quarta-feira, 31 de março de 2010

TOP 30 - As melhores telenovelas mexicanas dos anos 80

1. Cuna de lobos (Ambição) - (1986)

O maior fenômeno de popularidade na história da televisão, no qual uma milionária que fingia ser cega de um olho, assassinava muitas pessoas por amor a seu filho. Catarina Creel, a malvada de um olho vendado, se tornou a admiração do público e até houve quem a quisesse como presidente do México.


2. Vivir un poco (1985)

Esta versão mexicana da novela chilena “La madrastra” foi outro grande êxito, cuja protagonista é encarcerada acusada de um crime que não cometeu e, após um longo período, regressa para descobrir o verdadeiro culpado. Todo México se perguntava quem seria o assassino.


3. El maleficio (Estranho poder) - (1983)

Uma história popular envolvendo superstições e bruxaria que estava repleta de efeitos especiais e onde o protagonista tinha que cumprir todos os desejos do demônio. O êxito foi tão grandioso que obteve uma sequência no cinema.


4. Tú o nadie (Só você) - (1985)

A indiscutível rainha das telenovelas mexicanas, Lucía Méndez, chegou ao auge do estrelato com esta história, onde uma mulher era o motivo de rivalidade, de luta por poder, dinheiro e amor entre dois irmãos. O tema central da novela “Corazón de piedra”, fez de Méndez a primeira mulher mexicana nomeada a um Grammy, quando ainda não existiam os Grammys Latinos.


5. Quinceañera (Quinze anos) - (1987)

Talvez a telenovela latina mais lembrada dos anos oitenta, é considerada a primeira telenovela juvenil da história, cujo tema original, interpretado por Timbiriche, foi também o hit das festas de quinze anos por muito tempo. A história narrava a vida de duas garotas que iriam festejar seus quinze anos, porém, uma era pobre é seu pai teve que roubar para lhe pagar um vestido, a outra que era rica, foi supostamente violada por ser bonita.


6. Bodas de odio (1983)

O êxito desta telenovela de época foi tão grande que logo após ser iniciada passou a ser transmitida em horário nobre. Circulam boatos no mundo da dramaturgia que seus protagonistas masculinos eram homossexuais na vida real e que Frank Moro morreu de AIDS em 1993.


7. El camino secreto (1986)

Primeiro papel protagônico do ícone lésbico Daniela Romo, muito exitoso por sinal, porém um pouco tardio, já que até então ela já era super famosa como cantora. Muito tiro, tráfico de jóias e a presença do fenômeno publicitário Mar Castro.


8. Gabriel y Gabriela (1982)

Uma produção ambiciosa que se tornou famosa devido ao fato de no final ninguém haver sabido com qual dos galãs se casou a protagonista.


9. Teresa (1989)

Lançamento da estrela Salma Hayek que protagonizou esta que foi a terceira versão da história, que primeiramente foi protagonizada por Maricruz Olivier. Teve tanto êxito que também subiu para o horário nobre. Seus adaptadores lhe deram um final feliz, ao contrário do trágico final original.


10. Rosa salvaje (Rosa selvagem) - (1987)

Uma vendedora de chicletes se apaixona por um homem rico submetido aos caprichos de sua sinistra irmã. Essa história serviu de inspiração para novas produções, incluindo as Marias de Thalía, que surgiriam nos anos 90.


11. Amor en silencio (Amor em silêncio) - (1988)

Sua audiência foi surpreendente porque justamente no meio da novela e inesperadamente, seus protagonistas morrem a tiros, causando grande escândalo.


12. La fiera (A fera) - (1983)

Primeiro papel estrelar de Victoria Ruffo, uma das poucas atrizes que mais de 25 anos depois, continua sendo protagonista em telenovelas.


13. Monte calvario (1986)

Outra trama que mais de há mais de 25 anos ainda continua trazendo seus protagonistas à telinha. História de uma garota vendida a um malévolo fazendeiro paralítico que a tratava
a patadas.


14. Colorina (1980)

Esta telenovela causou tanto escândalo com protagonistas interpretando prostitutas que passou a ser transmitida por outro canal em um horário quase a meia noite, já que tentava contra a moral dos telespectadores, porém, devido ao êxito, fizeram com que voltasse ao canal original.


15. Carrusel (Carrossel) - (1989)

Recordada por adultos que eram crianças nessa época, Carrossel contava as aventuras de um amor fraterno entre uma professora e seus alunos em uma escolinha.


16. Senda de gloria (1987)

Quebrou paradigmas de novelas históricas narrando as aventuras de uma família paralelamente à história do México, a partir da Revolução de 1910.


17. Chispita (1982)

Lançamento de Lucerito, que protagonizava uma pobre garotinha órfã que tinha visões de um anjo. Também musicalizada originalmente ao som de Timbiriche.


18. De pura sangre (1985)

O escândalo dessa trama não foi causado pelo fato de se falar em impotência sexual, mas sim pelas cenas eróticas que seus atores protagonizavam na cama ou onde pudessem.


19. Mi segunda madre (1989)

Telenovela de grande impacto, que obteve audiência por sua violência, mas também pela trama de suas histórias secundárias.


20. El extraño retorno de Diana Salazar (1988)

Super produção, cheia de efeitos especiais e que retrata o amor de um casal que é separado pela morte durante a Inquisição e que reencarna em pleno século 20.


21. El derecho de nacer (O direito de nascer) - (1982)

Réplica da original de 1966, protagonizada por Verónica Castro que na época realmente era mãe solteira. Estreia de Cristian e Michel Castro na televisão.


22. Balada por un amor (1989)

Controversa história de amor entre uma instrumentista e um homem maduro, que pelo visto era seu próprio pai. Devido a conflitos com a produção, Jorge Rivero renunciou a sua participação na metade da telenovela, fazendo com que María Zarattini reescrevesse a história substituindo-o por Alfredo Adame como o protagonista.


23. Simplemente María (Simplesmente Maria) - (1989)

Fenômeno em muitos países, especialmente na ex-comunista Europa Oriental. Conta a história na qual uma camponesa se torna uma famosa designer de moda.


24. Amalia Batista (1983)

Uma mulher que sai da cadeia se apaixona pelo mesmo homem que sua filha. Novela extremamente esticada, onde a mãe de Paulina Rubio obteve seu maior êxito.


25. El ángel caído (1985)

Uma provinciana que finge ser boa, casta e pura, na realidade não passa de uma assassina, ladra e mundana. Novela que deu origem ao espaço de personagens psicopatas na televisão mexicana.


26. La pobre señorita Limantour (1987)

Estreia de Ofelia Cano como protagonista em telenovelas. Primeira produção novelista de Carla Estrada.


27. Pasión y Poder (Paixão e poder) - (1988)

História de duas famílias que disputam a liderança hoteleira em um jogo de personagens que incluiu mulheres maltratadas e jovens desorientados.


28. Principessa (1984)

Réplica de “El amor tiene cara de mujer” de 1971, onde a história que originalmente se passava em um salão de beleza se mudou para uma casa de modas.


29. Pobre Juventud (1986)

História de um psicólogo que recolhe um jovem da rua e lhe ajuda a se readaptar à sociedade. Antecedente de novelas juvenis como Quinze anos.


30. La indomable (1987)

Lançamento de Leticia Calderón ao estrelato, com a primeira produção novelista de Julissa.

terça-feira, 30 de março de 2010

A força de uma mulher


NOME ORIGINAL
Bajo un mismo rostro

ESCRITOR
Jorge Lozano Soriano

PRODUTORES 
Humberto Zurita e Christian Bach 

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
100

ANO DE GRAVAÇÃO
1995

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede CNT - Gazeta


ELENCO

Christian Bach: Irene Saldívar Teodorakis

Alfredo Adame: Diego

Saúl Lisazo: Alexis Teodorakis

Carlos Cámara: Carlos

Magda Guzmán: Rosário

Rosario Gálvez: Luciana

Lorena Rojas: Carolina

Luis Aguilar: Padre Tomás

Ernesto Alonso: Melchior

Nuria Bages: Laura

Roberto Blandón: Alexandre

Anthony Alvarez: Padre Lourenço

Aurora Clavel: Lupita

Tomas Goros: Renato

Virginia Gutiérrez: Esther

Josafat Luna Leyva: Franco

Marifer: Estelita

Ramón Menéndez: André

Raquel Olmedo: Cassandra Teodorakis

Frances Ondiviela: Melissa

Ramiro Orci: Arnulfo

David Ostrosky: Rubens

Rodrigo Oviedo: Ramiro

Fabián Robles: Téo

Mayra Rojas: Sandra

Isabel Salazar: Ana Maria

Roberto Sen: Cristóvão

Juan Soler: Marcelo

Silvia Suárez: Cristina

Sergio Sánchez: Heitor

Cecilia Gabriela: Magdalena

Carmelita González: Lúcia

Jorge Molina: Matias

Alejandro Tommasi: Manuel


RESUMO

Depois da morte de seu pai e seu irmão, Irene Saldivar, uma bela e rica mulher, viaja para a Grecia para se libertar das más lembranças.

No avião que a leva para Grécia, Irene conhece Alexis Teodorakis, um multimilionário fascinante, pelo qual se apaixona perdidamente. Ambos decidem se casar sem saber que Carlos, o administrador financeiro de Irene tem outros planos para eles.

Carlos, que é encarregado de administrar a fortuna de Irene, trabalha na compahia de Alejandro, juntos se encarregam de seduzir mulheres ricas para depois matá-las e ficarem com seu dinheiro.

