segunda-feira, 30 de março de 2015

Zap Novelas anuncia a estreia de Não Acredito nos Homens


A Cor da Paixão está prestes a se despedir da Zap Novelas e para ocupar seu posto a próxima novidade do canal é Não Acredito nos Homens, a mais recente versão do romance escrito por Caridad Bravo Adams, originalmente intitulado Yo no Creo en los Hombres. Lançada no México em 2014, a telenovela é uma produção de Giselle González e tem como protagonistas a atriz Adriana Louvier e o galã Gabriel Soto, acompanhados de Flavio Medina, Sophie Alexander, Azela Robinson e Rosa María Bianchi. Alejandro Camacho, Luz María Jerez, Macaria, Sonia Franco e Estefanía Villarreal também integram o elenco desta produção, que se tornou a mais premiada entre as telenovelas mexicanas de 2014 na última edição dos Prêmios TVyNovelas, celebrada no início deste mês.

Em fase de dublagem em português no Rio de Janeiro, Não Acredito nos Homens contará a história de Maria Dolores (Adriana Louvier), uma jovem nobre e de coração aberto, mas que sofrerá grandes desilusões na vida. De origem pobre, mas com bons sentimentos, Maria Dolores possui um grande talento para confeccionar vestidos de alta costura. Após a morte de seu pai, durante um assalto, ela conhece Maximiliano (Gabriel Soto), um atraente e honesto advogado que se oferece para ajudá-la. Apesar da forte atração que surge entre ambos, ele está comprometido com uma mulher da alta sociedade, chamada Maleny (Sophie Alexander), que o engana com seu professor de tênis. Por sua parte, Maria Dolores está apaixonada por um homem sem escrúpulos, chamado Daniel (Flavio Medina), que termina abandonando-a grávida por uma mulher endinheirada.

Com previsão de estreia para o próximo dia 23 de abril, Não Acredito nos Homens será exibida às 20h00, pelo horário de Angola, e às 21h00, em Moçambique.

A Usurpadora reestreia no SBT


A partir desta segunda-feira, 30 de março, às 17h00, o SBT traz de volta a telenovela A Usurpadora, em sua sétima exibição no Brasil, onde foi exibida pela primeira vez em 1999 e, de lá pra cá, reprisada em meados de 2000, 2005, 2007 e, mais recentemente, em 2012, tendo sido também emitida pelo canal pago TLN Network, no mesmo ano de 2012. Original da escritora Inés Rodena, este clássico da teledramaturgia mexicana é uma produção de Salvador Mejía, protagonizado pela atriz venezuelana Gabriela Spanic e pelo galã mexicano Fernando Colunga. O núcleo principal também conta com as atuações de Chantal Andere, Juan Pablo Gamboa, Dominika Paleta, Mario Cimarro e Libertad Lamarque.


SINOPSE

Paulina e Paola são duas mulheres idênticas na aparência, mas com personalidade e padrão de vida completamente opostos. Paulina é uma moça pobre e honesta, que vive com a mãe numa pequena choupana no litoral e trabalha como arrumadeira num elegante clube da cidade. Paulina vive um drama pessoal com a doença da mãe, dona Paula, que está desenganada pelos médicos. Paola, por sua vez, é uma jovem senhora da alta sociedade. Mulher fria, calculista, aventureira e de muitos amantes. Apesar de ser casada com Carlos Daniel, Paola só pensa em encontrar uma maneira de se divertir longe do marido e da família.

Um dia, o destino coloca frente a frente Paulina e Paola e, ao perceber a incrível semelhança que existe entre elas, Paola tem uma ideia para se livrar do marido sem que ele perceba: transformar Paulina em sua usurpadora. Mas, a arrumadeira nega a proposta de Paola.

Os Brachos vivem outro problema, a fábrica da família está numa situação muito difícil e seu futuro preocupa Carlos Daniel. A saúde de dona Paula se agrava e Paulina se desespera pois não tem dinheiro para comprar os remédios que sua mãe necessita. Paulina pede um empréstimo ao patrão, mas diante da negativa ela só tem uma saída: pedir ajuda a Paola. Aproveitando-se da fragilidade de Paulina, que vive uma depressão aguda pela morte da mãe e por uma decepção amorosa, Paola volta a insistir na troca de identidade.

Paulina se nega terminantemente, mas é vítima da ambição de Paola que, para conseguir o que quer, é capaz de qualquer coisa, até de acusar alguém injustamente. Acusada de roubo, Paulina é obrigada a aceitar a troca para não ir para a cadeia.

Paulina se culpa por estar enganando a família Bracho e por ter se submetido ao capricho de Paola. Para reparar seu erro, Paulina se dedica a cuidar bem da família Bracho. Apoia Carlos Daniel em tudo, ajuda a salvar a fábrica da falência, é muito amorosa com seus dois filhos e trata com carinho a Vovó Piedade, que se livra do vício em álcool.

Apesar de não ter percebido a troca, Carlos Daniel sente que está mais apaixonado pela esposa. É que Paulina é mais doce, dedicada e compreensiva. Paulina também está apaixonada por Carlos Daniel, mas sabe que é um amor impossível. Um ano depois, cansada de suas aventuras, Paola decide voltar para ocupar novamente o seu lugar e Paulina é desmascarada.


PERSONAGENS


Paulina Martins (Gabriela Spanic)

É uma jovem humilde e pobre, que vive com sua mãe doente em uma pequena casa à beira da praia. Tem uma situação financeira difícil e para poder pagar os medicamentos que sua mãe necessita, trabalha em um hotel de luxo. Está apaixonada por Osvaldo, um canalha que a abandona. Manipulada por Paola, passa por uma grande transformação para ocupar o lugar dela na mansão Bracho.



Paola Bracho (Gabriela Spanic)

É a esposa de Carlos Daniel e amante de muitos outros. Bonita, elegante e decidida, porém má e manipuladora. É vaidosa, caprichosa e mentirosa. Tem muito dinheiro, gosta de se maquiar como uma modelo e de usar roupas finas e de marca. Seu nível cultural não é elevado, mas tem uma aparência distinta. Ao conhecer Paulina vê uma maneira de concluir seus planos e criar uma nova vida para si mesma.



Carlos Daniel Bracho (Fernando Colunga)

É o marido de Paola, pai de Lisete e Carlinhos, filhos que teve com sua primeira esposa, já falecida. Ama Paola e por ter uma personalidade fraca, em algumas ocasiões se deixa ser dominado por ela. Tem bom gosto e educação, porque foi criado no seio de uma família descente e honesta. Apaixona-se por Paulina, acreditando que ela seja sua esposa.



Leda Duran Bracho (Dominika Paleta)

É uma prima distante de Carlos Daniel. Bonita, jovem e libertina, chega à casa dos Bracho para ser a rival de Paulina, que enfrenta uma luta interna pelo amor de Carlos Daniel. Embora tenha problemas financeiros, Leda vive uma vida de aparências alimentando sua vaidade com valores materiais. Pode-se dizer que é “a outra”, mas quando Paola retorna à casa, Leda se afasta para não estragar seus planos.



Estephanie Bracho (Chantal Andere)

É a irmã mais nova de Carlos Daniel e esposa de Willy. Religiosa, tem muitos problemas e complexos. Seu marido é um acomodado que a engana com outras. Sua amargura a leva a fazer maldades. É descuidada na aparência, está sempre vestida de preto e de maneira antiquada. Odeia as duas irmãs, especialmente Paulina.



Willy (Juan Pablo Gamboa)

É o marido de Estephanie. É um interesseiro que não gosta de sua esposa. Está com ela por conveniência e, por isso, pratica diversas maldades. Vive um romance com Paola.



Vovó Piedade Bracho (Libertad Lamarque)

É a avó de Carlos Daniel. É alcoólatra e ajudada por Paulina para se livrar da bebida. No fundo, ainda é uma mulher de pulso firme e pronta para tomar as rédeas da família.



Adelina (Magda Guzmán)

É a fiel governanta da mansão Bracho. É a grande companheira de Vovó Piedade. Tem um carinho acima do normal por Estephanie, neta de Piedade. Na realidade, isso esconde um grande segredo: ela é a verdadeira mãe de Estephanie.



Lalinha (Paty Díaz)

É a empregada da família. Fofoqueira e cúmplice de Paola, pois ajuda a patroa a esconder seus segredos e romances.



Carlinhos (Sergio Miguel) e Lisete (María Soler)

São os filhos de Carlos Daniel. Carlinhos é problemático, muito covarde e imaturo, mas com a chegada de Paulina vai mudar o seu jeito de ser e se apegará muito a ela. Lisete é a filha menor de Carlos Daniel. Sua maior diversão é se fantasiar. Está alheia aos problemas da casa.



Verônica (Adriana Fonseca)

É a nova secretária de Carlos Daniel. Apaixona-se por ele, mas, depois, se envolve com Leandro, um dos funcionários da fábrica Bracho.



Luciano Alcântara (Mario Cimarro)

É um jovem galã que vive sem preocupações. Primo de Paola, é seu outro amante e também seu cúmplice.



Rodrigo Bracho (Marcelo Buquet)

É o irmão mais velho de Carlos Daniel, trabalha na empresa da família.



Patrícia Bracho (Jessica Jurado)

É a esposa de Rodrigo.

domingo, 29 de março de 2015

Os dubladores de Mil e Uma Noites


Originalmente intitulada Binbir Gece, Mil e Uma Noites é uma telenovela turca lançada em 2007, que chegou recentemente ao Brasil e já conquistou milhares de fãs. Sucesso absoluto por onde passa, o drama de Sherazade e Onur cativou espectadores do Oriente Médio, Leste Europeu e, mais recentemente, de países da América do Sul, como Chile, Argentina, Peru, Colômbia e Uruguai. Com uma intensa história de amor entre os protagonistas, que ultrapassou as barreiras da ficção, Mil e Uma Noites é protagonizada por Bergüzar Korel e Halit Ergenç e relata o drama de uma mãe que, para salvar seu filho diagnosticado com leucemia, se dispõe a se entregar de corpo e alma para conseguir o dinheiro que precisa para seu transplante e tratamento. No Brasil, o folhetim estreou no início deste mês e atualmente é exibido pela Band, de segunda a sábado, com dublagem em português realizada pelo estúdio Dublavídeo, de São Paulo. A direção de dublagem está a cargo do ator e dublador Leonardo Camillo e a seguir você confere alguns nomes que integram o elenco de dublagem de Mil e Uma Noites:


Fernanda Bullara: Bergüzar Korel (Sherazade Evliyaoğlu)

Nestor Chiesse: Halit Ergenç (Onur Aksal)

Alexandre Marconato: Tardu Inceoglu (Kerem İnceoğlu)

Cássia Bisceglia: Ceyda Düvenci (Bennu Ataman İnceoğlu)

Renato Cavalcanti: Efe Çinar (Kaan Evliyaoğlu)

Letícia Quinto: Yonca Cevher Yenel (Füsun Evliyaoğlu)

Alfredo Rollo: Ergün Demir (Ali Kemal Evliyaoğlu)

Gilberto Baroli: Metin Çekmez (Burhan Evliyaoğlu)

Rosa Maria Baroli: Tomris Incer (Nadide Evliyaoğlu)

Gabriel Noya: Bartu Küçükçağlayan (Gani)

Rosana Beltrame: Meral Çetinkaya (Feride Aksal)

Denise Reis: Aytaç Öztuna (Seval İnceoğlu)

Giulia de Brito: Feyzan Çapa (Buket Evliyaoğlu)

Sicilia Vidal: Hazal Gürel (Burçu Evliyaoğlu)

Sandra Mara Azevedo: Melahat Abbasova (Mihriban)

Elisa Villon: Sennur Kaya (Firdevs)

Isabel de Sá: Sevda Aktolga (Nurhayat)

Silvia Suzy: Nihan Durukan (Aysen)

Priscilla Concepcion: Füsun Kostak (Yansel)

Henrique Reis: Ümit Bülent Dinçer (Doruk)

Fábio Moura: Murat Serezli (Dr. Atilla)

Fernando Rocha: Ahmed

Filme mexicano A Ditadura Perfeita estreia na Netflix dublado em português


Na última sexta-feira, 27 de março, a plataforma digital Netflix adicionou em seu catálogo de filmes de toda a América Latina o longa-metragem mexicano La Dictadura Perfecta, do diretor Luis Estrada. O filme, lançado no ano passado, se posicionou em primeiro lugar no México entre as produções nacionais em cartaz, sendo visto por mais de 4 milhões de pessoas. Agora, depois de apenas cinco meses de sua estreia nos cinemas, chega ao serviço de streaming da Netflix também no Brasil, com opção de áudio em espanhol ou dublado em português, com ou sem legendas.

Protagonizado por Damián Alcázar, o elenco do filme conta ainda com vários atores conhecidos pelo público brasileiro, como Alfonso Herrera e Tony Dalton (Rebelde), Osvaldo Benavides e Itatí Cantoral (Maria do Bairro), Saúl Lisazo (Por teu Amor), Silvia Navarro e María Rojo (Amanhã é Para Sempre), Sergio Mayer e Arath de la Torre (A Feia Mais Bela), Salvador Sánchez (Meu Pecado) e Ingrid Martz (Coração Indomável). O time de atores se completa com participações de Joaquín Cosío, Flavio Medina, Livia Brito, Jorge Poza, Enrique Arreola, Sonia Couoh, Dagoberto Gama, Luis Fernando Peña e Gustavo Sánchez Parra, entre outros.

A Ditadura Perfeita é uma sátira política baseada em fatos reais que agitaram o México, como vídeos de escândalos políticos e o caso da menina Paulette. O filme arranca com uma sequência fictícia na qual o recém eleito Presidente do México (Sergio Mayer), recebe o embaixador norte-americano e comete mais um dos seus frequentes disparates. A TV MX, poderosa corporação mexicana de televisão, deve, então, ajudar seu amigo e aliado a sair do problema antes que isso se torne outra grave crise de imagem e popularidade. Para desviar a atenção dos mexicanos, a emissora exibe em seu principal telejornal, e de maneira muito escandalosa, um vídeo que denuncia o Governador Carmelo Vargas (Damián Alcázar) no envolvimento com graves negócios ilícitos.

O Governador Vargas, preocupado por seu futuro político, decide negociar um milionário e secreto acordo com os proprietários da emissora. Carlos Rojo (Alfonso Herrera), um jovem e ambicioso produtor do telejornal; Ricardo Díaz (Osvaldo Benavides), repórter estrela da TV MX e Javier Pérez Harris (Saúl Lisazo), apresentador do telejornal, são induzidos a mudar a imagem que a opinião pública tem sobre o corrupto governador e, para isso, veiculam outra notícia sensacionalista para abafar o caso, desviar a atenção púbica e fazer com que a oposição deixe de criticá-lo.

Com a inclusão deste filme, a Netflix nutre seu catálogo de cinema mexicano que já inclui produções como Amor a Primera Visa, Amor Letra por Letra, Amores Brutos, Aquí Entre Nos, Canon - Fidelidad al Límite, Cansada de Besar Sapos, Cásese Quien Pueda, Como Agua Para Chocolate, El Infierno, La Misma Luna, Labios Rojos, Ladies’ Night, Me Late Chocolate, No se Aceptan Devoluciones, Volverte a Ver, entre outras.

Meu Pecado


NOME ORIGINAL
Mi Pecado

ESCRITORES
Cuauhtémoc Blanco, María del Carmen Peña e Víctor Manuel Medina

PAÍS DE ORIGEM
México

NÚMERO DE EPISÓDIOS
110

ANO DE GRAVAÇÃO
2009

ANO DE EXIBIÇÃO NO BRASIL
2014

EMISSORA
SBT

TEMA DE ABERTURA
Como se explica o amor?

INTÉRPRETE
Maite Perroni

Como se pinta um quadro vazio?
Como se volta uma noite atrás?
Como se fala sem dizer palavras?
Que quando eu te vejo não sei dizer mais.

Diz como alcançar essa lua no céu.
Como se pinta o azul do mar?
Como se guarda pra sempre um momento?
Como um amor pode fazer sonhar?
Como se fala de um sentimento, sem chorar?
Como se explica o amor?

Amar você, tocar você,
eu quero te entregar meus carinhos e beijos
só pra ter você, te pertencer
e tudo que tiver de melhor vai nos acontecer.
E assim voar contigo outra vez.
Como se explica o amor?...

Como seria se um dia a lua se encontrasse de vez com o sol?
E nesse momento estrelas caíssem um brilho intenso de luz, um farol…

Essa melodia é o nosso universo e os nossos sonhos um jardim em flor,
a cada sorriso eu chego mais perto de voar.
Como se explica o amor?

Amar você, tocar você,
eu quero te entregar meus carinhos e beijos
só pra ter você, te pertencer
e tudo que tiver de melhor vai nos acontecer.
E assim voar contigo outra vez.
Como se explica o amor?

Amar você, tocar você,
eu quero te entregar meus carinhos e beijos
só pra ter você, te pertencer
e tudo que tiver de melhor vai nos acontecer.
E assim voar contigo outra vez.
Como se explica o amor?...

Como seria se um dia a lua se encontrasse de vez com o sol?


ELENCO

Maite Perroni: Lucrécia Córdoba Pedrosa

Eugenio Siller: Julian Horta Aldama

Daniela Castro: Rosário Pedrosa de Córdoba

Armando Araiza: Carmelo Souza Valdívia

Jessica Coch: Renata Valencia

Roberto Blandón: Paulino Córdoba

Sergio Goyri: Ramiro Souza Beltrán

Salvador Sánchez: Padre Matias Quiroga

Francisco Gattorno: Rodolfo Horta

Sabine Moussier: Justina Aldama de Horta

Diego Amozurrutia: Josué Horta Aldama

Jacqueline García: Branca Quiroga

Gabriela Carrillo: Teresa Souza Valdívia

Aldo Gallardo: Manuel Solís

Magda Karina: Delfina Solís

Tina Romero: Assunção Torres

Antonio Medellín: Modesto Flores

Vannya Valencia: Lorena Mendizábal Molina

Altair Jarabo: Lorena Mendizábal Molina (Substituta)

Ricardo Franco: Miguel Molina

Ursula Prats: Matilde Molina de Mendizábal

Sergio Reynoso: Ernesto Mendizábal

Dacia Arcaráz: Irene Valenzuela

María Prado: Rita López

Amparo Garrido: Dona Socorro

Claudia Cervantes: Tonha

Gilberto de Anda: Fidel Cruz

Claudio Báez: Dr. Luciano Ordorica

Benjamin Islas: Dr. Manrique

Lucía Méndez: Inês Valdívia de Souza

Diego Velázquez: César Córdoba Pedrosa

Daniela Aedo: Lucrécia Córdoba Pedrosa (Criança)

Adriano Zendejas: Juliano Horta Aldama (Criança)

Robin Vega: Josué Horta Aldama (Criança)

Alejandro Cervantes: Manuel Solís (Criança)

Inés Blumenthal: Renata Valencia (Criança)

Jesús More: Amante de Renata

Milia Nader: Professora


PERSONAGENS

Lucrécia Córdoba Pedrosa (Maite Perroni) - no início da história, Lucrécia é uma garota de nove anos, irmã gêmea de César e amiga de Manuel e Juliano. Foi criada por Delfina, sua babá, e após a morte de seu irmão foi internada em um colégio distante de sua família, onde passou o restante de sua adolescência. Com o passar do tempo, tornou-se uma linda mulher e os conflitos com a sua mãe lhe deram coragem para enfrentá-la. Por natureza, é extrovertida, mas a rejeição de sua mãe a tornou retraída. Desde pequena, carrega uma culpa que não sabe definir e mesmo desejando ser livre e independente, é insegura e submissa a sua mãe que a manipula à sua vontade, acusando-a pela morte de seu irmão gêmeo. Somente o amor por Juliano poderá libertá-la de seus sentimentos de culpa e da necessidade de justificar sua existência a sua mãe.

Juliano Horta Aldama (Eugenio Siller) - é filho de Rodolfo e Justina, irmão mais velho de Josué e melhor amigo de Lucrécia. Desde pequeno sua personalidade é forte. Sofre pela má relação de seus pais e pela inveja de seu irmão Josué. É atraente, ama a vida ao ar livre e o cultivo da terra. Juliano se dá bem com seu pai, mas não gosta que tenha uma personalidade tão fraca. Sua mãe é causadora de muitos conflitos, é frustrada, chantagista e exigente. A tragédia e a desgraça o perseguem, sendo culpado por tudo o que acontece. Essas pressões o tornam um homem forte, com o caráter suficiente para enfrentar o que seja pelo amor de Lucrécia. Para ele, o amor de Lucrécia é sua única salvação em um mundo onde somente tem passado por injustiças.

Rosário Pedrosa de Córdoba (Daniela Castro) - é a esposa de Paulino, a mãe de César e Lucrécia, a quem despreza por ser mais forte que seu irmão gêmeo. Sempre viveu rodeada de comodidades, mas com um pai dominante que a fazia sentir inferior, o que agora faz com que trate sua filha da mesma maneira. Rosário acredita firmemente que os homens são os que merecem os privilégios e sua frustração é constante. Vive com um ressentimento permanente por sua condição de mulher. É muito astuta e deseja ter o controle sobre todas as coisas. Opõe-se à relação de Lucrécia com Juliano, pois o culpa pela morte de seu filho César. Vive com uma extrema necessidade de impedir que sua filha possa comprovar que é possível ser mulher conservando um valor autêntico.

Carmelo Souza Valdívia (Armando Araiza) - é o irmão de Teresa, filho de Inês e Ramiro. Após a morte de sua mãe, cresce rodeado de privilégios, sentindo que merece tudo sem a necessidade de fazer algo para conquistá-lo, mesmo tendo que suportar as constantes humilhações de seu pai, um homem cínico e com falta de ética que cria um monstro pior que ele, mas a quem Carmelo detesta e termina matando. Carmelo não tem escrúpulos, nem é capaz de amar alguém. Trata de usar a todos e faz de Lucrécia seu grande capricho, pois esta é a melhor maneira de causar sofrimento a Juliano, de quem sente inveja e um ódio implacável.

Renata Valencia (Jessica Coch) - é prima de Lucrécia. É bonita, mas utiliza seu físico de modo imoral. É uma mulher arrogante e invejosa por natureza, ambiciona o que tem por perto, sem ser capaz de conseguir por seus próprios méritos. Deseja tudo o que é de sua prima, inclusive o amor de Juliano. Vendo que não consegue, perde o controle sobre sua inveja e passa a desejar de maneira doentia tudo o que pertence a Lucrécia, que se torna vítima de sua inveja. Renata não descansará e fará o impossível para tomar de sua rival o que considera valioso e se não puder tomar irá destruir.

Paulino Córdoba (Roberto Blandón) - é o esposo de Rosário, o pai de Lucrécia e César. É proprietário da fazenda Milagre, herança de seus avós paternos. Amigo de Ramiro, Rodolfo e Matias. É trabalhador, digno e próspero. Casou-se muito apaixonado por Rosário, sem saber sobre sua obsessão por ter filhos homens. Seu desprezo por sua filha Lucrécia, a quem Paulino adora, faz com que seu casamento se deteriore pouco a pouco, até que já não reste nada. Teve uma aventura adúltera com a mulher de um dos seus melhores amigos, pecado este que o faz sentir culpado e que quase o destrói. Acredita que Lucrécia não é a mais indicada para tomar conta do patrimônio da família quando ele faltar, entretanto, admira sua força de caráter e reconhece que foi injusto em não confiar nela como sua sucessora por uma mera questão de gênero.

Ramiro Souza Beltrán (Sergio Goyri) - é um homem disposto a conseguir o que quer, custe o que custar. É astuto e hipócrita. Sabe manipular os demais e necessita sentir-se superior aos amigos próximos que o viram crescer, especialmente aqueles que são homens de bem. Não é capaz de amar verdadeiramente e sustenta suas relações na paixão, no rancor e na vingança. Foi capaz de casar-se com uma mulher que não amava para matá-la, com o objetivo de herdar sua fortuna. Sabe esconder suas verdadeiras intenções. Engana o seu amigo Rodolfo e torna-se amante de Justina.

Matias Quiroga (Salvador Sánchez) - é o padre da paróquia de São Pedro. É tio de Branca e amigo de Paulino, Ramiro e Rodolfo.  É inteligente e de profundas convicções. As pessoas o admiram e apreciam sua força de caráter, sabedoria e misericórdia. É acusado injustamente de ter uma relação com sua sobrinha. Atormenta-se pelos pecados de seus amigos, por isso buscará a verdade e a justiça. Apoiará o amor de Lucrécia e de Juliano.

Rodolfo Horta (Francisco Gattorno) - é o esposo de Justina, o pai de Juliano e Josué. Amigo de Paulino, Ramiro e Matias. É um homem íntegro, de caráter tranquilo e conciliador. Filho de professores do campo, conservou a tradição e tornou-se o professor da escola do povoado. Nunca foi ambicioso, gosta do trabalho duro, é generoso e solidário; sua personalidade é doce, mas também fraca, o que o torna alvo de agressões físicas e morais por parte de sua esposa Justina. Juliano é seu orgulho e cúmplice incondicional. Com Josué, não teve o mesmo contato, porque a mãe agarrou sua atenção completamente. A vida de Rodolfo resume-se em ajudar sua família, sua comunidade e ser feliz através do trabalho.

Justina Aldama de Horta (Sabine Moussier) - é a esposa de Rodolfo, a mãe de Juliano e Josué. É uma mulher atraente e sensual, porém exigente, chantagista, ressentida e enormemente frustrada. Foi amante de Paulino e de Ramiro, mas essas relações sempre foram meramente sexuais. Justina vive amargurada por tudo o que seu marido não lhe pode dar. Nunca amou Rodolfo, mas sabe que ele e seus filhos são a única coisa decente que possui em sua vida, cheia de aventuras amorosas e pecado. Quando começa a perder seu encanto e atração para os homens, Justina sofre uma mudança drástica e trata de limpar os pecados e as culpas que a atormentam, mas não é sincera e sua frustração torna-se ainda maior, pois continua cometendo erros e provocando dor nas pessoas em seu entorno.

Josué Horta (Diego Amozurrutia) - é filho de Rodolfo e Justina, irmão de Juliano. Tem uma visão equivocada de si mesmo, o que o faz supor que mereça tudo sem qualquer esforço. Sente inveja de seu irmão, principalmente por sua relação com seu pai e também pelo amor de Lucrécia, o que o faz optar por uma falsa vocação após um acidente que o deixará marcado para sempre. No sacerdócio, Josué encontrará a autoridade moral e pública que em outras circunstâncias nunca chegaria a ter.

Branca Quiroga (Jacqueline García) - é sobrinha do Padre Matias. Seu tio é a única pessoa que tem na vida e a quem tem como seu principal exemplo. Carrega o estigma de sua mãe pecadora e termina repetindo o seu exemplo. Sua infância foi difícil, enfrentou um desprezo contra o qual nunca conseguiu lutar. É vítima de Carmelo, por quem se apaixona e engravida. Sua personalidade é tímida, frágil e medrosa. É a vítima fácil de qualquer agressão vinda de uma personalidade forte e decidida.

