quarta-feira, 10 de março de 2010

O início das telenovelas latinas no Brasil

O SBT estava recém iniciado, e no ano de 1982 eles tiveram vontade de colocar uma telenovela no ar, porém não tinham recursos para produzir uma, então começaram a reparar que havia uma novela que vinha causando furor mundo afora, tratava-se do fenômeno mexicano Os ricos também choram, com Verónica Castro e Rogelio Guerra.

Muitos não quiseram colocar a novela no ar, afinal, a julgavam cafona, mas Silvio Santos deu o braço a torcer e logo Os ricos também choram estava sendo exibida com êxito. Até discos foram lançados: Os ricos também choram Nacional e Internacional. Em seguida, veio outra trama mexicana: Chispita, com a então menina Lucero. A trama também encantou o público, com o lançamento de discos e brinquedos que inclusive criaram uma polêmica com os pais de Lucero, já que eles não gostaram da boneca e brigaram por seus direitos autorais. O sucesso de Chispita foi ainda maior que o da antecessora, sendo exibida em dois horários, e mais tarde, viria a ser reprisada infinitas vezes. Chispita é a novela mexicana mais reprisada que houve, seu sucesso no Brasil chegou a ser maior do que no próprio México, segundo a estrela Lucero.

Daí em diante, as novelas latinas ocupariam o mesmo espaço com produções brasileiras, sempre com má qualidade e histórias fracas, que dificilmente ofuscavam as produções da Televisa. Durante anos, foram exibidos títulos como Só você e Viviana, com a diva Lucía Méndez, Quinze anos com as jovens Adela Noriega e Thalía que futuramente tornariam se estrelas internacionais.

Chegando na década de 90, o SBT enfrentava séria crise, não pelas novelas, mas por um conjunto de programas problemáticos, foi quando o SBT apostou em uma novela infantil, viria então o maior sucesso em termos de novelas mexicanas já exibido: Carrossel. A história da professora Helena, Cirilo, Maria Joaquina, Jaime e tantos outros personagens marcantes fez história e foi um ícone na infância de todos aqueles que acompanharam a história. Carrossel foi a primeira novela estrangeira a balançar a hegemonia global, que na época exibia o fracasso O dono do mundo e se viu apavorada por uma produção pobre e malfeita, como eles julgavam.

Gabriela Rivero, a professora Helena da novela, veio ao Brasil e foi recebida com todas as regalias possíveis. Discos, revistas, álbuns de figurinhas, brinquedos: o êxito era gigantesco, e ajudou o SBT voltar a ser o que era, alguns anos depois foi transmitida a nova versão, Carrossel das Américas, que nem chegou aos pés do sucesso da primeira.

No repertório de sucessos do SBT foi inclusa Rosa selvagem, a história de Rosa, uma mulher grosseira e vulgar que se apaixona por um milionário, apesar de que o tema já havia sido abordado, essa novela foi outro grande sucesso. Isso impulsionou a vinda da estrela Verónica Castro ao Brasil, esbanjando luxo e carisma em grandes programas como o de Hebe Camargo por exemplo. Nessa época a Televisa não era tão exigente com o SBT que podia manipular as novelas de qualquer forma, as aberturas em sua maioria eram edições das originais, títulos e músicas eram alteradas com uma adaptação brasileira para agradar o público, até o sucesso de Lulu Santos, Tempos modernos, ganhou versão de Sylvia Patrícia para o LP de Rosa Selvagem.

Muito antes do sucesso das "Três Marias" de Thalía, uma outra Maria encantaria os lares brasileiros, era ela, Simplesmente Maria, com a estrela Victoria Ruffo, que viveu uma simples camponesa que sonhava em triunfar no mundo da moda mexicana, grande êxito do SBT que depois viria a ser reprisada na fase Gold da Rede CNT/Gazeta. Devido ao sucesso de Simplesmente Maria o SBT importou uma nova novela de Victoria Ruffo, A fera.

A novela adolescente Alcançar uma estrela também ganhou seu espaço no SBT, que, empolgado com o sucesso, transmitiu Alcançar uma estrela II após o ultimo capitulo da I como se fossem uma única novela.

Mesmo com tantos sucessos mexicanos o SBT também investiu numa novela venezuelana: Topázio, com Grécia Colmenares, a doce cega que viveu uma emocionante história de amor, foi a segunda novela "não brasileira" a concorrer ao Troféu Imprensa, (a primeira novela foi Carrossel, que recebeu um único voto do jornalista e crítico de TV Leão Lobo). Anos depois, o SBT viria transmitir o remake de Topázio, Esmeralda, feito pela Televisa.