Quando Carlos toma conhecimento do casamento de Irene e Alexis, planeja matá-lo e ficar com sua fortuna.

Cassandra Teodorakis, tia de Alexis, aceita encantada a relação de seu sobrinho com Irene. Enquanto que Melisa Papandreu vê com desconfiança essa mulher tão cheia de costumes, e mexicana de origem, que veio para arrematá-la em um instante o homem que amou por toda a vida.

Durante a lua de mel, o plano de Carlos triunfa quando o bote em que Alexis viaja, explode. Irene que havia ficado grávida, volta ao México desesperada e conhece Dr. Diego Covarrubias, um importante cardiologista que também entrará na vida de Irene. Viúvo e com uma filha adolescente, Estela, é um homem que necessita também do amor de uma mulher que ocupe o lugar deixado por sua esposa, ao morrer em um acidente automobilístico. Diego oferece sua ajuda e logo Irene se apaixona novamente, mas se vê forçada a deixá-lo, já que sua amiga Carolina sempre o amou, mas esta tem câncer e logo morrerá.

Paralelamente a estas vidas, há um casal que observa Irene: Alejandro e Laura Roldán, um matrimônio truculento que ambiciona descontroladamente a riqueza e o poder. Eles tem um filho, Ramiro Roldán. Bonito, encantador, amante da música, que ignora totalmente a verdadeira identidade de seus pais. Ramiro tem uma aliada incondicional, Ana María Lombardi, sua noiva, uma bela garota do interior.

Alejandro Roldán, faz de Irene sua vítima que é conhecida por Laura, que não suspeita que Alejandro mistura seu sujo trabalho com o prazer.

Como Alejandro não pode ter o amor de Irene, este a obriga a se casar com ele em troca de não perder seu filho. Tudo isso é somente mais um plano para criar outra catátrofe e obter o dinheiro de Irene.

Três homens marcaram a fogo a vida de Irene: Alexis, Diego e Alejandro. Dois deles com a verdadeiros e profundos sentimentos, e o outro, Alejandro, somente para seduzi-la, dominá-la e se apoderar de sua fortuna.

Apesar das circunstâncias, Irene escuta os conselhos de seu administrador e amigo, Carlos Gorostiaga, homem de toda sua confiança, amigo incondicional da família Saldívar, e também de sua esposa, Luciana Gorostiaga, terna e humana. E sobre todo os de Rosário, sua babá, que na realidade tem sido como sua verdadeira mãe. Todos esses personagens irão tecer uma imensa teia de aranha ao redor de Irene, que pode aprisioná-la junto com os seres que a ama, e pode fechar-se em qualquer momento sem alguém que o impeça.

Maria José


NOME ORIGINAL
María José

ESCRITORA
Gabriela Ortigoza (Baseada na obra de Inés Rodena)

PRODUTOR
Juan Osorio

PAÍS DE ORIGEM
México

ANO DE GRAVAÇÃO
1995

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede CNT - Gazeta

TEMA DE ABERTURA
María José

INTÉRPRETE
José Alfredo Obregón


ELENCO

Claudia Ramírez: Maria José

Arturo Peniche: Carlos Alberto

María Victoria: Pachita

Saby Kamalich: Piedade

Ana Patricia Rojo: Impéria

Rogelio Guerra: Raul

Armando Araiza: Mateo

Anthony Álvarez: Tuercas

Óscar Morelli: Mauro

Alejandro Aragón: Vicente

Lili Blanco: Felícia

Héctor Soberón: Dario

Guillermo de Alvarado: Condorito

Isabel Martínez 'La Tarabilla': Cleta

Beatriz Monroy: Zoila

Monserrat Gallosa: Maná


INTRODUÇÃO

Maria José, produzida em 1995, se trata de um remake da novela Bianca Vidal de 1983, original de Inés Rodena e protagonizada por Edith González e Salvador Pineda. No Brasil, Maria José foi exibida pela Rede CNT - Gazeta em 1997, com seus capítulos finais legendados, devido à greve de dubladores na época.


RESUMO

Maria José é uma bela e humilde jovem que, desde cedo, teve que trabalhar, realizando serviços domésticos. Seu pai Serafim está muito doente e sua mãe, Rosário, faleceu algum tempo atrás.

Carlos Alberto é o único filho de Raúl Almazán e Piedade. Raul insistia muito para que Carlos Alberto trabalhasse com ele em sua empresa, mas, contrariando o pai, Carlos Alberto decide ser professor.

Maria José e Carlos Alberto se conhecem acidentalmente e mais tarde se reencontram na Universidade Pedagógica, onde ela estuda e ele lhe dá aulas. No entanto, sua amizade se torna bastante hostil e Maria detesta seu novo professor, mas pouco a pouco vai se apaixonando por ele. Posteriormente, em sua vizinhança, Maria José tem um enfrentamento com Impéria, noiva de Alberto.

Passando algum tempo, se desencadeiam uma série de fatos que levarão Carlos Alberto a descobrir que essa aluna a quem tanto havia rejeitado, desperta nele um sentimento especial, já que a moça inteligente como é, chega a fasciná-lo.

Serafim, confessa a Maria José que não é seu verdadeiro pai. Enquanto isso, Raúl Almazán descobre que tem uma filha. Esta confissão é feita por seu pai, Rodrigo, que antes de morrer pede para que seu filho prometa que irá procurar sua filha.

Maria José e Carlos Alberto planejam se casar, mas no dia de seu casamento, Raúl e Serafim se encontram e confessam à jovem que ela é filha de Raúl e impedem o casamento.

Impéria, não perde a oportunidade, e, nessa situação, trata de conquistar novamente Carlos Alberto até se casar com ele.

Posteriormente, Raúl fica sabendo que Carlos Alberto não é realmente seu filho, e ao saber disso, Carlos Alberto luta para recuperar o amor de Maria José e tentar uma segunda oportunidade.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Canavial de paixões


NOME ORIGINAL
Cañaveral de pasiones

ESCRITORES
María del Carmen Peña e Cuauthemoc Blanco (Baseados na obra Caridad Bravo Adams)

PRODUTORES
Humberto Zurita e Christian Bach

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
92

ANO DE GRAVAÇÃO
1996

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede CNT – Gazeta

TEMA DE ABERTURA
Instumental


ELENCO

Daniela Castro: Júlia Santos Faberman

Francisco Gattorno: João de Deus

Juan Soler: Paulo Montero

Patricia Navidad: Mireya

Leonardo Daniel: Fausto Santos

Angélica Aragón: Josefina Rosales

Azela Robinson: Dinorah Faberman

Roberto Ballesteros: Rufino Mendoza

Fernando Balzaretti: Padre Refúgio "Cuco"

Alma Delfina: Prudência

Jorge Russek: Samuel Aldapa

María Eugenia Ríos: Amália de Aldapa

Tony Bravo: Rafael Elizondo

Norma Lazareno: Hilda Cisneros

Rodrigo Abed: Guillermo Elizondo

Aracely Arámbula: Letícia Cisneros

Dacia Arcaraz: Chayo

Héctor Cruz: Vicente

Josefina Echanove: Remédios

Marisol Santacruz: Gina Elizondo

Roberto Miquel: Enrique Cisneros

Elizabeth Dupeyrón: Socorro Carrasco

Liza Willert: Carlota

Carlos Navarro: Gilardo

Gilberto Román: Dr. Alexandre Cisneros

Raúl Ruiz: Neto

Leonardo Unda: Chema

José Luis Avendaño: Benigno

Rigoberto Carmona: Salvador

César Évora: Amador Montero

Felicia Mercado: Margarida Faberman de Santos

Zoraida Gómez: Júlia (Criança)

Sebastián Zurita: Paulo (Criança)

Raúl Castellanos: João de Deus (Criança)

Marisol Centeno: Mireya (Criança)


RESUMO

Nos belos canaviais do estado de Veracruz acontece esta história de amor, quando Margarida descobre que sua irmã Dinorah mantém uma relação amorosa com um homem casado, ela decide averiguar de quem se trata, ele é Amador Montero que está casado com Josefina Montero uma das mulheres mais respeitáveis e honradas da cidade.

Amador é pai de Paulo o melhor amigo de Júlia a filha de Margarida. Paulo e Júlia também são amigos de João de Deus e Mireya, duas crianças que vivem no povoado mas que não possuem a riqueza e o dinheiro que os outros tem, ainda assim isso não os impede de ser como irmãos. Dinorah é convencida por Amador a fugir com ele, quando Margarida escuta isso tranca sua irmã e se dirige aonde ela ia se encontrar com Amador, e pedir que ele desista e deixe de ver Dinorah. Margarida e Amador entram no carro e voltam a cidade mas devido a chuva e a alta velocidade, Amador perde o controle do carro, provocando um terrível acidente, mas tarde eles são encontrados sem vida.

Dinorah é uma das primeiras a saber do que aconteceu, e decide se calar e colocar em prática seus planos para ficar limpa, e excluída de tal fato pois na cidade toda começam a pensar que Margarida e Amador eram amantes. Dinorah confirma aquilo dizendo que ela sabia há muito tempo atrás mas que se calou por amor a sua irmã, Josefina é vitima da fofoca pela traição do marido, e despeja toda sua fúria na pequena Júlia a proibindo de entrar em sua casa e afastando ela do seu filho, Josefina sabe bem que seu filho não obedecerá, por isso o manda para um internado na Cidade do México.