Teresa Souza Valdivia (Gabriela Carrillo) - é filha de Ramiro, irmã de Carmelo e amiga de Lucrécia. Sofre com a pouca atenção de seu pai. Com a morte de sua mãe, Assunção foi quem se encarregou de seus cuidados. Tem uma personalidade amável, mas insegura, e não reconhece sua beleza. Tem boas intenções, mas é manipulável. Apaixona-se por Juliano, mas sabe que ele não lhe corresponde, pelo que decide procurar apoiá-lo em sua relação com Lucrécia. Conhecerá o amor na pessoa que menos espera.

Assunção Torres (Tina Romero) - é a empregada da casa de Ramiro, babá de Carmelo e Teresa. Comadre de Delfina. Sabe desempenhar o papel de empregada submissa e eficiente. Sua proximidade com os Souza lhe permite ser testemunha de situações comprometedoras que a envolvem cada vez mais nas intimidades legais e ilegais da família. Seu amor de mãe substituta é mais forte que sua honestidade natural, por isso é comum vê-la em conflito com Carmelo, o herdeiro das tramoias de seu pai.


INTRODUÇÃO

Produzida por Juan Osorio, Meu Pecado foi uma grande aposta da Televisa por uma história sem precedentes, escrita pelos mesmos criadores de Manancial e Canavial de Paixões, e gravada em belas paisagens naturais do estado mexicano de Chiapas. Com um elenco de luxo, reuniu atores consagrados como Daniela Castro, Sergio Goyri, Sabine Moussier, Francisco Gattorno, Roberto Blandón e Salvador Sánchez, além de diversos talentos juvenis.


RESUMO

Paulino, Ramiro, Rodolfo e Matias são amigos desde a infância, porém, depois de adultos, suas prioridades mudam e um pecado ameaça destruir sua relação de amizade. Paulino é o proprietário da fazenda Milagre, produtora de maçãs, e esposo de Rosário, com quem tem dois filhos, César e Lucrécia. Rosário sempre demonstrou sua preferência pelo garoto e uma visível rejeição contra sua filha, que cresceu aos cuidados de Delfina, a empregada de Rosário e mãe de Manuel.

Lucrécia e Manuel se consideram irmãos de leite, porque foi Delfina quem os amamentou. O melhor amigo de Lucrécia é Juliano, com quem compartilha os mesmos gostos e uma sensibilidade que com o decorrer os anos origina um grande amor.

Ramiro é um homem astuto e ambicioso que mata sua esposa Inês, para apoderar-se de sua fortuna; além disso, manipula seus amigos e seus filhos Carmelo e Teresa. É o proprietário das melhores terras de cultivo, as quais ele arrenda a Paulino, para controlar a distribuição e a comercialização das maçãs.

Rodolfo é o professor do povoado de São Pedro. É um homem íntegro e trabalhador, casado com Justina, uma mulher sensual, que vive insatisfeita pelo pouco que seu marido lhe proporciona. São pais de Juliano e Josué. Justina é quem dá início aos graves conflitos que ameaçam destruir a relação de amizade entre Rodolfo, Paulino e Ramiro.

Matias, sacerdote do povoado, vê com angústia como seus amigos agora são inimigos e o principal obstáculo para o amor de Lucrécia e Juliano. Para desgraça de ambos, o destino faz com que se envolvam em um acidente que termina com a morte de César. E, ainda que inocentes, Rosário pensa que são os responsáveis.

A depressão toma conta de Rosário, que não suporta a presença de sua filha. O ressentimento de Rosário obriga Paulino a distanciar sua filha de sua fazenda e da família de Rodolfo, internando-a em um colégio distante. A partir daí, a má fama de Juliano corre pelo povoado e surge um apelido que terá que carregar pelo resto de sua vida.

Passados dez anos, Lucrécia deixa o internato, volta à São Pedro e se reencontra com Juliano. O amor entre os dois renasce, mas seus pais se opõem. Mesmo assim, estão dispostos a lutar por seu amor e contam com o apoio de Delfina, Modesto, seu esposo, e a solidariedade de Manuel, que, apesar de amar Lucrécia, os ajuda a serem felizes. Modesto, capataz da fazenda, é um homem do campo, tem uma pequena plantação de milho e junto de Delfina e Manuel formam uma família unida e amorosa.

Lucrécia não retorna sozinha, Renata, sua prima, vem em seguida, uma jovem invejosa, disposta a apoderar-se de tudo o que é de Lucrécia. Paulino sofre uma crise econômica e Ramiro lhe exige casar-se com Lucrécia. Porém, Carmelo se interpõe e mata seu pai. Juliano é acusado injustamente por esse crime, o que faz com que Lucrécia se veja obrigada a casar-se com Carmelo para evitar a ruina de seu pai. Juliano deixa o povoado, convencido de que Lucrécia o abandonou.

Lucrécia vive deprimida e triste como esposa de Carmelo, além disso, perdeu a fazenda de sua família. No povoado, se fala sobre a chegada de um forasteiro que comprou a fazenda. Lucrécia descobre que o estranho é Juliano. Carmelo descobre que Juliano voltou e se desata uma guerra entre ambos pelo amor de Lucrécia.


