sábado, 3 de abril de 2010

A usurpadora


NOME ORIGINAL
La usurpadora

ESCRITOR
Carlos Romero (Baseado na obra de Inés Rodena)

PRODUTOR
Salvador Mejía Alejandre 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
120

ANO DE GRAVAÇÃO
1998

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1999

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA 1
La usurpadora

INTÉRPRETE
Pandora

Un dia llegaré con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Te desarmaré, ni cuenta te darás
para entregarte el corazón.

Despacio te iré amando más
y te cuidaré en el bien y el mal.
El cielo te daré, tu abrigo yo seré,
a ti me entregaré.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.
Descúbreme, recúerdame.

La usurpadora, yo…

Un dia llegaré con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Te desarmaré, ni cuenta te darás
para entregarte el corazón.

Despacio te iré amando más.
y te cuidaré en el bien y el mal.
El cielo te daré, tu abrigo yo seré
a ti me entregaré.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño al corazón.

La usurpadora…

TEMA DE ABERTURA 2
Sonho lindo

INTÉRPRETE
Paulo Ricardo

Sonho lindo que se foi, esperança que esqueci,
foi por medo de perder que eu perdi.
Tanto eu tinha pra dizer, tanta coisa eu calei,
foi por medo de sofrer que eu sofri.

Foi pensando em me guardar, e querendo não querer,
me dizendo pra esquecer.
Foi pensando em mim, que eu pensei só em você.

Foi tentando me afastar,
foi negando o meu amor,
foi por não querer amar que eu amei você…

Tanto eu tinha pra dizer, tanta coisa eu calei,
foi por medo de sofrer que eu sofri.

Foi pensando em me guardar, e querendo não querer,
me dizendo pra esquecer.
Foi pensando em mim, que eu pensei só em você.

Foi tentando me afastar,
foi negando o meu amor,
foi por não querer amar que eu amei você… você…
foi por não querer amar que eu amei você… é você…
foi por não querer amar que eu amei você… é você…
foi por não querer amar…

TEMA DE ABERTURA 3
Más allá de la usurpadora

INTÉRPRETE
Pandora

Llegaste una vez con un disfraz,
distinto el color, la misma faz.
Llegaste a mi ser, me abriste sin piedad
para entregarme el corazón.

Despacio después me amaste más,
quedaste mi piel en el bien y el mal.
El cielo tú me das, me llenas como el mar,
me entregas algo más.

La usurpadora,
esperando por tu amor.
La usurpadora,
me haces daño corazón.

Descúbreme, recuérdame
La usurpadora, yo…


ELENCO

Gabriela Spanic: Paulina Martins / Paola Bracho

Fernando Colunga: Carlos Daniel Bracho

Libertad Lamarque: Piedade Bracho “Vovó Piedade”

Chantal Andere: Estephanie Bracho de Montero

Juan Pablo Gamboa: Guilherme Monteiro “Willy”

Dominika Paleta: Leda Durán Bracho

Magda Guzmán: Adelina

Jessica Jurado: Patrícia de Bracho

Marcelo Buquet: Rodrigo Bracho

María Soler: Lizete Bracho

Sergio Miguel: Carlos Bracho “Carlinhos”

Paty Díaz: Lalinha

Alejandro Ruiz: Leandro Gómez

Enrique Lizalde: Alexandre Farina

Mário Cimarro: Luciano Alcântara

Giován D'Angelo: Donato D'Angeli

Miguel de León: Douglas Maldonado

Arturo Peniche: Dr. Edmundo Serrano

Antonio de Carlo: Osvaldo Reséndez

Irán Eory: Lourdes

Gloria Morel: Dona Zenaida

Nuria Bages: Paula Martins

Adriana Fonseca: Verônica Soriano

Jessica Salazar: Isabel Vidal

Anastasia: Viviana Carillo

Tito Guízar: Francisco “Chico”

Sílvia Derbez: Isabel Rojas

Silvia Caos: Antônia Rojas

René Muñoz: Moacir

María Luisa Alcalá: Filomena Tamayo

Miguel Córcega: Bráulio

Azela Robinson: Elvira

Rafael Amador: Dr. Galícia

Meche Barba: Abigail Rosales

Mario Carballido: Amador

Adriana Nieto: Beatriz

Jaime Garza: Delegado Merino

Rebeca Manríquez: Tamara

Maricruz Nájera: Emiliana

Angelina Peláez: Ricarda

Ninón Sevilla: Cacilda Cienfuegos

Oscar Morelli: Juiz Castro

Laura Zapata: Dra. Zoraida Zapata

Humberto Elizondo: Silvano Pena

Héctor Parra: Dr. Juan Manuel Montesinos

Ricardo Hernández: Secretário

Consuelo Duval: Marina

Andrea García: Celia Alonzo

Eduardo Luna: Mauricio Artiana

Sara Montes: Eloina

Yadhira Carrillo: Raquel


PERFIL DAS PERSONAGENS

Paulina Martins (Gabriela Spanic) – uma jovem bondosa e ingênua. É chantageada pelo falso roubo de uma pulseira, e por isso aceita participar da trama de Paola. É humilde e tem uma situação financeira difícil. Passa por uma grande transformação para ocupar o lugar de Paola. Apaixona-se por Carlos Daniel, onde enfrentará a fúria de Estephanie, a rivalidade com Leda e principalmente o ódio de Paola Bracho.

Paola Bracho (Gabriela Spanic) – é bonita, elegante e decidida, porém má, cruel, interesseira, mentirosa e manipuladora. Seu nível cultural não é elevado, mas tem uma aparência distinta. Ao conhecer Paulina, vê nela uma maneira de concluir seus planos e criar uma nova vida para si mesma. É ela a grande vilã da história.

Carlos Daniel Bracho (Fernando Colunga) – tem uma personalidade fraca e em algumas ocasiões é dominado por sua esposa Paola. É pai de dois filhos o intragável Carlinhos e a encantadora Lizete. Apaixona-se por Paulina.

Piedade Bracho (Libertad Lamarque) – avó de Carlos Daniel, é alcoólatra e é ajudada por Paulina para se livrar da bebida. No fundo, ainda é uma mulher de pulso firme e pronta para tomar as rédeas da família. É viúva, adora estar em companhia da fiel governanta Adelina.

Estephanie Bracho (Chantal Andere) – irmã adotiva e mais nova de Carlos Daniel e Rodrigo. Tem muitos problemas e complexos. Sua amargura a leva a fazer maldades. É descuidada na aparência e se veste de maneira antiquada. Odeia Paola, portanto, odeia Paulina. Casada com Willy, com quem a maltrata constantemente.

Willy Monteiro (Juan Pablo Gamboa) – marido interesseiro de Estephanie. Teve um caso com Paola e é infiel a esposa o tempo todo. Assim como Paola, ele também odeia a família Bracho. Só lhes quer o dinheiro.

Leda Durán Bracho (Dominika Paleta) – prima distante de Carlos Daniel, moça jovem e bonita que interfere no amor de Carlos Daniel e Paola. Embora tenha problemas financeiros, vive uma vida de aparências alimentando sua vaidade com valores materiais. É apaixonada por Carlos Daniel o que a faz odiar Paola/Paulina.


INTRODUÇÃO

A usurpadora é um remake da novela venezuelana La usurpadora exibida em 1972 e protagonizada pelos atores Raúl Amundaray e Marina Baura no papel das gêmeas.

A Televisa já havia realizado uma versão para esta novela em 1981, sob o título de "El hogar que yo robé". Juan Ferrara e Angélica Maria eram os atores principais da trama.

A produtora RCTV da Venezuela realizou en 1987 un remake desta telenovela titulado "La intrusa", protagonizada por Mariela Alcalá e Víctor Camara.

Em A usurpadora duas mulheres idênticas na aparência e distintas em sentimentos e personalidade, se encontraram por casualidade e participam de um terrível engano.


RESUMO

Paula Martins é uma viúva pobre e humilde, que tem duas filhas gêmeas recém-nascidas, Paola e Paulina, porém, devido a sua situação lastimável de miséria em que vive, abandona Paola, que é adotada por uma família rica. Já Paulina cresce em presença da mãe, enfrentando grandes dificuldades na vida devido a pobreza em que vivem.

