sexta-feira, 23 de abril de 2010

Manancial


NOME ORIGINAL
El manantial

ESCRITORES
Cuauhtémoc Blanco e Víctor Manuel Medina

PRODUTORA
Carla Estrada

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
78

ANO DE GRAVAÇÃO
2001

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
2002 / 2008

EMISSORA
SBT / Rede CNT

TEMA DE ABERTURA
Amor, amor, amor

INTÉRPRETE
Luis Miguel

Amor, amor, amor,
nació de ti, nació de mí,
de la esperanza.
Amor, amor, amor,
nació de Dios, para los dos,
nació del alma.

Sentir que tus besos anidaron en mí
igual que palomas mensajeras de luz.
Saber que mis besos se quedaron en ti,
haciendo en tus labios la señal de la cruz.

Amor, amor, amor,
nació de ti, nació de mí,
de la esperanza.
Amor, amor, amor,
nació de Dios, para los dos
nació del alma.

Sentir que tus besos anidaron en mí
igual que palomas mensajeras de luz.
Saber que mis besos se quedaron en ti,
haciendo en tus labios la señal de la cruz.

Amor, amor, amor,
nació de ti, nació de mí,
de la esperanza.
Amor, amor, amor,
nació de Dios, para los dos,
nació del alma.

Amor, amor, amor,
nació de ti, nació de mí,
de la esperanza.
Amor, amor, amor,
nació de Dios, para los dos,
nació del alma.


ELENCO

Adela Noriega: Adriana Valdéz Rivero

Mauricio Islas: Alexandre Ramírez

César Évora: Adalberto Valdéz

Azela Robinson: Francisca Valdéz

Daniela Romo: Margarida Ramírez

Alejandro Tomassi: Justo Ramírez

Olivia Bucio: Gertrude

Manuel Ojeda: Padre Salvador

Karime Lozano: Bárbara Luna

Raymundo Capetillo: Álvaro Luna

Silvia Pasquel: Pilar Luna

Jorge Poza: Heitor Luna

Patricia Navidad: Milena

Angelina Peláez: Altamira

Justo Martínez: Melésio

Nuria Bages: Heloísa Castanheira

Marga López: Madre Superiora

Socorro Bonilla: Norma

Lorena Enríquez: Malu

Rafael Mercadante: Gilberto

Gilberto de Anda: Joel

Leonor Bonilla: Mirna

Sergio Reynoso: Firmino

Alejandro Aragón: Hugo


PERFIL DAS PERSONAGENS

Adriana Valdéz (Adela Noriega) – filha de Francisca e Adalberto. Apaixona-se por Alexandre, que devia odiar por causa da rivalidade entre as suas famílias. É uma jovem linda e muito determinada. Vai lutar com todas as suas forças para viver seu grande amor.

Alexandre Ramírez (Mauricio Islas) – único herdeiro da família Ramírez. Mesmo sabendo que deveria odiar Adriana, acaba se apaixonando por ela. Alexandre é um homem de fortes valores, que busca viver em harmonia com seu grande amor, Adriana.

Francisca Valdéz (Azela Robinson) – mãe de Adriana, casada com Adalberto. Alcoólatra, sem escrúpulos, Francisca se deixa levar por suas emoções. Tem um caso com Justo, o grande inimigo de seu marido. Apesar de suas maldades, preocupa-se muito com sua filha, mas não consegue demostrar seu amor por ela.

Adalberto Valdéz (César Évora) – pai de Adriana, casado com Francisca. É um homem muito amoroso, que cuida de sua família e também que defende sua propriedade com todas as forças.

Gertrude (Olívia Bucio) – tia de Adriana, irmã de Francisca. Cuida da sobrinha desde que nasceu. Resignada, acredita que ficará solteira para sempre, mas encontrará um homem que vai mudar sua vida.

Salvador (Manuel Ojeda) – tio de Adriana, irmão de Adalberto. É padre e vive em conflito com sua cunhada Francisca, por causa de seu comportamento escandalosa. Preocupa-se muito com a sobrinha, temendo que ela sofra com os atos impensados da mãe.

Margarida Ramírez (Daniela Romo) – mãe de Alexandre, esposa de Justo e prima de Álvaro. É uma mulher decidida e de personalidade muito forte. Tem uma relação muito intensa com o filho e quer fazê-lo pensar e agir de sua própria maneira.

Justo Ramírez (Alejandro Tommasi) – pai de Alexandre, casado com Margarida, é dono de uma grande fazenda de gado. É temido e respeitado por todos na região. Tem um péssimo caráter e jamais mede as consequências de seus atos, chegando até a prejudicar seu próprio filho. Mantém um caso com Francisca, esposa de seu maior rival.

Álvaro (Raymundo Capetillo) – primo de Margarida. Trabalha como médico no povoado. Apesar de ser uma pessoa honesta, Álvaro acaba sendo dominado por Justo e fazendo suas vontades.

