segunda-feira, 15 de março de 2010

Rosa selvagem


NOME ORIGINAL
Rosa salvaje

ESCRITORES
Carlos Romero e Abel Santacruz (Baseados na obra de Inés Rodena)

PRODUTOR
Valentín Pimstein

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
200

ANO DE GRAVAÇÃO
1987

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1991

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Tempos modernos

INTÉRPRETE
Sylvia Patrícia

Eu vejo a vida melhor no futuro,
eu vejo isso por cima de um muro
de hipocrisia que insiste em nos rodear.

Eu vejo a vida mais clara e farta,
repleta de toda satisfação
que se tem direito de todo firmamento ao chão.

Hoje o tempo voa amor escorre pelas mãos,
mesmo sem se sentir que não há tempo que volte amor,
vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir.

Eu quero crer no amor numa boa,
que isso valha pra qualquer pessoa,
que realizar a força que se tem numa paixão.

Eu vejo o novo começo de Era,
de gente fina, elegante e sincera
com a habilidade pra dizer mais sim do que não, não, não.

Hoje o tempo voa amor, escorre pelas mãos,
mesmo sem se sentir que não há tempo que volte amor,
vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir.

Eu quero crer no amor numa boa,
que isso valha pra qualquer pessoa,
que realizar a força que se tem numa paixão.

Hoje o tempo voa amor, escorre pelas mãos,
mesmo sem se sentir que não há tempo que volte amor,
vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir.

Eu vejo o novo começo de Era,
de gente fina, elegante e sincera
com a habilidade pra dizer mais sim do que não.

Hoje o tempo voa amor, escorre pelas mãos,
mesmo sem se sentir que não há tempo que volte amor,
vamos viver tudo que há pra viver, vamos nos permitir.

E não há tempo que volte amor,
vamos viver tudo o que há pra viver
vamos nos permitir.


ELENCO

Verónica Castro: Rosa García Mendizábal

Guillermo Capetillo: Rogério Linhares / Ricardo Linhares

Laura Zapata: Dulcina Linhares de Robles

Liliana Abud: Cândida Linhares

Roberto Ballesteros: Germán Laprida

Claudio Báez: Frederico Robles

Armando Calvo: Sebastião

Ada Carrasco: Carmem

Jaime Garza: Ernesto

Bárbara Gil: Amália

Edith González: Luciana Villareal

Felicia Mercado: Luciana Villareal (Substituta)

Magda Guzmán: Tomasa

Mariana Levy: Linda

Irma Lozano: Waldete

Alejandro Landero: Rigoberto

Alejandra Maldonado: Madalena

Servando Manzetti: Eduardo

Alberto Mayagoitia: Paulo

David Ostrosky: Carlos

Renata Flores: Leopoldina

Aurora Clavel: Mãe de Ernesto

Maleni Morales: Miriam

Beatriz Ornella: Caridade

Patricia Pereyra: Norma

Gustavo Rojo: Padre Manuel de la Huerta

Otto Sirgo: Ângelo de la Huerta

Gastón Tusset: Roque

Liliana Weimer: Vanessa

Antonio Valencia: Jackson

Mariagna Prats: Ex-namorada de Gérman Laprida

Gerardo Murguía: Martim

Ninón Sevilla: Zenaide

Alejandro Montoya: Gonçalo

Jacaranda Alfaro: Irma

Patricia Ancira: Estrela

Magda Karina: Fernanda

Ari Telch: Jorge

René Cardona: Feliciano

Karina Dupréz: Maria Elena Torres

Alicia Encinas: Lulú

Arturo García Tenorio: Mateus

Josefina Escobedo: Pepina

Alberto Insúa: Nestor Parodi

Beatriz Moreno: Eulália

Juan Carlos Serrán: Pedro Luis García

Mauricio Ferrari: Carlos Monero

Leonardo Daniel: Enrique

Roxana Saucedo: América

Javier Herranz: Raul

Lilia Aragón: Sílvia

Raymundo Capetillo: Doutor Reynaldo

Eduardo Borja: Hilário

Rosita Bouchot: Tigresa

Rafael del Villar: Ramón

Aurora Medina: Mary

Raquel Pariot: Rosaura


INTRODUÇÃO

Rosa Selvagem, estrelada por Verónica Castro e Guillermo Capetillo, foi inspirada nos romances "La gata" e "La indomable" de Inés Rodena, e em uma história de Abel Santacruz, foi adaptada por Carlos Romero, e produzida foi Valentín Pimstein. A novela se tornou um verdadeiro clássico da dramaturgia, por sua trama que encantou desde o início e pelo grande sucesso que foi. Rosa Selvagem representa um marco que quebrou todos os recordes de audiência, superando todas as novelas anteriores.


