sexta-feira, 14 de maio de 2010

Amy, a menina da mochila azul



NOME ORIGINAL
Amy, la niña de la mochila azul

ESCRITORES
Rubén e Santiago Galindo

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
116

ANO DE GRAVAÇÃO
2004

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2004

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Amy, la niña de la mochila azul

INTÉRPRETE
Tatiana e Danna Paola

En un puerto muy pequeño que hay en medio de la bahía,
amarrado a un trozo de la orilla, el Bucanero va
navegando al ritmo de la brisa, persiguiendo estrellas amarillas,
con un nuevo sueño cada día que quiere hacer realidad.

Todos los secretos de este mar caben en un puño, déjame contarlos ya.
La niña de la mochila azul, como el cielo, azul como el mar.
La niña de la mochila azul, soy la chispa que te prenderá.

Noto que la Vieja Lola en la que viajaba Pancho Villa,
cuando se reúne la pandilla, echa otra vez a andar.
Donde cabe uno caben cuatro, yendo con Raúl, Neptuno y Gato,
persiguiendo el rastro del tesoro que vamos a encontrar.

Toco el cielo con los dedos cada vez que tus ojos negros vuelven a tocar mi pie.
La niña de la mochila azul, como el cielo, azul como el mar.
La niña de la mochila azul es la chispa que te prenderá.

En el manglar no hay problema, todo tiene solución,
no hay miedo, angustia ni pena que aguante otra vuelta más del reloj.
La niña de la mochila azul, como el cielo, azul como el mar.
La niña de la mochila azul, soy la chispa que te prenderá.


ELENCO

Danna Paola: Amy Granados

Eduardo Capetillo: Otávio Bitencurt

Nora Salinas: Emilia Alvarez Vega

Pedro Armendáriz Jr.: Mathias

Tatiana: Coral / Marina

Alejandra Meyer: Carlota

Lorena Herrera: Leonora Rivas

Geraldine Galván: Maria Lúcia

Nicole Durazo: Maria Paula

Alex Perea: Germano

Fabián Robles: Bruno

Alejandra Procuna: Minerva Camargo

Joseph Sasson: Raul

Carlos Speitzer: Adriano

Alejandro Tommasi: Cláudio

Sharis Cid: Angélica

Yolanda Ventura: Angélica (Substituta)

Maria Luisa Alcalá: Virgínia

Harry Geithner: César

Lucero Lander: Pérola

Isabel Molina: Mercedes

Raúl Padilla: Jerônimo

Manuel Valdés: Marcelo

Rosangela Balbó: Perpétua

Ricardo de Pascoal: Alberto

Christopher Uckermann: Orlando

Grisel Margarita: Carolina

Juan Verduzco: Romano

Álvaro Carcaño: Jacinto

David Ostrosky: Sebastião

Felicidad Aveleyra: Ana

Luis Fernando Torres: Walter

Levi Najéra: René

Raúl Sebastián: Inácio

Alejandro Speitzer: Toninho

Luciano Corigliano: Paulinho

Charly Alberto: Maciel

Ricardo Kleinbaum: Mauro

Moisés Suárez: Benito

Juan Carlos Flores: Fabiano

Julio Vega: Melésio

Roberto Ruy: Juvenal

Héctor Cruz: Roberto

Sandra Destenave: Graciela

Roberto Munguia: Ramiro

Jorge Ortin: Manuel


PERFIL DAS PERSONAGENS

Amy (Danna Paola) – filha adotiva do capitão Mathias. Amy é audaz, inocente e muito bonita. Veste-se como um menino, pois foi assim que o pai a criou. Vende colares e pulseiras, que ela mesma faz com conchinhas, para ajudar em casa. Amy sempre defende seus amigos e é capaz de tudo para vê-los felizes, mesmo que se meta em mil e uma encrencas.

Otávio (Eduardo Capetillo) – solitário e milionário que vive com a culpa de ter abandonado Marina, quando estava grávida, e agora luta para encontrar seu filho. A dor de ter perdido o amor de sua vida não lhe permite ser feliz.