Paulina cresce e se torna uma moça humilde e de bom caráter, que namora o ambicioso Osvaldo, revezando o seu tempo também para com os cuidados a sua mãe enferma, que está prestes a morrer devido a tuberculose. É uma moça religiosa, virgem e quer se casar na igreja e dar uma vida melhor para a mãe, porém não sabe que Osvaldo é um interesseiro e safado que a trai constantemente e fugirá com uma milionária, abandonando-a.

Enquanto isso, sua irmã gêmea, Paola, viveu de maneira oposta a de Paulina, priorizando a riqueza acima de tudo e de todos, se tornando assim uma mulher ambiciosa, fria e calculista.

Paola é casada com Carlos Daniel Bracho, um milionário viúvo quase falido que está em seu segundo casamento e possui dois filhos: a esperta e encantadora Lizete e o rebelde e problemático Carlinhos.

Astuta, Paola também mantém um caso extraconjugal com o cunhado, o inescrupuloso Willy, casado com a atormentada e fanática Estephanie Bracho, uma mulher amargurada e ressentida com a vida, que veste-se de forma horrível e odeia Paola pois sabe de tudo entre ela e seu marido, e também sabe que seu marido é um garanhão interesseiro.

O destino, no entanto, coloca essas duas irmãs frente-a-frente novamente e Paulina têm sua vida totalmente modificada por Paola.

Paola frustrada e cansada de viver com a família que detesta, resolve viajar para se divertir com mais um de seus muitos amantes milionários, e nessa viagem encontra Paulina em um toalete de senhoras.

Ela vê na jovem uma oportunidade perfeita de se ver livre de sua família, então planeja uma usurpação - ela propõe a Paulina que se passe por ela durante um ano na mansão da família de seu esposo.

Para obrigar a moça a aceitar esse seu diabólico plano, arma-lhe uma cilada, colocando em sua bolsa uma joia sua de valor milionário e acusando-a na frente de todos. A sós, ela a ameaça e se Paulina não aceitar se passar por Paola, a colocará atrás das grades definitivamente.

Paulina sem alternativa e com medo de ir para a prisão, e com a falsa promessa que Paola ajudará sua mãe a comprar remédios para a doença, aceita se passar por Paola e durante a estada de Paulina na mansão da família Bracho, ela aprende a ser como Paola, se tornando uma mulher fina e elegante. Porém, pede para não fumar cigarros, como Paola fuma. Paola também a entrega seu diário com confissões quentes e pessoais.

Sem ser reconhecida por sua aparência completamente idêntica à de Paola Bracho, ela se vê entre uma família desestruturada pela mesma e percebe que há pessoas que precisam de sua grande dedicação naquele lar.

Paulina, então, começará a mudar a vida da família Bracho, se tornando um anjo na vida de cada qual que necessite de sua presença e de suas palavras confortadoras, conseguindo contribuir e modificar positivamente o destino de todos os que lhe cruzam o caminho, mas não sem antes sofrer e pagar caro por todos os erros cometidos por Paola no passado.

Carlos Daniel sente um novo amor por sua mulher e feliz, a declara o quanto a ama. Paulina também vai se apaixonando por Carlos Daniel, mas sabe que é uma usurpadora, e que não tem direito a esse amor.

Quando Paulina finalmente encontra sua felicidade ao lado de Carlos Daniel e de sua família revelando toda a verdade, pois pensou que Paola havia morrido, Paola, recuperada de seu acidente, volta disposta a lutar pelo seu antigo lugar, inventando muitas mentiras contra Paulina fazendo com que Paulina seja presa e sofra muito.


CURIOSIDADES

Gabriela Spanic tem uma irmã gêmea na vida real, Daniela Spanic, que é modelo. Daniela foi convidada pelos produtores da telenovela para aparecer em uma cena em que Paola e Paulina lutam fisicamente, a sequência teria sido muito difícil de conseguir por truque de câmera.

A atriz Gabriela Spanic já tinha interpretado duas mulheres idênticas em Como tú, ninguna, mas as personagens não eram relativas, como em A usurpadora. Ela desempenhou os papéis na última fase da história.