Em 1991, o SBT mostraria ao Brasil uma das maiores vilãs da teledramaturgia: Catarina Creel de Larios: estava no ar o sucesso Ambição. Essa até os críticos brasileiros, geralmente avessos a tudo o que não é Rede Globo, aplaudiram de pé a magistral interpretação de María Rubio e todo o elenco, fazendo de Ambição uma novela diferente, muitas das crianças da época tinham medo da novela exatamente pelo tapa-olho da vilã, sua marca registrada.

Muitos estilos de novelas foram exibidos, até mesmo uma novela de época: Eu compro essa mulher, outro grande sucesso da Televisa, com Leticia Calderón, Enrique Rocha e Eduardo Yáñez, numa história marcada por uma vingança sem limites e uma perigosa paixão; muita rivalidade em Paixão e poder, também com Enrique Rocha e Paulina Rubio; abalos de uma mulher amarga em Eu não acredito nos homens; o desafio de um Amor em silêncio; a volta de Lucía Méndez em Marielena, a secretária que se apaixona pelo seu chefe casado; os encantos de quatro amigas em Garotas bonitas, novela precursora de Amigas e rivais do mesmo diretor Emilio Larrosa que tratou com muito cuidado os problemas dos jovens no início dos anos 90.

Uma trama argentina viria a cativar o público: A estranha dama. A saga da sofrida camponesa Gina, que, por um amor perdido e a benção de dar à luz uma filha saudável, se torna Irmã Piedade, uma religiosa que entrega sua vida a Deus, mas que também busca se encontrar numa secreta identidade, uma estranha dama. Se aproveitando do sucesso de SBT, a Rede OM viria a exibir, uma continuação, da novela: O regresso da estranha dama, inferior à original.

A Rede Record entra no embalo das novelas latinas e transmite a venezuelana A revanche, com Rosalinda Serfat e Jean Carlos Simancas, uma trama diferente onde o destino separa duas irmãs por condições sociais e por um amor em comum, mas que por fim as une com um desejo incontrolável de revanche.

A saudosa Manchete exibiu Valéria e Maximiliano com Letícia Calderón, e a grande novela argentina Além do horizonte, uma novela de época com uma das produções mais caras já vistas, foram mais de 100 modelitos usados pela protagonista Grécia Colmenares, já conhecida no Brasil por seu trabalho em Topázio.

Em 1995, o SBT exibiu Carrossel das Américas, não se sabia ao certo se era uma continuação ou um remake de Carrossel. A verdade é que essa versão não agradou a maioria do público. Uma decepção para aqueles que esperavam uma novela tão envolvente como a que gostavam no início da década.

Em 1996, o SBT passou a investir somente em tramas brasileiras, mas nenhum sucesso, além disso, só gastos e prejuízos. Foi quando no final do ano, Silvio Santos apostou em mais uma novela simples, mas sabendo que essa novela fazia parte de uma trilogia que vinha fazendo sucesso: era Maria Mercedes.

Maria Mercedes contava a história da jovem ignorante que se casa com um homem rico e sofre nas mãos da cruel sogra. Thalía brilhava como a protagonista, mas apesar da novela dar uma boa audiência, ela ainda não estava tão famosa por aqui. Em seguida, veio Marimar. A história da caiçara surpreendeu a todos, tanto que até o jornal O estado de São Paulo comentou os índices alcançados pela novela. Um grande sucesso. No meio da exibição de Marimar no Brasil, o apresentador Gugu exibiu uma entrevista direto do México com a estrela Thalía, que estava surpresa com o sucesso que a novela estava fazendo no Brasil, mas ainda não tinha planos de visitar o país.

A consagração definitiva veio com a estreia de Maria do Bairro, em 1997. Foi essa novela que fez com que Thalía virasse símbolo das novelas mexicanas. Incentivada pela sua gravadora EMI, sua música também ficou conhecida, e Maria do Bairro foi o trampolim para que a estrela viesse ao Brasil e causasse tanto furor. Depois disso, Thalía ainda viria várias vezes ao país, sempre com o êxito de uma diva. Tamanho sucesso que logo depois do último capítulo de Maria do Bairro, o SBT já reprisou Maria Mercedes, e em seguida, novamente Maria do Bairro.

Nessa época a Gazeta se une com a Rede CNT, uma rede de televisão paranaense, e, decididos a aumentar seu Ibope, resolvem investir nas novelas mexicanas assinando um contrato com a Televisa, adquirindo um gordo pacote de novelas e vários programas como Lente loco, o famoso talk show Cristina, e alguns shows.

Disposta a bombardear o SBT e subir no Ibope, a Rede CNT estreou nada menos do que 5 novelas no mesmo dia, foram elas: Alcançar uma estrela, Simplesmente Maria, Prisioneira do amor, apresentando o talento de Maribel Guardia, Coração selvagem uma novela de época, e às 22h30 da noite Império de cristal, um remake da novela Ambição, também de grande sucesso. Para facilitar a transmissão das novelas a Rede CNT aproveitou as novelas que o SBT já tinha e estavam dubladas para reprisá-las como Meus quinze anos, Alcançar uma estrela, Simplesmente Maria e a novela infantil Chispita que foi mais que explorada, chegava a passar em quatro horários diferentes no mesmo dia.

Também foram exibidos títulos como Maria José com Claudia Ramírez e Arturo Peniche, já conhecido no Brasil por Amor em silêncio e Maria Mercedes, A força de uma mulher, com a grande atriz e diretora Cristian Bach e Saúl Lisazo que também fez Prisioneira do amor e outro sucesso, Canavial de paixões, a novela mais anunciada pela Rede CNT, que fez um grande marketing dessa novela passando cenas de todos os prêmios TV y Novelas que ganhou, mas apesar do sucesso, teve uma das exibições mais conturbadas na emissora. Na época a novela estava sendo dublada quase que simultaneamente ao mesmo tempo de exibição, e, por azar, o sindicato dos dubladores brasileiros declara greve geral, com isso ocorre um fato inédito até então, Canavial de paixões foi exibida legendada. Apesar disso, fez muito sucesso, o próprio SBT realizou uma versão brasileira da novela.

Na época a Rede CNT, não se interessou em exibir a novela Na própria carne, com Edith González e Eduardo Yáñez. Assim sendo, deixou o SBT exibir a novela, que ia ao ar somente aos sábados às 15h00, em capítulos gigantescos de mais de quatro horas, como se fosse uma semana inteira em um dia apenas. Antes de todas essas novelas a CNT já tinha passado a novela Guadalupe com Adela Noriega e Eduardo Yáñez e a novela argentina Manuela com Grécia Colmenares que já era famosa no Brasil pelo sucesso Topázio e por Além do horizonte que passou em 1995 na rede Manchete.

A Rede CNT estava cheia de dívidas e não pôde mais pagar o contrato de exclusividade com a Televisa. Assim sendo, o SBT voltou a comprar novelas da rede mexicana. Luz Clarita estreou no início de 1999, durante as férias de Chiquititas, e fez um grande sucesso. Daniela Luján encantou a todos nesse remake de Chispita. Em junho do mesmo ano, o SBT voltaria a emplacar outro grande sucesso mexicano: A usurpadora. As gêmeas Paola e Paulina chegaram no horário das 20h00 e logo causaram grande furor. A usurpadora foi outra daquelas tramas do SBT que romperiam marcas de audiência como Carrossel e Maria do Bairro. Até o Jornal Nacional ficou abalado com essa novela. Gabriela Spanic, estrela da novela, veio ao Brasil divulgar a novela e também encantou a todos, aumentando ainda mais os índices da novela, que já estava indo para suas últimas semanas.

Em seguida, exibiu-se O privilégio de amar, que iniciou com índices bem inferiores aos da antecessora, mas reagiu de maneira brilhante e terminou com audiências maravilhosas. Outro sucesso. Em janeiro de 2000, estreava O diário de Daniela que foi outro grande êxito, novamente com Daniela Luján.

Também foi criada mais uma faixa de horário, que recebeu o nome de Tarde de amor, que começou com a continuação em dois capítulos de A usurpadora, em seguida, a venezuelana que foi uma das novelas mais vendidas da história, segundo o Guinnes Book: Kassandra.

Em meados de 2000, Guy Ecker, o astro brasileiro, veio ao Brasil para divulgar A mentira, um enorme sucesso mexicano que rompeu recordes por lá e que aqui também ia muito bem.

Sigo te amando, às tardes, também ia muito bem. Foi criada outra faixa dentro da Tarde de amor, com uma reprise de A usurpadora. A Tarde de amor conheceu seu maior sucesso com Maria Isabel, que foi a novela mais bem-sucedida das tardes. Maria Isabel conseguia à tarde índices que muitas vezes nem as novelas do horário das 20h00 no SBT conseguiam.

Esmeralda, remake de Topázio, brilhou às noites. A história da cega voltava a comover o público. A Rede Record apostou em Olhar de mulher, da TV Azteca, sem muito sucesso. Depois viria a venezuelana Samantha, que igualmente não fez sucesso. Nessa época também, a Rede Bandeirantes apostou em produções desconhecidas como Caminhos do Amor, Sombras do passado e Belas e intrépidas nas tardes. A Rede Mulher também, com a reprise de A revanche, além de Por amar-te tanto e A mulher proibida, com Fernando Carrillo.

O SBT queria exibir a colombiana Café com aroma de mulher às tardes, mas a Justiça proibiu. Com isso, ela foi parar nas noites do SBT e surpreendeu, com ótimos índices, apesar de ser antiga. Guy Ecker e Margarita Rosa de Francisco formaram um grande casal, ela inclusive veio ao Brasil para divulgar a novela.

A Tarde de amor ainda veio a emplacar sucessos como Camila, Rosalinda, com o regresso de Thalía e Por teu amor, com Gabriela Spanic. Camila inclusive cravou um histórico pico de 21 pontos, isso as 16h00, o que foi uma grande surpresa, já que nem no México a novela teve tanto sucesso.

Carinha de anjo trouxe bom humor e animação às noites do SBT. A trama infantil ofuscou a milionária produção As filhas da mãe, da Rede Globo. Daniela Aedo rompeu recordes e fez de Carinha de anjo uma das novelas de maior audiência do SBT. Foi nessa época que o SBT inventou de produzir novelas com textos mexicanos, como Pícara sonhadora, Amor e ódio, Marisol e Pequena travessa. Para compensar, foi criado mais um horário para novelas mexicanas, entrou no ar Abraça-me muito forte com Fernando Colunga e Aracely Arámbula, e fez muito sucesso.

Após vieram vários títulos como Preciosa, a doce manca vivida por Irán Castillo que se apaixonava pelo médico que a curava Luiz Fernando, interpretado por Mauricio Islas, A alma não tem cor, com Laura Flores e Arturo Peniche, muito se perguntou o que foi essa novela, um grande fracasso da Televisa e que não foi diferente aqui. A história da jovem Guadalupe que perde sua filha não cativou ninguém.

Maria Belém trouxe a talentosa Danna Paola, mais uma criança que viria cativar os brasileiros. Em geral todas as novelas infantis que passaram aqui fizeram sucesso, Gotinha de amor foi cativante com a historia de Belinha, uma órfã que procurava seus pais verdadeiros, Amigos para sempre com a estrela Belinda foi a única que passou à tarde, Serafim foi uma novela futurista, cheia de efeitos especiais para agradar as crianças, Cúmplices de um resgate não foi tão bem no Ibope, já Viva às crianças - Carrossel 2 tornou-se um dos maiores orgulhos do SBT, que, satisfeito com a novela, lançou álbum de figurinhas entre outros produtos.

A Rede Record surpreendeu com Joana, a virgem, uma história diferente que foi muito bem. A RedeTV! trouxe ao Brasil uma das novelas de maior sucesso internacionalmente: Betty, a feia. A novela foi um sucesso, por ser a primeira exibida na emissora. O problema foi a exibição a conta-gotas da RedeTV! para esticar a novela.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

adailton77 disse...

Uma pequena correção: Na parte que se refere a continuação da novela A Estranha Dama, exibida pelo SBT, é mencionado que a Rede Bandeirantes exibiu a sua continuação: O Regresso da Estranha Dama. A rede que exibiu esta outra novela foi a Rede OM (atual CNT) em 1992. Mas uma coisa me intriga: Como se chegou nesse erro de dizer que foi a Band que exibiu O Regresso da Estranha Dama?

Aleks disse...

Adailton, esse texto não é de minha autoria, foi copiado de outro site, por isso o erro. Na verdade soube há pouco tempo que essa telenovela realmente havia sido exibida pela Rede OM, graças a vídeos do youtube, e cheguei a postar sua sinopse, você viu? Entretanto, esqueci de corrigir esta postagem. Se houver mais alguma que contenha este equívoco, peço que por favor me comunique. Esta já está corrigida. Agradeço pelo alerta! Até a próxima!

adailton77 disse...

Aleks, quanto a exibição de O Regresso da Estranha Dama pela Rede OM, fiquei sabendo na própria época de sua exibição, em 1992, que lembro que vi algumas vezes, na programação do dia a ser transmitida por aquela emissora e lá estava escrito, onde aparecia também junto com O Magnata, na Folha de S. Paulo, na parte chamada Folha Ilustrada, que pra quem não conhece é o caderno de tv daquele jornal. Não cheguei a assistir sequer um só capítulo de 'O Regresso', mas assisti A Estranha Dama, no SBT. Obrigado pela sua atenção!