Dez anos depois, Júlia já é uma bela jovem. João de Deus, que cresceu como amigo de Júlia, se apaixona por ela, Júlia sabe que sua amiga Mireya está apaixonada por João de Deus, por isso pensa em se afastar dele. Depois de quinze longos anos, as pessoas da cidade ainda veem e tratam Júlia como uma mulher qualquer, e sem respeito já que a julgam como uma mulher fácil igual a sua mãe.

Júlia enfrenta a toda essa gente mas sabe bem que detrás de tudo isso esta Josefina que nunca se cansou de manchar o nome de sua mãe com invenções e calunias. Fausto Santos pai de Júlia recebe Dinorah em sua casa, ela pensa em se relacionar com ele e com a única pessoa que foi testemunha da relação de Dinorah e Amador, Rufino o capataz que cuida dos canaviais da família Santos.

Paulo regressa à cidade comprometido com Gina uma jovem bonita, mas interesseira e fria, que chega em busca da verdade da amizade que houve no passado entre Paulo e Júlia naquela pequena cidade, Júlia se encontra por acaso com Paulo que revivendo aquele amor inocente que havia existido no passado e que está disposto a reviver ainda que seja contra a vontade de sua mãe.

Quando João de Deus descobre que Júlia e Paulo ainda se querem, pensa em lutar pelo amor dela. Mas sabe que nada do que faça será capaz de acabar com um grande amor, Júlia e Paulo lutaram contra tudo e todos para esclarecer a verdade do passado e viver seu grande amor.


CURIOSIDADES

Sebastián Zurita, filho dos produtores da telenovela, Humberto Zurita e Christian Bach, teve uma participação especial na telenovela interpretando o personagem de Paulo quando criança nos primeiros capitulos.

Cañaveral de pasiones foi exibida no Brasil em 1997 pela Rede CNT – Gazeta. Como os dubladores entraram em greve durante a telenovela, a reta final foi exibida legendada.

Em 2003, o SBT realizou uma nova versão desta telenovela, intitulada Canavial de Paixões, dirigida por Cláudio Callao, Jacques Lagôa e Henrique Martins, produzida por David Grimberg e protagonizada por Bianca Castanho e Gustavo Haddad.

Império de cristal


NOME ORIGINAL
Imperio de cristal

ESCRITORES
Alejandro Camacho e Rebeca Jones

PRODUTOR
Carlos Sotomayor

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
60

ANO DE GRAVAÇÃO
1994

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede CNT - Gazeta

TEMA DE ABERTURA
Império de cristal

INTÉRPRETE
Instrumental


ELENCO

Rebecca Jones: Sofia Vidal / Helena Vidal

Alejandro Camacho: Augusto Lombardo

Ari Telch: Júlio Lombardo

Kate del Castillo: Narda Lombardo

María Rubio: Lívia Arizmendi

Ignacio López Tarso: César Lombardo

Emilia Carranza: Andrea Lombardo

Consantino Cosatas: Uriel González

Cecilia Gabriela: Esther Lombardo

Fidel Garriga: Germano

Germán Gutiérrez: Cláudio Lombardo

Ivette Proal: Elisa Estrada

Alejandro Tomassi: Otávio Lombardo

Alan Fernando: Marco Aurélio

Aarón Hernán: Bernardo Estrada

Adriana Barraza: Flora

Graciela Bernardos: Amiga de Lívia

Oscar Bonfiglio: Germano Samaniego

Roberto D' Amico: Virgílio Robles

Malena Doria: Trindade

Zoraida Gómez: Kátia González

Dacia González: Renata Ocampo

Lucero Lander: Diana

Alicia Montoya: Antônia Arizmendi

Alejandro Ruiz: Marcelo Ocampo

Héctor Sáez: Padre Ângelo

Amara Villafuerte: Mayra Salgado

Antonio de Carlo: Bruno Previdi

Arturo Paulet: Gómez

Raúl Valerio: Carmelo

Elia Domenzain: Sheila

Fabiola Campomanes: Joana “Joaninha”



PERFIL DAS PERSONAGENS

Sofia Vidal (Rebecca Jones) – a protagonista da história. Tem pesadelos desde a morte de sua mãe. Seu esposo a engana e a abandona. Tem uma filha chamada Kátia. Pouco tempo depois se apaixona por Júlio Lombardo. Mas, por estratégias de Augusto, é obrigada a se casar com este. A princípio não acredita nas advertências de Júlio e Cláudio, mas se dá conta de que Augusto é realmente uma pessoa má. É fisicamente parecida com sua mãe, por isso Lívia a odeia. Padece de claustrofobia e memória fraca devido ao acidente de sua mãe.

Augusto Lombardo (Alejandro Camacho) – o segundo filho dos Lombardo. É cruel, sádico e ambicioso; seu maior desejo é chegar a se apoderar do império de seu pai. Augusto é atraído por Sofia e quer que ela seja sua a qualquer preço, pois sabe que assim conseguirá que seu pai o nomeie seu sucessor nas empresas. Para isso, é capaz de tirar do caminho quem quer que seja. Gosta de afligir seu irmão mais novo, Cláudio, lhe assustando, lhe insultando e quebrando seus castelos de vidro ou lhe incomodando com cacos de vidro (coisa que Cláudio mais teme). Sabe-se que tem maltratado a Cláudio por mais de dez anos porque quando eram crianças, Cláudio estragou, lavando, seus LP’s acidentalmente. Se casa com Sofia e a engana, mas termina lhe tratando pior que Cláudio. Tem uma personalidade antissocial.

Júlio Lombardo (Ari Telch) – o terceiro filho dos Lombardo. É impulsivo, espontâneo e não se importa em dizer o que pensa, mesmo que tudo isso sempre lhe cause problemas. Regressa depois de vários anos de estudo na Itália, para se casar com sua noiva Elisa. Pouco depois, se apaixona por Sofia e decide deixar Elisa. Júlio não se interessa pelos negócios da família, e por isso tem constantes enfrentamentos com seu pai, mas os incidentes provocados na Casa Lombardo provocados por Lívia e Augusto o fazem mudar de atitude. É o namorado secreto de Sofia já que Lívia não dever saber disso. Curiosamente os incidentes na casa Lombardo (o caráter de Augusto, a enfermidade de Otávio, sua mãe má, seu pai covarde e os gêmeos esquecidos) fizeram com que viajasse ao estrangeiro. Por isso sempre defende aos gêmeos das injustiças de seus pais.

Narda Lombardo (Kate del Castillo) – a quarta filha dos Lombardo. É irmã gêmea de Cláudio. É vaidosa, caprichosa e rebelde, ainda que, na realidade, também seja vítima do desamor de seus pais. Depois da morte de Otávio, tenta ajudar a empresa, o que faz com que Augusto tente lhe prejudicar. Tem um caso com seu mordomo, com um homem casado e por último com Bruno, um jovem pago por Augusto para causar danos à Narda. Por isso fica grávida. Augusto faz que ela acredite que Bruno somente a usou, o que faz com que Narda tente o suicídio, mas é salva por Sofia e Cláudio. Sente vergonha de seu irmão devido à sua enfermidade, mas, de todos os modos, é bondosa e, com o tempo, se une a ele. É a única dos Lombardo capaz de enfrentar sua mãe.

Cláudio Lombardo (Germán Gutiérrez) – o quinto e último filho dos Lombardo. É intuitivo, carismático e infantil. É o irmão gêmeo de Narda, sendo três minutos mais novo. Cláudio sofre de uma psicose infantil, o que fez com que estivesse recluso por muito tempo em uma clínica especializada, o que provocou uma rejeição por parte de sua família. Todos o tratam como se fosse um idiota, menos Júlio e Otávio. Gosta de fazer castelos, que sempre são destruídos por Augusto. Sabe-se que Augusto provocou sua enfermidade, pois quando eram crianças, Cláudio quis limpar a cara coleção de LP’s de Augusto com água e a estragou. Irritado, Augusto golpeou Cláudio até traumatizá-lo. Por isso sua roupa é folgada e caminha sempre encurvado. Tem medo de cacos de vidros. Mostra uma certa dependência de seus irmãos Otávio, Júlio e Narda como uma forma de suportar os abusos de Augusto.

Lívia Arizmendi (María Rubio) – esposa de César e ex-atriz. Mãe de Narda, Cláudio, Júlio e Augusto (com outro homem). Filha de Antônia. Cúmplice de Augusto. Prima de Renata e madrasta de Otávio. Malvada, vaidosa e autoritária. A aparição de Sofia a preocupa seriamente, isso faz com que trate de afastá-la da família. Seu filho preferido é Augusto, pois acredita que quando seu filho tenha poder, ela poderá voltar a ser a estrela de antigamente. Tem uma queda por flores. Odeia os gêmeos porque pela culpa deles ela se afastou dos espetáculos.

César Lombardo (Ignacio López Tarso) – líder do Império dos Lombardo. Está casado com Lívia, mesmo garantindo não amá-la. Sente carinho por Sofia ao ver que é filha de seu amor impossível, Elena Vidal. Isso ocasionará problemas para os Lombardo e sobretudo para Lívia. Sabe o que acontece com seus filhos, mas não dá importância.

Otávio Lombardo (Alejandro Tomassi) – o primeiro filho dos Lombardo. É filho de César, fruto de seu primeiro casamento. É crédulo e inocente. Sofre de uma enfermidade nervosa. Seria o sucessor nas empresas Lombardo, por isso Lívia e Augusto tentam eliminá-lo de seus caminhos. Está casado com Esther e tem um filho, Marco Aurélio. Estima muito Cláudio e tem uma queda por figos. Quer morrer quando Augusto coloca uma dose extra de medicamento em seus figos.

Andrea Lombardo (Emilia Carranza) – irmã de César. Pensa mal de Lívia e esta a odeia. Não tem filhos, mas sabe tratar bem os filhos de César. Acredita que Augusto seria um mal sucessor.

Uriel González (Consantino Cosatas) – esposo de Sofia. No primeiro capítulo a engana com Renata e foge com ela. Tenta voltar, mas Sofia se opõe. É assassinado por Augusto, depois de tentar chantageá-lo.

Esther Lombardo (Cecilia Gabriela) – esposa de Otávio e mãe de Marco Aurélio. Não gosta de Lívia, suspeita que exista algo ruim nela.

Bernardo Estrada (Aarón Hernán) – pai de Elisa. É arquiteto e amigo de César. Quer que sua filha e Júlio se casem. Se opondo ao namoro de Elisa e Germano.

Elisa Estrada (Ivette Proal) – namorada de Júlio. No entanto, descobre que Júlio se apaixonou por Sofia e tenta se suicidar. Com o tempo descobre também que não ama mais Júlio, e sim seu melhor amigo, Germano.

Germano Samaniego (Oscar Bonfiglio) – melhor amigo de Júlio. Se apaixona por Elisa. Com o tempo decide esquecê-la, pois é namorada de seu melhor amigo. Quando esta foge em seu casamento, se encontra com Germano. O que é desaprovado por Bernardo.

Flora (Adriana Barraza) – mulher cruel. É assistente do asilo. Cuida de Antônia e termina cuidando de Lívia.

Trindade (Malena Doria) – fiel assistente de Lívia.

Joana (Fabiola Campomanes) – é a empregada dos Lombardo. Tem um grande carinho pelos gêmeos Lombardo. Faz um bom par com Cláudio ainda que no início ela também acredita que é um menino estranho, mas no final da novela, quando Cláudio desmascara Júlio, muda de opinião sobre ele ao lhe avisar no hospital que Augusto vai matar Júlio, o que graças a ela é evitado.

Kátia González (Zoraida Gómez) – filha de oito anos de Uriel e Sofia. Se faz amiga de Júlio, mas quando descobre que sua mãe e ele estão saindo, tenta afastá-lo da família. Seu pai a leva para fora do país e ela aceita, mas ao ver que como lhe trata, volta com sua mãe a aceita Júlio como seu novo pai. É uma grande amiga de Marco Aurélio e Cláudio. Se apaixona por Marco Aurélio.

Marco Aurélio Lombardo (Alan Fernando) – filho de oito anos de Otávio e Esther. Grande amigo de Kátia e Cláudio. É muito apegado a seu pai Otávio. Se apaixona por Kátia, que chega que ela e Marco Aurélio vão se casar.

Renata Ocampo (Dacia González) – prima de Lívia e Augusto. Por sua culpa, Uriel deixa Sofia.

Antônia Arizmendi (Alicia Montoya) – mãe de Lívia. Ela viu o acidente que sua filha provocou a Elena, o que fez com que Lívia a internasse em um asilo, dizendo que estava louca. Fez seus filhos acreditar que a avó estaria morta. Júlio descobre a tempo. De seus cinco netos somente conhece Júlio. Acredita que Sofia é Elena.

Elena Vidal (Rebecca Jones) – amor impossível de César. Mãe de Sofia. Morreu tragicamente em um acidente, quando Sofia era criança. Descobre-se, posteriormente que Lívia provocou seu acidente.


INTRODUÇÃO

Em 1994, Carlos Sotomayor produziu a novela Império de cristal com a ideia original de Alejandro Camacho e Rebecca Jones que também atuaram na novela. Não se trata de um remake de Ambição, mas possui ideias muito parecidas, tanto é que vários atores de Ambição também participaram. Além dos dois, María Rubio também estava na novela. A novela também foi livremente inspirada em Yo, Cláudio de Robert Graves, ambientada no começo do Império Romano.


RESUMO

Sofia Vidal e seu esposo Uriel levam a pequena filha, Kátia, a uma grande festa na elegante mansão da família Lombardo, poderosos empresários de cristal. Depois disso, a vida deles nunca mais voltaria a ser a mesma.

O patriarca dos Lombardo, César, descobre que Sofia é a filha de seu amor impossível, Elena, que havia morrido tragicamente em um acidente, quando Sofia era uma criança.

César, sem que Sofia saiba, decide protegê-la pela lembrança que ainda guarda de Elena. César está casado, pela segunda vez, com Lívia Arizmendi, uma ex-atriz que sonha recuperar sua carreira.

A aparição de Sofia preocupa seriamente Lívia, que a considera como uma intrusa que pode destitui-la, assim como faria Elena no passado.

Lívia, que esconde um terrível secredo que envolve Sofia, causa intrigas com ela, tentando afastá-la da família.

Augusto, o filho mais velho de Lívia, deseja se apoderar do império de seu pai, se livrando de Otávio, filho do primeiro casamento de César. Lívia apoia Augusto.

Ao saber quem realmente é Sofia, Augusto se interessa por ela, de olho em sua herança, sabendo que assim conseguirá ser o sucessor de seu pai em sua empresa.

Esta situação provoca danos no casamento de Sofia e Uriel, que decide abandonar ela e a pequena Kátia.

Sofia e Júlio se conhecem, e uma grande paixão nasce entre eles. Júlio está disposto a enfrentar tudo, inclusive terminar sua relação com Elisa.

A rivalidade entre Augusto e Júlio pelo amor de Sofia, desencadeia um turbilhão de intrigas, corrupção e uma violenta luta por poder.

Frágil, mas também perigoso, este Império de cristal pode se romper em mil pedaços nas mãos de quem tentar possuí-lo.

Augusto envenena César em seu iate e o lança no mar. Sofia e Júlio vão ao asilo onde está Antônia para que diga o que Lívia havia feito com Elena, a mãe de Sofia. Antonia lhe diz que só dirá a Elena.

Sofia, então se veste como sua mãe para que Antônia diga a verdade. Ao saber que Lívia danificou os freios do carro de Elena para que esta morresse, Lívia fica inconformada. Antonia diz a "Elena" que perdoe Lívia.

Júlio e Esther vão perguntar a Cláudio se ele sabe de alguma coisa. Este diz que Augusto mandou desordenar as máquinas para que Otávio se machucasse, e também que envenenou os figos para que lhe desse infarto.

Lívia faz com que Bernardo morra, ao lhe dizer que é a nova dona da “Prisma”, empresa de Bernardo.

Júlio havia criado uma armadilha para Augusto, onde preparou um teatro de bonecos intitulado A ratoeira, onde Cláudio, Kátia e Marco mostram, indiretamente, a todos os Lombardo que Augusto matou Otávio, para assim encurralarem Augusto.

César consegue sobreviver aparece ao final do teatro. Manda segurarem Augusto para falar com ele , mas este foge. Fugindo da justiça, Augusto tenta assassinar Júlio e Sofia disparando contra eles em um estacionamento, mas somente fere o ombro de Sofia.

Narda dá a luz a gêmeos. Apesar saber o que ocorreu com Bruno, ficam juntos mesmo assim.

Júlio, no hospital é cuidado por Cláudio. Joaninha liga para Cláudio e o alerta que Augusto irá matar Júlio. Graças a ela, Cláudio consegue esconder Júlio de Augusto e vão buscar Sofia no teatro.

No teatro, durante a estreia de seu "Regresso triunfal", Lívia revela a Sofia que matou Elena, e sem saber que haviam colocado microfones em seu camarim, todos ficam sabendo.

Augusto fica sabendo que não é filho de César, e sim de Filipe, um ator que havia sido um antigo amante de Lívia. Ao saber disso, despreza sua mãe. Augusto trata de matar Sofia, mas é detido por Júlio que o mata, empurrando-o sobre cristais.

Andrea se reencontra com um antigo namorado seu, que salvou César do afogamento que lhe quis causar Augusto. Ele pede para que voltem, mas ela se nega, dizendo que agora, o que realmente importa para ela, são seu irmão e seus sobrinhos.

César manda chamar Cláudio e se desculpa por sempre haver estado consciente dos abusos de Augusto e nunca ter feito nada. Este lhe diz que não o odeia, mas garante que não pôde, nem poderá lhe ajudar muito porque é fraco. César lhe assegura a Cláudio que ele sim é o mais valente dos Lombardo.

Ao notar sua solidão, Lívia tenta se suicidar cortando suas veias, mas alguém lhe ajuda: o inocente Cláudio. Assim como César, esta se desculpa com ele, enquanto lhe diz que é o melhor dos Lombardo.

César recebe uma carta de Lívia, dizendo que Augusto não é seu filho.
Na festa de batizado de Júlio César, o filho de Sofia e Júlio.

Joaninha avisa Cláudio que este havia ganhado o concurso de desenho de cristais. Narda revela que havia mandado ao concurso, os desenhos de seu irmão gêmeo. Cláudio passa a ocupar o antigo trabalho de Júlio: desenhador de vidros na Empresa Lombardo. César nomeia Júlio como seu sucessor nas empresas Lombardo. Lívia vai a seu próprio asilo, onde é cuidada por Flora.

No final, Sofia tem outro pesadelo, no qual Augusto a ataca com uma espada. Acorda para encontrar Júlio e seus dois filhos. Sofia garante que seus pesadelos acabaram e Júlio afirma que seus sonhos começaram. Finalmente, Sofia e os Lombardo podem viver felizes.


