sábado, 27 de março de 2010

Maria do bairro


NOME ORIGINAL
María la del barrio

ESCRITORA
Inés Rodena

PRODUTORA
Angelli Nesma Medina

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
90

ANO DE GRAVAÇÃO
1995

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
María la del barrio

INTÉRPRETE
Thalía

Y a mucha honra, María la del barrio soy.
La que de escuincla quedó resola
y pa' cambiar su suerte
de su barrio querido se fue pa' poder comer.

Y a mucha honra, María la del barrio soy.
La que chamaca locamente se enamoró,
y por curar dolencias se desquició cuando la dejó.

María, María la del barrio,
no, no llores más.
María, María la del barrio,
por tu amor él regresará.

María, María la del barrio,
no, no llores más.
María, María la del barrio,
por tu amor él regresará.

Y a mucha honra, María la del barrio soy.
La que señito a su hijo abandonó,
y pa' cubrir este pecado
en su secreto lo convirtió.
Señor, perdóname Señor.

María, María la del barrio,
no, no llores más.
María, María la del barrio,
por tu amor él regresará.

María, María la del barrio,
no te culpes más.
María, María la del barrio,
Dios te perdonará…

Soy María, María la del barrio.
Que de mi corazón se adueñó,
todita mi ilusión él se llevó.

Soy María, María la del barrio.
Que regrese a mí le pido a Dios,
porque yo me pierdo sin su amor.

Soy María, María la del barrio.
Sangre de mi sangre abandoné,
doy mi vida por volverlo a ver.

Soy María, María la del barrio.
Ay, ayúdame Señor
a enmendar este cruel error.

María, María la del barrio…
Soy María, María la del barrio…

María, María la del barrio,
no, no llores más.
María, María la del barrio,
por tu amor él regresará.

María, María la del barrio,
no te culpes más.
María, María la del barrio,
Dios te perdonará.

María la del barrio soy.
Por amor fue que todo pasó.

María la del barrio soy.
Cuanto sufre mi herido corazón.

María la del barrio soy.
Quiera Dios mi pecado perdonar.

María la del barrio soy.
Para que vuelva la felicidad.


ELENCO

Thalía: Maria do Bairro

Fernando Colunga: Luís Fernando de la Vega

Itatí Cantoral: Soraya Montenegro de la Vega Montalbán

Irán Eory: Victória de la Vega

Ricardo Blume: Fernando de la Vega

Héctor Soberón: Vladimir de la Vega

Monserrat Gallosa: Vanessa de la Vega

Ludwika Paleta: Maria dos Anjos de la Vega Hernández "Tita"

Osvaldo Benavides: Fernando de la Vega Hernández "Nandinho"

Carmen Salinas: Agripina

René Muñoz: Veracruz

Mauricio Aspe: Aldo Armenteros

Yuliana Peniche: Alicia Montalbán Smith

Rebeca Manríquez: Carlota 

Ninón Sevilla: Caridade 

Tito Guizar: Padre Honório

Silvia Caos: Calixta Popoca

Meche Barba: Lupe

Aurora Molina: Cacilda 

Beatriz Moreno: Filipa

Gloria Izaguirre: Marcela

Ana Patricia Rojo: Penélope Linhares 

Sebastián Ligarde: Gonçalo Dorantes

Enrique Lizalde: Abelardo

Ariel López Padilla: Dr. Daniel Ordónez

Manuel Saval: Oscar Montalbán

Raúl 'Chóforo' Padilla: Urbano

Pituka de Foronda: Carol

Emília Carranza: Raymunda Robles de Castillo

Roberto Blandón: José Maria Cano

Alejandra Procuna: Brenda

Yadira Santana: Rufina

Amara Villafuerte: Délia

António Medellín: Dr. Carreras

Lilia Michel: Matilde

Juan António Edwards: Dr. Rodrigo Suárez

Jéssica Jurado: Verônica Barena Robles de Castillo

Frances Ondiviela: Cecília

Libia Abihaid: Perlita Ordónez

Eduardo Arroyuelo: Más notas


INTRODUÇÃO

Maria do Bairro, gravada em 1995, foi baseada na história escrita por Inés Rodena, sendo exibida em mais de 180 países. Foi reprisada no Brasil, pelo SBT, nos anos de 1997, 1998, 2004 e 2007, 2012 e 2013, deixando o SBT em primeiro lugar diversas vezes. A trama contou com Thalía e Fernando Colunga como protagonistas e Itatí Cantoral, como a principal antagonista da história.


