terça-feira, 16 de março de 2010

Ambição


NOME ORIGINAL
Cuna de lobos

ESCRITOR
Carlos Olmos

PRODUTOR
Carlos Téllez

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
165

ANO DE GRAVAÇÃO
1986

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1991

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Ambição

INTÉRPRETE
Arthur Resende

Tudo tem segredo, caminhos cheios de amor e ilusão,
vai sem medo, seguindo o que manda seu coração.

No brilho do sol, nas águas do mar,
tem um mistério que não dá pra explicar.
E a vida é assim, tem ódio e paixão,
muda o destino quando existe ambição.

Tudo tem segredo, caminhos cheios de amor e ilusão,
vai sem medo, seguindo o que manda seu coração.

No brilho do sol, nas águas do mar,
tem um mistério que não dá pra explicar.
E a vida é assim, tem ódio e paixão,
muda o destino quando existe ambição.


ELENCO

Diana Bracho: Leonora Navarro de Larios

Gonzalo Vega: José Carlos Larios

María Rubio: Catarina Creel de Larios

Raúl Meraz: Carlos Larios

Alejandro Camacho: Alexandre Larios

Rebecca Jones: Vilma de la Fuente de Larios

Rosa María Bianchi: Bertha Moscoso / Michelle Albán

Carmen Montejo: Esperança Mandujano Aguirre

Carlos Cámara: Gustavo Ribeiro

Lilia Aragón: Rosa Mendala

Ramón Menéndez: Dr. Frank Syndell

Edna Bolkan: Paulina

Josefina Echánove: Elza

Lourdes Canale: Carmen

Luis Rivera: Mauricio Bernardes

Magda Karina: Lúcia

Mercedes Pascual: Olga 

Cynthia Riveroll: Aurélia Conti

Carlos F. Pouliot: Edgar

Blanca Torres: Clotilde

Enrique Muñoz: Capitão Jordão

Julia Alfonzo: Cecilia de la Mancorra

José Ángel Espínoza: Braulio / Samuel Navarro

Roberto Vander: Gilson Fontes

Margarita Isabel: Elena Fontes

Jorge Fegan: Joalheiro

Miguel Gómez Checa: Dr. Telmo

Edna Bolkan: Paulina Pedrero

Humberto Elizondo: Inspetor Soares

Alfredo Wally Barrón: Inspetor Lima

Ramón Menéndez: Blásquez

Blanca Torres: Clotilde

Eduardo Alcántara: Melquíades

Edmundo Barahona: Trejo

José Luis Caro: Edgar de la Fuente

Ana Bertha Espín: Mayra

Enrique Hidalgo: Gamboa

Ricardo Ledezma: Chico

Gerardo Mayol: Gomes 

Oralia Olvera: Rocío

César Arias: Senhor Suárez

Maricruz Nájera: Viúva de Gustavo

Alfonso Obregón: Inspetor de Polícia

Jorge Santos: Inspetor de Polícia

Emilio Guerrero: Controlador Aéreo


INTRODUÇÃO

Considerada um clássico, essa telenovela teve seu nome alterado no Brasil: de Cuna de lobos (Berço de lobos, em português) passou a se chamar Ambição.

É uma das telenovelas mais exitosas da história da televisão mexicana, conseguindo transcender as fronteiras e se consagrar também como a novela mais exitosa em todos os países em que foi exibida.

Seu final é considerado um dos mais surpreendentes da história das novelas mexicanas. Além disso, sua grande marca foi a vilã Catarina Creel.


RESUMO

Leonora Navarro trabalha no México e vive na casa de sua madrinha, Esperança. Um dia, um carro se choca contra os cristais da oficina onde Leonora trabalha e ela ajuda o motorista, um rico empresário dono de um laboratório farmacêutico, chamado Carlos Larios, que acaba morrendo no acidente. O filho de Larios, Alexandre, agradece Leonora pela ajuda prestada. Ambos se simpatizam e voltam a se ver.

Alexandre está casado com Vilma e ambos vivem com a mãe dele, Catarina Creel, que usa um tapa-olho. Alexandre tem um meio-irmão, chamado José Carlos, que vive no exterior e volta para o funeral de seu pai. Catarina odeia seu enteado José Carlos.