Em 2001, Spanic estrelou "La Intrusa" da Televisa onde mais uma vez, assumiu funções similares de "A usurpadora": interpretar mulheres idênticas.


COMENTÁRIOS

Salvador Mejía Alejandre alcançava seu maior êxito nessa produção de 1998, onde ele se superou. Todos se apaixonaram por A usurpadora, a favorita de muitos, uma novela que deu o que falar dentro e fora da história.

A começar pela escalação da atriz principal. A primeiríssima cogitada foi Thalia, que não aceitou, daí vários nomes foram cotados, até que Carlos Romero, o escritor da novela, sugeriu o nome de uma desconhecida: Gabriela Spanic, uma venezuelana. Ainda que vítima de alguns preconceitos por não ser mexicana e protagonizar uma novela no horário nobre, Gabriela Spanic experimentou uma fama instantânea e merecida.

A história era um remake de El hogar que yo robé, com Angélica Maria, mas A usurpadora superou a original. A novela atingiu recordes há muito tempo não alcançados, tanto no México quanto no Brasil, onde deu muita dor de cabeça ao Jornal Nacional. Os críticos brasileiros acabaram reconhecendo que a história da novela era empolgante, por isso atraía tanto público. Justo pela magia do elenco e pela maneira que os personagens foram se desenvolvendo, já que gêmeas não é um assunto novo aqui no Brasil. Mas A usurpadora tinha algo especial.

Essa foi daquelas novelas onde todos os personagens marcaram, e a família Bracho ainda é uma das mais recordadas das novelas. Isso acabou resultando em muitos destaques no elenco. A começar por Gabriela Spanic, que brilhou como Paulina e Paola, a gêmea boa e má, respectivamente. Com todos os artifícios para diferenciar as duas, desde o figurino à voz, ela evidenciou muito bem quem era uma e quem era outra. Mas ainda que o público torcesse pela felicidade de Paulina, de quem ele gostou mesmo foi da exuberante Paola. Era meio óbvio, afinal, a malvada era bem interessante. Talvez pela exagerada ingenuidade de Paulina que por muitas vezes, não convenceu. Enquanto isso, Paola brilhava com suas maldades, sua sensualidade e sua risada inesquecível.

A novela também marcou o regresso da grande Libertad Lamarque, a eterna rival de Evita Perón às novelas mexicanas. Também tornou de Vovó Piedade uma personagem inesquecível. Foi uma personagem sempre muito atuante na história. Ao seu lado, Magda Guzmán, na pele da sofrida governanta Adelina.

Juan Pablo Gamboa surpreendeu, depois de ter vindo do bondoso Álvaro de Esmeralda, encarnou muito bem o malandro Willy, um verdadeiro canalha que após tentar incendiar a fábrica Bracho, termina seus dias sozinho e atrás das grades. Também nas vilanias, Dominika Paleta como a sedutora Leda chamou a atenção.

Mas a grande atuação da novela foi a de Chantal Andere, impecável na pele da atormentada Estephanie Bracho, uma mulher que refugiava-se em uma religiosidade doentia para esconder seus verdadeiros sentimentos, e aguentar a infidelidade explícita de Willy, seu marido. Chantal teve em Estephanie seu melhor papel em novelas.

A novela ainda teve inúmeras participações especiais como Nuria Bages, Miguel de León, Irán Eory, Silvia Derbez, René Muñoz, Silvia Caos, Laura Zapata, Azela Robinson e Arturo Peniche, que viveu Edmundo Serrano, o advogado que tirava Paulina da cadeia e lutava por seu amor, em vão. Arturo Peniche finalmente ficaria com Gabriela Spanic em La intrusa, projeto semelhante a A usurpadora. A idéia original de Carlos Romero era inclusive, fazer uma trilogia de gêmeas, semelhante à famosa Trilogia das Marias estrelada por Thalia. Devido ao fracasso retumbante que foi La intrusa, o projeto foi abandonado.