RESUMO

Maria é uma jovem humilde, que vive com a madrinha Cacilda em um bairro pobre da cidade, chamado João Diego, e trabalha como catadora de lixo para ajudar com as despesas em casa.

No dia em que Maria faz 15 anos, Cacilda acaba falecendo. Antes de morrer, Cacilda pede ao generoso Padre Honório que Maria não fique só. A pedido do religioso, Maria é acolhida na mansão do milionário Fernando de la Vega.

Chegando à mansão de la Vega, Maria se depara com luxos que nunca tinha visto, também encontra Dona Victória, que prontamente a despreza pensando ser uma filha bastarda de seu esposo Fernando, na casa também mora o jovem estudante Vladimir e Vanessa, filhos do casal que tratam muito bem Maria. Chega de viagem o filho mais velho do Casal, Luiz Fernando que depois de uma decepção amorosa tornou-se uma pessoa intragável, ao conhecer Maria, ele só pensa em se aproveitar dela, iludindo a moça.

Luís Fernando tem ao seu lado a louca e apaixonada Soraya Montenegro, uma mulher bonita, porém perversa e que odeia Maria assim que a conhece. Obcecada por Luís Fernando, Soraya fará de tudo para levá-lo ao altar, visando ser a dona da fortuna dos de la Vega. Ela é sobrinha de Victória, e conta com a ajuda dela para acabar com Maria do Bairro.

Maria, sempre humilde, acaba conquistando a todos na mansão, com exceção de Soraya, que a odeia cada vez mais. Luís Fernando e Maria estão completamente apaixonados, o que é estranho para Luís, que só se aproximava das mulheres com intenções maldosas.

Soraya, através de armações, leva Luís Fernando para cama se engravida e o obriga a se casar com ela. Luís Fernando a despreza quando casados.

Enquanto isso, Maria se esforça para deixar de ser ignorante e selvagem, toma aulas de etiqueta e vai trabalhar com o seu " padrinho" o senhor Fernando a quem ela chama de Tio Louro. Ao receber aulas de etiqueta, e de alfabetização, consegue se aproximar de Victória.

Soraya, numa briga com um amante, acaba sofrendo um acidente e cai de um prédio perdendo o filho que esperava. Soraya forja sua morte, e é internada num hospital para ver se consegue voltar a andar, deixando por um longo tempo o caminho livre para que Luís Fernando e Maria se casem.

Depois de anos dada como morta, Soraya volta a vida dos de la Vega e começa a atormentá-los novamente.

Após o casamento, o ciúme e o alcoolismo de Luís se tornam insuportáveis, e ele passa a desconfiar que Maria e seu irmão Vladimir são amantes, e que o filho que Maria espera é de seu irmão a acusando de traição. Isso faz com que Luís Fernando e Maria se separem.

Momentos antes de parir a criança, Maria recebe uma carta de Luís Fernando, na qual ele pede o divórcio. Ela sai de casa desesperada, e passa por momentos de loucura. A jovem dá à luz seu filho num hospital, sendo que ela nem sabe mais qual é seu próprio nome e foge desse hospital, pois queriam interná-la. Desorientada, vaga pelas ruas com o bebê no colo. Sem querer, ela acaba entregando o recém-nascido a Agripina, uma doceira que a encontra enlouquecida pelas ruas. Ela dá a criança e diz que o filho se chama Fernando e que ama o filho, mais ele não tem pai e é melhor ele ficar longe da maldade da família de la Vega.

Quando Maria volta a si, já está sem seu filho, caída na rua, e lembra apenas que o entregou a uma mulher bondosa que conheceu.

Agripina começa a criar a criança como se fosse seu filho, apesar de ir várias vezes de volta ao local para ver se encontrava a mulher para devolver a criança. Luís Fernando se arrepende do que fez e nunca descobre que Maria deu a criança. Maria diz a ele que o filho deles morreu, ela faz isso pois se dissesse que deu a criança, ele pediria o divórcio e ela não teria dinheiro para achar seu filho.

Ele, pensando que o filho morreu, compensa o mal adotando uma recém nascida chamada Maria dos Anjos a qual chamam de Tita, filha de Verônica, uma mulher que é obrigada pela mãe a deixar a filha num orfanato, por ter sido mãe solteira.

Penélope é a nova contratada dos de la Vega. Ela cuidará de Tita, e se intrometerá no casamento de Maria e Luís Fernando.

Sete anos se passam, e Maria não tem mais nenhuma notícia sobre o filho que abandonou num momento de loucura, porém nunca perdeu as esperanças de um dia reencontrá-lo; ela se dedica apenas a isso, afastando-se de Luís Fernando e o aproximando cada vez mais de Penélope. Os dois têm um caso, que logo é descoberto e perdoado por Maria.

Enquanto isso nos Estados Unidos, Soraya, que todos julgam estar morta, sobreviveu ao acidente, está tramando sua vingança e fazendo seu tratamento de saúde com o médico Dr. Mejía.

Mais dez anos se passam. Nando é o filho perdido de Maria; ele vive com a suposta mãe Agripina, numa vila pobre da cidade.

Maria ainda está a procura do filho, e tem de guardar o segredo de que não é a verdadeira mãe de Tita. Maria acaba reencontrando Nando, e descobre por acaso que é seu filho. Assim, Maria começa a sustentá-lo e a ajudar Agripina na criação do filho, porém não conta nada a ele.

Tita acha que Nando é amante da mãe. É quando Tita descobre toda a verdade e descobre que sua mãe é sua professora de inglês Verônica. Tita fica muito emocionada e confusa, mas a perdoa. Logo depois, Nando também descobre que é filho de Maria.

Soraya está completamente recuperada, e planeja sua vingança. Ela se casa com o viúvo Oscar, pai de Alicia, uma menina de cadeira de rodas. Ela planeja e executa a morte do marido, e herda toda a fortuna, porém pelo testamento é obrigada a trazer Alicia consigo.

Luís Fernando é o último a descobrir a verdade, e Nando, ao lado da mãe de criação Agripina vem morar na Mansão de la Vega. Soraya retorna, milionária, e disposta a se vingar de Maria do Bairro e dos de la Vega. Ela se instala com Alicia e sua preceptora Esperança numa mansão, e decide que os filhos de Maria, serão seu alvo na vingança contra os de la Vega. Porém, Maria do Bairro fará de tudo para impedir que Soraya faça algum mal a seus filhos.

A princípio, Soraya se mostra arrependida por tudo que fez, tentando convencer a família, ao mesmo tempo que conhece Nandinho, usando-o como um instrumento de vingança. Apesar de usá-lo com esse propósito, mais tarde aparenta gostar de verdade do mesmo, porém Nandinho descobre suas armações e acaba com tudo, disposto a livrar Alicia das garras da vilã.

Ao descobrir que Nandinho e Alicia estão juntos, Soraya os agride e revela sua verdadeira face perante a Justiça. Soraya é presa tentando fugir do país, e sofre nos primeiros dias na penitenciária.

No dia do julgamento, a vilã é inocentada provocando o desespero de todos. Com isso, ela jura concluir sua vingança. Soraya mata Mejía, sem deixar pistas de sua morte e algum tempo depois reencontra sua mãe, Calixta, antiga empregada da família. Enquanto isso, Maria teme o pior e com ajuda de Esperança consegue tirar Alicia das garras de Soraya.

Soraya tira fotos sensuais com Luís Fernando e manda para Maria, que fica chocada e decide romper com o marido. Calixta entra na casa de Soraya, sofre um acidente quando a megera a empurra de propósito, pois sempre odiou a mãe, e morre. Soraya, então, coloca em cena outro de seus planos diabólicos: colocar Maria do Bairro atrás das grades. Inicialmente Nandinho é acusado pelo crime, mas para salvar o filho da prisão, Maria assume por amor ao filho ter matado Calixta e é presa e condenada. Soraya aparece na cadeia e afirma ter vencido.

Ao ser transferida para uma penitenciária feminina onde ficam as presidiárias mais perigosas, Maria reencontra Penélope, e outro pesadelo começa: Penélope arma vários conflitos com as detentas para se vingar de Maria. Soraya recupera Alicia, e a atormenta com tarântulas, mas Esperança a ameaça dizendo denunciá-la à polícia por seus crimes e a morte de Oscar.

Penélope é desmascarada por carcereiras e é colocada na solitária jurando se vingar. Algum tempo depois, a cadeia pega fogo, e Maria, sempre bondosa e sem maldade no coração, salva Penélope do incêndio e consequentemente desaparece nas chamas. Com isso, todos são informados de que sua morte foi inevitável. Soraya comemora o grande triunfo. Porém, Maria aparece desmemoriada e mendigando nas ruas e é encontrada por um médico que a ajuda.

A polícia descobre que Soraya matou Mejía, seu amante, ao encontrar uma carta que ele escreveu que revelava todos seus crimes. Soraya foge da polícia e reencontra Maria que não a reconhece pela falta de memória. Soraya decide então matá-la, mas Maria consegue fugir, com medo de Soraya, mesmo sem a reconhecer. A família reencontra Maria para felicidade de todos. Porém, Soraya se disfarça de enfermeira e diz à Gonçalo, homem apaixonado por Maria, que irá matá-la.

Após uma discussão, Soraya sequestra Maria e a empurra. Maria bate a cabeça e desmaia. Ao acordar, Maria se lembra de tudo e Soraya confessa seus crimes chorando, completamente enlouquecida. Ela joga álcool ao redor de uma casa, mas o álcool também cai nela. A empregada de Soraya revela onde a patroa está, e Luís Fernando invade a cabana. Soraya joga um palito de fósforo no chão e propaga o fogo. Luís Fernando salva Maria, que com sua infinita bondade e misericórdia, tenta salvar Soraya, que fica presa entre as chamas. Soraya jura vingança e morre carbonizada.

Meses depois, após melhorar o impacto de todos os acontecimentos em suas vidas, Luís Fernando e Maria comemoram felizes a vida nova com seus filhos. Maria revela estar novamente grávida, Luís Fernando e Maria juram amor eterno e se beijam.


CURIOSIDADES

Alguns atores que participaram de Maria do Bairro já morreram: Irán Eory (Dona Victória), Aurora Molina (Madrinha Cacilda), Silvia Caos (Calixta), Tito Guizar (Padre Honório), René Muñoz (Padrinho Veracruz), Meche Barba (Lupe), Paulina Viesca (Esperança).

A novela na versão americana teve uma voz conhecida no elenco. A dublagem de Soraya Montenegro (Itatí Cantoral), ficou por conta da atriz Neve Campbell.

Foi a novela da trilogia das "Marias" que teve mais sucesso, seguida por Maria Mercedes e Marimar.

As novelas da Thalía são as mais reprisadas em todo o mundo, Maria do Bairro em especial.

Soraya Montenegro, interpretado por Itatí Cantoral, foi considerada, por muitos, a maior vilã das telenovelas mexicanas. Foi tão cruel que foi capaz de matar sua própria mãe.

Na vida real, Thalía é a madrinha do filho de Itatí Cantoral, a Soraya Montenegro, da trama.

Em termos de audiência, sua primeira exibição (20h15) cravou entre 17 e 20 pontos de média. O último capítulo registrou 22 com picos de 25. A primeira reprise exibida menos de um ano depois (21h00) não chegou a 10 pontos. A reexibição seguinte, depois de 6 anos, às 15h00, aumentou ainda mais os índices da antecessora Marimar, chegando a picos de 21 pontos no último capítulo. Conseguiu média geral de 14 pontos. A última reprise, em 2007, que sucedeu A usurpadora, não começou muito bem ficando entre 5 e 6 pontos. Mais reagiu, cravando de 7 a 9 pontos.


COMENTÁRIOS

Dando continuidade à Trilogia das Marias, Angelli Nesma Medina optou por um projeto ambicioso: um remake do clássico Os ricos também choram, porém supervisionada por Valentín Pimstein. Se já haviam comparações entre Thalía e Verónica Castro, depois dessa novela, elas ficaram mais evidentes. Mas o que seria um remake, acabou virando outro clássico: Maria do Bairro foi uma verdadeira febre.