Acontece a leitura do testamento de Carlos. Nele, se estabelece que seus filhos não receberão o dinheiro enquanto não lhe derem um neto. Catarina se alegra, porque Alexandre tem vantagens sobre José Carlos (já que este não é casado e não parece ter previsão para tal, enquanto Vilma pode engravidar de Alexandre a qualquer momento). Mas Vilma é estéril e só ela e Alexandre sabem. Alexandre tem um plano para conseguir um filho. Engravidará Leonora para depois ficar com seu filho. Leonora corresponde ao amor de Alexandre sem saber que ele é casado e se entrega; pouco tempo depois descobre que está grávida. Alexandre envolve Vilma em seu plano, que, ante o desejo e o desespero por ter um filho, forja uma gravidez. Para os olhos de todos, o filho de Leonora será de Vilma.

Tempos depois, Catarina descobre que a gravidez de sua nora era uma farsa e acaba sendo cúmplice de Alexandre e Vilma para conseguir o filho de Leonora. Enquanto José Carlos é constantemente humilhado por Catarina, que o culpa de ter tirado seu olho por acidente quando era pequeno. José Carlos, que gosta dela como sua própria mãe, se sente culpado por isso. A megera, sozinha em seu quarto, tira o tapa-olho e revela que nunca perdeu seu olho, mas só usa essa mentira para martirizar José Carlos.

Chega a hora de Leonora dar a Luz. Através de mentiras, Alexandre a leva até São Miguel Allende, em uma clínica de um doutor, onde é atendida por uma sinistra enfermeira chamada Rosália (que logo depois irá ser morta por Catarina, que lhe arma uma emboscada). Quando o menino nasce, é tirado de Leonora e entregue à Vilma.

Leonora, quando percebe a armadilha em que caiu, decide lutar como uma loba para recuperar seu filho e se vingar de Alexandre, Vilma e Catarina. Acidentalmente conhece José Carlos e será por meio dele que Leonora chegará até a família Larios. Os dois se apaixonam.

Catarina comete vários crimes para impedir que descubram seus segredos: que não perdeu o olho e que o filho de Alexandre, chamado de "pequeno Edgar", não é de Vilma.

A trama vai se desenrolando e os crimes de Catarina vão sendo descobertos. Seus crimes chegam no ápice quando, acreditando que José Carlos e Leonora, que se casaram, viajarão no seu jatinho particular, adultera o combustível do avião para que ele exploda no ar. Mas não são José Carlos e Leonora quem viajam no jatinho.

Alexandre pede ao irmão que ceda seus lugares no avião, porque Vilma, que está com um câncer incurável no útero, está morrendo e ele precisa levá-la a Houston. José Carlos aceita e são Alexandre e Vilma que viajam no jatinho quando ele explode em pleno voo.

Catarina, a ponto de ser presa pela polícia, se suicida ao saber que matou seu filho por engano. Leonora recupera seu filho, a quem troca de nome, que agora é Bráulio, como o pai dela. Agora ela é feliz e está grávida de José Carlos.

Passam-se os anos. O menino Bráulio e seu primo, o filho de Leonora e José Carlos, brincam no quarto onde Catarina se suicidou, há anos. Acidentalmente, eles encontram os tapa-olhos. Bráulio coloca um deles no olho, seu irmão pergunta: "Bráulio, vamos almoçar?" e ele responde: "Eu não sou Bráulio. Eu sou o Edgarzinho!".


CURIOSIDADES

A telenovela foi exibida no Brasil em uma época na qual o SBT costumava editar/refazer por completo as aberturas (e seus temas também) na exibição brasileira. Com Ambição não foi diferente. Se no México, o tema de abertura era instrumental, no Brasil a música de abertura foi criada especialmente para a novela. O tema de abertura era cantado por Arthur Rezende, que foi integrante do grupo Super Feliz, e também cantava a música tema da novela Carrossel.

Carlos Olmos, escritor da novela, se inspirou em uma personagem de Bette Davis, atriz de filmes norteamericanos, para iniciar a personagem de Catarina Creel. Depois escreveu o livro "Cuna de lobos" onde o protagonismo de Leonora Navarro é total, e o final é diferente do apresentado na telenovela.

