...

quarta-feira, 24 de março de 2010

Amor em silêncio


NOME ORIGINAL
Amor en silencio

ESCRITOR
Eric Vonn e Liliana Abud

PRODUTORA
Carla Estrada

PAÍS DE ORIGEM
México

ANO DE GRAVAÇÃO
1988

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1993

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Amor en silencio

INTÉRPRETE
Dulce

Llega a mi vida y se abre una página nueva
en la noche incesante de la humanidad,
busco ya entre la oscuridad
esa luz que me de libertad.
Mi llanto se deja escuchar,
hoy es mi primer despertar.

Todo es tan grande y pequeño,
descubro que hay sueños, descubro miradas
que enfrían mi piel.
Veo del mundo lo bello y lo cruel,
hay palabras que rompen mi hiel.
Pero donde existe el dolor
siempre hay una semilla de amor.

Amor en silencio
es vivir un momento a tiempo.
Amor en silencio
es un beso amar o dar perdón sin explicar,
solo un alma desnuda esa dicha puede lograr.

Amor en silencio
es andar a favor del viento.
Amor en silencio
es de Dios la manera de enseñarnos la verdad,
es ganar en la vida el amor con voluntad.

Y aprendí a callar porque creo que es mejor,
pero hablan mis ojos en nombre del amor.
Hay palabras que muerden y hieren sin razón,
pues lo más grande y puro lo dice el corazón.


ELENCO

Erika Buenfil: Marcela Ocampo / Ana Cristina Silva

Omar Fierro: Ângelo Trejo

Arturo Peniche: Fernando Silva

Joaquín Cordero: Miguel Ocampo

Elvira Monsell: Paola Ocampo

Margarita Sanz: Mercedes Silva

José Elías Moreno: José Maria

Patricia Pereyra: Sandra Grant

Óscar Morelli: Juliano

Saby Kamalich: Andréa 

Alberto Estrella: Pedro

Carlos Espejel: Aníbal

Isabel Martínez: Martina 

Edgardo Gazcón: Tomás

Alberto Mayagoitia: Diego

Rafael Rojas: Sebastião

Cynthia Klitbo: Aurora

Laura León: Alessandra

Lucha Moreno: Consuelo

Claudia Guzmán: Gaby

Fernando Balzaretti: Jorge

Alejandra Maldonado: Mayra 

Mauricio Ferrari: Anthony Grant

Marina Marín: Olívia de Grant

Aurora Alonso: Gudelia

Patricia Martínez: Olga

Luis Rabago: Carlos

Ada Carasco: Ada

Olivia Bucio: Elena

Fabiola Elenca Tapia: Ana (Criança)

Bernardo Gazca: Ângelo (Criança)

Rodrigo Ramón: Ângelo (Adolescente)


INTRODUÇÃO

Carla Estrada se consagra definitivamente como produtora de sucesso, com uma das mais inesquecíveis e surpreendentes novelas de todos os tempos: Amor em silêncio.

No México, essa novela foi um estrondoso sucesso de audiência. Primeiro lugar absoluto do início ao fim. Começou no inusitado dia 29 de fevereiro de 1988.


RESUMO

O amor pode ser bonito, trágico ou cruel, ainda mais quando é vivido em silêncio. Essa é a história de Marcela, uma jovem rica que um dia se apaixona por Fernando Silva, um publicitário. Porém Miguel, o pai da jovem, proíbe esse amor. Além disso, Marcela enfrenta a inveja da irmã Paola, que julga ser desprezada pelos pais enquanto Marcela tem de tudo.

Mercedes, a irmã de Fernando, é uma mulher atormentada que nutre um amor doentio pelo irmão, e também é contra Marcela.

Os dois atravessam muitas intrigas, Fernando e Marcela fazem amor, e ele tem que fazer uma viagem. Marcela descobre que está grávida. Quando Miguel fica sabendo da verdade, expulsa a filha de casa. Ela sofre durante toda a gestação, porém, quando dá a luz, Miguel reconsidera e a acolhe em seu lar novamente. A filha de Marcela e Fernando é a doce Ana. Para ocultar a vergonha da família de ter uma mãe solteira, Ana é criada como filha de Miguel e Andréa, a mãe de Marcela.

Marina, prima de Andréa, morre de câncer, e dá seu filho Ângelo para que ele seja criado por ela. O menino é surdo-mudo, além disso, guarda o trauma de haver visto o suicídio de seu pai. Ângelo será o passatempo preferido de Paola, que adora atormentar o menino.

Fernando, que até então de nada sabia, volta do exterior depois de cinco anos de ausência, desta vez, disposto a se casar com Marcela, que por sua vez, revela toda a verdade a Ana.

No dia do casamento, porém, quando tudo parecia resolvido, Mercedes surge, enlouquecida, disposta a matar Marcela. Ela dispara contra a inimiga, mas Fernando se interpõem sobre o corpo da amada. Apesar disso, as balas atravessam o corpo de Fernando e matam também Marcela.

Uma reviravolta acontece. Miguel manda Ana para um internato por muitos anos na Europa. Ângelo sofre com o afastamento. Ao se reencontrarem, anos depois, se apaixonarão. Mas há um fantasma entre eles, o de Mercedes, que está internada em um manicômio disposta a se vingar. Além disso, Ana está comprometida com Diego.