Pilar (Sylvia Pasquel) – esposa de Álvaro e mãe de Bárbara. Menospreza seu marido por ele não ser tão forte e determinado como Justo. Seu grande sonho é ascender socialmente.

Bárbara (Karine Lozano) – filha de Pilar e Álvaro, é uma jovem muito bonita que tem um grande sonho: casar-se com o solteiro mais cobiçado do povoado, Alexandre Ramírez. Sua mãe a ensinou a ser uma mulher fria, que não aceita perder.

Firmino (Sérgio Reynoso) – empregado fiel de Adalberto Valdéz, é apaixonado por Gertrude.

Heitor (Jorge Poza) – cresceu com a família de Álvaro e Pilar, mas nunca se sentiu completamente aceito e sempre foi maltratado por Pilar e Bárbara. Tem uma forte ligação com Alexandre, apesar de nutrir por ele sentimentos contraditórios.

Heloísa (Nuria Bages) – é uma mulher linda e sedutora, que conquista todos os homens. Para conseguir uma vida estável e uma melhor posição social, vai tentar seduzir Justo.

Milena (Patricia Navidad) – é a melhor amiga de Adriana. Órfã, cresceu com os avós e se tornou uma garota franca. Tem um grande segredo.

Altamira (Angelina Peláez) – é avó de Milena. Suas maiores preocupações na vida são cuidar da neta e fazer bem seu trabalho na fazenda de Justo. Foi babá de Margarida e depois de Alexandre. É a grande conselheira de Margarida.

Norma (Socorro Bonilla) – é mulher de Joel, trabalhadora e preocupada com sua família. Vai ter um papel fundamental para ajudar seu marido na hora das dificuldades.

Joel (Gilberto De Anda) – marido de Norma. Gerente do banco do povoado, é um homem sensível e bondoso. Vai se tornar aliado de Justo. Esta aliança trará muitos problemas.

Gilberto (Rafael Mercadante) – filho de Joel e Norma. Apesar de ter crescido numa família estável, tornou-se um homem agressivo e sem controle sobre suas finanças. Seu grande objetivo é viver bem sem fazer esforço. Para isso, envolve-se até com atividades ilegais. Quer conquistar Bárbara.

Hugo (Alejandro Aragón) – estudante de direito, faz também mestrado em direito agrário. Vai para o povoado e conhece Adriana e se apaixona por ela.


INTRODUÇÃO

Manancial conta a história de amor e de vingança entre duas famílias de um pequeno povoado: os Valdéz e os Ramírez. A protagonista é Adela Noriega, conhecida no Brasil em telenovelas como O privilégio de amar e Amor real.


RESUMO

A rivalidade começa por causa da disputa por uma nascente de água, o manancial, que brota na pequena propriedade dos Valdéz. A família Ramírez, dona do maior rebanho bovino e da maior propriedade da região, sempre quis comprar as terras onde está o manancial, mas Adalberto Valdéz se recusa a vender.

Além da disputa pelas terras, as famílias também vivem um grande conflito. Justo Ramírez, casado com Margarida, mantém um romance com Francisca, mulher de Adalberto Valdéz.

A família Ramírez tem um filho, o jovem Alexandre. Os Valdéz também têm uma linda filha Adriana. Apesar de terem nascido na mesma época, os dois jovens passaram a infância separados. Porém, quando se conhecem, acabam se apaixonando.

O ódio entre as duas famílias aumenta quando Justo Ramírez, pai de Alexandre, consegue comprar o manancial das terras da família Valdéz. Depois de perder a propriedade para os Ramírez, Adriana e sua família são obrigados a deixar o povoado. Antes de partir, Adriana jura voltar para recuperar as terras que foram de seus avós e que seu pai tanto lutou para preservar. Com a partida, ela também deixa para trás o grande amor de sua vida, Alexandre.

Certos de que conseguiram se livrar de seus maiores inimigos, os Ramírez decidem arranjar uma esposa para o filho. Escolhem Bárbara, uma linda jovem, porém fria e calculista. A família da garota, interessada nas vantagens que esse casamento trará, decide formalizar rapidamente o compromisso.

O noivado de Alexandre e Bárbara coincide com a volta de Adriana ao povoado. Bárbara tenta afastar Adriana de seu futuro marido para impedir que este reencontro possa afetar seus planos. Mas o amor é mais forte. Para buscar a felicidade e viverem juntos para sempre, os dois jovens terão de enfrentar muitos obstáculos.


CURIOSIDADES

A estreia no SBT chegou a ser anunciada para 30 de setembro de 2002, no mesmo dia e no mesmo horário que a estreia de Sabor da paixão na Globo, mas foi adiada, em cima da hora, em uma semana.

Manancial era uma das maiores audiências da CNT, que antes de sua estreia havia anunciado a novela com o nome de “Fonte do amor”. Já no SBT, foi o maior fracasso entre as tramas mexicanas exibidas até a época, tendo média geral de 5,5 num horário que pedia 8.