Esta trama obteve impacto no México no dia de seu término e no dia seguinte após sua exibição: todo país ficou paralisado, as ruas onde o trânsito era normalmente grande, estavam vazias e no dia seguinte muitas pessoas aclamavam "Catarina Creel para presidente do México". O furor do final se intensificou na zona de Chihuahua, pois ai (nesse tempo) os donos de um jornal possuíam o sobrenome "Creel", tanto que no jornal posteriormente foi publicada a seguinte mensagem: "Sentimos muita pena pela morte de nossa Tia Catarina Creel".

A revista "People en español" a incluiu na lista das “10 melhores telenovelas do mundo e da história". A personagem de Catarina Creel tem sido nomeada "A mãe de todas as vilãs", e ainda hoje, mais de 20 anos depois de sua produção, Catarina é um ícone de maldade.

A partir dessa novela, muitas produtoras internacionais fizeram suas adaptações: como a espanhola La verdad de Laura, produzida em 2002 com a colaboração da Televisa, protagonizada por Mónica Estarreado e Mariano Alameda. Nessa versão a vilã, interpretada por Mirtha Ibarra, fingia estar paralítica ao invés de ser cega de um olho.


COMENTÁRIOS

Em 1986, o grande escritor Carlos Olmos, famoso por suas histórias nada convencionais para novelas, escreveu aquele que foi um marco na história das novelas mexicanas: Ambição (Cuna de lobos, no original). Junto ao já falecido produtor Carlos Tellez, fez de Ambição um grande sucesso. Hoje, a novela é considerada um clássico.

Unindo uma história cheia de intrigas, crimes e reviravoltas, Ambição foi uma novela repleta de destaques. No elenco, Diana Bracho e Gonzalo Vega viveram Leonora e José Carlos, um casal cujo destinado é manipulado por todos os vilões da história. Diana comoveu o México como Leonora, que aos poucos foi dando a volta por cima, voltando para se vingar de todo o engano que a fizeram viver.

Alejandro Camacho e Rebeca Jones brilharam como Alexandre e Vilma, dispostos a tudo pela herança do pai de Alexandre. Alejandro Camacho esteve soberbo como o manipulador Alexandre, um grande vilão, e Vilma, uma vilã que fazia maldades para saciar sua infelicidade de não poder ter filhos. Foram atuações de arrepiar.

Entre os coadjuvantes, muitos brilharam e marcaram. Rosa María Bianchi lançou-se definitivamente como a fiel secretária Bertha, Humberto Elizondo fez uma de suas melhores atuações como Inspetor Soares, e Lilia Aragón como a malvada Rosa Mendala, que mantinha Leonora drogada.

Mas sem sombra de dúvidas, o grande destaque do elenco veio com María Rubio, que imortalizou a personagem Catarina Creel de Larios, a grande vilã da história. Até hoje, suas vilanias não foram superadas, o que é uma honra para María Rubio, que por outro lado, teve que se afastar um pouco da televisão depois de Ambição. Tudo isso, porque Catarina marcou muito. Também pudera, María Rubio fez uma atuação impecável. Como esquecer do sinistro tapa-olho que Catarina usava, tudo isso para atormentar José Carlos, culpando-o por um acidente no qual ela teria perdido o olho. Catarina eliminou um a um seus inimigos, e acabou se suicidando ao saber que matou, por engano, o filho Alexandre.

Em uma situação inédita e até hoje jamais repetida, uma atriz ganhou sozinha dois prêmios TVyNovelas pelo mesmo personagem. María Rubio, tamanha a perfeição de sua atuação, ganhou o prêmio de melhor atriz experimentada (primeira atriz) e obviamente, vilã do ano. Catarina ainda é a maior vilã de todos os tempos, conhecida mundialmente como a “vilã do tapa-olho”, já que a novela foi muito vendida e dublada para muitos idiomas.

Uma curiosidade quanto a elenco, é que Diana Bracho não foi a primeira escolha para viver Leonora. Carlos Tellez sonhava com Angélica Aragón no papel, mas a atriz não pôde participar. Em 1990, Carlos finalmente trabalharia com Angélica Aragón em Na própria carne, em uma participação nos primeiros capítulos.

A novela gerou muito suspense ao longo dos capítulos, captando a atenção de todos. Ambição fez tanto sucesso que um dia após o final, o público exigiu a reprise do último capítulo. Isso não é nenhuma novidade no Brasil, mas no México não havia esse costume.

Ambição teve cenas memoráveis desde o seu primeiro capítulo, quando mostrava Catarina envenenando o marido, ou quando Bertha flagrava Catarina sem seu tapa-olho, e a perseguição de carro de Catarina em busca de Bertha, para matá-la ou ainda a fuga desesperada de Leonora do manicômio onde foi parar, ou quando Vilma descobria seu câncer, até a última cena já com os filhos de Leonora brincando, e a menção ao “pequeno Edgar”, sonho de Catarina. Momentos inesquecíveis de uma novela diferente de tudo o que havia sido feito antes.

Em 1994 Carlos Sotomayor produziu a novela Império de Cristal com a ideia original de Alexandre Camacho e Rebeca Jones que também atuaram na novela. Não se trata de um remake de Ambição, mas possui ideias muito parecidas, tanto é que vários atores de Ambição também participaram. Além dos dois, Maria Rubio também estava na novela.

Ambição foi um momento da televisão onde tudo chegou a perfeição. Diálogos inteligentes, atuações espetaculares e uma história magistral em uma novela que jamais será esquecida.

Mortes causadas por Catarina Creel

Somam um total de 11 mortes cometidas pela personagem conhecida como "A mãe de todas as vilãs". No início da história, Catarina mata aqueles que considera uma ameaça para seus planos, já no final se pode ver como seus planos mortais terminam por ir contra ela mesma, como no caso de seu filho e de sua nora. As mortes são:

1. Carlos Larios: Quando Catarina descobre que seu marido a viu sem o tapa-olho e sim com com o olho perfeito, decide envenená-lo. O efeito era tardio, já que quando Carlos ia em seu carro, foi perdendo a consciência pouco a pouco até que o veículo colide contra uma oficina, causando-lhe a morte.

2. Joalheiro: Estando em viagem por Nova Iorque, vê Catarina sem o típico tapa-olho, completamente bem, isso lhe motiva a informar a José Carlos sobre o que viu e combinam de se encontrar para para que pudesse lhe contar. Em um estacionamento, o Joalheiro é surpreendido por Catarina com seu disfarce de assassina, ela lhe dispara três vezes. O Joalheiro, antes de morrer, lhe revela que existe mais alguém que conhece seus crimes.

3. Gustavo Ribeiro: Sócio de Carlos Larios, descobre algumas irregularidades em Lar Creel, que apontam diretamente para Catarina. Bertha, que já conhece os crimes de Catarina, decide alertar Gustavo, que Catarina vai até seu departamento para matá-lo. Este se prepara e Catarina chega. Aparentemente tudo não passava de uma conversa tranquila, mas Gustavo tenta detê-la e Catarina prontamente o deixa cego, lhe injeta um poderoso medicamento venenoso, parte dos produtos de Lar Creel.

4. A avó de Bertha: Catarina, ao saber que Bertha a traiu, ordena Rosa que incendeie o asilo onde a avó de Bertha está internada. A pobre senhora padece entre os gases emitidos pelas grades de ventilação do quarto, impossibilitando que Bertha possa ajudá-la a escapar.

5. Doutor Syndell: Curiosamente, também morre no incêndio do asilo.

6. Rosa Mendala: Alegando querer ajudá-la a escapar da polícia, Catarina a disfarça com seu próprio traje de assassina e lhe dá instruções para escapar usando o trem. Minutos depois, chama José Carlos e lhe diz que Rosa é a causadora do incêndio do asilo e lhe informa sobre seu paradeiro. A polícia chega à plataforma e dispara contra Rosa. A enfermeira cai morta por um disparo nas costas. Vale ressaltar que apesar de não ser uma assassina direta, Catarina possivelmente já pensava que iriam matá-la.

7. Lúcia: Bertha, que agora passa a se chamar Michelle Albán, conta com a ajuda de sua assistente chamada Lúcia, que consegue entrar na casa de Catarina e pegar evidências da máquina de escrever. Uma noite em que está em seu apartamento escutando animada "Papa don´t preach", é surpreendida por Catarina, que a estrangula com os cabos de seu próprio fone.