COMENTÁRIOS

Nada de novo quanto à história, mas ela é tão bem armada que prende até o telespectador mais crítico que resolveu acompanhá-la. Mereceu sua audiência e, se os autores brasileiros, tivessem parado para vê-la sem preconceitos, certamente aprenderiam o que está faltando na carpintaria da telenovela brasileira.

Alguns pensam que é uma cópia mal feita ou uma segunda versão de Ambição (Cuna de lobos) pelo elenco que participou e pela estrutura parecida da história.

Certamente, a atuação do jovem talento Germán Gutiérrez, que interpretou Cláudio Lombardo, recebeu aplausos no capítulo final, onde a malvada Lívia termina quase sozinha e totalmente desordenada com seus sonhos de superioridade.

domingo, 28 de março de 2010

Coração selvagem


NOME ORIGINAL
Corazón salvaje

ESCRITORA
María Zarattini (Baseada na obra de Caridad Bravo Adams)

PRODUTOR
José Rendón

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
80

ANO DE GRAVAÇÃO
1993

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997 / 2000

EMISSORA
CNT - Gazeta / SBT

TEMA DE ABERTURA
Corazón salvaje

INTÉRPRETE
Manuel Mijares

¿Y cómo cobrale a la vida cuando todo te ha salido siempre mal?
¿Y cómo cerrar tantas heridas si la sangre no ha dejado de brotar?
Cuando al precio de la vida es tan difícil de pagar.

¿Y cómo rogarle al destino cuando estoy acostumbrado a arrebatar?
Porque hoy que te he encontrado no te aparte de mi lado,
no derrumbe nuestros sueños, ni se atreva a separarnos.

Voy a exigirle a la vida que me pague contigo, que me enseñe el sentido del dolor,
porque ya fue suficiente el castigo de no haberte conocido
y dejar de ser por siempre un mendigo del amor, un corazón salvaje…

¿Y cómo explicar a los instintos que mi búsqueda contigo terminó?
que dos caminos tan distintos en algún momento el tiempo los unió,
quien lo dijera, entregar la libertad sin condición.

Voy a exigirle a la vida que me pague contigo, que me enseñe el sentido del dolor,
porque ya fue suficiente el castigo de no haberte conocido
y dejar de ser por siempre un mendigo del amor, un corazón salvaje…


ELENCO

Edith González: Condessa Mônica de Altamira de Alcazar y Valle

Eduardo Palomo: João Alcazar y Valle “João do Diabo”

Ana Colchero: Condessa Aimé de Altamira de Alcazar y Valle

Ariel López Padilla: André Alcázar y Valle

Enrique Lizalde: Noel Mancera

Claudia Islas: Sofia de Alcazar y Valle

Arsenio Campos: Alberto de la Serna

Luz María Aguilar: Catarina de Altamira

Ernesto Yáñez: Batista

Yolanda Ventura: Açucena

Javier Ruán: Guadalupe Cajiga

César Évora: Marcelo Romero

Isaura Espinoza: Amanda

Verónica Merchant: Mariana

Olivia Cairo: Joaninha

Emilio Cortés: Serafim

Ana Laura Espinosa: Lupe

Gerardo Hemmer: Joaquim

Jaime Lozano: Segundo

Adalberto Parra: Capitão Espíndola

Alejandro Rábago: Pedro

Gonzalo Sánchez: Facundo Gómez "Tuerto"

Mónika Sánchez: Rosa

Indra Zuno: Meche

Antonia Marcin: Dolores

Julio Monterde: Frei Domingo

Queta Lavat: Madre Superiora

Arturo Paulet: Juiz Mondragón

Joana Brito: Ana

Maribel Palmer: Teresa

Queta Carrasco: Dona Prudência

María Dolores Oliva: Tehua

Juan Antonio Llanes: Juiz Esperón

Conchita Márquez: Irmã Juliana

Julián de Tavira: João (Criança)

Christian Ruíz: André (Criança)


INTRODUÇÃO

Coração salvagem foi produzida por José Rendón, em 1993. Foi a terceira adaptação para a televisão, por Mary Zarattini, da clássica história original de Caridad Bravo Adams. É a mais bem sucedida e lembrada das três versões produzidas no México.


RESUMO

Francisco Alcázar y Valle é um importante e rico homem que possui uma fazenda de cana de açúcar, casado com uma mulher forte e sem compaixão, Sofia Alcázar y Valle, com quem tem um filho, André Alcázar y Valle. Dona Sofia, é uma mulher de caráter forte, muito severa, e distinta, ela é prima do respeitado Conde de Altamira.

Francisco teve um caso extra-conjugal com uma mulher casada que era maltratada por seu marido. A mulher ficou grávida e morreu quando a criança tinha três anos. O menino, um filho bastardo, é na verdade o primogênito de Francisco.

Em sua gravidez, seu marido se recusa a deixá-la ir, não permite que Francisco saiba que o filho é dele, e tampouco o reconhecem como sendo dele. Então o menino, chamado João, cresce sendo conhecido como João do Diabo, porque não tem sobrenome. A mãe de João morre pelos maus-tratos que recebia de seu marido e o menino acaba crescendo sem amor e educação, em situação de pobreza e abandono.

João até os 15 anos de idade foi criado por seu padrasto, um homem bêbado e vagabundo que só lhe ensinou malandragens. O padrasto de João morre. Francisco Alcázar, ao saber da existência desse menino, esconde esse fato de todos, mas convida-o para morar em sua fazenda com sua família, alegando que ele será um colega para seu filho André. Sofia descobre a verdade e tenta se livrar de João, mas Francisco se opõe.

Francisco sofre um acidente, quando montava um cavalo, justamente quando iria reconhecer legalmente João como seu filho, como havia planejado. Francisco, no entanto deixou uma carta com as suas intenções para seu amigo e advogado Noel Mancera. Sofia intercepta a carta e esconde. Em seu leito de morte, Francisco manda chamar seu filho André, que é apenas uma criança, e lhe diz a verdade, e lhe pede para cuidar de seu irmão João. Após a sua morte, Sofia manda embora João sem dizer nada a André, que sofre muito.

Passa-se quinze anos. João, um homem que viveu entre os marinheiros e piratas no porto, ganhou uma reputação duvidosa com os negócios do contrabando sujo, ganhando seus combates e sendo justo com seus homens, recebe uma fidelidade sem limite. É também um mulherengo, mas ninguém tem roubado o seu coração. Ele sabe quem era seu pai, porque o advogado Noel Mancera lhe havia dito, ele se tornou o seu melhor amigo e o único que lhe deu alguma educação. Noel Mancera ofereceu seu sobrenome, mas João se recusou porque não precisava disso para os seus negócios.

Mônica e Aimé são filhas da viúva Catarina de Altamira, ainda que irmãs, são totalmente distintas. Aimé foi criada por uma tia na capital, frequentou escola para moças, e os mais altos saraus da sociedade mexicana tentando encontrar um marido rico, porém suas tentativas eram todas em vão, já que apesar do nome Altamira que ostentava, a sedutora dama não tinha dote, já a doce Mônica, ficou aos cuidados de sua madrinha Sofia com o intuito de preparar uma verdadeira "senhora" para seu filho André Alcazar que só tinha visto a noiva quando tinha apenas 8 anos de idade.

Na capital, André recém chegado da Europa (onde passou mais de 15 anos estudando), conhece sua prima Aimé, e se apaixona por ela. André conta este fato à sua mãe quando este vai visitá-la. Sofia informa à sua prima Condessa Catarina, os sentimentos de seu filho.

Quando Catarina descobre que a sua filha foi rejeitada fica consternada, sabendo que isso poderia significar a ruína de sua família. Por outro lado, ao saber que André, na verdade, ama sua outra filha Aimé, fica horrorizada com o pensamento de como ficará Mônica com seu coração, mas aceita o novo compromisso.

Quando Mônica descobre os sentimentos de André, fica desesperada, pois não haveria mais o casamento que sempre sonhou. Ela fica doente, mas depois da recuperação, decide entrar para o convento e tomar os hábitos. Diz a todos que se sente aliviada porque André quebrou o seu compromisso e passa a fingir que sempre teve uma vocação religiosa.

Um dia, enquanto Aimé passeava na praia, avistou um homem que tomava banho em uma casa na praia e começou a espioná-lo. O homem era João do Diabo. Aimé, não conhecia nem a ele e nem a seu passado, tampouco sabia que ele era o filho de Francisco de Alcázar y Valle. Ela o observou distantemente, mas João percebeu sua presença.

Nos dias subsequentes, Aimé retornaria várias vezes para espiar João. Ele decide então armar uma armadilha enquanto ela está escondida esperando por ele. Assim que se conhecem eles têm um breve romance e se apaixonam.

André volta para a aldeia. Com a aprovação de sua mãe, e da Condessa Catarina, ele pede a mão de Aimé em casamento, algo que ela aceita, apesar de seu relacionamento com João.

Por outro lado, João começa a pensar que poderia se casar com Aimé, e um dia lhe pergunta se ela casaria com ele se ele fosse rico, ela responde: "Se fosse, por que não?".

Com essa pequena esperança João decide fazer uma viagem de dois meses para acumular uma fortuna e ser apresentado à família de Aimé como um bom futuro marido. Seu mentor, o advogado Noel Mancera, oferece-se para dar o seu sobrenome quando descobre que João está apaixonado por uma mulher, desconhecendo que a moça pela qual João está apaixonado é a Condessa Aimé de Altamira. João parte e Aimé promete esperar e casar com ele, apesar de já estar comprometida com André.