E assim, Ana e Ângelo lutarão com todas as forças para viver esse amor, ainda que seja em silêncio.


COMENTÁRIOS

Erika Buenfil, no auge de sua beleza, se consagrou vivendo Marcela e Ana, em uma perfeita atuação de mãe e filha. E o contraste entre o romantismo de Marcela, uma garota dominada pelos pais, e a sofisticação de Ana, uma jovem moderna e livre.

Amor em silêncio ainda lançou Omar Fierro, que só havia feito pequenas participações em novelas. Ele só entrou na segunda etapa da novela. Mas seu nome tornou-se famoso da noite para o dia. Sua atuação como Ângelo comoveu o México, e foi uma das grandes revelações do ano.

Inesquecível também foi a interpretação de Margarita Sanz como a enlouquecida Mercedes, ela foi protagonista de uma das cenas mais marcantes da dramaturgia mexicana: o casamento de Marcela e Fernando, onde Mercedes aparece, tirando de uma bolsa de papel uma pistola e gritando na frente de todos “Marcela, vá para o inferno!” e disparando contra a inimiga.

Elvira Monsell também foi um destaque como a invejosa Paola. Mais tarde, a personagem se apaixona por um gigolô, que passa a abusar dela. Além disso, fica coxa. Essa foi a grande revelação de Elvira Monsell na televisão, que infelizmente, nunca mais teve um papel de tanto destaque.

Joaquín Cordero, como sempre, brilhou na pele do milionário e rígido Miguel. A primeira atriz Saby Kamalich se destacou como Andréa, a mãe de Marcela e Paola. Laura León fazia sua primeira aparição em novelas como Alessandra, uma cantora de cabaré, alegre e extrovertida, que na segunda fase já não aparecia, pois seu personagem foi viver no exterior.

A grande reviravolta de Amor em silêncio aconteceu da forma mais inesperada, e transformou profundamente a história. Afinal, ninguém sabia o que aconteceria dali em diante. A morte de Marcela e Fernando veio na metade da história, mas o público se surpreendeu ao constatar que quem de fato viveria um “amor em silêncio” eram Ana e Ângelo.

Vale comentar que a inspiração para o personagem Ângelo veio do próprio autor da novela, Eric Vonn, que também é surdo-mudo. E desde o início da novela, já se sabia que haveria um personagem surdo-mudo, mas não se imaginava ao certo como isso aconteceria.

Não foi em silêncio, porém, o amor entre Erika Buenfil e Omar Fierro, que se apaixonaram de verdade e viveram um dos romances mais comentados de 1988. O romance durou alguns meses apenas. Na época, estiveram a ponto de se casar, mas não aconteceu.

O tema musical foi com certeza um dos mais marcantes da história das novelas. Na primeira fase, era apenas um belíssimo tema instrumental, porém quando chega a segunda fase, a voz de Dulce passa a interpretar, dando a voz a "Amor en silencio".

A novela rendeu um segundo ano consecutivo de vitórias a Carla Estrada (que no ano anterior havia emplacado com Quinze anos). Desta vez, Amor em silêncio se consagrou como melhor escritor (Eric Vonn e Liliana Abud), melhor atriz jovem (Erika Buenfil), melhor primeiro ator (Joaquín Cordero), revelação feminina (Elvira Monsell), melhor vilã (Margarita Sanz) e melhor novela.

Anos mais tarde, Eric Vonn se desliga da Televisa, e parte para a TV Azteca com um projeto de um remake de Amor em silêncio. Liliana Abud cedeu os direitos para que ele pudesse concretizar o projeto, que levou o nome de Háblame de amor e foi um fracasso.

Nessa versão Danna García, Bruno Bichir, Alma Delfina, Patricia Pereyra, José Alonso e Mauricio Ochmman interpretaram os personagens que originalmente foram de Erika Buenfil, Arturo Peniche, Margarita Sanz, Elvira Monsell, Joaquín Cordero e Omar Fierro.

Algumas mudanças foram feitas. Desta vez, o galã não tinha nenhuma irmã louca, e sim uma madrasta. A origem do menino surdo-mudo também era outra, desta vez, ele de fato, pertencia a família. E a morte dos primeiros protagonistas era de forma diferente. Após o casamento, a madrasta manda que destruam o avião onde eles irão viajar em lua-de-mel.

Tantas mudanças, no entanto, fazem com que o público rejeite essa história, e ainda peça um outro remake. Inclusive recentemente, Juan Osório chegou a cogitar um remake de Amor em silêncio, que seria protagonizado por Ana Layevska. Mas ele acabou optando por Velo de novia.

Amor em silêncio chegou ao Brasil em 1993, e não teve muita repercussão. Para os fãs, no entanto, ainda é uma das histórias favoritas do público, pelo que representou na época, uma mistura de amor, ódio, intrigas e surpreendentes acontecimentos a cada capítulo que marcaram época, fazendo desta uma das novelas que até hoje é lembrada com carinho.
Blog Widget by LinkWithin

Nenhum comentário: