe nomearam a Melhor atriz antagonista do ano de 2004, recebendo, assim, o prêmio TVyNovelas.

Em dezembro de 2004, Angélica contrai matrimônio com José Alberto Castro, após catorze anos de relação e com quem já havia tido duas filhas.

Por sua segurança, Angélica deixa o México em 2005, após um atentado de sequestro de uma de suas filhas, e se dirige a Miami. Pouco tempo depois, nasce Regina, sua terceira filha. No entanto, o tempo passa e os rumores de uma separação entre Angélica e José Alberto começam, sobretudo quando este tinha que passar muito tempo no México por questões de trabalho e ela ficava nos Estados Unidos.

Em meio a esta onda de rumores sobre sua vida pessoal, Angélica recebe a oportunidade de protagonizar a telenovela que, sem dúvida, a consolidou: Destilando amor.

Porém, enquanto gravava a telenovela, houveram mais rumores, agora, a respeito de uma possível relação com Eduardo Yáñez, seu parceiro na história. Ambos negaram qualquer envolvimento que não fosse profissional, ainda assim, os rumores cresciam porque ela garantia que já não mais vivia com José Alberto.

Destilando amor não se tratava apenas do projeto do ano, mas também daria à Angélica uma personagem que não se assemelhava a nada do que ela havia feito antes. Gaivota, sua personagem, era mais jovem que Angélica e cantava e, no entanto, a atriz parecia mais jovem, cômica e além disso, dava uma palhinha como cantora.

Porém, Destilando amor, teve uma sabor agridoce para Angélica Rivera, foi sua consolidação como atriz, seu maior triunfo desde La dueña, porém, significou também a ruptura de seu casamento. O tremendo êxito do remake foi perturbado pela inevitável separação dela e de José Alberto em dezembro de 2008, quando a Igreja Católica declarou inexistente o matrimônio de ambos, já que havia sido realizado no Balneário de Acapulco e não em um templo.

Novamente solteira em 2008, Angélica foi a imagem da campanha do Governador do Estado do México, Enrique Peña Nieto. Meses mais tarde, começam novos rumores, agora de uma possível relação entre ambos. Tudo se confirma posteriormente, quando o governador, viúvo de Mónica Pretelini - que perdeu sua vida em 2007, aparentemente, devido a um ataque epiléptico - declara publicamente sua relação amorosa com Angélica.

Após o anúncio, a vida de Angélica muda completamente, os elementos de segurança ao seu redor tornam-se algo comum, bem como o assédio da imprensa e os rumores do possível casamento que dará à atriz o título de primeira dama do estado mexicano.

Depois de entregar um valioso anel de compromisso à atriz durante uma viajem oficial que fizeram ao Vaticano, onde cumprimentaram o Papa, Enrique revelou que se casará com Angélica no segundo trimestre de 2010, e ainda que não tenha fixado a data, tudo indica que será em meados de junho.


SUAS ATUAÇÕES

TELENOVELAS

2007 - Destilando amor (Teresa “Gaivota” / Mariana)
2003 - Mariana da noite (Márcia)
2001 - Sin pecado concebido (Mariana)
1998 - Ángela (Ángela)
1997 - Huracán (Elena)
1995 - La dueña (Regina)
1993 - Sueño de amor (Isabel)
1991 - La pícara soñadora (Giovanna)
1991 - Alcançar uma estrela II (Silvana)
1990 - Mi pequeña soledad (Marisa)
1990 - Alcançar uma estrela (Silvana)
1989 - Simplesmente Maria (Isabella)
1988 - Dulce desafío (Gina)

SÉRIES

1993 - Televiteatros
1992 - Mujer, casos de la vida real

FILME

1992 - Aquí espantan

OUTROS PROGRAMAS

1994 - Al derecho y al Derbez


SEUS PRÊMIOS

PRÊMIOS TVYNOVELAS

2008 - Melhor atriz protagônica (Destilando amor)
2004 - Melhor atriz antagônica (Mariana da noite)
1996 - Melhor revelação feminina (La dueña)
Blog Widget by LinkWithin

Um comentário:

Lukas Matheus disse...

Muito bem, parabéns ela é uma diva e não tem o reconhecimento que merece no brasil, faz tbm a da michelle vieth por favor.