Depois de várias semanas, rumores estão começando a chegar de que João do Diabo havia sido detido em sua viagem e condenado a 10 anos de trabalhos forçados. Face a esta notícia, Aimé continua com o seu compromisso com André e o casamento se realiza.

João chega à cidade, no dia do casamento de Aimé e André. Apenas no dia seguinte, quando se reúne com Noel Mancera, ouve sobre o casamento que se realizara. Então, imediatamente parte para a fazenda de André, chamada "Campo Real", para confrontar e levar Aimé para forçá-la a cumprir sua promessa.

André, que nada sabe do seu parentesco com João e da aventura que este teve com sua esposa, decide empregá-lo como o novo administrador de sua fazenda.

Entretanto, Mônica abandona o convento e encontra-se com sua família na fazenda dos Alcázar y Valle. Ela começa a ser chamada de "Santa Mônica" por João e junto com sua mãe acabam descobrindo o romance que este viveu com Aimé.

André pretende reparar sua ofensa casando Mônica com seu amigo Alberto de la Serna, já que esta havia deixado o convento.

André descobre que João é realmente o seu irmão e que ele teve um caso indecente com alguma mulher da casa. André é incapaz de imaginar a verdade e imediatamente pensa que se trata de Mônica.
Devido a esse equívoco, Mônica é obrigada a se casar imediatamente.

Ela aceita para proteger André e sua irmã da vergonha, do escândalo e de suas consequências. Sendo já nomeado com João Alcazar y Valle, este contrai matrimônio com a Condessa Mônica de Altamira.

João e Mônica, apesar de casados por outros interesses, se apaixonam, mas não será fácil viver felizes para sempre. Apesar de estarem casados, não sabem se querem um ao outro ou só se respeitam.

João, que não tem certeza do amor de Mônica, tenta descobrir o que ela sente por ele, porque não sabe se ela ainda ama André, mas pouco a pouco, tal como ela, vai se apaixonando sem perceber. Mônica sempre negou querer André, e em uma conversa em que ambos confessam suas vidas e anseios, Mônica declara seu amor por João, que quer acreditar nela, porque ele já demonstra não estar mais interessado em Aimé.

Mas Aimé, que não está contente por ter perdido João para sua irmã, prepara um jogo escondendo um retrato de André, onde Mônica declarava o seu amor, dentro de uma roupa que deixou na casa de sua mãe, e a envia para a casa de João. Quando ele encontra, sente muita raiva e pede explicação à Mônica. Ela se recusa a explicar, ele então vai para a cantina do Tuerto e apenas a intervenção do Sr.

Noel faz com que João volte para casa e peça perdão à Mônica, dizendo que ela é a única que o deixa louco, e que se mataria por ela. Passam-se os dias e os dois felizes e apaixonados até que João tem que partir por conta dos seus negócios.

Espíndola e seu amigo Guadalupe Cagigas, preparam uma armadilha para acusar João de contrabando de armas e homicídio. Após o seu regresso, João é preso em sua casa juntamente com Tuerto e Noel, que foi libertado pouco tempo depois.

Espíndola não deixa que Mônica veja João, mas permite Aimé. Enquanto isso, Dona Sofia, consciente do amor que teve sua nora Aimé e João, traça um plano com o seu amigo Alberto de la Serna para se livrar de João e Aimé: dizer a ela que eles vão escapar juntos, e a ele que fugirá com Mônica, para matar sua nora a e João fingindo um acidente.

Como João não confia na senhora Sofia decide, antecipadamente, sua fuga. João agride Espíndola, e é ferindo com gravidade. Tuerto atira e mata o chefe de prisão. Assim conseguem fugir, mas como João está muito ferido, o levam para a cabana da curandeira Tehua, onde também esconde Aimé.

Entre Dona Sofia, Alberto de la Serna, e Guadalupe Cagigas fazem correr rumores que dizem que João e Aimé escaparam juntos no barco de Cajigas, que fazem explodir para fingir que morreram mesmo.
Oportunamente o juiz, em São Pedro se retira e é substituído por Marcelo Romero Vargas, que vem acompanhado por sua cunhada Amanda, viúva do seu irmão e de sua sobrinha, Mariana.

Logo ficam sabendo que Mariana não é filha do marido de Amanda, mas de Noel Mancera. Romero Vargas, que tem um senso de justiça, assume o caso de João, apesar de estar tramitando o processo de certidão de óbito. Noel descobre que as armas encontradas na caravela de João não são provenientes do contrabando, mas de uma apreensão anterior de um outro prisioneiro morto que estava na prisão e que foi réu apenas antes de João.

Mônica, destruída pela dor e luto como todos, acredita que João e sua irmã haviam morrido. Vários dias depois, Mônica descobre que João está vivo e decide vender a casa e o barco para fazê-lo voltar.

Aluga a casa para o novo juiz, e volta para a casa de sua mãe. Apresenta os documentos do navio para que André o venda. Ele compra para se desfazer dele e entrega à Batista, o seu capataz, que afunda o navio.

Mônica, que não cabe em si de tanta alegria ao ver João, cuida de suas feridas e propõe uma fuga juntos, mas João se nega porque não quer fugir a vida toda da justiça, porque ele é inocente, nem de André, que acredita que ele fugiu com a sua esposa e agora pode querer vingança.

Quando João reaparece na missa diante de todo o povoado, André o desafia para um duelo e quando isso ocorre, André estava tão bêbado que falha por duas vezes.

Mônica disse que não podia suportar ver João na prisão. João decide que o melhor seria se afastar dela até que fique provado que ele é inocente. Ele vai para uma fazenda abandonada, e quando Mônica o procura para contar que era incapaz de recuperar o barco que afundou, ele a faz acreditar que o barco era mais importante que ela, e encontra uma desculpa para ela ficar longe dele.

Entretanto, André sabe que Aimé era o amante de João e apenas a mantém em casa à espera de um filho, mas Aimé sofre um aborto, e para esconder a situação, ela decide sair à cavalo e fingir que caiu. Batista, para se vingar de seus patrões, coloca uma pedra embaixo da cela, e enquanto Aimé galopa o cavalo se irrita e a derruba nas rochas. Gravemente ferida, morre, mas não antes de fazer Mônica prometer que nunca mais voltará para João.

André, agora, viúvo, percebe o erro em ter se casado, e decide retirar seu sobrenome. Assim, o casamento seria anulado, pois João Alcazar y Valle deixa de existir.

João se entrega à justiça para esclarecer todos os fatos. Aproveitando a situação e inconformada pela morte de sua filha Aimé, Dona Catarina vende sua casa para João, mas sem Mônica saber que ele a compra. Dona catarina decide, então, ir com Mônica para a capital para a casa de sua tia Amália.

Quando João sai da prisão três meses mais tarde, indo para a capital para buscar sua esposa, sua prima lhe diz que Mônica não quer vê-lo. Desolado, volta a São Pedro.

Dona Catarina vê com bons olhos que André quer casar-se com Mônica e tenta convencê-la a aceitar. Mônica encontra-se novamente com João, que deseja falar com ela e explicar tudo, mas ela se recusa. Então João vai à noite na casa de André, para tentar entrar no quarto onde Mônica dorme com sua prima, pronto para obrigá-la a ouvir mesmo que ela implore para ele ir.

Saindo do quarto é surpreendido por André e Batista. Começa uma briga entre os irmãos. Batista dispara contra João para proteger André, mas Mônica se interpõe e fica ferida.

Determinada a não suportar mais que os dois irmãos a tenham como moeda de troca, ela aluga um quarto e passa a viver sozinha, mesmo com a oposição de todos.

Além disso, como Dona Sofia não quer que seu filho se case com Mônica, em seguida, culpa sua prima Catarina e suas filhas por todas as suas desgraças. Ela pede para que Mônica volte para seu marido João.

Vem à luz novamente a carta que Francisco escreveu reconhecendo João como seu filho. Sofia e Alberto novamente armam um plano para atacar e roubar a carta de Batista, que acreditavam estar com ele, mas João pensa o mesmo e embora saiba que só vai encontrar o envelope, pensa que isso será suficiente para provar a existência da carta para o juiz Romero Vargas.

Quando Batista é espancado pelos mercenários de Alberto, o envelope não aparece, algo que desaponta muito Sofia, porque ele o escondeu no chapéu. João acredita que foram atrasados, mas o chapéu está com Tuerto que acaba aparecendo com ele.

Uma noite, André, bêbado e ansioso por vingança, entra no quarto de Mônica e tenta possuí-la a forças, dizendo que, se João teve Aimé, ele também teria direito sobre Mônica, mas as súplicas delas fazem ele ver o que estava prestes a fazer e vai embora.

João continua insistindo com Mônica que o quer tanto quanto ele a quer. E mesmo correndo perigo, pretende visitá-la à noite em seu quarto. A dona da pensão reclama que não é digno Mônica receber visita de homens em horário inoportuno.

João, que recuperou o seu sobrenome graças à carta e ao juiz Romero Vargas, leva Mônica para a casa que era de Dona Catarina.

João descobre que Mônica está esperando um filho, mas ele diz que não se importa se for de André.

Finalmente, André convida João para ir à sua casa e, enquanto os dois estavam ali, acontece um terremoto que faz desabar a casa sobre suas cabeças. André fica preso sob os escombros e João, comovido, salva sua vida apesar de tudo.