8. Inspetor Soares: Com as evidências acima, o Inspetor Suárez visita Catarina na mansão Larios, para interrogá-la pelos crimes já mencionados. Catarina, astutamente, finge uma lesão e Suárez cai na armadilha. Catarina o lança na piscina e em seguida lança também um podador elétrico, lhe matando eletrocutado.

9. e 10: Vilma e Alexandre Larios: Preparando seu golpe mais letal contra José Carlos e Leonora, Catarina sabota o avião dos Larios colocando açúcar no combustível. Mas não sabia que Alexandre havia pedido a José Carlos o avião emprestado devido às complicações de Vilma, ou seja, seu filho e sua nora que estavam a bordo no avião morreram na explosão.

11. Ela mesma: Os dois assassinatos anteriores seriam o fato que levaria Catarina a seu inevitável suicídio, o qual, também é tido como seu último assassinato. Mesmo assim, vale dizer que Catarina também planejou, mas não conseguiu a matar Bertha, Leonora Navarro, José Carlos Larios, entre outros, também pensava que o assassinato não era a única forma de se desfazer dos obstáculos.
Blog Widget by LinkWithin

8 comentários:

Dr. When disse...

Esta foi a única novela de todos os tempos que eu parava tudo que estava fazendo para assistir.

Demais! Nunca mais aparecerá nada igual!

Andy disse...

Infelizmente, pelo fato da trama ter sido muito forte, não me deixava ver. Na época, só tinha 7 anos e assistia somente CARROSSEL, QUINZE ANOS, ROSA SELVAGEM e SIMPLESMENTE MARIA. Mas faço idéia de que AMBIÇÃO realmente tenha sido um sucesso e fico feliz por aqueles que conseguiram ver. Enfim, é isso aí! Gostaria de tê-la visto.

Anônimo disse...

A melhor novela de todos os tempos!!!

Diego disse...

não vi ainda novela tão boa quanto ambição. Quem tiver condições de assinar tv via satélite faça, pois pelo canal tln a novela será reapresentada com a dublagem do sbt de 1992. Nada supera a maestria da grande Maria Rubio, ela que deu vida a maior vilã das telenovelas mundiais. Grande Carlos Olmos que escreveu esse clássico que sem dúvida e visivelmente serviu de base para muitas novelas brasileiras. Cuna de Lobos ou Ambição a novela que quebrou paradigmas no mexico.

Anônimo disse...

Mais uma novela mexicana onde a vilã supera a mocinha.

Anônimo disse...

Realmente uma novela épica, eu não havia nascido ainda quando a exibiram, no entanto, as mortes e os assassinatos são um tanto quanto bizarros, principalmente a da piscina e a do telefone, é sei lá, com tantas maneiras da Catarina matar, ela mata logo assim rsrs
Ouvi dizer que foram inspirados na obra do Chuck boneco assassino, que fazia sucesso na época e que foi isso que deu charme à novela, todos que descobriam os segredos da vilã acabavam morrendo, coisa que não se vê mais nas novelas de hoje, no entanto, ainda acho que Soraya Montenegro supera ela, a Paola é fraca perto dela, mas a Soraya, essa sim dava medo... O SBT deveria abrir um espaço na sua grade justamente para reprises dos anos 80...

Anônimo disse...

A vilã psicopata da Catalina Creel matou bem mais de 11 pessoas, o incêndio na Clínica matou várias idosas e a explosão do avião matou além do Alexandre e Vilma, alguns policiais e o piloto.

AQUILA BR disse...

Wow, mega super novela! Mega dos megas clássicos!!

A gente começa a assistir os primeiros minutos do 1o capítulo, e não tem sossego até chega o "fín" do último capítulo, mucho lokooo rsrsrsrsrs

E hj em dia tem tanto o original quanto o dublado no YT, com a dublagem original do SBT de 92, e a dublagem está até que muito boa, massssss a voz original da Catalina Creel chega a dar arrepios na alma, não é à toa que Maria Rubio fez dessa personagem o furor que é até hoje!!