terça-feira, 23 de março de 2010

Eu não acredito nos homens


NOME ORIGINAL
Yo no creo en los hombres

ESCRITORA
Marcia del Río (Baseada na obra de Caridad Bravo Adams)

PRODUTORA
Lucy Orozco

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
65

ANO DE GRAVAÇÃO
1991

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1993

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Eu não acredito nos homens

INTÉRPRETE
Ângela

Amores, desenganos, se foram tantos planos,
tentando ser feliz não consegui,
jogando a vida fora, eu trago na memória
um linho sonho que também perdi.

Hoje é desilusão, sem rumo pra seguir,
vem contra a direção, me sinto perdida.
Ah pobre coração me mostre a saída
pra ser feliz, recomeçar a vida…

Amores, desenganos, se foram tantos planos,
tentando ser feliz não consegui,
jogando a vida fora, eu trago na memória
um linho sonho que também perdi.

Hoje é desilusão, sem rumo pra seguir
vem contra a direção, me sinto perdida.
Ah pobre coração me mostre a saída
pra ser feliz, recomeçar a vida…


ELENCO

Gabriela Roel: Maria Dolores

Alfredo Adame: Gustavo

Rafael Rojas: Artur

Saby Kamalich: Leonor

Bruno Rey: Pedro

Oscar Morelli: Sales

Barbara Gil: Laura

Martha Navarro: Esperança

Ana Colchero: Marlene

Pilar Escalante: Silvia

Yolanda Andrade: Clara

Patrícia Bernal: Suzana

Luisa Huertas: Josefa

Imelda Miller: Imelda

Federica Sánchez: Helena

Ninon Sevilla: Amélia

José Suarez: Leonardo


INTRODUÇÃO

Baseada em No creo en los hombres, novela de 1969 e que foi uma das primeiras obras de Caridad Bravo Adams a ser adaptada para a televisão, Eu não acredito nos homens, foi um verdadeiro sucesso em 1988, mesmo sendo bastante diferente do convencional e exibida no horário da tarde no México.

“Eu não acredito nos homens”. Com essa frase, Maria Dolores passa a viver depois de ter sofrido muitas tragédias e desenganos.


RESUMO

Maria Dolores trabalha como enfermeira, e vê sua vida, simples e comum, mudar quando conhece Artur, um playboy que a ilude, a engana, e só quer brincar com seus sentimentos, ela logo se apaixona e enfrenta a ira da família dele. Artur é filho de Leonor, uma mulher arrogante, calculista e manipuladora, que quer destruir Maria Dolores para separá-la de seu filho, e fazer com que ele se case com Silvia, uma moça rica da sociedade.

Leonor manipula a vida do filho, e finalmente consegue que ele largue Maria Dolores e se case com Silvia. A revelação cai como um golpe, que a heroína não consegue superar.

Artur viaja em lua-de-mel e Maria Dolores conhece Gustavo, um advogado que pouco a pouco, se aproxima dela e vai se apaixonando. Mas a calmaria na vida da moça dura pouco, pois Artur volta e está disposto a reencontrar Maria Dolores.

Quando descobre que Maria Dolores está envolvida com Gustavo, Artur se enche de ciúme, e decide vingar-se, querendo a antiga namorada novamente para si. Ele a pressiona e a persegue.

Em uma tentativa de estupro, Maria Dolores, em legítima defesa, acaba por matar Artur sem querer. A família dele resolve destruí-la. Leonor e Marlene, irmã de Artur, farão de tudo para que Maria Dolores termine seus dias atrás das grades.

Maria Dolores é presa e começa novamente seu calvário, mas conta com a ajuda de Gustavo, que fará de tudo para colocá-la em liberdade, mesmo sofrendo com o assédio de Marlene Silvia, que se faz de amiga, mas na verdade, está disposta a conquistá-lo.

Completamente destruída, Maria Dolores viverá um inferno, tentando ficar livre, e ainda por cima, tentar acreditar nos homens através do amor limpo e sincero de Gustavo.


COMENTÁRIOS

O grande mote da história é a injustiça que Maria Dolores sofre na história, que para se defender de um estupro, acaba matando um homem e indo parar atrás das grades. Gabriela Roel teve nessa novela o grande sucesso de sua carreira. Atuou muito bem, e fez uma Maria Dolores bastante sofrida e convincente.

O elenco dessa novela não contou com grandes nomes, os que mais destacam são Saby Kamalich como a vilã Leonor, uma mulher aristocrata e que fica muito amargurada após a morte de seu filho, Ana Colchero vivendo a inconsequente Marlene, jovem que estava comprometida com Gustavo Miranda, advogado vivido por Alfredo Adame, e que estava em um grande momento nessa novela. Também destacou-se Rafael Rojas, como Artur Ibáñez, o jovem arrogante e inescrupuloso que tenta ficar a força com Maria Dolores, e acaba morrendo.

Há também um filme muito antigo, que foi baseado nessa mesma história. No filme, os dez minutos finais são dedicados a mostrar Maria Dolores na prisão, porém ela morre inesperadamente no final. Claro, isso não ocorreu na novela.

A história é dividida em várias etapas. A primeira mostra Maria Dolores namorando Artur, depois Artur a violenta e a abandona, ela fica grávida e conhece o advogado Gustavo. Maria Dolores perde o bebê, Artur retorna e tenta novamente abusar dela, é então que em legítima defesa, ela o mata. A reta final mostra Maria Dolores pagando na prisão, e sofrendo com as conspirações de todos aqueles que não conheciam a verdadeira face de Artur, e também a luta de Gustavo para inocentá-la.

Lucy Orozco, produtora de Eu não acredito nos homens, é uma produtora acostumada com histórias diferentes, como foi essa. Esse trabalho foi seu grande reconhecimento, embora não tenha sido tão premiada. O público no México estava pendente a cada capítulo, pois ainda que aqui no Brasil essa novela tenha passado despercebida, em seu país natal, foi uma sensação.

No Brasil, a exibição de Eu não acredito nos homens foi bastante conturbada, chegando a mudar de horário. Quando a novela Eu compro essa mulher terminou, Eu não acredito nos homens passou para o seu horário. Na faixa em que estava, entrou a novela Paixão e poder.

No México, recentemente foi produzida a novela Velo de novia, de Juan Osório. Diante da queda de audiência da novela, o produtor promoveu uma manobra radical, matou a maioria dos personagens, e deixou apenas alguns atores. Para essa nova fase, apostou em uma nova história. Estava então, sendo feito um remake de Eu não acredito nos homens. Andréa, a personagem de Susana González, “perdeu” todo o seu passado e começou do zero.

Apesar da situação totalmente estranha, já que a novela havia começado há alguns meses, Márcia del Río, que foi a adaptadora de Eu não acredito nos homens, foi a adaptadora dessa nova fase de Velo de novia, e conseguiu, apesar de tudo, deixar a história bem fiel. Uma das mudanças mais significativas foi a prisão de Raquela na reta final, onde ela encontrava Andréa, coisa que Marlene jamais foi presa, muito menos encontrou-se com Maria Dolores em um presídio.

Lamenta-se uma novela tão boa e diferente como Eu não acredito nos homens ser pouco lembrada no Brasil, pois constitui um projeto feito com muito cuidado, com atuações excelentes e uma história cheia de suspense e reviravoltas.

O tema original de Eu não acredito nos homens é instrumental. Como costume, na época, o SBT encomendou com o produtor João Plinta uma adaptação que combinasse com a história da novela, daí sai uma bela canção interpretada por Ângela.
Blog Widget by LinkWithin

5 comentários:

Anônimo disse...

A novela "Eu Não Acredito Em Homens" merece até uma reprise no horário da tarde.

Cassandra disse...

Alguem sabe quem fez a dublagem de Alfredo Adame, no personagem de Gustavo???

Anônimo disse...

Eu gostava muito dessa nevela e gostaria muita de ver de novo

Anônimo disse...

por favor REPRISEM essa novela, amei !!!!

Anônimo disse...

em 2014 a televisa fara um remake da novela seguindo a primeira versao e tera o mesmo nome yo no creo en los hombres[eu nao acredito nos homens]