Sonhos e caramelos, novela mexicana infantil, substituiu a novela na Rede CNT no início de novembro. Depois do Horário Eleitoral Gratuito, os capítulos da novela começaram a durar 70 minutos, antes, os capítulos duravam 50 minutos.


COMENTÁRIOS

Ao mesmo tempo que registrou a pior audiência das novelas mexicanas dos últimos anos, também foi uma novela marcante, cheia de personagens e acontecimentos marcantes, que ninguém esquecerá.

Logo na primeira semana, o público ficou chocado com a violência da novela, com a briga dos Valdéz e dos Ramírez, e isso fez com que brilhasse Azela Robinson, na pele da libertina Francisca, ela dominou sem dúvida a primeira semana. Junto a ela, tivemos a participação especial de César Évora, que vinha do Frederico de Abraça-me muito forte, e que originalmente interpretaria Justo.

Na segunda semana, mais violência, Adriana é estuprada. Mas, dessa vez, ao mesmo tempo que a violência foi explícita, nasceu o amor dela com Alexandre. Nessa fase, Francisca estava decadente, dominada pela bebida, o que a fazia se prostituir. No final da segunda semana, uma cena marcante: Adriana parte de trem e Alexandre corre atrás dela.

A partir daí, Manancial finalmente chegaria na fase definitiva onde se passaria a história. Muitas emoções ao longo das semanas, reencontros, maldades, intrigas, enfim, uma infinidade de elementos que todos adoraram.

Os destaques no elenco foram muitos: Daniela Romo se consagrou como Margarida, um misto de vilã e vítima, e mostrou a todos o que é ser uma primeira atriz, fora isso, o sacrilégio de amar um padre, que ela fez sem qualquer momento de vulgaridade ou sensacionalismo.
Protagonista de cenas magistrais, foi o maior destaque.

Os protagonistas não ficaram por menos, Mauricio Islas superou as críticas de Preciosa e mostrou que é um grande ator, junto a Adela Noriega, que depois de tantas moças sofredoras, fez uma Adriana que não se rebaixava por nada. Verdadeiros herois e heroínas, pois eles de fato, lutaram por seu amor a qualquer preço. E ela também, em seu ímpeto de vingança contra Justo, mostrou que sabia se defender e atacar.

Os coadjuvantes também foram arrasadores. Olívia Bucio como a sofrida Gertrude brilhou, e foi a personagem que mais chorou durante a novela. Jorge Poza ganhou um papel de maior projeção e arrasou como Heitor, sobretudo quando descobriu a verdade sobre sua origem. E é claro, Karyme Lozano como Bárbara, ou melhor, Babizinha, foi a típica menina rica a fim de mais dinheiro, que junto a sua engraçadíssima mãe Pilar, mas em um papel pequeno para sua grandiosidade, aprontaram poucas e boas. Essas foram apenas algumas, afinal, todas as personagens da novela foram muito bem interpretadas, cada uma com sua função e história. Essa novela foi uma das poucas em que alguns personagens não ficam "à toa" a certa altura da novela.

Manancial foi uma novela que misturou elementos de outras novelas, apesar de ser uma história original. Havia um pouco de Canavial de paixões, um pouco de Abraça-me muito forte, mas apesar disso, Manancial foi ela mesma, e jamais viveu à sombra de outras novelas.

Apesar disso, Justo foi quase uma cópia de Frederico Rivero, de Abraça-me muito forte, claro, sem o mesmo humor negro, mas outro vilão rural que assustou e abusou de tudo e de todos. Outro elemento, porém, foi a morte de Gertrude, tudo bem, a história era cruel por si só, mas essa era uma das poucas que de fato, merecia um pouco de felicidade. Ainda mais depois de ter sofrido tanto. Essa morte o público mexicano reprovou.

Essa novela, apesar da baixa audiência, cativou a todos. Manancial ficará marcada como uma novela mal compreendida pela audiência, mas adorada pelo público cativo, que a elegeu a melhor novela de 2002 aqui, e que nunca esquecerá de Adriana, Alexandre, Margarida, Justo, Heitor, Milena, Bárbara, etc…

A música de abertura Amor, amor, amor era do cantor Luis Miguel. Ainda de fundo se escutava a música tema do povoado El manantial do cantor Alberto Chávez.
Blog Widget by LinkWithin

2 comentários:

Anônimo disse...

Essa novela marcou muito a minha adolescência assisti muito essa novela pelo SBT gostei tanto que comprei ela inteira gravada em dvd.
Manancial Para Sempre...

Nelson Machado disse...

Foi sem duvida uma excelente novela estoria emocionante e um elenco em que todos atuaram de forma espetacular deixou muitas saudades pena que não teve o reconhecimento que merecia pois não deixou nada a dever para outras tramas mexicanas que fizeram muito sucesso como as novelas da diva tália usurpadora o privilégio de amar etc