Também no grande espaço que deram a Sergio Miguel como Carlinhos Bracho, Paola tinha toda razão ao querer mandá-lo para um internato, como o momento em que ele se perdeu, o pior momento da novela. Fernando Colunga esteve fraquíssimo como Carlos Daniel, um personagem extremamente vulnerável.

A usurpadora fez tanto sucesso, que meses depois o público exigiu uma continuação. Os produtores de A usurpadora, ao terminar a novela, ficaram com tanta saudade e tiveram uma ideia genial: Fazer um capítulo (que no Brasil foi esticado e viraram dois) contando a história da família Bracho um ano depois do casamento de Carlos Daniel e Paulina. Que surpresa que foi para os fãs brasileiros que nem sabiam da existência deste capítulo. Em dezembro começam as chamadas no SBT para Más allá de la usurpadora.

Veio então o especial Más allá de la usurpadora, que também serviu para consertar o erro cometido no final da novela original.

Más allá de la usurpadora começa quando Paulina vai ao médico pegar o resultado de seu 'check-up'. Ela descobre que está com câncer terminal e só lhe restam 6 meses de vida. Paulina não conta a ninguém sobre sua doença e começa preparar uma nova senhora Bracho para ser esposa de Carlos Daniel.

A escolhida é Raquel, a preceptora de Carlinhos, Lizete e Paulinha, a nova filhinha de Carlos Daniel e Paulina, que tinha apenas três meses de vida.

Raquel é ambiciosa e é apaixonada por Carlos Daniel e nem se importa que seja casado.

Ao mesmo tempo que tudo isso acontece, Estephanie recupera a razão e quer seu filho de volta, onde se encontra morando com Rodrigo e Patrícia.

Paulina, pensando que Raquel é uma pessoa boa e honrada, começa ensinar-lhe tudo o que Paola ensinou para ela, antes de usurpá-la: como se portar na mesa e a usar certas roupas para determinadas ocasiões.

Raquel conta a verdade para Carlos Daniel, sobre a doença de Paulina. Enquanto isso, Paulina vê Paola no seu espelho, um cena bastante emocionante.

Raquel prepara um plano diabólico contra Paulina: Na festa de 1 ano de casamento de Carlos Daniel e Paulina, Raquel coloca veneno no vinho de Paulina e propõem um brinde. Raquel se distrai quando chega Lizete e Carlinhos. Lizete quer beber o vinho, mas Carlinhos diz que não pode porque é para os adultos e não para crianças. Então, Carlinhos troca de lugar os copos.

Raquel bebe o vinho envenenado, mas Paulina desmaia. Logo depois Raquel também passa mal e vai junto com Paulina de ambulância para o hospital.

Estephanie foge do sanatório e rouba seu filho da casa de Rodrigo.
Paulina descobre que os exames foram trocados e que não está doente. Mas a pergunta: Porque o desmaio e os enjoos? Isso se deve ao fato de Paulina estar novamente grávida.

Raquel que se encontra muito mal, entre a vida e morte, conta a verdade para Paulina, que não a denuncia e sim, lhe dá algum dinheiro para ela volte de onde veio.

Acaba o capítulo quando estão todos reunidos, Rodrigo e Patrícia perdoam Estephanie por ter roubado a criança daquela forma. Eles planejam viajar para Porto Rico para ver se dão um priminho para Carlinhos, Lizete e Paulinha. Paulina conta que está grávida. Eles tiram uma foto e acaba.

Aqui no Brasil esse especial marcou o início da inesquecível Tarde de amor. Nele havia a presença da estrela Yadhira Carrillo, a nova criada dos Bracho, Raquel. O especial foi outro grande sucesso, marcando uma alta audiência. Foi um verdadeiro fenômeno, a novela deixou muitos fãs e muitas saudades. Realmente, uma história inesquecível.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

Anônimo disse...

o silvio podia reprisa a novela de novo ... amo essa novela !
a usurpadora ... a reprise !

Karol. disse...

Tambem amo essa novela a usurpadora. Por mim todo ano poderia repetir. Amo tbm os atores como Fernando Colunga. E amo mais ainda a musica de abertura da interprete Pandora. Karoll.

Jessica Silva disse...

Amo dimais essa novela