Thalía estava à frente de uma história eletrizante que não perdeu o pique em um momento sequer, e que tomou rumos inesperados conforme foram passando os capítulos. Junto a ela, Fernando Colunga, surgia como playboy inconsequente. Formou com Thalía um dos pares mais famosos, principalmente por ter transportado o romance para fora das telas. Inclusive, disseram que os dois se recusaram a trabalhar juntos depois (no caso, A usurpadora, e em seguida, Rosalinda).

Dizem que tal romance teria causado ciúme em Héctor Soberón, que vivia Vladimir, que saiu da novela subitamente. Na novela, explicaram que ele se casou e ficou morando na Europa. Depois de um tempo, Vlad nunca mais foi citado. O mesmo aconteceu com Vanessa, que foi morar na filial da empresa de Fernando no Brasil, sem maiores explicações e citações.

Foram muitos os destaques de Maria do Bairro. A começar por Thalía, mas na primeira fase, quando era uma menina encantadora e ignorante.

A surra que deu em Soraya no teatro após chorar na ópera, foi um momento muito marcante. O momento em que deu seu filho a Agripina foi um dos mais importantes e emocionantes da novela, e Thalía soube transmitir tamanho sofrimento. Pena que passaram os anos, e Thalía destoava do papel de mulher madura, talvez principalmente pela personagem ter perdido a graça que tinha quando Maria era uma moleca.

Ludwika Paleta como a mimada Maria dos Anjos, carinhosamente chamada de Tita, foi outro destaque. Voltava à televisão em grande estilo, e logo retomou uma carreira exitosa, deixada de lado desde Vovô e eu. Ludwika conquistou o público com Tita, compondo uma personagem às vezes terna, às vezes maldosa.

Junto a ela, Oswaldo Benavides, ainda que muitas vezes criticado como Nandinho, o compôs de maneira convincente, talvez não tenha acertado na fragilidade do personagem no início, um tanto exagerada, com o tempo, Nandinho foi tendo mais atitude, e Oswaldo também foi crescendo.

Ricardo Blume e Irán Eory também atuaram muito bem, ele como o “Tio Louro”, o verdadeiro “pigmaleão” de Maria. E ela como a refinada Victória de la Vega, que só com o tempo aceitou Maria. Também Meche Barba como Lupe mostrou seu bom desempenho. E no lado cômico, Rebeca Manríquez arrasou como a hilariante Carlota, a fofoqueira empregada, sempre preocupada mais com as notícias que corriam pela mansão do que com seu serviço. Carmen Salinas como a sofrida Agripina conquistou o público, sua imagem popular também agradou junto a René Muñoz, como Veracruz.

Ana Patricia Rojo destilou muito veneno como Penélope, a chantagista que passou a atormentar a vida de Maria, por saber muitos segredos dos de la Vega.

Mas não teve pra ninguém: Maria do Bairro foi de Itatí Cantoral. Na pele da diabólica Soraya, ela simplesmente arrasou. Fez muitas atrocidades, morreu, ressucitou, e continuou sua carreira de maldades. Foi a primeira vez que outra atriz viria a ofuscar Thalía, e com Itatí Cantoral foi assim, com o tempo, a novela girava em torno de Soraya e de suas maldades, que só tiveram fim no último capítulo, quando ela morreu queimada em um incêndio que provocou para matar Maria. Itati alcançou um sucesso jamais atingido até então, e a partir daí, virou estrela de primeira grandeza da Televisa.

A história fez tanto sucesso que Angelli Nesma não se limitou a um remake de Os ricos também choram e acrescentou uma nova história. Assim, a novela passaria por várias reviravoltas que repercutiram em cada vez mais êxito. Foi a partir daí que vieram várias participações especiais como Antonio Medellín, Enrique Lizalde, Sebastián Ligarde, Ariel Lopez Padilla entre outros.

No Brasil, Maria do Bairro rendeu ao SBT índices há muito tempo não conquistados por novelas. A novela foi um verdadeiro fenômeno, o que rendeu a primeira visita de Thalía ao Brasil. Thalía encantou por onde passou, com sua música e seu talento, e foi a partir de Maria do Bairro, que Thalía passaria a vir ao Brasil diversas vezes.

