sábado, 27 de março de 2010

Marimar


NOME ORIGINAL
Marimar

ESCRITOR
Carlos Romero Villareal (Baseado na obra de Inés Rodena)

PRODUTORA
Verónica Pimstein 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
150

ANO DE GRAVAÇÃO
1994

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1996

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Marimar

INTÉRPRETE
Thalía

Marimar, costeñita soy,
con mis abuelos crecí yo
en un lindo y cálido mar,
que todito me dio
cuando al amor me llevó.

Marimar, costeñita soy, costeñita.
Cuánto lo quise yo,
por revancha me enamoró.
Y el mar que todito me dio
como ola se lo llevó.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor…

Marimar, costeñita soy,
con mis abuelos crecí yo
en un lindo y cálido mar,
que todito, todito me dio
cuando al amor me llevó.

Marimar, costeñita soy.
El amor me llevó tras él
en un sueño todito fue.
Cuanto mi vida cambió,
cuando él me reconoció.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Cuando manda el corazón…

Cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Cuando manda el corazón,
siempre manda el amor.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Marimar, Marimar, cachito,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor.

Marimar, Marimar,
cuando manda el corazón
siempre, siempre manda el amor…

No que no.


ELENCO

Thalía: Maria del Mar Aldama Pérez "Marimar" / Bella Aldama

Eduardo Capetillo: Sérgio Santibañez

Chantal Andere: Angélica de Santibañez

Alfonso Iturralde: Renato Santibañez

Tito Guizar: Vovô Chico

Ada Carrasco: Vovó Cruz

Guillermo García Cantú: Bernardo Duarte

René Muñoz: Padre Torres

Martha Zamora: Perfecta

Julia Marichal: Coração

Miguel Palmer: Gustavo Aldama

Indra Zuno: Inocência del Castillo y Corcuera

Marcelo Buquet: Rodolfo

Toño Infante: Nicanor Mejía / Nazário Mejía

Nicky Mondellini: Gema

Frances Ondiviela: Brenda Icaza

Marisol Santacruz: Mônica

Fernando Colunga: Adrián Rosales

Luis Gatica: Chuy López

Kenia Gascón: Antonieta de López

Patricia Navidad: Isabel Estrada

Serrana: Aline

Ricardo Blume: Governador Fernando Montenegro

Amairani: Natália Montenegro

Martha Ofelia Galindo: Josefina

Ana Luisa Peluffo: Selva

Juan Carlos Serrán: Ulisses

Pituka de Foronda: Tia Esperança

Daniel Gauvry: Artur

Claudia Ortega: Prudência

Rafael del Villar: Estevão

Rosángela Balbó: Eugenia

Meche Barba: Dona Florinda

Armando Calvo: Gaspar

Lucero Lander: Elena Zavala

Ricardo Vera: Roberto Piyastre


PERFIL DAS PERSONAGENS

Marimar (Thalía) – jovem moça que mora na praia, ela é bonita e meiga, mas um pouco rebelde. Foi criada por seus avós humildes. Ela se apaixona por Sérgio, mas é traída por ele e odiada pela família do rapaz. Logo sua vida muda e ela decide se vingar das pessoas que a humilharam no passado.

Sérgio Santibañez (Eduardo Capetillo) – bonito e charmoso, ele deixou a universidade para seguir seu amor pelo futebol. Espera pegar o dinheiro que recebeu de herança da fazenda de sua mãe para gastar com festas e mulheres. Usa Marimar para aborrecer seu pai e sua madrasta. Seus sentimentos por Marimar se transformam ao longo do tempo e seu amor por ela se torna avassalador. Deseja se tornar um grande jogador de futebol.

Cruz (Ada Carrasco) – avó de Marimar, ela sempre morou com o marido e a neta. É uma mulher adorável, que divide um segredo com seu marido sobre a vida de Marimar.

Chico (Tito Guizar) – avô de Marimar e marido de Cruz. Por conta de sua idade avançada, ele é doente e incapacitado para trabalhar, o que o impossibilita de sustentar sua família.

Gustavo (Miguel Palmer) – milionário, ele não é um vilão mas tem um caráter muito fraco. No passado foi obrigado a abandonar a mãe de sua filha. Com muitos arrependimentos, ele tenta superar a dor com o amor de Marimar.

Renato Santibañez (Alfonso Iturralde) – pai de Sérgio, ele é um homem repleto de bons sentimentos mas sempre faz escolhas erradas. É atraente e dominado pela esposa, Angélica.

Angélica (Chantal Andere) – esposa de Renato, mulher de sentimentos ruins. Apenas se interessa por dinheiro e poder. Finge ser meiga e generosa, mas é mesquinha. Ela é mais nova que o enteado, Sérgio, e por dinheiro vai ficar contra o amor dele e Marimar.

Brenda (Frances Ondiviela) – esperta e atraente, ela era prometida para se casar com Gustavo, mas a união não aconteceu. Queria a fortuna de Gustavo, mas ele deixa tudo para Marimar. Ela quer destruir Marimar usando a intriga como seu principal artifício.