Mathias (Pedro Armendáriz Jr.) – “O capitão”, como todos o chamam, é o pai adotivo de Amy. Ele a ama e sempre a viu como sua própria filha. Mathias é um homem honesto e nobre, e sempre justifica as travessuras de Amy e sua turma. Pescador de camarões, desde a morte de sua esposa passou a ter pavor do mar.

Coral (Tatiana) – morre no mar, durante um furacão, quando Amy era recém-nascida. É na realidade Marina, a mãe de Amy. Ela aparece como uma sereia, a quem Amy chama de Coral.

Carlota (Alejandra Meyer) – diretora do orfanato de São Felipe. Carlota é uma mulher amargurada, avarenta e ambiciosa. Utiliza o dinheiro das doações para as crianças em seu próprio benefício, comprando coleções de jóias. Tem voz de sargento e veste-se como uma militar.

Raul (Joseph Sasson) – garoto da capital que chega para morar no povoado, ele se encanta com Amy. Raul sempre luta pelo que quer, é muito valente e graças a Amy aprende a valorizar mais a sua família, especialmente seus pais. Junto com Amy viverá o primeiro amor.

Leonora (Lorena Herrera) – investigadora contratada por Otávio para encontrar o paradeiro de seu filho. É muito ambiciosa e mau caráter. Gosta de vestir-se elegantemente para que todos percebam que tem dinheiro. Alia-se a Cláudio para enganar Otávio.

Adriano “O gato” (Carlos Speitzer) – o Gato é um menino órfão, mas que na verdade fugiu de sua casa e mora no vagão da “velha Lola”, uma locomotiva abandonada. É inteligente e muito bom em matemática. Amigo de Amy, é um dos líderes da turma. Fascinado por aventuras, da noite para o dia se transformará no ilustre filho de um milionário.

Maria Lúcia (Geraldine Galván) – menina rica, caprichosa e vaidosa, que se sente superior a todo mundo. Maria Lúcia é inimiga de Amy e vive arrumando problemas para culpá-la.

Maria Paula (Nicole Durazo) – irmã de Maria Lúcia, Maria Paula é doce e bondosa, mas, devido a sua insegurança, finge ser como seus irmãos, pois tem medo de ser rejeitada. No entanto, ela não concorda com a maneira que tratam a turma de Amy.

Germano (Alex Perea) – membro da turma dos “Caçadores de Tesouros”. É encrenqueiro e rebelde. Falta-lhe orientação dos pais, pois na sua casa não há harmonia. É o melhor atleta e o pior aluno da escola.

Cláudio (Alejandro Tommasi) - pai de Paulinho e Germano, homem ambicioso e sem escrúpulos, não tem compaixão por ninguém. Cláudio engana Otávio para ficar com sua fortuna. Nada poderá deter sua voraz ambição de transformar-se no "“rei do camarão".

Bruno (Fabián Robles) – fiel amigo do capitão Mathias e padrinho de Amy. Bruno sempre defende os direitos de seus companheiros pescadores e também defende Mathias e Amy das críticas do povo. Está apaixonado pela professora Alma mas não se atreve a confessar, pois tem medo de ser rejeitado por não ter terminado o primário.

Emilia  (Nora Salina) – médica do povoado, dirige a clínica fundada por seu pai. É muito carinhosa e sempre se preocupa com seus pacientes. Emilia se apaixona por Otávio e luta para que seu amor possa se concretizar.

Minerva  (Alejandra Procuna) – empregada do conselho tutelar, vive ressentida com a vida. É órfã e foi muito maltratada por Carlota. Os pais de Minerva morreram quando ela ainda era mocinha. Perdeu sua infância, transformando-se em uma mulher amargurada, ressentida e ambiciosa. Minerva tenta separar Amy de Mathias para ficar bem com Carlota.