Maria do Bairro foi uma das novelas mais exportadas de todos os tempos, tendo tanta repercussão e sucesso quanto a Os ricos também choram. É por isso que foi um sucesso avassalador, como poucos, ou seja, um verdadeiro clássico dos anos 90.

A trilha sonora de Maria do Bairro teve como tema de abertura a música Maria la del barrio, cantada pela protagonista Thalía. Os instrumentais da novela dirigidos por Paco Navarrete foram usados em outras novelas posteriores como Preciosa.

Em 1995 a Fonovisa (gravadora da Televisa) lança um single com o tema de abertura, logo em seguida Thalía lança o seu álbum " En extasis" pela gravadora EMI e inclui o tema que até hoje é um dos mais lembrados de sua carreira musical.

Blog Widget by LinkWithin

13 comentários:

Anônimo disse...

nossa muito boa mesmo essa novela eu adorei assisti por duas vezes no sbt agora estou vendo alguns capitolos no youtube,se encontrasse em dvd compraria com certeza, para ter esse tesouro eternizado aqui em casa beijus sil.....

Anônimo disse...

Essa novela e uma das 5 novelas que eu amei desde que comecou camaleoes sbt eu assisto essas novelas são minha paixão

Anônimo disse...

Maria do bairro é uma novela de epocas e epocas e pode se ver q ainda faz mt sucesso. Tanto thalia, quanto fernando colunga e ate msmo a perigosa soraia sao exelentes atores e atrizes. Transmitiram uma realidade ao publico, um dos motivos de tanto sucesso. Eu adooooro maria do bairro. Beeeeijoos

Anônimo disse...

Eu amo essa novela, mas acho ela melhor no começo quando Maria ainda era inocente e muito engraçada (o mesmo acho de Marimar), e com certeza essa novela foi de Itati como uma das maiores vilãs de todos os tempos: Soraya.

claudinha-natal rocas disse...

Amo essa novela de paixao... Sou maria sou maria la deu bairro! Adoro vc thalia.

Anônimo disse...

Concordo q deveriam fazer o DVD, com certeza teria recorde de vendas......

Adailton Júnior disse...

Essa novela é melhor que 'A Usurpadora'.

Adailton Júnior disse...

Realmente, foi um folhetim excepcional, com uma vilã de tirar o fôlego: Soraya Montenegro, a maior de todas as novelas da história.

Realmente, Itatí Cantoral brilhou, encantou e deu um show de interpretação! Atuação nota 10.

Anônimo disse...

Um clássico de novela, e a melhor atuação: Soraya, a vilã mais maquiavélica de todos os tempos, na época em que passava à noite, em 1997, eu tinha medo de dormir pensando que ela fosse entrar no meu quarto e me matar, até o fundo instrumental, terror puro, me arrepiava, eu chegava a ter mais medo dela do que daquele Chuck boneco assassino

Anônimo disse...

Realmente essa novela foi mto boa conquistou tds amo essa novela

Anônimo disse...

Realmente essa novela foi mto boa conquistou tds amo essa novela

Erivelto Candido disse...

Só para correção do oitavo parágrafo do resumo, Soraya Montenegro nunca esteve grávida. Ela mentiu para todos para que pudesse se casar com Luis Fernando. E quando sofreu o acidente caindo de um prédio, ela havia mentido que havia perdido o bebê, sendo que aquela vadia nunca esteve grávida e sim deu o golpe da barriga para Luis Fernando e toda a família De La Vega.

Anônimo disse...

Eu curto novelas mexicanas desde a epoca da telenovela chispita 1983 interpretada por lucero me lembro que chispita foi reprisada 13 vezes no sbt a ultima reprise de chispita foi em 1992,so uma pergunta,porque muitas novelas nunca foram reprisadas no sbt como as novela venezuelana topazio,garotas bonitas,desprezo,vinganca,na propria carne,eu nao acredito homens,marielena,a fera,estranho poder,na boa eu nao tenho nada com isso so um ponto de vista mas o sbt ja reprisou mil vezes a usurpadora,maria do bairro,o privelegio de amar ,marimar,so lembrando as novelas que citei acima nunca foram reprisadas no sbt e creio pra mim que nunca vao ser reprisadas