RESUMO

A história de Rosa começa a 20 anos atrás quando sua mãe Waldete, filha de uma rica família, se envolve com um humilde motorista que a engravida. A criança que Waldete espera é uma vergonha para a família, a jovem não vê outra alternativa e entrega sua filha aos cuidados de sua babá Tomasa.

Rosa García, assim batizada por Tomasa cresce ingênua, sem possuir muita educação, acostumada a xingar e dar golpes naqueles que a incomodam, pelo que a chamam de selvagem. Rosa também se parece a um homem, já que se acostumou a jogar futebol e outros jogos característicos de meninos.

No outro lado da cidade vive a família Linhares, formada por Ricardo, um jovem muito generoso, sua irmã Dulcina, malvada por natureza, ambiciosa e vaidosa, a quem somente importa o dinheiro e a classe social, e Cândida a irmã mais nova que se deixa influenciar pelas maldades da outra irmã, também faz parte da família o irmão gêmeo de Ricardo, que se chama Rogério, um homem de fibra que ficou paralítico devido a um acidente de carro. Ricardo que é um homem rico, vive em constantes discussões com suas irmãs que sempre querem decidir com quem ele deve se casar. O sonho de Dulcina e Cândida é que Ricardo se case com a milionária Luciana, uma jovem bela, porém, frívola e vingativa.

Tudo corre bem na mansão Linhares até que um dia a fiel empregada Josefina pega um moleque roubando ameixas do jardim e arma um escândalo, logo chega Dulcina e Ricardo, que ao tirar o boné do ladrão percebe que não passa de uma garota assustada, querendo apenas brincar. Ricardo é bondoso com Rosa, diz que não chamará a polícia se ela lhe der algumas ameixas. Contra o gosto das irmãs, Ricardo dá algum dinheiro para Rosa e a deixa ir embora, com a promessa de que um dia voltaria para visitá-lo. A amizade dos dois cresce, Rosa se apaixona por ele, enquanto ele só decide se casar com ela para provocar suas irmãs.

Na mesma noite de seu casamento, Ricardo Linhares se questiona a gravidade de seus atos, ao haver se casado com Rosa García, a humilde e rústica jovem, que o admira e o ama com todo seu coração. A preocupação deste milionário jovem se deve a seu caráter impulsivo e arrogante, e ao querer dar uma lição em suas meio-irmãs, Dulcina e Cândida, dominantes e avarentas, filas do primeiro casamento do pai deste, elas, para aumentarem sua fortuna, queriam casá-lo com Luciana Villareal, então, por vingança e para lhes demonstrar que podiam contra ele, Ricardo decidiu tomar tão aventurada decisão da qual parece começar a se arrepender.

Dulcina e Cândida se unem a Luciana Villareal, jovem que possui uma grande fortuna e que sempre havia sentido atração por Ricardo, juntas, as três fazem todo o possível para separar Rosa e Ricardo. Este, realmente, se apaixona por Rosa, mas ela deixa a casa após algumas intrigas de suas cunhadas que diziam que sua amizade com Rogério havia se transformado em algo mais.

Rosa volta para o bairro onde vivia e só quer esquecer Ricardo e todo o mal que ele provocou com o seu desamor, mas o indeciso marido percebeu com a distância que Rosa é sempre será seu amor.

Além do mais, por intermédio de Tomasa, Waldete, que nunca havia deixado de procurar sua filha, a reencontra, e depois de lhe revelar que é sua mãe, a leva, afim de torná-la uma dama fina e educada.

Ricardo, que começa a amá-la verdadeiramente, faz com que Rosa retorne, mas esta não ficaria por muito tempo, pois Dulcina e Cândida lhe confessam que Ricardo teve outras razões para se casar com ela.

Pouco tempo depois, Rosa descobre que está grávida e aceitando a ajuda de sua mãe, decide se superar, cobrando vingança contra os Linhares, por todo o dano que lhe causaram.

Paulo, enteado de Waldete, se apaixona por Rosa, mas ela continua amando Ricardo apesar de não conseguir perdoá-lo. Rosa dá a luz a seu filho, quase ao mesmo tempo em que sua mãe morre de um infarto, lhe deixando como herança uma imensa fortuna e grandes negócios.

Ricardo e Rosa se encontram, ele já sabe que tem um filho e oferece sua ajuda a Rosa, que o rejeita, dizendo que nem ela, nem seu filho precisam dele.