Angélica (Sharis Cid) – esposa de Fernando e mãe de Juliano. Angélica é uma mãe dedicada e disciplinadora, apesar de Fernando pedir para ela não ser tão dura. Ama os filhos e o marido e faria qualquer coisa por eles. Quando o marido fica paralítico ela vai trabalhar para sustentá-los e para arrumar dinheiro para a cirurgia de Fernando.

Virginia (María Luisa Alcalá) – dona do restaurante de Porto Esperança. Virginia é simpática e sempre está atenta a tudo. É uma mulher de caráter, sempre apoiou Manuel e seus netos. É apaixonada por Mathias.


INTRODUÇÃO

Um grande mérito de Rubén e Santiago Galindo, que pela primeira vez produziram uma novela. Mas no cinema, os dois já eram conhecidos, justamente com essa mesma história.

Rapidamente os furacões destroem cidades inteiras. A fúria dos ventos é capaz de levantar casas e torná-las como pequenos aviões de papel. Tão impressionante como a fúria, porém, é a calma e o silêncio que fica depois do furacão. Afinal tudo parece ficar imóvel, parece que o tempo para. No meio dessa calma, o capitão Mathias e sua esposa, Pérola, encontraram uma preciosa bebezinha flutuando no meio do mar. Embora Pérola e Mathias fossem felizes, o bebê deu um novo sentido em suas vidas. E assim, a batizaram com o nome de Amy.


RESUMO

Mathias, Pérola e Amy formavam uma família perfeita. Um dia estavam os três em alto mar, a bordo de um dos maiores barcos de Mathias, e de repente foram surpreendidos por uma terrível tormenta. Pérola escorregou e caiu no mar. Ao perceber que não teria como sobreviver, ela pediu a Mathias para sempre cuidar e proteger sua bebezinha.

Assim, Amy e Mathias ficaram sós. Desde então, Mathias jamais voltou a ser o mesmo, aquele grande pescador, o mais valente de Porto Esperança. Ele passou a ter grande temor do mar, um medo tão terrível que o impedia de sair novamente para pescar.

Pouco a pouco, Mathias foi perdendo tudo. Agora, o que possui é somente para comer e pagar o colégio de Amy. Cláudio, o terrível e inescrupuloso líder dos pescadores, quer tirar o único barco que restou a Mathias, o velho Bucanero.

Desde o acidente o Bucanero está ancorado próximo aos pescadores. Aos olhos de muitos, não passa de um monte de ferros flutuantes. No entanto, por incrível que pareça, Amy e o capitão Mathias aprenderam a ser felizes.

Amy tornou-se uma linda menina de oito anos. Deseja ser capitã, como seu querido pai. Para ajudá-lo, Amy recolhe conchas do mar e com elas faz colares que vende nas ruas do povoado e na praia. Quem não conhece Amy pode confundi-la com um menino, pois ela é travessa, atrevida e se veste como um marinheiro. Algumas pessoas sentem pena dela, outras a ignoram por não ter uma família comum e não morar em uma casa normal. Para Amy nada disso importa. A única coisa realmente importante é que ela e seu pai se amam.

O que Amy não sabe é que seu verdadeiro pai é Otávio Bittencourt, um nobre milionário que acabou de chegar ao porto com a esperança de encontrar o filho perdido há nove anos, durante o furacão. Otávio está com câncer e tem os dias contados. O filho, que ele pensa ser um menino, herdará a sua fortuna. Desesperado, Otávio se disfarça de palhaço na busca pela criança e conhece Amy. Os dois tornam-se grandes amigos. Otávio não imagina que na realidade a menina é sua filha.

Amy tem uma turma chamada Os caçadores de tesouros. Todas as tardes as crianças da turma fazem uma fogueira para escutar os relatos de Mathias. Assim ficam sabendo que em um lugar chamado A curva dos espíritos está enterrado um fabuloso tesouro Maia, e que ninguém conseguiu chegar até lá. Segundo a lenda, somente um nobre, de coração e espírito, montado em um corcel de ferro poderá chegar até o tesouro. Este nobre de coração é Raul, um menino que chega da capital dirigindo uma velha caminhonete que acabou ficando sem gasolina. Amy encontra uma alma gêmea, que anseia por aventuras. Aí nasce uma relação inocente e mágica.