Corre de volta para sua casa em ruínas e descobre que Mônica desapareceu. Desesperado, busca incansavelmente por dois dias entre os mortos e feridos, até que ela finalmente aparece na casa de Tehua. Ele segue para lá e sofre uma emboscada de Batista e os seus homens para matá-lo, mas se joga na água, onde Batista pensa que ele morreu, e Mônica, que o viu, pula atrás dele.

André, ferido pelo terremoto, ciente de que João salvou sua vida, apesar de tudo, reconsidera. Faz a mãe saber que ele não quer saber dela de novo, porque ela com suas intrigas só destruiu sua vida, e com raiva ele mata Batista quando este pretende asfixiar Dona Sofia.

Ao saber que João está em casa, André vai até lá decidido a esclarecer que nunca abusou de Mônica, pedindo perdão por tudo e dizer adeus a seu irmão.

Finalmente, João e Mônica puderam viver felizes.


CURIOSIDADES

Enrique Lizalde, que desempenhou o papel de "João do Diabo" na versão de 1966, desempenhou o papel de Noel nessa produção.

Coração selvagem se tornou uma das maiores telenovelas da história, além de ganhar o prêmio "TVyNovelas" como a melhor telenovela de 1994, que deu a volta ao mundo se tornando uma das mais vendidas pela Televisa.

Em 2009, uma nova versão, protagonizada por Aracely Arámbula e Eduardo Yáñez, foi produzida por Salvador Mejía para a Televisa.


COMENTÁRIOS

Nunca a Televisa esteve tão ambiciosa quanto nesse projeto. José Rendon, o produtor da novela, não errou, e Coração selvagem foi um estrondoso sucesso. Foi um épico, que marcou tanto, que nem dez anos pôde apagar o tamanho desse sucesso.

Aqui no Brasil, a telenovela foi apresentada três vezes, duas na CNT em 1997 e uma no SBT, em 2000.

A telenovela era a terceira reedição de uma história já consagrada pelo público. Nesse remake porém, a perfeição foi alcançada, reunindo um elenco feito especialmente para brilhar. Érika Buenfil seria Mônica, que acabou ficando com Edith González, que por sinal, inicialmente seria Aimé, papel que acabou consagrando Ana Colchero. Ariel López Padilla e Eduardo Palomo por pouco não estiveram na telenovela, mas felizmente acabaram ficando com os papéis de André e João do Diabo, respectivamente.

A trilha sonora e o figurino eram inéditos até então. Vários dos temas instrumentais da trama foram usados em telenovelas posteriores, e a partir de então, a emissora passou a cuidar melhor de suas trilhas sonoras. O figurino também foi confeccionado especialmente para a novela, e mais tarde, também foi reutilizado.

Com o elenco principal definido, começou mais uma trajetória de sucesso onde todos se destacaram. Ariel López Padilla jamais havia tido destaque em nenhuma telenovela, e foi uma revelação na pele de André Alcazar, um jovem rico e arrogante. Edith González como a sensível Mônica emocionou o público, que torceu do início ao fim pela personagem, brilhantemente interpretada. Cláudia Islas personificou a malvada Sofia, papel especialmente pensado para ela.

Yolanda Ventura como a impulsiva Açucena foi um ótimo destaque, viria a ganhar mais papéis principais a partir daí. A telenovela também revelou outros nomes, como César Évora e Verónica Merchant. Cabe ainda destacar o primeiro ator Enrique Lizalde, que como sempre, saiu-se muito bem.

Sobretudo, o grande destaque feminino foi a vilã Aimé e Ana Colchero que souberam aproveitar muito bem a oportunidade, tanto é que ofuscou muito Edith González. Rolam até comentários que Edith, sentindo-se apagada por Ana Colchero, pediu a saída de Aimé antes do previsto (tanto é que ela não morria exatamente no final da telenovela), e mais: Edith teria pedido aos diretores para sempre ficar de frente para câmera e exigia mais closes, onde Ana Colchero sempre ficaria de costas. Verdade ou não, Ana Colchero nem assim ficou por menos, e brilhou como a perversa irmã da heroína.

Eduardo Palomo ganhava seu primeiro papel estelar, e logo consagrou-se como João do Diabo. Ele foi um verdadeiro heroi, mas julgado um pirata pela alta sociedade da época. Apaixonado inicialmente por Aimé, ele apaixona-se pela doce Mônica, e tem seu sangue nobre reconhecido por alguns, tornando-se um grande líder. Eduardo esteve absolutamente perfeito no papel. Ele e Edith formaram um dos pares mais marcantes de todos os tempos. Eduardo e Edith projetavam a química perfeita na tela.

Mas há um fantasma quanto ao que se diz de Coração selvagem: nenhum dos principais envolvidos conseguiram igualar ou superar o êxito da telenovela depois. Eduardo Palomo tentou outras vezes usar uma fórmula parecida com João do Diabo, mas nunca com o mesmo sucesso. A própria Edith González, ainda emplacou êxitos como Nunca te povidaré e Salomé, mas também sem conseguir superar Mônica de Altamira. Ana Colchero ganhou um personagem estelar mais tarde, em Alondra, mas ainda que não tenha fracassado, não teve o mesmo alcance. Cláudia Islas ainda ganhou bons papéis, como a Amparo em Marisol, mas logo caiu no ostracismo e foi para a TV Azteca tentar algo melhor. E José Rendon, o produtor, só emendou fracassos após esse sucesso.

Apesar de tudo, os atores são muito agradecidos, afinal Coração selvagem proporcionou um sucesso avassalador para cada um deles. Eduardo Palomo não nega que João do Diabo foi seu personagem mais querido, assim como muitos outros.

Coração selvagem foi uma das primeiras telenovelas a ganhar praticamente todos os prêmios TVyNovelas (telenovela, ator, atriz, revelação masculina e feminina, primeira atriz, escritora, produtor, fora prêmios técnicos como figurino, direção e trilha sonora). Também pudera, foi um verdadeiro clássico da Televisa, e que seu sucesso jamais será esquecido nem apagado.

Prisioneira do amor


NOME ORIGINAL
Prisionera de amor

ESCRITORA
Valeria Phillips (Baseada na obra de Inés Rodena)

PRODUTOR
Pedro Damián

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
95

ANO DE GRAVAÇÃO
1994

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
Rede CNT - Gazeta

TEMA DE ABERTURA
Prisionera de amor

INTÉRPRETE
Rocío Banquells

Comenzó el día que te conocí, no supe más, solo me perdí.
No me importó ser la otra, después me dolió sentir por ti esta loca pasión.
Me extrañas igual que yo o más que yo y me duele esta verdad de ser…

Prisionera de amor ocultando el dolor, esperando ese día.
Prisionera de amor, suspirar junto a ti, sin pensar nada más.
Prisionera de amor, de saber que hay en ti.
Ha dejado su vida, no lo puedo ocultar amor, me tortura el callar.

Prisionera de amor ocultando el dolor, esperando ese día.
Prisionera de amor, suspirar junto a ti, sin pensar nada más.
Prisionera de amor, de saber que hay en ti.
Ha dejado su vida, me siento triste por ello amor, pero no puedo más.

Entiéndelo, el silencio me matará, desgarra mi alma, sin treguas ni perdón.
Te juro que lo intento y disimulo, mas me duele esta verdad de ser…

Prisionera de amor ocultando el dolor, esperando ese día.
Prisionera de amor, suspirar junto a ti, sin pensar nada más.
Prisionera de amor, de saber que hay en ti.
Ha dejado su vida, no lo puedo ocultar amor, me tortura el callar.
Prisionera de amor ocultando el dolor, esperando ese día.
Prisionera de amor, suspirar junto a ti, sin pensar nada más.
Prisionera de amor, de saber que hay en ti.
Ha dejado su vida, me siento triste por ello amor, pero no puedo más.


ELENCO

Maribel Guardia: Cristina Carbajal / Florência Rondán

Eduardo Santamarina: Rodrigo Miranda

Saúl Lisazo: José Armando Vidal

Carmen Amezcua: Gisele de Vidal

Rafael Baledón: Bráulio Monasterios

Eduardo Noriega: Bráulio Monasterios (Substituto)

Julieta Egurrola: Flávia Monasterios

Irán Eory: Heloísa Monasterios

Alberto Inzúa: Gastão Monasterios

Karla Álvarez: Karina Monasterios

Alisa Vélez: Rosinha Monasterios

Gerardo Hemmer: Alex Monasterios

Alix Bauer: Sônia Monasterios

Ariel López Padilla: Frederico Monasterios

Rosario Gálvez: Eugênia

Rodolfo Arias: Efren

Álvaro Carcaño: Pascual

Juan Felipe Preciado: Albino

Lorena Meritano: Esther

Fernando Ciangherotti: Augusto

Sebastián Ligarde: Geraldo Ávila

Gabriela Goldsmith: Isaura Durán

Juan Carlos Muñoz: Ângelo

Roberto Gutiérrez: Oswaldo Serrano

Silvia Dérbez: Charo

Fabiola Campomanes: Lucila

Patricia Martínez: Eufêmia

Leticia Calderón: Consuelo

Irma Torres: Librada

Alma Rosa Añorve: Jacinta

Leonardo García: Oscar

Mané Macedo: Délia Escobedo

Georgina Pedret: Luz

Mónica Dionne: Teté

Sergio Jiménez: Dr. Santos

Javier Gómez: Humberto


INTRODUÇÃO

Prisioneira do amor está baseada na obra Amalia Batista, protagonizada em 1983 por Susana Dosamantes e Rogelio Guerra. Está baseada também em Ileana, de 1977, com Helianta Cruz e Jean Carlos Simancas.