Em seu novo mundo, Rosa conhece um multi-milionário, que lhe pede em casamento. Rosa, decidida a seguir adiante com seu plano de vingança, exige o divórcio de Ricardo.

Faltando a última audiência para que o divórcio seja concedido, Rosa anuncia seu casamento com o milionário e Ricardo, que agora a ama loucamente, em sua desesperação e ao vê-la perdida, tenta pela última vez recuperá-la e consegue.

Vencida pelo grande amor que sente por Ricardo, Rosa rompa seu compromisso e se reconcilia com Ricardo. Finalmente o casal pode ser feliz ao lado de seu pequeno filho.


COMENTÁRIOS

Em 1987, iniciou-se mais uma produção da Televisa que se tornou um verdadeiro clássico da dramaturgia, por sua trama que encantou desde o início e pelo grande sucesso que foi. Rosa selvagem representa um marco que quebrou todos os recordes de audiência, superando todas as novelas anteriores. A novela se trata de mais uma produção do famoso Valentín Pimstein, o produtor que mais clássicos possui em seu acervo. Rosa selvagem é um desses clássicos que merece mais destaque.

O curioso é que, a princípio, os protagonistas não eram Verónica Castro e Guillermo Capetillo, a Televisa queria Adela Noriega e José Luíz Rodríguez “El puma”. Porém, o ator abandonou o projeto. E com isso, Valentín Pimstein quis Verónica no papel da menina pobre, ainda que a atriz fosse muito mais velha que o papel de Rosa. Foi assim que Adela Noriega foi parar em Quinze anos.

A escolha de Verónica Castro foi polêmica, já que a atriz havia abandonado a Televisa alguns anos, para se dedicar à produções de outros países. Havia um boato de um certo veto a Verónica Castro, mas Valentín bateu o pé e trouxe novamente a rainha das novelas para sua casa. Ele ainda quis causar certa polêmica, quando escolheu para galã Guillermo Capetillo, que em Os ricos também choram havia sido filho da personagem de Verónica.

A história era muito simples, e o mais estranho é que no México substituiu Ambição. Entretanto, ao contrário da antecessora, essa novela optou por abordar todos os clichês e exageros das novelas mexicanas, uma fórmula que demonstrou estar mais do que na moda.

As atuações foram memoráveis. A começar justamente por Verónica Castro, que mesmo já tendo quase 40 anos e interpretando uma de 20, fez com isso fosse um detalhe irrelevante, fazendo de Rosa uma heroína muito querida pelo público, em uma atuação que foi da comédia ao drama.

Magistral e inesquecível a atuação de Laura Zapata como a grande vilã Dulcina Linhares, sua maldade ficou marcada até hoje e consagrou a atriz como uma especialista em vilãs. Tanto ela, como Verónica, receberam prêmios TV y Novelas como vilã e atriz do ano.

Houve ainda outros destaques, como o de Guillermo Capetillo que viveu dois papéis, o do galã Ricardo e seu irmão gêmeo Rogério, muito amargurado e ressentido por estar paralítico. Liliana Abud, que é escritora de novelas, foi Cândida, a irmã apagada que seguia as ordens de Dulcina, mas no final, virava uma aliada de Rosa.

Essa novela foi a inspiradora do clichê “criada fofoqueira”, assim foi Leopoldina, vivida pela hilária Renata Flores. Os trejeitos engraçados e o exagero da atuação foram justamente o atrativo dessa personagem. No meio da novela, Leopoldina mudou de visual, já que na época, reprisaram Chispita no México, onde a atriz usava o mesmo penteado. Leopoldina é a visível base de criação de personagens como Perfecta (Martha Zamora) em Marimar, Carlota (Rebeca Manríquez) em Maria do bairro e Lalinha (Paty Díaz) em A usurpadora.

Outra vilã da história foi Luciana, que a princípio foi interpretada por Edith González e mais tarde sendo substituída por Felicia Mercado. Dois motivos foram apontados como os causadores da saída de Edith da novela. O oficial, que foi o dado pela Televisa, é que a emissora não queria manchar a imagem de Edith como vilã de novelas, já que a queriam como mocinha. A outra é que Valentín Pimstein havia prometido uma grande vilã para Edith interpretar, mas que o grande destaque acabou sendo Dulcina, o que irritou Edith que teria brigado com o produtor, tanto que nunca mais trabalharam juntos. Curiosamente, quando Felicia Mercado passou a interpretar Luciana, o personagem ganhou mais força na história.