Não muito longe do porto, numa pequena ilha, existe um imponente e pavoroso castelo, mais conhecido como Orfanato São Felipe. Lá vive uma mulher má, a temida Carlota. Ela é perversa e usa os órfãos como pretexto para obter dinheiro de pessoas caridosas. Ela utiliza o dinheiro para comprar joias, pois tem por objetivo possuir a maior coleção de jóias do mundo. Para evitar ser descoberta, Carlota se encarrega de botar medo nos meninos que moram no orfanato, com castigos severos. Mas Carlota tem um problema: para continuar recebendo donativos, terá que abrigar mais crianças. E assim ela passa a ficar de olho em Amy, uma menina cuja paternidade é duvidosa e o pai de criação tem problemas econômicos.

Graças a uma mensagem que os órfãos de São Felipe enviam em uma garrafa de cristal, Amy fica sabendo das intenções de Carlota. Desde então, a possibilidade de ser separada de seu pai vira um pesadelo. Para agravar a situação, Amy sabe que em São Felipe as crianças que não cumprem as regras de Carlota são presas em uma torre, sem comida.

Minerva, que agora é cúmplice de Carlota, quando criança também foi uma de suas vítimas. Ela é uma mulher amargurada, que passou a infância chorando trancafiada na torre mais alta do castelo esperando o dia em que um valente a resgatasse.. Ao chegar em São Felipe, Amy descobrirá que sua missão é lutar contra as maldades de Carlota. Ela terá a ajuda de Raul, da turma e de sua amiga Coral, uma linda sereia que a guiará ao longo de toda a história, indicando os “cinco caminhos de luz”. Cada um conduzirá a um universo mágico em que Amy encontrará o maior tesouro do mundo.


COMENTÁRIOS

Amy, a menina da mochila azul já pode ser considerada como uma das melhores novelas infantis que o SBT já exibiu. Conseguiu unir uma produção caprichada, um elenco afinado e o principal: uma história muito bem estruturada que uniu drama, aventura, comédia, em doses ideais.

O grande charme da história com certeza foram os vilões, cada um com sua função, todos muito bem delineados. A começar por Alejandra Meyer, que fez o tradicional papel de uma diretora de orfanato bem malvada, Alejandra Procuna, que viveu Minerva, também esteve muito bem. Do outro lado da história, a parceria de dois malvados: Cláudio, interpretado por Alejandro Tommasi e Leonora, a exuberante Lorena Herrera, também renderam ótimos momentos. Lorena Herrera, aliás, quase não esteve na novela. Já que os produtores, que também fazem um programa com pegadinhas, prepararam semanas antes de começar as gravações, uma brincadeira que ela considerou de muito mau gosto.

As crianças também se saíram muito bem. Claro, em especial Danna Paola, perfeita com sua Amy, sem ser uma criança irritante, ela era uma menina comum, e brilhou do início ao fim. E pensar que Daniela Aedo era a primeira opção. Carlos Speitzer, o Gato, também esteve muito bem com sua relação com Otávio, e muitas vezes centralizou a história.

Só quem parecia estar desmotivada com o papel era Nora Salinas. A impressão que dava é que ela fazia questão de mostrar em cena sua insatisfação com um papel tão fraco e sem graça. Frio como sempre, Eduardo Capetillo completa um dos casais mais sem química das novelas.

Cabe destacar a participação da apresentadora infantil e cantora Tatiana, que viveu Coral, a sereia que na verdade, era a mãe de Amy. Tatiana saiu-se bem, ainda que tenha sofrido um sério acidente durante as gravações. Devido as muitas horas em que ficava em baixo da água, ela teve uma paralisia facial, e ficou algumas semanas afastada da novela até seu rosto voltar ao normal.

Outro contratempo durante a novela, foi a saída da atriz Sharis Cid, que fazia Angélica, a mãe de Raul. A atriz se retirou porque foi convidada a participar do reality show Big Brother VIP. Em seu lugar, entrou Yolanda Ventura. Edith González participaria da novela, como um anjo, mas a atriz optou por protagonizar a novela adulta Mujer de madera e seu personagem foi riscado da trama.

Devido ao grande sucesso de Amy, a menina da mochila azul, Rubén e Santiago Galindo planejavam dar uma boa esticada na novela, já que a trama era responsável por levantar a audiência da novela anterior, o fracasso Alegrifes e rabujos. Mas Rosy Ocampo não permitiu (ela é diretora da área infantil da Televisa) para poder estrear logo sua novela: Misión SOS, que por sinal não conseguiu manter os índices de Amy. Nos últimos capítulos, Amy chegou a ser primeiro lugar de audiência no México, superando até mesmo as novelas da barra noturna do Canal de las Estrellas.

Aqui no Brasil, a novela também fez muito sucesso, tanto que até a Revista Veja deu destaque a história de Amy e seus amigos em suas páginas. O autor da novela Da cor do pecado, com quem Amy competia, chegou a comentar que estava impressionado com o desempenho da concorrência, e vários especialistas elogiaram a temática da novela. Amy, a menina da mochila azul também agradou como uma boneca, que vendeu bastante por sinal.

Apesar de tudo, um assunto pouco explorado na novela foi a proximidade entre Otávio e Amy, que era a filha que procurava. Os dois quase não tiveram muita relação durante a história. Mas, outro grande mérito desta trama foi ter sido uma novela que começou boa, mas ficou imperdível mesmo ao longo do tempo, e os últimos capítulos estiveram cheios de emoções. Souberam dosar fantasia e realidade, diferente de Viva às crianças, por exemplo.

Amy, a menina da mochila azul foi uma novela que não ofendeu o público com situações bobas ou absurdas, e ao mesmo tempo, não tomou o caminho muito depressivo das novelas infantis que envolvem meninas órfãs. Essa história conseguiu provar que ainda podem ser feitas boas novelas infantis.
Blog Widget by LinkWithin

8 comentários:

Israel Martins disse...

Onde acho o download desta novela, estou criando uma tv pela internet e estou pensando em colocar esta novela, pode ser dublado ou legendado..

fhi_vida_loka disse...

coloca sim eu amava essa novela , ate chorei quando acabou ♥

Israel Martins disse...

bem q eu queria, mais nao acho pra download

sbt disse...

crambaa essa novela poderia ser exibida novamente

Eu me emocionei muito vendo caramba eu tinha 9 anos hj tenho 16 e nunca vi novela infantiu melhor

pra mim foi ate melhor q xiquititas Rs...

Ate hj tenho saudades porke acreditoeu acredito msm em sereias !

Anônimo disse...

teenho saudades dessa novela , as crianças de hoje em dia não veem novela apropriadas pra sua idade e isso deixão elas fixadas pela tecnologia e etc ... quero que passe ela denovo pra muita gente poder recordar da sua infancia e como eramos felisses com Amy a menina da mochila azul e chiquititas. Beijoos

Anônimo disse...

Acho que outras emissoras brasileiras como por exemplo a TV BRASIL deveria comprar essa novela e exibir

Anônimo disse...

Ola gente tava aqui esses dias me lembrando de umas novelas de quando eu era pequena, tinha 10 anos e hoje tenho 19, pesquisando na internet e revendo aberturas e capítulos das novela voltou claramente em minha memoria, que gostoso relembrar coisas boas como a infância. "Alegrifes e Rabujos", "Poucas poucas pulgas" e "Amy, a menina da mochila azul". Bons tempos, gostaria muito de rever na TV e assim outras crianças poder apreciar coias boas e sem malícia como a vida de hoje.

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Sâmara, fui eu que escrevi esse último comentário. Só queria dizer mais uma vez que sinto saudades desse tempo que tinha essas novelas em que as crianças eram inocentes e que assistiam novelas como "Amy, a menina da mochila azul". Poderia muito reprisar ela na TV. Seria o máximo... Bye, Bye...