Bernardo (Guillermo García Cantú) – parceiro de Gustavo no Cassino, ele tenta conquistar Marimar mas não obtém sucesso. Ele e Brenda querem destruir Marimar.


INTRODUÇÃO

Marimar, protagonizada por Thalía e Eduardo Capetillo, teve gravações feitas em Iztapa e Zihuatanejo e na Cidade do México.

A história original é de Inés Rodena, foi produzida na Venezuela e se chamou La indomable. Foi adaptada, em 1975, por Ana Mercedes Escámez, e teve como atores principais Marina Baura, Elio Rubens e Bárbara Teyde. Em 1977, Tere Medina adaptou a trama para o produtor Valentín Pimstein, que chamou os atores Helena Rojo e Enrique Lizalde para serem os protagonistas da versão mexicana, de nome A vingança.


RESUMO

Marimar é uma jovem humilde que vive em São Martim da Costa, um pequeno povoado junto ao mar. Sérgio Santibañez é filho único de uma renomada família do mesmo povoado, seu único sonho é receber a herança deixada pela sua mãe, a fazenda Santibañez. A vida desses jovens se cruzaram em uma complicada história de amor e vingança.

Ignorante e selvagem, Marimar nunca pôde estudar, mora junto a seus avós e seu fiel cachorro "Pulguento" numa choupana à beira mar.

Quando Marimar conhece Sérgio se apaixona perdidamente. Para se vingar do pai e da madrasta Angélica, Sérgio se casa com Marimar e a leva para viver na fazenda Santibañez. Irada, Angélica não poupa maldades para com a jovem recém casada, Sérgio a deixa e vai para a capital para cumprir o seu contrato de jogador de futebol. A vida de Marimar se torna um inferno, desamparada, a jovem descobre que está sozinha no mundo, pois Angélica mandou o capataz Nicanor queimar a choupana onde viviam seus avós. Como se não bastasse, Marimar é acusada de roubo e acaba presa.

Quando Marimar sai da prisão parte para a capital esperando um filho de Sérgio. Lá, a jovem começa a trabalhar na casa do rico Gustavo Aldama, quem descobre ser seu verdadeiro pai. Conhecendo sua origem, Marimar toma aulas de etiqueta e se transforma em uma dama da sociedade assumindo uma nova identidade, Bella Aldama.

Bella reencontra Sérgio e seu único objetivo é vingar-se dele e de sua família, principalmente de Angélica que tanto a humilhou. A rica herdeira, usa todo o seu dinheiro e influência para ficar com a fazenda Santibañez e jogar isso na cara de Sérgio que arrependido pelo abandono tenta reconquistar Marimar.

Muitas armadilhas do destino aparecem para separar o casal, mas Bella e Sérgio finalmente conseguem ser felizes no povoado onde tudo começou, porque quando manda o coração, sempre, sempre manda o amor.


CURIOSIDADES

Foi a primeira novela mexicana que o SBT passou com a abertura com sua música original em espanhol, antes, as aberturas eram modificadas.

Fernando Colunga fez uma participação nos últimos capítulos da novela, no ano seguinte ele viria a protagonizar Maria do bairro junto a Thalía.

Marimar foi reprisada pelo SBT na época da Copa de 1998 às 11 da manha, porém acabou a copa e a transmissão foi interrompida sem maiores explicações.

Grande parte da novela foi gravada numa fazenda pertencente à Thalía.

Thalía perdeu Alfredo Díaz Ordaz, seu amigo e ex-noivo que morre no meio das gravações da novela, provocando uma crise emocional na protagonista.

Em 1994, a Fonovisa lança a trilha sonora de Marimar trazendo a música de abertura cantada pela protagonista Thalía e os temas instrumentais da novela. O CD foi lançado em vários países da América Latina, em alguns deles com faixa bônus das músicas Sangre e Love remix, sucessos de Thalía na época.

Em 2007, o canal GMA Network exibiu a versão filipina de Marimar, protagonizada por Marian Rivera, Dingdong Dantes e Katrina Halili.


COMENTÁRIOS

Marimar foi um verdadeiro sucesso, sendo a novela favorita entre muitos fãs de Thalía.

A trama vinha dando seguimento a trilogia das Marias, desta vez a cargo de Verónica Pimstein. Esta novela, no México, teve o desempenho mais fraco das “Marias” e tampouco foi a novela de maior audiência em 1994, porém, nos EUA, é a novela mais assistida até hoje. Nas Filipinas, Marimar parou uma guerra, só para ter uma ideia da dimensão do sucesso alcançado.

Verónica Pimstein é filha do grande produtor Valentín Pimstein, que na época era o grande chefe das novelas. Em razão da promoção dada a Marimar, a estreia da novela Prisioneira do amor foi adiada várias vezes, afinal Valentín queria que sua filha tivesse o maior destaque na programação. O que eles não contavam é que no momento, a novela Volver a empezar, que nem tinha o horário estelar, era a líder de audiência da emissora.