A novela foi marcada por momentos muito marcantes: a começar pela antológica cena onde Rosa é castigada por Dulcina e Cândida por ter roubado frutas da mansão Linhares; também o momento onde Rosa descobre que Waldete era sua verdadeira mãe; quando Rosa se vê deparada pelos dois irmãos gêmeos, que a princípio a confundiam; quando Dulcina mata o advogado da família, e empurra Cândida da escada, fazendo com que ela perca seu bebê; e no final, ao atropelar Rosa, o carro de Luciana é levado por um trem; e finalmente quando Dulcina mata Leopoldina, e tem seu rosto queimado por um ácido, terminando louca e histérica em um manicômio.

Rosa selvagem é uma história original de Inés Rodena, mas que acabou sendo como se fosse de Carlos Romero, já que ele pouco usou do original e criou muito. Durante a novela, Abel Santacruz, outro famoso escritor, encontrava-se no México e assim como Romero, era um grande amigo de Valentín Pimstein. Abel Santacruz passava por uma séria crise financeira. Em nome da amizade, Valentín pediu que Carlos Romero se afastasse por um tempo da novela, e que Abel a assumisse por um tempo, afim de ganhar algum dinheiro. A audiência teve uma leve caída, o motivo é que o estilo de Abel era um tanto antigo, bem diferente da agilidade imposta por Romero, que logo em seguida voltou ao seu posto e conduziu a novela até o final. Rosa selvagem foi uma das primeiras novelas, junto a Ambição, a ter o ritmo ágil das novelas de hoje.

Verónica Castro, com essa novela, recuperou sua coroa de rainha absoluta das telenovelas. A novela era para ter sido esticada no México, mas Lucía Méndez, queria estrear logo sua novela El extraño retorno de Diana Salazar no lugar da história de Rosa García.

A história de Carlos Romero é com certeza a maior inspiração da famosa Trilogia das Marias, em especial Marimar, ainda que cada uma tenha sido um remake de uma outra novela.

Rosa selvagem foi um estrondoso sucesso, e que no Brasil, foi inclusive reprisada. A novela é um misto de todos os elementos que fazem sucesso, aliados a boa fase dos artistas, tornando-se um verdadeiro mito na história das telenovelas “rosas”.

Como sempre Laura Zapata é destaque como grande vilã, ela vivia a irmã mais velha de Ricardo, Dulcina, ambiciosa e calculista, dominava a vida de todos na mansão Linhares. Laura Zapata desenvolveu muito bem o psicológico da personagem que teve um trágico final digno das melhores vilãs, é inesquecível a cena em que ela se tranca na mansão com a fiel empregada Josefina que a ataca com ácido quando sua patroa ameaça queimar toda a casa.

O grande final de Rosa selvagem emociona o público. No último capítulo Rosa é atropelada por Luciana já enlouquecida, sua vida está por um fio e só sobrevive porque seu amor Ricardo a perdoa. Destaque para René Muñoz que faz uma participação especial como médico nas ultimas cenas.

A novela rendeu bons frutos a Verónica Castro. Assim que terminou de gravar, foi convidada pela diretoria da Televisa para apresentar um talk-show chamado Mala noche no, onde recebia convidados vips além de todos os grupos musicais da moda.

No Brasil não foi diferente, o sucesso de Rosa selvagem foi tremendo, o SBT investiu muito na novela, lançou uma trilha sonora, e trouxe pela segunda vez Verónica Castro ao país para participar de vários programas, entre eles Hebe Camargo e o Viva a noite apresentado por Gugu.Verónica chegou a gravar um clipe nas praias do Guarujá de sua música "La movida" tema de abertura do programa de mesmo nome que apresentava no México.

No Brasil o SBT decidiu lançar uma trilha exclusiva com temas brasileiros para a novela, destaque para os cantores Fabio Júnior e Rosana que estavam no clímax de sua carreira, o LP ainda contava com o sucesso de Lulu Santos, a música Tempos modernos que foi tema de abertura da novela na voz de Sylvia Patrícia. No México, a música original de abertura era Rosa salvaje, interpretada pela própria protagonista da novela, Verónica Castro.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

Anônimo disse...

bemm...minha mãe fala muito dessa novela...eu gostaria muito de ve-la porque essas novelinhas de agora não esta com nada...eu tenho 15 anos e prefiro assistir essa novela que a minha mãe fala do que rebelde da record....aaaa coloka aeeee

love story disse...

Essa novela deveria retornar as telinhas de TV

Thiellen Guterres disse...

Amei essa nov ela