COMENTÁRIOS

Meu Pecado foi uma telenovela genuinamente mexicana, de fato trata-se de uma história original, produzida por um mexicano (Juan Osorio), escrita por três mexicanos (Cuauhtémoc Blanco, María del Carmen Peña e Víctor Manuel Medina), dirigida por um mexicano (Jorge Fons) e protagonizada por mexicanos (Maite Perroni e Eugenio Siller), em ambientes mexicanos (Chiapas). Com locações na cidade colonial de San Cristóbal de las Casas, no estado de Chiapas, Meu Pecado mostrou as belezas naturais da região, como El Cañón del Sumidero, Las Lagunas de Montebello, o Parque Nacional Las Nubes, a Selva Lancadona e as cascatas de Agua Azul, atrações turísticas do estado. Há muito tempo não se via uma produção desse nível no país asteca, carregada de criatividade e de coragem em apostar em uma história inédita, onde o melodrama se mesclava com as tramas de amor, intriga, paixão e surpresas, cumprindo seu papel e mostrando a que veio.

Meu Pecado propôs uma mudança. Se bem observada, nota-se que não foi uma telenovela com uma história principal e várias subtramas. São muitas telenovelas, muito fortes, todas unificadas sem que uma fosse inferior à outra. Tão importante foi a história de Lucrécia (Maite Perroni), por exemplo, como a de Rosário (Daniela Castro) ou como a de Justina (Sabine Moussier). Seus capítulos, mais que contar uma história, contavam a evolução física, mental e emocional de um grupo de personagens.

Aqui, diferentemente de seus papéis anteriores, Maite Perroni não interpretou uma jovem frágil e inocente. Em Meu Pecado, Lucrécia era uma personagem determinada, madura e firme em suas convicções. Bem diferente das outras telenovelas também, era a condição econômica de sua família em relação a do homem por quem se apaixonava. Ao contrário de outras tramas onde o galã é o rico da história, em Meu Pecado se passava o contrário. Juliano era filho de Rodolfo, um humilde professor do interior, que conservou a profissão dos pais, que eram professores do campo, e de Justina, uma mulher frustrada que nunca amou o marido. Apesar das diferenças sociais entre ele e Lucrécia, filha de fazendeiros, a história não evidenciou essa questão, dando mais ênfase a outros pontos da trama.

E por falar em Rodolfo, personagem interpretado por Francisco Gattorno, vale destacar que inicialmente o papel havia sido oferecido a Ernesto Laguardia, que não pôde aceitar devido aos compromissos profissionais como apresentador do programa Hoy, cujo produtor, Roberto Romagnoli, não autorizou sua ausência por um tempo para gravar a telenovela. Desse modo, o cubano Francisco Gattorno foi convidado por Juan Osorio para assumir o personagem e aceitou prontamente, dando vida a um homem entregue à sua família, que amava profundamente sua mulher e seus filhos, com uma moral intachável, sempre disposto a ajudar aos outros.

Algo curioso durante a exibição de Meu Pecado foi a substituição da atriz que dava vida à personagem Lorena, uma ex-namorada de Juliano, o protagonista. O papel, que inicialmente foi oferecido a Ingrid Martz, acabou caindo nas mãos da inexperiente atriz Vannya Valencia. Entretanto, sua atuação não convenceu e, após gravar somente dois capítulos, foi substituída por Altair Jarabo, que assumiu a personagem definitivamente.

Durante a gravação do folhetim, a atriz Daniela Castro, que viveu a vilã Rosário, sofreu alguns acidentes, chegando a cair em várias ocasiões. Como consequência, foi diagnosticada com uma contusão nas vértebras e, para não interromper o trabalho na reta final da telenovela, teve que gravar sob efeito de analgésicos. Outra atriz que também se viu envolvida em problemas de saúde foi Sabine Moussier, a Justina. Fortes dores nas costas impediram a atriz, na ocasião com 42 anos, de continuar gravando. Quando rodava uma das cenas, Sabine sentiu-se mal e teve que deixar Chiapas, sendo levada de emergência a um hospital da capital mexicana. Seu estado de saúde foi tão preocupante que inclusive chegou ao aeroporto da Cidade do México em cadeira de rodas. Como consequência, várias mudanças foram feitas na reta final da trama, com bastante cuidado para que a ausência da atriz não comprometesse o desenlace da narrativa.

Em sua terra natal, o folhetim estreou no dia 15 de junho de 2009, através do Canal de las Estrellas, substituindo a telenovela En Nombre del Amor, às 18h00. Porém, graças ao grande sucesso e a pedido do público, no dia 27 de julho, foi transferida para as 19h00, ocupando a vaga de Verano de Amor. A decisão da mudança de horário também se fez necessária devido aos temas fortes abordados na história, com base em uma análise de público-alvo realizada pela Televisa.

No Brasil, a estreia ocorreu em 2 de junho de 2014, às 16h00 e, para se enquadrar na categoria dos programas não recomendáveis para menores de 10 anos, que podem ser exibidos a qualquer horário, o SBT precisou eliminar algumas cenas que, de acordo com o Ministério da Justiça, órgão responsável pela Classificação Indicativa imposta a todos os programas de televisão, seriam inapropriadas para a faixa vespertina. Para evitar a reclassificação e consequentemente a mudança de horário, o SBT excluiu partes da telenovela como cenas de amor entre Lucrécia e Juliano, o abuso de Lucrécia por Carmelo e a forte cena em que Rodolfo expulsa Justina de casa, entre outras, como cenas de bofetadas entre as personagens. Mesmo assim, apesar dos cortes, a trama conseguiu terminar com os mesmos 110 capítulos de sua exibição original.

Os primeiros dias de exibição da atração foram marcados pela ansiedade e euforia do público em querer ver Maite Perroni aparecer na telinha. Os desavisados que imaginavam que isso aconteceria logo no primeiro episódio tiveram que aguardar até a segunda semana, quando finalmente a estrela entrou em cena. Na primeira fase da telenovela a atriz mirim Daniela Aedo, lembrada por sua atuação em tramas infantis como Carinha de Anjo e Viva às Crianças - Carrossel 2, foi quem interpretou a personagem de Maite aos nove anos de idade.