Desta vez, a história tinha como cenário uma praia no litoral mexicano. Lá, Thalía surgia novamente, para encantar de vez o público como Marimar, a jovem caiçara enganada e disposta a se vingar daqueles que lhe fizeram sofrer.

Ainda que a princípio, a personagem parecia ser uma reedição de Maria Mercedes, Marimar sofreu uma profunda transformação após tantas humilhações. Em um curto espaço de tempo, ela foi para a cidade, encontrou-se com seu verdadeiro pai, e descobriu seu verdadeiro nome: Bella Aldama. Só que cega de ódio, virou uma pessoa fria e sem compaixão, transformando-se quase em uma vilã. Foi uma faceta marcante para Thalía, que diferenciava-se dessa vez.

Marimar foi dentre a trilogia, a novela com elenco mais fraco, com poucos destaques no elenco. Ainda assim cabe mencionar alguns dos destaques. Chantal Andere surgia má e perversa como Angélica Santibañez, a madrasta de Sérgio e apaixonada por ele. Infelizmente, depois de algum tempo, suas maldades enfraqueceram, em compensação, veio a virada, de vilã, Angélica passou a vítima. Uma cena mais que antológica: Angélica pega promissórias na lama com a boca, obrigada por Bella Aldama, na frente de todos. Humilhação semelhante a que fez Marimar passar no passado. Essa cena marcou profundamente a novela.

Outra cena que marcou muito foi a humilhação passada por Marimar nos primeiros capítulos. Iludida por Angélica que iria arrasar usando um extravagante vestido, Marimar é motivo de deboche para todos os convidados em uma festa na fazenda Santibañez. E ao ver uma das convidadas seduzindo Sérgio, Marimar dá uma surra memorável na aproveitadora.

E não é possível esquecer o cachorro Pulguento, que pensava e dava opiniões sobre tudo na vida de Marimar. Ele foi o inspirador de vários animais “pensantes” que teriam em novelas. A participação do cão que pensava como humano foi o grande chamariz para as duras críticas que a novela recebeu. Embora o grande público tenha gostado de Pulguento, a imprensa ridicularizou a novela por isso. Carlos Olmos, autor de Ambição, inclusive chegou a dizer que em suas novelas jamais colocaria um animal que pensasse. Houve um tempo que Pulguento era mais comentado que a própria Marimar, tamanha repercussão que um assunto tão inocente tomou. Mas ele superou as críticas, tanto que mais tarde várias novelas usaram o mesmo artifício.

Mas, Marimar teve alguns tropeços que apesar de não comprometer o andamento da história, não passaram desapercebidos. A começar pela total centralização da história em Marimar, principalmente nos primeiros capítulos. Não havia outro assunto. Com o tempo, foi modificando isso e consertando essas falhas e diversificando mais a história, ainda que não o tanto que deveria. Outra falha foi aquela velha história de alguém aparecer na frente dos personagens e ninguém reconhecer. Foi o caso de Sérgio, que não percebeu de cara que Bela era Marimar. Tudo bem que Marimar havia sofrido uma séria mudança tanto em sua aparência como em seu comportamento, mas aí ao ponto dele não reconhecê-la foi demais.

Eduardo Capetillo declarou-se abertamente arrependido de haver trabalhado em Marimar. Para ele, o personagem Sérgio não acrescentou em nada à sua carreira e só deu motivos para que o público não gostasse dele. O que ele esqueceu de dizer é que sua atuação também não ajudou muito. Enquanto isso, Thalía até hoje diz que seu personagem favorito nas novelas foi Marimar.

Na época, surgiram dois boatos de romances entre dois estúdios de novelas na Televisa, enquanto Eduardo Capetillo curtia seu romance com Bibi Gaytán, Thalía supostamente seria mais que amiga de Rodrigo Vidal, ambos da novala Dos mujeres, un camino.

Outro episódio triste é o da morte de Ada Carrasco, que morreu dez dias depois de encerrar sua participação em Marimar, onde fez a avó da menina.

Beatriz Sheridan, que era a diretora de cenas da novela, mais tarde criticou o comportamento de Eduardo Capetillo e Thalía dizendo que sofriam de estrelismo e que não davam valor ao trabalho dos outros profissionais.

Graças a Marimar, Thalía deu sua primeira entrevista (dublada) ao Domingo Legal. A história de Marimar foi um sucesso sem sombra de dúvidas, e talvez a mais delirante da trilogia, que usou e abusou das ironias do destino e dos desencontros e vinganças, sem contar o cachorro que pensava. Talvez estejam nesses elementos o motivo de tanto sucesso.
Blog Widget by LinkWithin

3 comentários:

Anônimo disse...

Essa novela já está por mim, no ranking das melhores telenovelas de todos os tempos!

Luan Ramos disse...

bem que o Eduardo Capetillo podia ter recusado mesmo o papel nao achei que ele e Thalia formam um belo casal em novelas queria que quem fosse o Sérgio fosse o Eduardo Santamarina ou René Strickler acho que seria bem melhor

Maria Luisa Marques disse...

BRENDA E BERNARDO SÃO MEUS FAVORITOS OS ÚNICOS QUE EU AMOOOO!!!♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