Essa versão de 1994 foi protagonizada pela atriz e cantora Maribel Guardia e pelo ator argentino Saúl Lisazo.


RESUMO

Cristina Carbajal, é uma mulher que foi presa injustamente por haver sido culpada pela morte de seu esposo. Depois de dez anos presa, consegue sair da prisão por boa conduta. Suas filhas Karina e Rosinha, que tinham respectivamente apenas cinco e um ano de idade, quando ela havia sido presa, agora possuem quinze e onze anos de idade.

Elas foram criadas pelos tios de seu pai, Bráulio e Heloísa Monasterios. Estes odeiam Cristina, pois realmente acreditam que a culpada pela morte de seu sobrinho seja ela. Os Monasterios chegaram a dizer às meninas que elas eram órfãs.

Ao sair da prisão, Cristina regressa ao lugar onde vivia e começa a trabalhar com o nome de Florência na casa de seu advogado defensor, José Armando Vidal, e sua esposa Gisele, uma mulher doce e de nobres sentimentos que está gravemente enferma, em seu estado terminal.

Gisele acolhe Florência e começa a educá-la para que possa fazer parte da alta sociedade e para que encontre um bom esposo.

Depois de vários meses, Gisele morre, mas não antes que José Armando se apaixonasse por Cristina, que sente o mesmo por seu advogado, mas está mais interessada em encontrar suas filhas.

Flávia, cunhada de Bráulio, teme que Karina e Rosinha herdem a fortuna da família no lugar de seus filhos Sônia e Alex. Esta diz a Karina que sua mãe está viva, mas é a assassina de seu pai. O que provoca o repúdio de Karina por sua mãe.

Florência se faz passar por uma assistente social para ajudar sua filha mais velha, Karina, que se tornou uma jovem desobediente e rebelde. Enquanto isso, um fotógrafo nota a extraordinária beleza de Cristina e publica algumas fotos dela em um jornal, com seu verdadeiro nome. Ao vê-la no jornal, suas filhas a procuram e a aceitam como sua verdadeira mãe.

Ainda que Karina esteja encantada vivendo com ela, Rosinha despreza a humilde condição em que vive sua mãe e recusa deixar o estilo de vida cômodo que tem junto a seus tios. Mesmo assim, ao se sentir excluída por eles, e, devido a nova relação que tem com sua mãe, aceita viver com Cristina porque no fundo sempre teve a ilusão de ter uma mãe a seu lado.

Os problemas entre os Monasterios e Cristina se resolvem: Karina se casa, e José Armando também se casa com Cristina. Pouco tempo depois, surgem diversos problemas nos casamentos de mãe e filha: Karina deixa seu esposo e volta a viver com sua mãe na casa de José Armando. Este começa a dar atenção a uma amante, Isaura Durán, que chega fica obcecada por ele, chegando a ameaçá-lo. Tanta é sua obsessão que ela perde as estribeiras, provocando um acidente de trânsito no qual ela morre. Depois da morte de Isaura, o casal se reconcilia.

Durante este tempo, Cristina descobre que está grávida, e dá à luz um menino, Armandinho. O casal está em sua plena felicidade, mas um acidente de trânsito mata o menino, deixando Cristina traumatizada, e esta acaba por culpar seu esposo pela morte de seu filho. Cristina perde a razão, e é internada em uma clínica de saúde mental. Sua crise, faz com Karina volte atrás com seu esposo, buscando apoio, e ambos se reconciliam.

Os meses passam, e Cristina não apresenta melhoras. José Armando chega a iniciar uma relação com Consuelo, a enfermeira que cuida de Cristina no hospital. José Armando consegue que os médicos declarem Cristina como louca e consegue a anulação de seu casamento. Depois disso, se casa com Consuelo.

No entanto, o doutor Miranda havia se apaixonado por Cristina, e decide fazer uma tentativa especial para ajudá-la em sua recuperação. Os esforços do doutor conseguem ajudar Cristina a superar o trauma pela morte de seu filho, e ela volta ao seu lar pensando que ainda continua casada com José Armando. Enquanto isso, José Armando está em conflito com seus sentimentos: quer Consuelo, mas ainda sente a foça do amor que teve por Cristina.

Depois da melhora de Cristina, Consuelo sente e vê o conflito de emoções que existe dentro de José Armando, e ela o abandona, deixando-o em liberdade para voltar com Cristina. Ao mesmo tempo em que Cristina descobre que ele a havia declarado como louca para se casar com outra, e ela se enfurece.

A história termina depois que Cristina descobre essa última e humilhante traição por parte de José Armando. Cristina jura que nunca mais voltará com ele, e o deixa só. Ela segue sua vida junto ao doutor Miranda.

sábado, 27 de março de 2010

Na própria carne


NOME ORIGINAL
En carne propia

ESCRITOR
Carlos Olmos

PRODUTOR
Carlos Téllez

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
8

ANO DE GRAVAÇÃO
1990

ANO DE ESTREIA NO BRASIL
1997

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Instrumental


ELENCO

Edith González: Estephanie Muriel / Natália de Jesus Ortega

Eduardo Yáñez: Leonardo Rivadeneyra

Angélica Aragón: Madalena Ovalle Dumont de Muriel

Gonzalo Vega: Otávio Muriel

Raúl Meráz: Afonso Dumont

Juan Peláez: Jerônimo

Mariana Levy: Dulce Olívia Montenegro

Martha Roth: Leda

Sebastian Ligarde: Abigail Muñóz

Cecilia Toussaint: Laura

Norma Lazareno: Gertrudes

Claudio Báez: Geraldo

Susana Alexander: Irmã Carolina

Liliana Weimer: Coral Labrada

Patricia Reyes Spíndola: Tota

Oscar Narváez: Agusto

Marta Aura: Ângela

Fernando Rubio: Hans

Maya Ramos: Júlia

Fernando Amaya: Dr. Reyes

Noé Murayama: Eusébio

Manuel López Ochoa: Pacheco

Alexis Ayala: Alexandre Tamaris

Irán Eory: Susana Tamaris

Alejandro Tomassi: Alexis

Verónica Terán: Astrid

Carlos Aguila: Dr. Murrieta

José Carlos Infante: Enrique

Lourdes Canale: Aurora

Sebastián Rosas: Abel

Joanna Brito: Anabel

Adrian Taboada: Manzano

María Fernanda Malo: Estephanie

Arturo Romano Orozco: Alfonso

Erika Carlson: Jennifer

Ivan Bonilla: Tranças

Tiaré Scanda: Pinguita

Héctor Parra: Adriano

Lucía Pailles: Joaquina

Alberto Perdomo: Jorge

Luis David: Joaquim

Héctor Dupuy: Franklin

David Armenta: Cachito

Ismael Azcúe: Zepeda

José Ávila: Motorista

Soledad Ruíz: Cecília

Ricardo Lezama: Gumaro

Julia Alfonso: Acácia

Lourdes Villareal: Rainha


INTRODUÇÃO

Essa história policial de Carlos Téllez, conta a com a participação de Edith González como uma menina que, quando criança foi raptada. A personagem de Angélica Aragón que interpreta a mãe da menina, perde sua própria vida nas mãos de seu esposo, o conhecido vilão com a mão de ferro. O encarregado pela investigação era um detetive interpretado por Eduardo Yáñez.

A Rede CNT, que não havia se interessado em exibir a telenovela Na própria carne, deixou que o SBT a exibisse, e este a colocava ao ar somente aos sábados às 15h00, em capítulos gigantescos de mais de quatro horas, como se fosse uma semana inteira em um dia apenas.


RESUMO

Leonardo Rivadeneyra, um detetive particular, recebe a visita de uma bela e elegante mulher que se identifica como Madalena Dumont, esta começa a contar-lhe um relato aterrorizante.

Anos atrás, raptaram a filha de Madalena, chamada Estephanie. O engenheiro Otávio Muriel, esposo de Madalena, foi com o dinheiro do resgate, até o lugar indicado pelos sequestradores, mas os criminosos fugiram com a menina em um helicópteo que explodiu no ar, sem deixar sobreviventes.

Antes do acidente, um dos sequestradores havia baleado a mão de Otávio, que desde então usava uma prótese de metal. Madalena, diante da desesperação se entrega ao alcoolismo. Ela, com muito esforço para tentar deixar a bebida, inicia uma investigação para esclarecer os fatos que rondaram os últimos dias de Estephanie.

Os resultados dessa investigação são horripilantes, já que indicam Otávio como o autor intelectual do rapto de sua própria filha. Para alegria de Madalena, descobrem que Estephanie, na realidade, não morreu, mas agora, vive no Canadá, sob a identidade de Natália de Jesus.

Natália, que desde a explosão, não pôde mais enxergar, não se lembra de seu passado e agora se dedica como professora de crianças com deficiências visuais.

Madalena que havia contratado os serviços de Leonardo para que revelasse a todos o ato criminal de seu esposo, morre em circusntâncias estranhas, antes mesmo de que Leonardo iniciasse sua investigação.

Leonardo é contratado por Afonso Dumont, pai de Madalena, que se encontra muito doente, mas que deseja desmascarar Otávio e provar que este também foi o assassino de sua filha.

Ainda que o engenheiro Muriel fosse o herdeiro universal de sua esposa, o testamento de Madalena trazia uma cláusula na qual ela seria doadora de suas córneas para que fossem transplantadas em Natália de Jesus, para que esta voltasse a ver.