Ainda na primeira fase da história o público teve a chance de rever uma das atrizes mais destacadas da década de 70 e 80: Lucía Méndez, a protagonista de clássicos como Viviana e Só Você, em uma participação especial como a esposa do ator Sergio Goyri, que como de costume interpretou um homem rude e mau-caráter, que envenenava a própria esposa para se apoderar de sua fortuna. Durante sua aparição, a personagem de Lucía Méndez tinha um tema musical próprio, Un Nuevo Amanecer, interpretado por ela mesma, que pôde ser ouvido somente no período de sua participação.

Daniela Castro, no papel de Rosário, foi o grande destaque de Meu Pecado. Na pele de Rosário, a vilã era a própria mãe da heroína da história. Rosário escondia um terrível segredo, além de ser a mãe de Lucrécia também era sua irmã, pelo fato de ter sido violentada pelo próprio pai e ter ficado grávida da menina. Este era o motivo pelo qual tinha tanto desprezo por Lucrécia, que era vista pela mãe como um fruto do pecado.

Na dublagem em português, realizada pela Rio Sound Estúdios, alguns nomes e sobrenomes dos personagens foram modificados. Julián, Gabino, Blanca e Asunción se transformaram em Juliano, Ramiro, Branca e Assunção, respectivamente. Os sobrenomes Pedraza, Roura e Huerta, do original em espanhol, foram adaptados para Pedrosa, Souza e Horta. E por falar em dublagem tão importantes foram as interpretações dos dubladores quanto a atuação dos próprios personagens da telenovela. Destaque para os dubladores Ana Lúcia Menezes (Lucrécia), Renan Freitas (Juliano), Isis Koschdoski (Rosário), Carlos Seidl (Ramiro), Carla Pompilio (Justina), Sergio Muniz (Rodolfo), Francisco Júnior (Carmelo), Márcio Simões (Paulino) e Márcia Morelli (Delfina), que deram um show à parte com suas vozes.

Outra modificação significativa no folhetim foi a música tema de abertura. Gravada por Maite Perroni especialmente para a exibição no Brasil, Como se Explica o Amor? era uma versão brasileira de Eclipse de Luna, faixa-título de seu álbum de estreia como cantora solista. A canção em português substituiu a original Mi Pecado, também cantada por Maite em conjunto com o grupo Reik, que contribui com a maior parte das músicas da trilha sonora, com canções como Sabes, Inolvidable e No Puedo Dejarte de Amar. Outras faixas foram El Amor no Suportó e El Amor nos Encontró, da cantora Greys Robles; Te Necesito, do grupo OV7; e ¿Cuál es mi Pecado? do cantor Fato.

No México, Meu Pecado foi indicada aos Prêmios TVyNovelas 2010 nas categorias Melhor Telenovela (Juan Osorio); Melhor Primeira Atriz (Daniela Castro); Melhor Primeiro Ator (Sergio Goyri); Melhor Atriz Juvenil (Maite Perroni); Melhor Revelação Feminina (Gabriela Carrillo); Melhor Revelação Masculina (Diego Amozurrutia); Melhor Direção de Cena (Aurelio Avila e Jorge Fons) e Melhor História ou Adaptação (Cuauhtémoc Blanco e María del Carmen Peña), que foi a única categoria que efetivamente conquistou o troféu. Além desta premiação, concorreu aos Prêmios People en Español 2010 nas categorias Melhor Telenovela; Melhor Atriz (Maite Perroni); Melhor Ator (Eugenio Siller); Melhor Casal (Eugenio Siller e Maite Perroni); Melhor Vilã (Daniela Castro) e Melhor Atriz/Ator Juvenil (Eugenio Siller e Maite Perroni), tendo saído vitoriosa nas duas últimas categorias, com prêmios para Daniela Castro e Eugenio Siller. Também em 2010, Daniela Castro e Armando Araiza venceram respectivamente as categorias Melhor Atriz Antagonista e Melhor Ator Antagonista dos Prêmios Bravo e no ano seguinte ambos foram novamente premiados nas categorias Melhor Co-atuação Feminina e Melhor Co-atuação Masculina dos Prêmios ACE 2011.

No dia de sua estreia no SBT, Meu Pecado marcou uma audiência razoável, ficando em terceiro lugar com 5,5 pontos, atrás da Record e da Rede Globo. No decorrer de sua exibição, a audiência não atingiu as expectativas da emissora, cuja meta para o horário é de 5 pontos, ficando abaixo desse valor. A menor audiência registrada foi no dia 4 de julho de 2014, data em que o folhetim amargou com apenas 2 pontos, em virtude do jogo entre Brasil e Colômbia durante a Copa do Mundo. Foi somente em sua reta final que a atração alavancou e marcou excelentes números, batendo recorde de audiência com 7 pontos e picos de até 8 pontos. Mesmo assim, a trama se despediu do Brasil com uma média geral abaixo dos 5 pontos, não superando a audiência de Cuidado com o Anjo, outra história protagoniza por Maite, que rendeu uma média de 6 pontos.

Apesar de não ter superado as expectativas da emissora, Meu Pecado marcou sua história por aqui. Sua cativante história de amor, em sintonia com a atuação de grandes nomes da teledramaturgia mexicana, com cenários naturais lindíssimos e com uma trilha sonora bastante romântica fez a alegria dos fãs de Maite Perroni e com certeza já deixou saudades.